Teste A/B: o que é, como funciona, porque é importante e o que testar

Se a sua campanha precisa de ajustes, um teste A/B pode oferecer a solução.

Esse é um método fantástico para descobrir as melhores estratégias promocionais e de marketing digital para a sua empresa.

Pode ser usado para testar tudo, desde cópias de uma landing page até anúncios de pesquisa.

E as vantagens que fornece são suficientes para compensar o tempo que leva para o teste rodar o suficiente.

Inclusive, limitar os elementos mais eficazes de uma promoção para em seguida combiná-los pode ser uma ótima estratégia.

É um caminho para tornar suas ações de marketing muito mais lucrativas e bem-sucedidas.

Então, preparamos este artigo para quem ainda está por fora do assunto e quer conhecer mais sobre o método e aprimorar suas estratégias.

Aqui, você irá entender o conceito do teste A/B, como ele funciona, quando aplicá-lo, o que pode ser testado e muito mais.

Boa leitura!

O que é Teste A/B?

O teste A/B é um método utilizado no marketing digital para fornecer insights sobre o desempenho daquilo que se está testando. Pode ser aplicável a um e-mail marketing ou uma landing page, por exemplo.

Basicamente, são criadas duas versões de uma peça e dividido o tráfego entre elas.

Uma delas é a original, enquanto a outra apresenta variações.

Por fim, é medido o desempenho de cada uma em números, o que permite saber qual apresenta a maior taxa de conversão.

Ao contrário dos testes multivariados, o teste A/B coloca em análise apenas uma variável por vez.

Assim, seu objetivo é identificar a melhor das duas variações para nela investir.

Como funciona?

O processo do teste A/B funciona de maneira bem simples.

O primeiro passo é escolher qual a melhor ferramenta para executar os testes.

Feito isso, você precisa definir uma métrica para acompanhar os resultados.

Também deve determinar o elemento que deseja testar, como título, formulário ou um call to action (CTA), por exemplo.

A partir daí, espere o tempo necessário para que o teste rode bem e colha os resultados.

Com base na análise deles, você poderá ver qual página tem o melhor desempenho e implementar as mudanças necessárias.

Como você pode perceber, é uma das melhores formas de otimizar seu investimento em marketing.

Por que os testes A/B são eficientes?

Os testes A/B são mesmo eficientes.

E não é difícil de entender.

Ocorre que eles fornecem um feedback em tempo real, com números concretos, sobre o desempenho das páginas.

Além de ser uma boa saída para a sua equipe fugir dos “achismos”, a aplicação dos testes facilita na tomada de decisões importantes.

Fornece informações, argumentos. É o embasamento que você precisa para ter sucesso na estratégia.

Onde os testes A/B podem ser utilizados?

O mais bacana dos testes A/B é que existe um leque de canais de comunicação nos quais é possível aplicá-los.

E tudo isso acaba ajudando a otimizar vários pontos da sua estratégia de marketing.

Dentre esses canais, os testes costumam ser aplicados nas páginas e nas landing pages de um site.

Também nos e-mails disparados para sua base de contatos.

E até mesmo nos anúncios do Google Adwords e das redes sociais, como o Facebook Ads.

Quando fazer um teste A/B?

Antes de tudo, o ideal é definir qual a métrica mais importante para a sua empresa naquele momento.

Seria a geração de leads? Ou aumentar a taxa de cliques?

De um jeito ou de outro, com a métrica em mente, fica fácil acompanhar o desempenho e identificar a necessidade de otimizar os resultados dela.

Tem alguma landing page do seu site que você notou que está com uma baixa taxa de conversão?

Suas campanhas de e-mail marketing não têm uma boa taxa de abertura?

Talvez seja o momento de rodar um teste A/B e descobrir se a página variante tem um desempenho melhor que a atual.

A verdade é que não há por que não fazer um teste A/B de maneira periódica.

Mesmo que os resultados já estejam adequados, eles podem ficar ainda melhores.

Por que perder essa chance?

O que testar

Um dos principais objetivos das empresas que investem em marketing digital é a geração de leads e, mais ainda, de leads qualificados para as vendas.

Mas para que haja conversão, o visitante precisa passar primeiro por alguma landing page do seu site.

Ela é um fator decisivo para a conversão.

Uma landing page muito carregada com textos e imagens pode fazer com que o visitante abandone a página.

Ou seja, em vez de parecer atrativa, ela se torna repulsiva.

É tudo o que você não quer.

Para evitar que isso aconteça, o ideal é que ela seja o mais clara possível.

E é justamente a aplicação de testes A/B nos elementos que fazem parte da landing page que ajuda a deixá-la mais objetiva e atraente para os visitantes.

Selecionamos os principais aspectos que podem e devem ser alterados quando se trata de teste A/B.

Vamos lá?

Títulos

Os títulos desempenham um papel importante no funcionamento da página.

Eles ajudam a captar a atenção do usuário e a introduzir a ideia principal sobre o que se trata aquela página ou qual a oferta que está em jogo.

Testar títulos positivos, como “Gere 5 vezes mais leads seguindo esta dica” ou títulos negativos, como “Saiba agora o principal erro na geração de leads” é uma boa forma de avaliar a receptividade ao elemento.

Imagens

Assim como o título, as imagens também servem para atrair o usuário.

Elas podem apresentar resultados incríveis quando alteradas, principalmente, se você usar como background.

Você pode testar imagens de pessoas vs. imagens de produtos ou uma imagem única vs. várias imagens, por exemplo.

Independentemente, tente manter uma mesma linha entre as imagens e o restante do seu site e da sua comunicação.

Vídeos

Assim como as imagens, uma landing page com vídeos aumenta as chances de conversão.

Ao invés de um texto descritivo, você pode simplesmente colocar um vídeo que explique rapidamente os benefícios da oferta.

Também pode testar vídeos curtos e mais longos.

Ou, quem sabe, vídeos com pessoas falando e outros com apresentação de slides, por exemplo.

Texto (Copy)

Para o texto presente na sua landing page, a regra é: menos é mais.

Ou seja, o ideal é que você vá direto ao ponto.

Escreva apenas o necessário e deixe bem claro quais são os benefícios daquela oferta.

Caso realmente não tenha como sintetizar o texto, é importante que você dinamize ao máximo esse conteúdo.

Escrever parágrafos menores, adicionar bullet points, destacar palavras-chaves em negrito, entre outras ações, são boas opções para manter o visitante focado na leitura.

Formulários

Você alguma vez já deixou de baixar um e-book ou qualquer outro material porque o formulário era muito extenso?

É, isso acontece.

Os formulários têm grande influência na taxa de conversão das landing pages.

É através deles que o usuário fornece seus dados em troca de algum conteúdo.

Por isso, também precisam ser curtos e objetivos.

Testar a quantidade de campos obrigatórios pode ser um bom começo, ou um design mais atraente também.

Call to action (CTA)

Os CTAs são o destino final de qualquer visitante da sua landing page.

Eles indicam a ação a ser tomada.

Após clicar em um deles, o visitante fica muito mais próximo de se tornar um lead.

Se você notar que seu formulário ou seu anúncio não está gerando tantos leads quanto gostaria, talvez seja a hora de fazer alguma alteração e observar os resultados.

E adivinha como irá fazer isso?

Com um teste A/B, é claro.

Certifique-se de testar as cores e as chamadas de ação.

Um CTA dizendo “Solicite uma demonstração aqui” pode trazer mais resultados do que um simples botão escrito “Enviar”.

Cores

Você já ouviu falar em psicologia das cores?

Talvez se surpreenda, mas as cores têm uma importante função na nosso desempenho cognitivo e influenciam bastante nas taxas de conversão.

O ideal é testar cores que contrastam entre si e achar a que mais dá certo para a sua landing page.

Permita-se ousar.

Posso testar mais de uma coisa ao mesmo tempo?

De repente, você acha que precisa alterar cores e imagens.

Dá para fazer ao mesmo tempo?

Existem diferentes respostas para essa questão.

Na verdade, depende bastante do elemento em questão.

Digamos que você queira testar apenas seu título, mas você tem três possíveis variações.

Nesse caso, executar um único teste e dividir seus visitantes (ou destinatários no caso de um e-mail) em três e não em dois grupos ainda pode ser considerado um teste A/B.

Isso seria mais eficiente do que rodar três testes separados (A vs. B, B vs. C e A vs. C).

Você pode dar ao seu teste alguns dias extras para ser executado, para que tenha resultados suficientes e mais precisos para basear quaisquer conclusões.

Em segundo lugar, vamos supor que você queira testar mais de um elemento ao mesmo tempo, como título e CTA, por exemplo.

Nesse caso, o processo é possível, sim.

Mas aí já passa a ser chamado de teste multivariável e é mais complicado de ser executado do que um teste A/B.

Ferramentas de teste A/B

Se você ainda é iniciante no assunto, não precisa se preocupar.

Há uma série de ferramentas disponíveis no mercado que facilitam muito o processo de execução de um teste A/B.

Selecionamos a seguir algumas que consideramos como as principais.

Confira!

Google Analytics

O Google Analytics é uma ferramenta do próprio Google.

Ela é amplamente utilizada para analisar o comportamento dos usuários em sites.

Na plataforma, é possível avaliar até nove mudanças feitas na página para uma amostragem específica de pessoas.

Após o fim do período necessário para colher os resultados, você tem relatórios que irão nortear suas otimizações.

O mais legal de tudo é que ele é gratuito.

Google Website Optimizer

Outro serviço utilizado para rodar testes A/B é uma plataforma desenvolvida pelo Google especialmente para esse fim: o Google Website Optimizer.

Nela, você consegue ter uma perspectiva real sobre a sua estratégia através da avaliação de qualidade das landing pages ou de qualquer outro canal que você utiliza para chamar a atenção do seu público.

Assim como as demais ferramentas, possibilita analisar as reações dos usuários quando expostos aos conteúdos e formatos propostos.

Porém, o grande diferencial dessa ferramenta é a capacidade de avaliar a variação de mais de um elemento por vez, podendo ser utilizada nos testes multivariáveis também.

E para ter acesso é simples: basta ter uma conta no Google, que tem custo zero, planejar e decidir qual elemento você irá verificar.

AB Tasty

O AB Tasty é uma ferramenta líder quando se fala em testes A/B.

Ela é bastante intuitiva e você não precisa ter conhecimento técnico em programação para fazer as alterações.

É só integrar o HTML no seu site e começar a promover as variações através do editor gráfico da plataforma.

Tudo de acordo com seu gosto.

Além disso, a ferramenta tem a vantagem de poder incluir várias contas para o monitoramento.

Mas, ao contrário do Analytics, essa é uma ferramenta paga.

Além disso, funções essenciais, como o mapa de cliques, são liberadas apenas na versão Premium.

Optimizely

O grande trunfo da Optimizely é que ela descarta a necessidade de profissionais de programação para fazer as alterações e acompanhar os resultados.

O processo de instalação é bem rápido.

Basta adicionar a linha Javascript no site e começar a usar.

O único porém é que algumas landing pages levam mais tempo para serem carregadas após a instalação.

Portanto, não deixe de verificar se isso está causando algum impacto negativo na sua estratégia digital.

Mensuração dos resultados

A última fase do teste A/B é a mensuração dos resultados.

Ou seja, a análise dos números reais obtidos no teste para saber qual variante apresentou melhor desempenho.

Para isso, é importante atentar a alguns pontos que irão ajudar a extrair o máximo de informações relevantes para a otimização da estratégia.

Antes de tudo, é preciso que você:

Garanta significação estatística

É necessário determinar a quantidade de pessoas na amostragem da sua análise.

Isso dará relevância estatística para os resultados obtidos naquele período de tempo.

Por exemplo, quantas pessoas precisam visitar a landing page para que ela obtenha essa relevância?

Ou quantas pessoas precisam clicar no CTA?

Descobrir esses números pode ser um trabalho difícil caso você não se dê muito bem com estatísticas.

Mas existem ferramentas para calcular a significância dos testes A/B, como esta calculadora, que servem como aliadas nesses processo.

Dê tempo ao tempo

O teste A/B não é algo que acontece da noite para o dia.

Dependendo da quantidade de tráfego que você recebe, pode ser preciso executar testes que vão de alguns dias a algumas semanas.

Além disso, para resultados mais precisos, o importante é ter paciência e executar um teste de cada vez.

Escolher um período de tempo que não seja o suficiente para uma boa medição pode apresentar resultados distorcidos.

Afinal, assim, você não obtém um grupo suficientemente grande de visitantes para ser estatisticamente preciso.

Executar um teste por muito tempo também pode dar resultados negativos.

Considere que existem variáveis que você não pode controlar durante um período muito longo.

Certifique-se de estar atento a qualquer fator que possa afetar os resultados do seu teste.

Isso é determinante para que possa compreender e explicar quaisquer anomalias estatísticas ao revisar seus resultados.

Se você está em dúvida, fique tranquilo.

É perfeitamente normal e razoável testar novamente.

O importante é descobrir a melhor saída para sua landing page ou seja qual for o elemento testado.

Lembre que, considerando o impacto positivo que o teste A/B pode causar nas suas vendas e lucros, vale a pena levar algumas semanas para realizar o processo adequadamente.

Experimente uma variável de cada vez e dê a cada teste o tempo suficiente para rodar.

Utilize apenas uma métrica para escolher o vencedor

Você se lembra de quando dissemos que uma das primeiras coisas a fazer para rodar um teste A/B é definir uma métrica principal para classificar o desempenho?

Então, após ter esperado o tempo necessário para observar os resultados, analisar se uma variação foi melhor que a outra fica muito mais prático e rápido graças a essa métrica definida previamente.

Vamos supor que a variável que você decidiu testar foi a cor do CTA da sua oferta, como “Receber e-book” ou “Solicite uma demonstração”, por exemplo.

Logo, se entende que a métrica principal seria a quantidade de cliques que cada um dos CTAs teve.

No final do teste, você consegue identificar qual deles teve a maior quantidade de cliques e fazer as alterações onde necessário for, no e-mail marketing, na landing page, nos anúncios do Google, etc.

Comece a capturar leads hoje mesmo com o Klickpages

Você precisa de uma landing page poderosa para capturar e nutrir leads?

Seja um convite para assinar uma newsletter, para receber novidades por e-mail, baixar um e-book ou se inscrever em um curso gratuito, esse é o instrumento perfeito.

Para tanto, o Klickpages é a ferramenta ideal.

São só três passos básicos para criar a sua:

  1. Escolha seu modelo: veja alta conversão comprovada através de testes.

  2. Customize a página: edite textos, cores e imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: publique no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Como você viu neste artigo, quando bem planejado, o teste A/B pode fazer uma grande diferença nos resultados de marketing da sua empresa.

Só não esqueça de escolher uma variável por vez e não ter pressa para colher os resultados.

Alguns deles só podem ser notados depois de algum tempo com o teste rodando.

Vale o esforço.

Afinal, com landing pages fantásticas, como as que você cria com o Klickpages, o sucesso da estratégia é uma consequência natural.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.