SEO para imagens: como ranquear na ferramenta de busca que só perde para o Google

SEO para imagens:13 táticas para aumentar seu ranqueamento no Google

Se você ainda não faz SEO para imagens, você está perdendo a chance de ranquear na segunda maior ferramenta de busca, que inclusive só perde para o Google.

E, assim, para ser bem sincera, nesse caso, é o Google perdendo para o próprio Google.

Como assim?

É o seguinte.

Tem gente que considera o YouTube o segundo maior buscador, e ele é sim se levar em conta que o Google Web e o Google Imagens são a mesma ferramenta.

Só que quando você olha para números separados dá para perceber que o Google Imagens por si só é um buscador e está muito à frente do YouTube.

Olha esse gráfico com o percentual das pesquisas realizadas em Fevereiro de 2018 em cada ferramenta:

Percentual de pesquisa realizada por ferramenta de busca

O Google Imagens é mais de 5 vezes maior que o YouTube e perde só para o Google Web, que costuma ser a primeira coisa que vem a cabeça quando se pensa em ferramenta de busca.

Por que eu estou te falando tudo isso?

Se você quer que os seus conteúdos estejam bem posicionados para gerar tráfego orgânico, não dá para ignorar o poder das imagens.

E isso não vale só para quem trabalha com fotografias e ilustrações.

Porque a parada maluca é que quando você aplica o SEO para imagens, você não só sai na frente para esse tipo de pesquisa, como também melhora o posicionamento na busca Web.

Ou seja, seu conteúdo escrito também sai ganhando.

É meio contraintuitivo, mas a realidade é que quando você otimiza seus sites e páginas para a segunda maior ferramenta de busca, você melhora o seu ranqueamento na primeira.

Então, se você quer conquistar um posicionamento melhor no Google tanto para suas imagens quanto para textos, segue comigo até o final, porque eu vou te dar 13 táticas de como fazer SEO para imagens.

Mas primeiro…

Por que fazer SEO para imagens?

Por que fazer SEO para imagens?

É bem provável que você já tenha ouvido falar em técnicas de SEO para blog, landing pages… Pelo menos aqui no blog do KP a gente fala bastante sobre esse assunto.

Mas SEO para imagens pode soar um pouco como novidade e até mesmo como um detalhe no meio de tantas outras otimizações que parecem mais importantes, como o uso de palavras-chave, link building e a criação de páginas mobile friendly.

A parada é que as imagens do seu blog ou site têm um potencial muito grande de trazer benefícios para a sua estratégia.

Fora que se o seu nicho está ligado a fotografia e ilustração ou edição de imagens, aí que essa tática se faz ainda mais importante.

Para você ter uma ideia eu destaquei aqui os principais benefícios do SEO para imagens:

Gerar tráfego orgânico adicional

Antes de 2018, quando você fazia uma busca no Google Imagens, aparecia um botão para visualizar a imagem em tamanho completo.

Quando o usuário clicava nele, era redirecionado para uma página que abria apenas o arquivo da fotografia ou ilustração e, assim, era possível salvar uma cópia no computador.

Só que em fevereiro de 2018, o Google lançou uma atualização que desapareceu com esse botão. O objetivo dessa mudança era aumentar o tráfego dos sites onde a imagem estava publicada.

Hoje em dia, quando você clica sobre um resultado da busca, é redirecionado para o conteúdo original.

Se é um blog, por exemplo, o usuário vai encontrar além da fotografia ou ilustração, um artigo sobre algum assunto.

O resultado dessa pequena mudança foi um aumento médio de 37% no número de visitantes a partir de uma busca de imagens.

Mas, então, o que isso significa para o seu negócio?

Além de atrair visitantes por meio da pesquisa Web tradicional do Google, você conquista uma fonte adicional de tráfego orgânico considerável.

Por exemplo, aqui no blog do KP, de 1º de setembro a 30 de novembro de 2019, mais de 3% dos visitantes vieram da busca de imagens.

Talvez 3% possa parecer pouco para você, mas em números absolutos esse percentual representa mais de 26 mil cliques.

Mais de 26 mil visitas adicionais graças ao tráfego gerado pelas imagens.

Otimizar o SEO da página no geral

Além de gerar tráfego adicional, imagens otimizadas melhoram o SEO da página como um todo.

O que aumenta as suas chances de ranquear bem não só na busca de imagens, como também na pesquisa Web.

Ou seja, os seus conteúdos de texto podem conquistar um posicionamento ainda melhor e, consequentemente, trazer mais potenciais clientes para seu site ou blog.

Diminuir o tempo de carregamento

Se você não sabia, o tempo de carregamento de página é um dos fatores mais decisivos para determinar se um usuário vai de fato acessar ou não um site.

Eu já falei em detalhes sobre esse assunto aqui no blog do KP, no artigo Por que você não deve tentar alcançar a nota máxima no Google Pagespeed Insights, e dei algumas dicas do que você pode fazer para diminuir o tempo de carregamento.

Dentre elas está a otimização das suas imagens.

Ou seja, quando você investe no tipo de SEO que eu vou te mostrar neste artigo, você consequentemente melhora o tempo de carregamento da sua página e pode aumentar a quantidade de visitantes dos seu site.

Aumentar as chances de viralizar suas imagens

Se o seu nicho de mercado é fotografia ou ilustração, ou então as imagens são algo muito importante dentro da sua estratégia.

Fazer esse tipo de otimização aumenta as suas chances de viralização.

Isso porque as suas imagens terão mais chances de ficarem melhor posicionadas na busca do Google.

Assim, possivelmente, mais pessoas terão acesso ao seu material.

Agora que você já viu os principais benefícios de investir em SEO para imagens, eu vou te mostrar o que fazer para colocar a mão na massa.

Como fazer SEO para imagens

Como fazer SEO para imagens

A primeira coisa que você tem que ter em mente é que focar na experiência do usuário é o mais importante de tudo.

Isso porque se o seu site ou blog não agrada os visitantes, não importa o quão otimizado para as ferramentas de busca ele está, simplesmente você não vai alcançar os seus objetivos de vender mais e conquistar e fidelizar clientes.

Então, ao fazer as otimizações que eu vou te indicar não exagere no uso de palavras-chave ou faça outras práticas que possam ser consideradas black hat SEO.

A segunda coisa que você precisa saber é que tanto o Google quanto as outras ferramentas de busca não conseguem “ler” imagens.

Hoje em dia, até já existem algumas tecnologias de reconhecimento de landmarks, ou seja, pontos de referência como a Torre Eiffel e a Estátua da Liberdade.

Mas ainda assim não é o suficiente para compreender o que está sendo representado em todas as imagens da internet.

Por isso, boa parte das otimizações estão voltadas para indicar para a ferramenta do que se trata a imagem, de forma que ela consiga oferecer o melhor resultado possível para a busca do usuário.

Agora que você já sabe isso, eu vou te mostrar as otimizações que você deve fazer. 

Vamos lá?

#1 Use imagens de qualidade

Imagens pixeladas e desfocadas não passam uma boa impressão nem para os visitantes do seu site ou blog, nem para as ferramentas de busca.

Geralmente, isso acontece porque o arquivo foi gerado com baixa qualidade ou uma imagem pequena foi ampliada demais.

De qualquer forma, o importante é optar por fotografias ou ilustrações que tenham uma boa resolução e sejam adequadas para o espaço que você quer que elas ocupem, assim você evita a perda de qualidade de uma imagem

#2 Fique atento às dimensões da imagem

Se você fizer uma busca rápida no Google, vai perceber que as imagens têm dimensões muito parecidas.

Na maioria das vezes elas são retangulares ou mais quadradas. Olha só:

Fique atento às dimensões da imagem

Isso acontece porque costumam seguir as proporções 16:9 ou 4:3, que são as mais utilizadas em vídeos como os do YouTube e, por isso, os usuários já estão mais acostumados a elas. 

Então, o Google tende a privilegiar dimensões que seguem essas proposições com posicionamento melhor.

#3 Tenha cuidado com o tamanho do arquivo

Arquivos de imagem muito grandes podem atrapalhar o carregamento da página e torná-la lenta.

O que prejudica a experiência do usuário e aumenta a taxa de bounce, que nesse caso é a quantidade de pessoas que desistem do acesso depois de já terem clicado no link da página.

As ferramentas de busca não veem esse comportamento como um bom sinal e tendem a abaixar o posicionamento de páginas assim.

Na hora de selecionar as imagens para incluir no seu site ou blog, verifique o tamanho do arquivo e, caso seja necessário, use ferramentas de compactação que fazem a redução e não prejudicam a qualidade final do material.

#4 Evite colocar textos dentro da imagem

Se você já leu o artigo que eu escrevi sobre Facebook Text Overlay aqui para o blog do KP, sabe que texto demais nas imagens pode prejudicar o alcance dos seus anúncios no Facebook e no Instagram.

Só que quando se trata de SEO, a recomendação de evitar textos existe por um outro motivo.

Se a sua intenção é que as suas imagens apareçam para o máximo de pessoas na busca, é possível que gente de outros países e línguas sejam expostos a ela.

E aí, o texto provavelmente se tornará incompreensível e sua imagem pode deixar de ser compartilhada por causa disso.

Por esse motivo, é uma boa prática evitar colocar texto nas imagens ou escolher imagens que tenham texto para o seu blog ou site.

É claro que não é um problema fazer isso, desde que você não tenha a intenção de que o conteúdo seja de fato acessível a pessoas que falam outras línguas.

#5 Use formatos compatíveis

Para que suas imagens sejam acessíveis ao Google e possam aparecer na busca por esse tipo de conteúdo, elas precisam estar em formatos compatíveis com a plataforma.

Os mais comuns e utilizados são JPEG, PNG e GIF. 

Mas também são aceitos arquivos em MBP, WebP e SVG.

#6 Nomeie o arquivo da imagem

Quando a sua imagem é adicionada ao seu site ou blog, ela vai ganhar uma URL que corresponde ao endereço dela no servidor (uma máquina onde estão armazenadas todas as informações sobre as suas páginas).

O nome que você dá ao arquivo quando ele ainda está no seu computador acaba se tornando parte da URL.

E se você já leu o artigo do Hugo sobre URL amigável, sabe que ter links que seguem as boas práticas é uma parada importante para SEO. 

Além disso, é impossível ter ideia do que de fato é uma imagem que tem o nome “DSC00785.jpg” sem abrir o arquivo para ver o que é.

Agora se fosse “flores-do-campo.jpg”, você conseguiria saber mais ou menos o que é.

Como eu te falei, as ferramentas de busca não "lêem" as imagens, é por meio de informações como o nome do arquivo que elas conseguem entender o que tem em cada uma.

Por isso, o nome que você dá é tão importante e deve seguir boas práticas como usar hífens-para-separar-as-palavras, nãoescrevertudojunto e &vitar caract&r&s &sp&ciais.

#7 Coloque a title tag

A title tag é um metadado sobre a sua imagem. 

Isso quer dizer que é uma informação sobre o arquivo, que geralmente não está disponível para o usuário, mas que é acessível à ferramenta de busca.

A title tig é um título que serve para dar mais contexto sobre a fotografia ou ilustração e, assim, ajudar o Google a entender o que está sendo representado.

Além disso, ela aparece em uma caixinha cinza quando você passa o mouse sobre a imagem.

Coloque a title tag

#8 Não se esqueça do alt text

O texto alternativo ou alt text é muito importante tanto para questões de acessibilidade quanto para os buscadores.

Ele funciona como uma descrição da sua imagem que fica disponível para usuários que usam ferramenta de suporte para visão, como os aplicativos de leitura para pessoas com deficiência visual.

O texto também aparece no lugar da imagem, quando por algum problema ela não é carregada na página e ajuda o buscador a entender do que se trata o arquivo.

O próprio Google recomenda o uso deste atributo e dá os seguintes exemplos como orientação:

  • Ruim (sem texto alternativo): <img src="filhote.jpg"/>

  • Ruim (excesso de palavras-chave): <img src="filhote.jpg" alt="filhotinho cachorrinho cãozinho filhotinhos cachorrinhos cãezinhos ninhada retriever labrador wolfhound setter jack russell terrier petiscos ração barata"/>

  • Melhor: <img src="filhote.jpg" alt="filhote"/>

  • Muito melhor: <img src="filhote.jpg" alt="filhote de Dálmata brincando"/> 

#9 Adicione uma legenda

As legendas são mais um recurso para chamar a atenção do usuário para uma imagem, dar contexto caso ela não seja carregada ou alguém use ferramentas de acessibilidade, além de auxiliar a ferramenta de busca.

O ideal é que ela tenha a palavra-chave para a qual você quer ranquear, descreva e traga informações que complementem o conteúdo.

Ah, e claro que nem sempre vai fazer sentido colocar uma legenda, mas, sempre que for possível, esse é um recurso interessante de se usar.

#10 Pense no contexto da imagem

Todos os elementos que estão ao redor da imagem adicionam significado e dão contexto a ela.

Como assim?

Se eu estou escrevendo um texto sobre flores do cerrado, menciono a flor caliandra e logo em seguida coloco uma foto, espera-se que seja da planta que eu acabei de mencionar.

Ou seja, a imagem está inserida dentro de um contexto que traz informações sobre o que está sendo representado.

Além de todos os metadados que eu já falei que você deve inserir, esse contexto também influencia em como a ferramenta de busca enxerga a sua página e atribui ou não relevância para a imagem.

#11 Defina o posicionamento na página

Pode até parecer besteira ou um detalhe, mas o posicionamento da imagem na página faz diferença.

Quanto mais perto do topo ela está, isso indica uma maior importância. Quanto mais próxima ao final, menos importante.

#12 Coloque dados estruturados

Se você ainda não ouviu falar disso, dados estruturados são uma espécie de marcação utilizada para indicar ao Google o tipo de conteúdo que você está publicando.

Isso ajuda a dar mais relevância para as buscas. 

Por exemplo, você tem um blog de culinária e publicou uma receita de bolo de mandioca.

Se você adicionar a marcação que indica que aquele artigo é uma receita, além de poder acrescentar informações adicionais como tempo de preparo e nível de dificuldade, isso ainda aumenta suas chances de conseguir um posicionamento melhor.

Coloque dados estruturados

No caso de imagens, existem 3 tipos de dados estruturados que você pode usar: vídeos, receitas e produtos.

#13 Crie um sitemap de imagens

Sitemaps são um tipo de arquivo que você cria especialmente para as ferramentas de busca saberem quais são todas as páginas do seu site, com que frequência elas são atualizadas e quando foi a última atualização.

Isso ajuda os buscadores a descobrir novas páginas na internet para apresentar como resultado de uma pesquisa.

No artigo Sitemap: o recurso para evitar que suas páginas fiquem inacessíveis ao Google, eu explico mais sobre esse assunto.

Mas o fato é que existe um tipo de sitemap específico para imagens que é extremamente útil para quem trabalha com fotografias ou ilustrações e quer divulgar o trabalho na internet, por meio das ferramentas de busca.

A ferramenta para criar suas páginas com imagens otimizadas

A ferramenta para criar suas páginas com imagens otimizadas

Ao longo deste artigo, eu te expliquei 13 táticas que você pode implementar para melhorar o SEO das suas imagens e da sua página como um todo.

E, assim, conseguir um posicionamento melhor no Google e aumentar o seu tráfego.

Algumas otimizações você deve fazer enquanto ainda está trabalhando com a imagem no seu computador, como é o caso de dar um nome apropriado ao arquivo.

Já outras, você faz no momento em que está criando ou editando a sua página para inserir novas imagens.

E fazer isso depende ou de mexer manualmente no código para adicionar os atributos e metadados, ou então de ter em mãos uma ferramenta que te dá a possibilidade de fazer isso de forma fácil e simples.

Como é o caso do Klickpages

Nele, ao inserir uma imagem você consegue adicionar o alt text, por exemplo, apenas preenchendo um campo, sem ter que mexer em código algum.

Além disso, é muito fácil criar e editar as suas páginas com o KP. Basta você seguir esses 3 passos:

  1. Escolha o modelo: veja opções de alta conversão comprovada por testes.

  2. Customize a página: feita a escolha, edite os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: ao final, publique no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

SEO para imagens - Conclusão

Neste artigo, você viu que não fazer SEO para imagens é deixar passar a oportunidade de ranquear na segunda maior ferramenta de busca e ainda melhorar seu posicionamento na primeira.

Isso porque o Google Imagens só perde para o Google Web em percentual de buscas e é uma fonte adicional de tráfego considerável.

O que no final das contas significa mais visitantes, potenciais clientes e possivelmente mais vendas.

Para aproveitar esses e outros benefícios, eu te mostrei 13 táticas para otimizar as suas imagens.

Entre elas estão usar imagens de qualidade, nomear o arquivo usando a palavra-chave, incluir o alt text e a title tag, além de adicionar dados estruturados.

Agora é a hora de você colocar a mão na massa e aplicar SEO nas suas imagens.

Ah, e não se esqueça de me contar aqui nos comentários se você já usava alguma das estratégias que eu te falei neste artigo. 😉 

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Sou especialista em SEO, tráfego orgânico e informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.