Comece a eliminar o que não é importante para o seu negócio com a segmentação demográfica

Segmentação demográfica: o que é, por que fazer e 9 exemplos

A segmentação demográfica é um dos primeiros passos para você eliminar o que não é importante para o seu negócio.

O fato é que, se você tem uma empresa, precisa vender para conquistar mais clientes. Só que para vender, você precisa saber por onde começar, qual é o primeiro passo. 

É tipo quando você muda de casa.

Para tirar tudo da casa antiga e levar para a nova, você precisa saber por onde começar.  

Eu não sei se você já teve que mudar de casa, mas eu passei por três mudanças nos últimos dois anos. 

E se tem uma coisa eu aprendi nesse processo, é: se você só sair encaixotando tudo o que ver pela frente, terá trabalho dobrado.

Porque as chances são que tem um monte de coisa ali que você nem usa mais, que só serve para pegar poeira ou ocupar espaço.

Se você não fizer uma seleção do que vale a pena levar para a nova casa, além de perder tempo encaixotando itens completamente dispensáveis e de talvez pagar um frete mais alto pelo volume maior de caixas, você vai ter trabalho extra na hora de colocar tudo no lugar.

E ainda corre o risco de não achar lugar para todos os papéis, roupas e móveis que vieram da casa anterior. 

Por isso, em uma mudança você precisa saber por onde começar. 

E o primeiro passo vem antes da mudança em si: é filtrar o que você vai levar. É eliminar da sua vida o que não faz sentido carregar para o novo lar. 

Para vender, a mesma coisa acontece. Você precisa saber qual é o primeiro passo.

Definir quem é o seu comprador ideal e eliminar da lista de possíveis clientes pessoas que não têm nada a ver com o seu negócio é o passo fundamental que você precisa dar antes de vender. 

A segmentação demográfica é a etapa mais básica dessa eliminação.

Então, se você quer começar com o pé direito e não ter retrabalho no meio do caminho, fica aqui comigo. 

Nas próximas linhas, você vai entender como usar esse tipo de segmentação no seu negócio porque eu vou te falar:

  • O que é a segmentação demográfica; 

  • Qual sua importância;

  • 9 exemplos de uso;

  • E o problema dessa segmentação.

Vamos! 

O que é a segmentação demográfica?

O que é a segmentação demográfica?

Segmentação demográfica é um tipo de classificação e separação do seu público-alvo com base em dados populacionais, como idade, gênero e renda. 

Se algum dia algum agente do IBGE já bateu na sua porta para fazer pesquisas (já aconteceu comigo haha), você sabe que esse é o tipo de coisas que ele gostaria de saber. 

Quando você definir as personas que compõem seu público, esses são os dados mais básicos que você deve ter, normalmente são os primeiros que você busca. 

As informações que você colhe com esse tipo de segmentação são frias, já que não consideram aspectos psicológicos ou comportamentais do seu cliente em potencial, mas não deixam de ser importantes.

E é sobre a importância dessa classificação de público que eu vou conversar com você agora… 

Por que fazer a segmentação demográfica

Por que fazer a segmentação demográfica

É simples. 

Pelo mesmo motivo que você deve fazer qualquer tipo de segmentação de público: porque te ajuda a especificar para quem você vai direcionar sua comunicação para desenvolver o relacionamento e aumentar as chances de vender.  

O fato é que as necessidades das pessoas variam de acordo com muitos fatores. Um deles é a demografia. 

Em geral, uma pessoa de 18 anos tem problemas muito diferentes de alguém na casa dos 60. 

Assim como quem é de classe alta tem gostos e necessidades diferentes de quem é de classe baixa.

Se você tentar se comunicar do mesmo jeito com os dois extremos, as chances são que não vai conseguir estabelecer um relacionamento com nenhum. 

Elas se comportam, pensam e, principalmente, consomem produtos e serviços de modo diferente.  

Portanto, segmentar te ajuda a ter ações de marketing mais precisas e focadas. Além de que é uma das segmentações mais fáceis e rápidas de fazer e coletar os dados.

Isso se traduz em economia de tempo e dinheiro. Você não gasta recursos tentando atingir pessoas que não têm nada a ver com o seu negócio.

Dito tudo isso, quero te mostrar os tipos de segmentação por demografia.

9 exemplos de uso de segmentação demográfica

9 exemplos de uso de segmentação demográfica

Você viu que nesse tipo de segmentação, você separa o seu público a partir de dados demográficos. 

Nas próximas linhas, vou detalhar cada um deles. 

Mas antes, que fique claro: nem todos os itens fazem sentido para qualquer negócio. É importante avaliar a necessidade de definir cada um deles para a sua empresa. 

Agora sim, o primeiro deles é…

1 – Ciclo de vida

O ciclo de vida pode ser de vários tipos, como:

  • Crianças, adolescentes, jovens adultos, adultos ou idosos;

  • Solteiros, casados, divorciados;

  • Com ou sem filhos (e quantos filhos);

Também é possível combiná-los, como jovem adulto, casado e sem filhos ou idoso solteiro com 3 filhos. 

2 – Gênero

Aqui você define se vai direcionar sua comunicação para homens ou mulheres.

Socialmente, os dois gêneros percebem as ações de marketing de formas distintas. É diferente falar para homens e para mulheres. 

Se você pretende atrair ambos, não tem problema. Basta separá-los em diferentes personas e, quando for fazer suas campanhas, direcioná-las para a que fizer sentido no momento. 

3 – Idade

Nesse caso, você define a faixa etária que quer atrair. 

Como…

  • de 17 a 23 anos

  • de 25 a 35 anos

  • de 40 a 50 anos

  • a partir de 65 anos

É importante que você pense bem antes de definir qual idade o seu cliente em potencial tem. 

Optar por margens muito grandes não costuma ser a melhor das decisões, porque pessoas de diferentes idades têm necessidades distintas.

Por exemplo, se você vende um curso online que ensina como dirigir sem medo, não faz sentido incluir adolescentes, já que eles sequer têm idade para tirar carteira.

4 – Geração

Esse ponto tem tudo a ver com a idade porque a geração na qual cada pessoa nasceu tende a influenciar as escolhas e o comportamento dela.

Por exemplo, os baby boomers (1946 a 1964) são a geração do pós-Segunda Guerra Mundial e muitos participaram do movimento hippie, mas não tinham acesso a internet e celular

Já as pessoas da geração Z (meados dos anos 90 a 2010) são nativas digitais: já nasceram segurando um celular com internet.

Como era de se imaginar, se comunicar e se conectar com cada uma é diferente.

5 – Renda

Renda

Se você quer atingir pessoas que moram no Brasil, normalmente a renda é contada em salários mínimos: 1, 2, 5, 30 salários mínimos. 

Já se o seu público mora fora, como nos EUA ou Europa, faz mais sentido contar em ganho anual: de 20 a 30 mil por ano, por exemplo.

Normalmente, pela renda você também consegue definir a classe social do seu cliente em potencial. 

Para o seu negócio, vale definir a renda porque o padrão de vida de quem ganha 1 salário mínimo é muito diferente de quem ganha 30 salários. 

Ou seja, a necessidade de ter o seu produto ou serviço não é a mesma para os dois casos. 

6 – Ocupação

Se a ocupação da pessoa interferir na venda, esse ponto não deve passar em branco. 

Por exemplo, se você vende um curso que ensina advogados a conquistarem mais clientes, não tem motivo nenhum para atrair dentistas, músicos ou jornalistas

Caso seu avatar seja alguém que quer passar no vestibular ou em concurso público, a ocupação é estudante. 

Ou se você vende para mulheres que cuidam da casa e dos filhos, a ocupação é dona de casa. 

7 – Nível de instrução

Aqui, você segmenta de acordo com a escolaridade do seu cliente em potencial. 

Ensino fundamental completo ou incompleto, ensino médio completo ou incompleto, ensino superior completo ou incompleto, pós-graduação, mestrado, doutorado, enfim.

8 – Religião

Se o seu negócio é voltado para alguma religião específica, segmentar o seu público de acordo com esse item vai te ajudar a se comunicar com as pessoas certas.

Católica, judaica, muçulmana, protestante ou qualquer outra que tenha a ver com o produto ou serviço que você oferece. 

9 – Nacionalidade

Seu cliente em potencial é brasileiro, canadense, argentino, francês, japonês? 

Cada nacionalidade tem seus próprios modos e costumes, ou seja, a abordagem para vender para um italiano tende a ser diferente daquela para fechar negócio com chineses, por exemplo. 

O problema da segmentação demográfica

O problema da segmentação demográfica

Como eu disse no início, os dados demográficos normalmente são os primeiros que você coleta quando passa pela definição da(s) sua(s) persona(s).  

Isso significa que não devem ser os únicos. Se você só se apoiar na segmentação demográfica, pode tomar decisões ruins para suas ações de marketing e vendas, já que corre alto risco de errar o alvo.

Por quê?

Basicamente, porque esse tipo de segmentação é rasa e incompleta. 

Imagine que você definiu que o seu cliente em potencial é mulher, solteira, tem entre 30 e 40 anos e é de classe média alta. 

O seu produto é um curso que ensina técnicas de sedução para conquistar homens e levá-los ao altar.

É claro que entre várias mulheres que se encaixam nessa classificação, muitas podem converter

Mas o problema é que a segmentação demográfica não leva em consideração o background de relacionamentos que ela já teve, os traumas que já viveu, o ritmo de vida que ela leva, enfim. 

Nem toda mulher que entra na classificação que você estipulou gosta das mesmas coisas e pensa da mesma forma. 

E aí suas chances de oferecer carne para vegetarianos aumentam drasticamente.  

A solução para não pecar pela falta de informações é aliar a segmentação demográfica a outros tipos de classificação de públicos.

Como, por exemplo, a segmentação comportamental que considera os hábitos de consumo do cliente em potencial, ou a segmentação psicográfica que é voltada para entender as crenças, valores, estilo de vida e personalidade do público

Aí sim você vai ter informações mais completas sobre quem é o seu cliente e como você pode persuadi-lo para comprar de você

Depois de segmentar, comece a capturar leads

Depois de segmentar, comece a capturar leads

Você acabou de ver que é necessário unir a segmentação demográfica a outros tipos de segmentação para aumentar as chances de acertar na venda.

Mas existe uma outra coisa que você precisa fazer, se o seu foco é em vendas pela internet.

Você deve capturar leads (seus clientes em potencial) para nutri-los e engajá-los até que estejam prontos para converter em clientes de fato.

Para isso, você precisa da ajuda de uma landing page otimizada para conversão

Nessas horas, o Klickpages é seu melhor aliado. Em apenas 3 passos você cria landing pages personalizadas:

  • Escolha o modelo: veja opções de alta conversão comprovadas através de testes;

  • Customize a página: edite os textos, cores e imagens.

  • Publique: por fim, é só publicar no seu próprio domínio

Conclusão

Segmentação demográfica Conclusão

Nas últimas linhas, você viu que a segmentação demográfica te ajuda a eliminar o que não é importante do seu negócio, porque ela é a classificação do seu público a partir de informações populacionais, como idade, ocupação e nível de instrução.

Além disso, você viu que segmentar seu público te ajuda a eliminar o que não é importante e focar só nas pessoas que potencialmente podem converter em clientes de fato.

Mas eu também te falei que existe um problema na segmentação por demografia: ela é insuficiente para conhecer seu público a fundo, por isso você deve aliá-la a outros tipos de segmentação, como a comportamental e psicográfica. 

Pronto! Agora é com você. Não deixa de me contar nos comentários que itens da segmentação demográfica fazem sentido para o seu negócio.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Nathalia Melo

Na identidade é Nathalia, mas pode me chamar de Nath. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e me amarro em escrever sobre marketing digital e empreendedorismo. Pratiquei circo por três anos, agora me aventuro no levantamento de peso olímpico e adoro assistir jogos de basquete (por isso o tanto de analogia com esporte nos meus artigos). No time de conteúdo, sou a "mãezinha" da galera. No fone de ouvido, sou uma senhorinha de 80 anos. Na vida, converso sobre assuntos aleatórios, desde composição de shampoo até o sentido da existência humana.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)