6 principais métricas para avaliar sua landing page

Prinicpais métricas para landing page

Papo reto aqui: boas intenções não vão te fazer conquistar mais leads. Para conseguir o contato dos seus potenciais clientes você precisa acompanhar, de verdade, as principais métricas da sua landing page.

Isso porque sem analisar essas métricas você perde tempo, possíveis clientes e, claro, vendas. 

Isso quer dizer que não vale a pena o trabalho de criar uma oferta, disponibilizar um material (como um e-book) e pagar por tráfego se você não analisa o que está dando certo ou não na sua landing page. 

Isso me lembra uma situação que aconteceu aqui na empresa.

A Nath, que também escreve aqui no blog KP, traz marmita todos os dias (ou quase todos os dias) para almoçar.

Ela e o marido, o Lucas, fazem a comida juntos e depois um deles prepara as marmitas.

Às vezes é a Nath quem monta a marmita, às vezes é o Lucas.

Ou seja, eles têm todo o trabalho para fazer as compras, preparar a comida e depois colocar tudo nas marmitas.

O problema dessa história é que, ultimamente, o Lucas tem colocado pouca comida nas marmitas. Muito menos do que a Nath precisa pra matar a fome dela. 

Ela almoça tudo e, mesmo assim, continua com fome.

Um dia, contando isso aqui pra gente, ela soltou a seguinte frase: “eu sei que a intenção dele é boa, mas boas intenções não enchem a barriga”.

Então, por mais que ele seja atencioso e realmente queira que ela se alimente bem, no fim das contas a Nath continua com fome.

E a mesma coisa acontece com a sua landing page. 

Você até pode ter boas intenções ao criar uma página para capturar leads. 

O seu objetivo pode ser conquistar novos clientes, fazer vendas e, claro, colocar dinheiro no caixa.

Mas não adianta só criar uma landing page, jogar na internet e esperar chover leads na sua lista de contatos.

Você precisa ficar ligado nas principais métricas da sua landing page, entre elas a taxa de conversão.

Como anda a conversão das suas páginas? As pessoas estão baixando o seu e-book? Estão se cadastrando na sua aula on-line? Se inscreveram para o seu evento? 

Se a resposta for não, por que isso está acontecendo? 

Assim como a boa intenção do Lucas não encheu a barriga da Nath, apenas a sua boa intenção ao criar uma página não vai te fazer conquistar leads.

Quer saber quais são as principais métricas que você deve analisar na sua landing page?

Então segue aqui comigo. 

O que é métrica?

Antes de te contar quais são as principais métricas que você deve analisar para avaliar o desempenho das suas landing pages, eu preciso te explicar o que é métrica. 

Como o nome já sugere, métrica é o valor utilizado para medir e acompanhar o resultado  de uma ação, campanha ou estratégia. 

De maneira geral, métricas são medidas de desempenho. 

A partir desses dados, é possível identificar se as suas estratégias estão indo pelo caminho certo ou se elas precisam de algum ajuste para gerar melhores resultados. 

No caso das landing pages, existem 6 métricas principais que devem ser acompanhadas e avaliadas para garantir que as suas páginas gerem um bom resultado. 

Principais métricas para avaliar as suas landing pages

Agora que você já sabe o que é métrica, eu vou te mostrar quais são as principais medidas que você deve ficar atento na hora de avaliar o desempenho das suas landing pages. 

1. Taxa de conversão (conversion rate)

Essa é a métrica mais importante a ser analisada na sua landing page, afinal de contas, conversão é o que importa de fato. 

A taxa de conversão mede o número de visitantes que realizaram a ação desejada, ou seja, converteram. 

Pode ter sido o cadastramento de dados, a compra de um produto, o download de um material, a inscrição em um curso… Isso varia de acordo com o objetivo da sua página.

Essa métrica mostra o sucesso da sua campanha e é fundamental que seja analisada, no mínimo, semanalmente. Com essa verificação, você pode fazer ajustes ao longo da campanha e, assim, conseguir melhores resultados.

Uma taxa de conversão muito baixa, pode ter os mesmos motivos da taxa de saída (que eu falo um pouco mais embaixo) como uma página pouco intuitiva, por exemplo. Por isso, os ajustes precisam ser feitos o quanto antes.

Além disso, aumentar a taxa de conversão exige testes constantes. Você pode testar diferentes layouts e chamadas. Pode, inclusive, fazer um teste A/B para descobrir qual modelo gera resultados positivos para a sua empresa.

Aqui no blog tem um artigo completinho sobre taxa de conversão. Para conferir, basta clicar aqui.

2. Taxa de rejeição (bounce rate)

A taxa de rejeição mostra a porcentagem de pessoas que abriram a sua landing page, mas saíram sem interagir de alguma forma.

Ou seja, não clicaram em nenhum botão, não preencheram o formulário…

Esse abandono pode ser feito quando a pessoa fecha a aba da landing page ou quando digita o endereço de outro site no navegador.

A rejeição pode acontecer por inúmeros motivos, entre eles: a pessoa pode não ser seu potencial cliente (caiu ali de paraquedas), ou a landing page pode estar confusa ou pouco intuitiva (a pessoa não sabe o que fazer para ter acesso ao material).

Outro fator responsável pela alta taxa de rejeição é a falta de coerência entre o anúncio que levou o usuário até ali e o conteúdo da sua landing page.

Isso quer dizer que o processo precisa ser linear e fazer sentido para o usuário. 

Se o anúncio prometeu, por exemplo, um ebook de como criar um negócio digital do zero, ao chegar na landing page, a pessoa precisa encontrar um e-book com esse tema para fazer download.

Se quiser saber mais sobre o assunto, recomendo a leitura do artigo Taxa de Rejeição: o que é, para que serve e como diminuir a sua aqui do blog do KP. 

3. Taxa de saída (exit rate)

Essa métrica parece um pouco com a taxa de rejeição. Porém, ela revela a porcentagem de pessoas que interagiram com a sua landing page de alguma maneira, mas se dispersaram depois. 

Logo, a interação com a página é o que diferencia essa métrica da taxa de rejeição.

Uma landing page pouco intuitiva, geralmente, tem alta taxa de saída. Por isso é tão importante que sua página seja simples, clara e objetiva.

Ao entrar na sua landing page, a pessoa precisa entender por que ela tem que responder um formulário, como baixar um arquivo, como se inscrever… Enfim, os botões e formulários da sua página têm que guiar o usuário para que ele tome a ação que você quer. 

4. Taxa de cliques (click through rate)

A taxa de cliques (CTR) mensura o número de cliques em um elemento específico da sua página.

Para o sucesso da CTR, é primordial que as chamadas tenham um tom de urgência para a mensagem ser transmitida.

Outra dica muito importante para você ter uma CTR alta e que resulte em conversão é sempre se preocupar em deixar claro o benefício do produto ou serviço, e não o esforço para adquiri-lo.

Nesta landing page do Gêronimo Theml, por exemplo, ele deixa bem claro o que a pessoa vai receber depois de colocar o e-mail ali. 

5. Custo por lead (cost per lead)

O custo por lead (CPL) permite que você saiba o valor de cada lead conquistada através da landing page.

Ao criar uma campanha para tráfego pago é importante ter uma meta de quanto gastar por lead captada.

Mas por que essa métrica é importante?

Caso o custo por lead seja muito baixo, pode significar que você está atraindo leads pouco qualificadas para o seu negócio.

É como se a plataforma de anúncios falasse o seguinte: olha, tem tanta lead por aqui que, com o dinheiro que você investiu, eu peguei leads boas e leads não tão boas assim. 

Ou seja, isso faz com que a qualidade das leads caia. 

A melhor forma de resolver isso é aumentando gradativamente o investimento até que o anúncio retorne ao que você definiu no início. 

Agora, se o valor da lead estiver muito alto, também é importante reavaliar sua campanha. 

Um preço de lead alto significa que o gerenciador de anúncios está com dificuldade de encontrar boas leads para você. 

Aqui, para que o valor volte ao padrão que você definiu, você precisa diminuir, aos poucos, o investimento na campanha.

Para saber quanto gastar por lead, você precisa dividir o valor investido em tráfego pelo número de leads gerados, como eu te mostro no exemplo abaixo. 

Imagine que você acabou de criar uma landing page para que o seu público baixe um ebook.

Fazendo um cálculo de quanto foi investido em anúncios e quantas leads deveriam ser captadas, você sabe que pode gastar, em média, R$3 por lead.

Quando esse valor fica mais alto ou muito mais baixo, você para, analisa os dados e define o que pode ser alterado para que o valor volte a ficar na casa dos R$3.

6. Tempo médio na página

O tempo médio na página, nada mais é, que o tempo que o visitante permanece na sua página. 

Essa métrica está diretamente relacionada à experiência do usuário. Se as pessoas que acessam a sua landing page estiverem navegando nela por mais tempo, esse é um sinal de que o conteúdo disponível nela é relevante e a navegabilidade da página é boa. 

Por outro lado, caso a sua página entregue algo diferente do que o usuário espera, como uma página que demora muito para carregar, um design que dificulte a navegação ou um conteúdo diferente do prometido, o tempo de permanência do seu potencial cliente na sua página vai cair e a taxa de rejeição vai aumentar. 

Pronto! Você já sabe as principais métricas que devem ser analisadas em uma landing page.

Agora, vou mostrar uma ferramenta que te permite criar suas próprias páginas para captar leads.

Crie Landing pages de alta conversão com o Klickpages

Se você usa a internet para vender o seu produto ou serviço, ter uma landing page de alta conversão é essencial.

Isso porque nessa página você pode oferecer alguma recompensa em troca de uma valiosa informação de contato das pessoas, como o e-mail, por exemplo. 

Com a sua própria lista de e-mails você pode enviar conteúdo de qualidade (e-book, whitepaper, webinário…) para essa audiência e transformar essas leads em clientes. 

Se você não sabe como criar uma landing page, o Klickpages é a ferramenta ideal para te ajudar.

Com o KP, você cria as suas páginas em apenas 3 passos simples. Olha só:

  1. Escolha seu modelo: existem opções com alta taxa de conversão, já testadas e aprovadas pelo mercado.

  2. Divirta-se customizando a página: edite os textos, escolha as cores e as imagens, além de ocultar os elementos que você não queira.

  3. Publique: depois é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Neste artigo eu te mostrei que se você usa a internet para vender o seu produto ou serviço não adianta apenas ter uma landing page para captar novos leads. 

Para que sua estratégia funcione, é importante que você analise algumas métricas na sua landing page. Só assim você vai saber o que está funcionando ou não na sua página.

Entre essas métricas, eu te mostrei a taxa de conversão, que mede o número de visitantes que de fato realizaram uma ação na sua página; e a taxa de rejeição, que revela a porcentagem de pessoas que abriram a sua landing page, mas saíram sem interagir de nenhuma forma.

E você, já acompanha as métricas das suas landing pages? Me conta aqui nos comentários.

Ah, não se esqueça de assinar a nossa newsletter para receber mais conteúdos como esse semanalmente na sua caixa de entrada. Clique aqui

(Este artigo foi originalmente publicado em 15 de outubro de 2019 e atualizado em 15 de maio de 2021 por João Pedro Ferreira para oferecer informações mais precisas e completas).

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Jornalista de formação e redatora de coração. Apaixonada por livros, revistas e jornais, meu único caminho era escrever. Já trabalhei como repórter, editora e apresentadora (de rádio, gente, não de TV) e, agora, faço parte do time de conteúdo do Klickpages. Adoro aprender e escrever sobre o universo do Marketing Digital e do Empreendedorismo. Tenho dois gatos lindos, adoro projetos de “do it yourself” e sou daquelas que viram a noite maratonando séries. Não dispenso uma boa conversa e simplesmente consigo transformar qualquer acontecimento bobo do meu dia em uma grande história.