O que é Planejamento Estratégico, etapas, vantagens e como fazer

O que não pode faltar em um bom planejamento estratégico?

Você saberia responder?

Ou ainda insiste em tomar decisões sem objetivos e sem ações a eles voltadas?

Essa é uma questão importante, que não pode ser negligenciada na gestão de qualquer negócio.

Neste artigo, vamos falar sobre planejamento estratégico de uma empresa, explicar como fazer, detalhar as suas etapas e apresentar dicas práticas.

Você vai descobrir que tentar gerenciar um negócio sem estratégia oferece um atalho para o fracasso.

Afinal,a  alta competitividade do mercado atual exige mais do gestor.

Não dá para apagar incêndios inesperados, sendo que eles poderiam ser evitados.

É preciso ter metas, foco e batalhar por resultados melhores.

Se você acredita nessa ideia, o planejamento tático e estratégico precisa estar na ordem do dia.

A partir de agora, você vai aprender como usar esse instrumento para garantir um crescimento saudável e sustentável para sua empresa.

Vamos juntos nessa?

O que é planejamento estratégico?

O planejamento estratégico é um processo de natureza analítica no qual a empresa define quais estratégias irá adotar para alcançar as metas traçadas. Essas, por sua vez, são elaboradas de acordo com os recursos disponíveis para fazer isso acontecer.

Ele se baseia na análise da empresa e em como se dá sua relação com o mercado no qual atua.

Assim, busca focar as ações na geração de resultados a longo prazo e no crescimento do negócio.

De forma resumida, podemos dizer que o planejamento estratégico procura responder a três questões principais:

  1. Onde estou?

  2. Para onde quero ir?

  3. Como chegar lá?

A partir daí, já dá para ter uma boa ideia quanto à sua importância, mas vamos avançar nesse sentido.

A importância do planejamento estratégico

Seja sua empresa pequena, média ou de grande porte, se você ainda não está planejando os próximos passos e executando bem suas ações, fique ligado.

Você pode estar perdendo grandes chances de criar uma vantagem competitiva no seu ramo de negócios.

Uma empresa que não planeja, não sabe o que quer alcançar e não direciona suas ações para isso.

Na prática, é a gestão no escuro.

E na melhor das hipóteses, significa estagnação.

Não importa qual seja o seu objetivo, uma coisa é certa: qualquer equipe sem um bom planejamento em mãos não consegue agir de forma assertiva.

Desenvolver um olhar estratégico sobre o futuro da sua empresa traz vantagens tanto para ela quanto para seus clientes.

Afinal, garante um crescimento saudável e estável do negócio e ainda consegue gerar valor para o público.

Ou seja, todos saem ganhando.

Então, por que não começar agora?

É no presente que se transforma o futuro!

Vantagens

Elaborar um planejamento estratégico é importante.

Acabamos de falar sobre isso.

Mas quais são as suas reais vantagens?

De que forma sua empresa e sua marca podem se favorecer com esse instrumento?

Selecionamos alguns dos principais benefícios para reforçar ainda mais a sua importância.

Confira!

Otimiza a tomada de decisões importantes

A partir do momento em que o planejamento está rodando, todas as ações passam a ser tomadas levando em consideração o foco estratégico definido.

Ou seja, qualquer ideia que fuja dele acaba sendo descartada, evitando o desperdício de tempo e dinheiro em ações que não geram resultados.

Ambos são recursos valiosos demais para serem empregados em medidas inócuas.

O planejamento estratégico ajuda a evitar isso.

Estimula o engajamento entre os colaboradores

Quando os objetivos e metas são compartilhados entre todos os colaboradores, seja qual for o nível de hierarquia, o impacto no ambiente de trabalho é notável.

Isso gera uma consciência coletiva.

E o comprometimento entre os envolvidos é muito maior do que em empresas nas quais o foco estratégico é discutido apenas entre gestores.

Afinal, eles passam a se sentir parte da empresa e conseguem ver sentido naquilo que estão fazendo.

Mas nada de definir metas impossíveis de serem alcançadas.

Elas precisam ser desafiadoras o suficiente para que os colaboradores se sintam motivados para trabalhar pesado – e não o contrário.

Melhora a relação entre a empresa e o ambiente

Como o processo é de natureza analítica, durante o estudo da organização e do ambiente em que ela atua, você consegue conhecer mais de perto seus concorrentes.

Também se dedica a pensar em formas de superá-los para criar uma vantagem competitiva.

É uma atitude extremamente saudável para quem tem um negócio a gerir.

Além disso, identificar as mudanças no mercado a cada novo planejamento acaba garantindo um crescimento constante e o amadurecimento da sua empresa.

A verdade é que não há outro caminho a seguir.

Etapas do planejamento estratégico

O processo do planejamento estratégico deve ser algo contínuo.

Não entende exatamente o que isso significa?

Ao fim de um ciclo de planejamento, você deverá criar outro, depois outro e, assim, de maneira sucessiva.

Como você deve ter percebido, a criação, a implementação e a avaliação dos resultados para a tomada de decisões ajudam a sua empresa a chegar aonde você quer.

Mas para isso, um planejamento estratégico básico deve envolver quatro etapas principais.

Falaremos a partir de agora sobre cada uma delas.

Análise do cenário

Nessa primeira etapa, é o momento de você analisar o cenário no qual a sua empresa está inserida ou do qual deseja fazer parte – o que é válido no caso de novas organizações.

Em outras palavras, a essência dessa fase inicial é fazer um diagnóstico do mercado, tanto no ambiente interno quanto no ambiente externo.

Além disso, identificar como eles podem influenciar a sua empresa.

No contexto interno, é preciso avaliar quais são os pontos fortes que podem ser alcançados e capitalizados pela sua empresa.

E não se pode esquecer também dos pontos fracos, isto é, das limitações que devem ser superadas em qualquer ambiente, seja ele técnico, financeiro ou de recursos humanos, entre outros.

Já no meio externo, é preciso compreender como as oportunidades e ameaças podem impactar o andamento do seu negócio tanto no presente quanto como no futuro.

Aqui, é hora de levar em consideração aspectos políticos, sociais e econômicos durante a análise.

Mais à frente, vamos falar de uma ferramenta poderosa para esta etapa.

Definição de objetivos

A segunda etapa se resume em definir os objetivos da empresa.

Ou seja, aonde sua empresa quer chegar.

Para tal, o ponto de partida deverá ser análise de dados históricos do negócio, referentes à rentabilidade, ao faturamento, a despesas e ao seu posicionamento.

Com base nessas informações, você consegue projetar metas para o futuro e trabalhar no longo prazo.

O ideal é que os objetivos sejam quantificáveis, ou ao menos constatáveis.

Caso contrário, como você irá saber se está indo no caminho certo?

Sem medir, não há o que gerenciar, corrigir ou aperfeiçoar.

Definição de estratégias

Essa é a etapa mais desafiadora e criativa do processo.

Isso porque é chegado o momento de planejar como os objetivos definidos serão alcançados.

Ou seja, como a sua empresa irá chegar aonde deseja chegar.

Lembrando que cada estratégia deve estar intimamente ligada a um ou mais desses objetivos previamente estabelecidos.

Também não esqueça que ela pode ser alterada sempre que houver mudanças no cenário.

O planejamento é um guia, mas ele não é engessado.

Se algo não sai como o desejado, precisa ser revisto.

Elaboração de um programa de ações

A quarta etapa envolve a materialização das anteriores.

Em linhas gerais, este é o momento de sentar com sua equipe, definir um programa de ações e criar um cronograma com uma previsão de quando elas serão implementadas.

Esse nível de organização é que vai permitir que as ações sejam executadas de maneira racional e ordenada, possibilitando eventuais ajustes no planejamento.

Quando começar a planejar

Antes de tudo, responda com sinceridade: você conhece o ciclo do seu negócio?

Se a resposta for sim, você com certeza já tem uma noção do momento ideal para fazer o planejamento.

Caso a resposta seja negativa, está na hora de analisar mais a fundo a sua empresa.

A partir do momento em que você compreende como se dá a dinâmica do seu negócio, consegue definir quando começar a planejar e também a periodicidade desse planejamento.

Não existe um período específico do ano para planejar suas ações.

O ideal é conhecer o ambiente em que atua e identificar a velocidade com que seu negócio varia para saber a hora certa.

Por exemplo, empresas de tecnologia e moda apresentam ciclos de vendas mais rápidos.

Isso é esperado, pois seus produtos e serviços sofrem constantes mudanças e estão sob efeito intenso das sazonalidades.

Logo, os planejamentos também devem se adequar e ter essa mesma urgência.

Por outro lado, em negócios com ciclos não tão dinâmicos, por consequência, o planejamento acaba sendo mais focado em ações a longo prazo.

Como fazer um planejamento estratégico

Agora que você conhece as etapas do planejamento estratégico, é hora de pôr a mão na massa.

Veja na prática como elaborar o seu no passo a passo a seguir.

1. Determine a meta

Seja micro ou grande empresa, antes de tudo, é preciso que você saiba onde quer chegar com seu negócio.

Quer ganhar reconhecimento de marca?

Aumentar as vendas e se tornar líder de mercado?

Seja qual for a meta principal, ela deve refletir os resultados que precisa alcançar para que o sonho da empresa se torne real.

2. Analise a organização

Como mencionamos, para que o seu planejamento realmente ocupe uma posição estratégica, é importante que você faça um diagnóstico interno e externo do seu negócio.

A Análise SWOT é uma das metodologias mais utilizadas pelas empresas para avaliar ambientes e ter insights importantes sobre a empresa.

O termo vem do inglês e pode ser aplicado para identificar os pontos fortes (strengths) e as fraquezas (weakness) do seu negócio, compondo, assim, a análise do ambiente interno.

Para completar o diagnóstico, é possível identificar possíveis oportunidades (opportunities) e evitar ameaças (threats) que podem impactar o crescimento do seu negócio.

Ou seja, aqui a abordagem inclui também o ambiente externo.

Não por acaso, afirmamos antes que essa é uma ferramenta poderosa.

Dá para dizer até que é indispensável na elaboração de um planejamento estratégico.

3. Determine a missão, visão e valores

Essa parte do processo está relacionada com a identidade organizacional da sua empresa e envolve a definição de três pilares fundamentais.

A missão é a razão de ser da empresa, seu propósito. Deve ser focada nas características intangíveis que as diferenciam da concorrência.

A visão é o sonho da empresa, o que ela aspira ser no longo prazo.

Já os valores estão relacionados com os princípios que irão orientar as atitudes da sua equipe para que a visão seja concretizada.

A partir desse entendimento, dedique-se a determinar cada um deles.

4. Identifique seu público-alvo (persona)

De nada adianta criar estratégias que não irão se relacionar e interagir com a audiência.

Por isso, a criação das buyers personas do seu negócio é essencial para que a comunicação seja assertiva.

E quando falamos em personas, estamos nos referindo ao perfil de cliente ideal para a sua empresa.

Você com certeza tem uma base de contatos, não é?

Uma boa forma de identificar um ou mais perfis é realizar pesquisas com essa base e tentar conhecê-la melhor.

Busque informações demográficas, seus hábitos de consumo, seus objetivos, desafios e necessidades.

Assim, você consegue alinhar a sua estratégia com a expectativa do seu público.

5. Defina objetivos, estratégias e metas

O ideal é que você elabore um objetivo estratégico principal e o divida em objetivos táticos.

Esses objetivos menores devem estar integrados com um plano de ação que garanta que sejam alcançados.

Para facilitar a elaboração das metas, é interessante utilizar o método S.M.A.R.T. desenvolvido por Peter Drucker.

Sua proposta prevê a adequação da meta dentro de cinco elementos principais para torná-la inteligente.

Confira:

  • Specific (Específico): a meta precisa ser o mais clara possível

  • Measurable (Mensurável): deve ser facilmente mensurada a qualquer momento

  • Achievable (Alcançável): deve refletir a sua realidade e ser possível de ser batida

  • Relevant (Relevante): precisa agregar valor e ajudar o objetivo a ser alcançado

  • Time-based (Temporizável): precisa ter um tempo definido para a sua execução.

6. Planeje a ação

É hora de materializar seus objetivos e metas.

Para garantir que eles sejam realizados, você precisa definir os caminhos que irá percorrer para chegar aonde deseja.

Ou seja, planejar a execução das estratégias, seu plano de jogo.

Seja uma ou várias, o importante é que as ações desse plano influenciem positivamente o cumprimento das metas e que tenham bem definido qual a ação, como, quem e como irá ser realizada.

7. Monitore e avalie os resultados

Com o plano montado e as estratégias em jogo, é preciso estar sempre monitorando e avaliando os resultados obtidos.

Vem daí a importância da meta ser facilmente mensurável.

Isso possibilita identificar o que está dando certo, da mesma forma que falhas na ação, permitindo o ajuste e otimizações para evitar prejuízos.

Neste quesito, o marketing digital tem uma vantagem na relação com as mídias tradicionais.

É que as ferramentas disponíveis no mercado fornecem dados precisos sobre o desempenho das ações.  

Instrumentos de web analytics, por exemplo, permitem o acesso a dados precisos sobre o comportamento dos usuários no seu site.

A partir deles, é possível identificar páginas mais acessadas, tempo de permanência no site, quantidades de visitas vindas de determinado link, entre outras informações que ajudam a orientar o processo.

Planejamento estratégico vs. Planejamento pessoal

Para que seu planejamento estratégico seja bem executado, ele precisa estar atrelado a outros tipos de planos também.

E um dos principais é o planejamento pessoal.

Não é difícil de entender a razão para isso.

Você tem ciclo e sua empresa tem outro.

O que você quer para daqui 5 ou 10 anos pode ser dividir o negócio com um sócio, ao invés de dirigi-lo sozinho, por exemplo.

Nesse processo de planejar o que você quer no ambiente pessoal, consegue identificar pontos que se cruzam com o planejamento estratégico do seu negócio e como isso influencia na gestão de ambos.

Perceba que um está interligado ao outro, embora funcionem de maneira independente.

Comece a capturar leads hoje mesmo com o Klickpages

Está disposto a investir na sua presença digital?

Essa é uma ótima decisão.

Pela internet, fica mais fácil conversar com seu público, ser notado e despertar nele o interesse por aquilo que oferece.

Se você ainda não utiliza seu site ou blog para capturar leads, está perdendo uma oportunidade.

Nessa hora, o Klickpages é o parceiro ideal.

Veja os três passos para criar a sua landing page :

  1. Escolha seu modelo: há opções de alta conversão comprovada através de testes.

  2. Customize a página: é só editar os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: com tudo pronto, é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

É muito fácil, rápido e eficaz!

Conclusão

Não resta dúvidas de que o planejamento estratégico é um importante passo para que seu negócio pare de apagar incêndios e se estabeleça de forma forte e positiva no mercado.

Dada a alta competitividade atual, não dá mais para correr tantos riscos de errar.

E é justamente a essa situação que se sujeita o gestor que decide sem embasamento, que projeta o futuro sem olhar para o passado.

Não caia nessa cilada você também.

Para qualificar seus resultados, não esqueça de adequar as metas de acordo com a realidade da sua empresa.

Nessa hora, o marketing digital dá uma mãozinha e tanto, da mesma forma que as soluções do Klickpages para seu negócio.

Planejamento. Controle. Organização. Disciplina.

Só assim as estratégias poderão cumprir com os objetivos.

E quem sai ganhando é você.

 

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.