Gamificação: um jeito divertido de cumprir tarefas

Para explicar o que é gamificação, preciso te falar sobre o Draco, meu dinossauro do Tamagotchi.

Parece maluquice, mas vai fazer sentido. Prometo.

Eu não sei quantos anos você tem, mas nos anos 90 o Tamagotchi virou febre aqui no Brasil. Todas as crianças queriam ter um. 

No meu aniversário, minha mãe me deu um de presente. Ele era vermelho, lembro até hoje.

Se você não sabe ou não se recorda, Tamagotchi era um brinquedo no formato arredondado, com uma tela pixelada e alguns botões.

Acostumadas com celulares e tablets, as crianças de hoje em dia devem rir ao ver uma imagem dessa… 

O objetivo era manter vivo um animal virtual, no meu caso era um dinossauro.

Mas engana-se quem acha que a tarefa era simples. Era necessário dar comida e água na hora e na quantidade certa e, claro, mais de uma vez ao dia.

Além disso, tinha que brincar com ele e colocá-lo para dormir. 

Se o dono não fizesse tudo certo, o bichinho chorava e podia até morrer.

Certa vez, cuidei tão bem do Draco, o meu dinossauro, que ele viveu até os 17 anos e eu descobri que ele era um pterodáctilo. 

Eu fiquei muito feliz e super orgulhosa de mim mesma.

Com um brinquedinho bobo (provavelmente feito na China) eu aprendi que era muito importante comer e beber água. 

Também entendi que tinha hora para brincar e para dormir. E que se eu fizesse tudo direitinho, iria crescer e me tornar um pterodáctilo. 

Ok, esse final é mentira.

E o que isso tem a ver com gamificação? Tudo! 

Ao invés de me falarem o quanto é importante comer e beber água ou que toda criança deve dormir, pelo menos, 8 horas por noite, eu aprendi tudo isso “cuidando” do Draco.

Com oito anos de idade, entendi essas questões sem notar que esse era o real objetivo do jogo.

E é assim que funciona a gamificação. Sem perceber, a pessoa cumpre tarefas que antes pareciam chatas ou difíceis de serem concluídas.

De um jeito divertido e, às vezes competitivo, os processos ficam mais interessantes e prazerosos.

As pessoas envolvidas ficam mais engajadas e dispostas a alcançar os objetivos propostos.

Quer saber mais sobre gamificação e como aplicá-la no seu negócio?

Então segue aqui comigo porque além de explicar isso, eu falo dos benefícios da gamificação e dou 5 exemplos de empresas que implementaram jogos para melhorar a experiência do cliente

Vamos lá?

O que é gamificação

Gamificação (do inglês gamification) é o uso de características e regras de jogos (games em inglês) para engajar, motivar pessoas e facilitar o aprendizado.

Ou seja, é uma forma de usar a lógica dos jogos para deixar conteúdos complexos mais simples, facilitar processos de trabalho, além de incentivar as pessoas a cumprir metas e alcançar objetivos. 

Então, para deixar as tarefas mais dinâmicas, são usados elementos característicos de qualquer jogo: sistema de pontuação, ranking, objetivo a ser alcançado, recompensas e etc. 

A gamificação pode ser aplicada em qualquer área, seja educação, saúde, vendas, marketing, treinamentos corporativos e até mesmo na vida pessoal… 

Mas é bom destacar que gamificar processos não significa abandonar totalmente os outros métodos já utilizados.

Na verdade, a gamificação é incorporada a outras técnicas para melhorar os resultados. 

Para gamificar alguma coisa, você pode criar um tabuleiro, em que os participantes avançam uma casa a cada tarefa realizada. Também pode fazer um jogo de cartas, com perguntas e respostas. 

Ou até mesmo criar um ranking em que as pessoas ganham pontos por etapas concluídas. Enfim, são muitas possibilidades. 

Algumas empresas criam aplicativos e até usam óculos de realidade virtual. 

O objetivo é em pensar em maneiras lúdicas de fazer a pessoa cumprir a atividade proposta.

Mas quais são os benefícios da gamificação? Segue aqui porque esse é o próximo tópico.

Benefícios da gamificação para sua empresa

Engajar, comprometer e recompensar os usuários está entre os objetivos da gamificação.

Na prática, significa oferecer recompensas aos participantes que realizam as tarefas estabelecidas. Com isso, é possível atingir os seguintes resultados:

Engajamento 

É uma forma mais atrativa de incentivar e manter as pessoas interessadas na tarefa que precisa cumprir.

A cada novo aprendizado ou tarefa finalizada, o participante é incentivado a passar para um próximo nível, a conquistar mais pontos ou subir no ranking.

Sentimento de conquista 

Ao conseguirem finalizar as tarefas, somar pontos e conquistar premiações, os participantes naturalmente ficam felizes com a conquista.

Afinal de contas, quem não gosta de ganhar uma disputa?

A cada etapa concluída com sucesso, o participante se sente mais capaz de ganhar o jogo e alcançar o objetivo final da disputa.

Experiência do cliente

Incluir a gamificação no processo de vendas ou na entrega do seu produto ajuda a melhorar a experiência do cliente, já que adiciona mais diversão e emoção nesse processo.

E, como eu falei ali em cima, gera mais engajamento por parte desse cliente.

Esse envolvimento com o produto e com a marca encoraja a pessoa a comprar mais, a compartilhar sua experiência em redes sociais e também a divulgar sua empresa para os amigos e parentes. 

Treinamento da equipe

Se você tem uma equipe, gamificar os treinamentos pode ser uma boa alternativa para inovar os processos. 

É uma forma de treinar tanto os novos funcionários quanto os antigos. 

Com a gamificação, o processo de assimilação dos conteúdos pode ficar mais estimulante e fácil para algumas pessoas.

Então, em vez de criar um treinamento simples, você pode gamificar e, assim, incentivar o colaborador a manter os estudos de forma ativa e voluntária.

Dados relevantes 

Gamificar as tarefas pode ser uma forma de identificar possíveis problemas na sua equipe e até mesmo no seu produto ou serviço

Na sua equipe, por exemplo, ao longo da dinâmica é possível avaliar se os colaboradores estão bem integrados, quais temas geraram mais dificuldade, se o engajamento de todos os participantes foi o mesmo.

Essas e outras informações (dependendo dos objetivos do jogo) podem ser avaliadas pelo líder da equipe ou pelo setor de Recursos Humanos da empresa, se tiver.

Já em relação ao seu produto ou serviço, você pode descobrir as principais dificuldades do seu cliente.

Com a gamificação, você pode avaliar, por exemplo, se as pessoas conseguiram cumprir ou não as atividades propostas e se elas entenderam bem como funciona o produto ou serviço.

Tá, agora você já sabe o que é gamificação e quais os benefícios de usá-la na sua empresa. 

Chegou a hora de mostrar…

O que é essencial em um processo de gamificação

Assim como qualquer jogo, seja de cartas, tabuleiro ou de videogame, os processos gamificados também têm elementos importantes para que eles funcionem.

Confira a lista de itens que eu separei aqui:

Regras e objetivos claros: 

As estratégias gamificadas devem estar alinhadas às características do grupo (gênero, faixa etária, nacionalidade, características sociais e psicológicas).

Além disso, precisam conter regras pré-estabelecidas, objetivos e premiações. Isso tudo deve ser definido antes da implementação do jogo.

Ninguém gosta quando as regras mudam no meio do jogo.

Dar feedback:

É uma ótima ferramenta para dar feedbacks ricos e no momento certo. 

Se esse processo de gamificação for aplicado na sua empresa, por exemplo, pode ajudar seu colaborador a entender onde errou e a traçar novas estratégias para melhorar o desempenho.

Isso também vale para um cliente. Se ele não conseguiu concluir uma etapa, por exemplo, você pode dar dicas ou passar ensinamentos. 

E se ele concluir tudo, o feedback também é válido. Você pode elogiar e também passar novas ideias.

Ser envolvente: 

A decisão do que é motivador ou não depende diretamente do usuário, ou seja, de quem vai jogar. 

Por isso, é essencial conhecer o público que vai participar da dinâmica. 

Incentivar interações sociais: 

Permitir a socialização é um enorme estímulo para os usuários.

É uma boa forma de unir a equipe e criar uma relação de cooperação entre as pessoas – isso vale também para alunos, clientes, grupos em geral.

Conter desafios: 

Desafios instigam os usuários e geram maior apego ao objetivo. 

É importante lembrar que os desafios envolvem dificuldade, mas o jogo não deve ser impossível de ganhar. 

Ele deve motivar as pessoas e não causar frustração.

Recompensar os esforços: 

Dentro de um sistema gamificado, é legal colocar recompensas por cada tarefa finalizada ou cada nível concluído. 

Uma das maiores motivações que você pode proporcionar pra quem participa do jogo é recompensa ao final de uma jornada

Demonstrar o progresso do jogo: 

A evolução do jogo deve ficar clara a cada etapa.

É legal quando as pessoas sabem o quanto caminharam no jogo ou quanto falta para acabar a disputa.

Assim, elas conseguem estipular objetivos de curto, médio e longo prazos. 

Ser competitivo: 

O uso de elementos como notificações sobre pontuação, placares de líderes, entre outros, estimula a competição e torna a atividade mais atrativa.

Mostrar ranking: 

Apresentar o desenvolvimento das pessoas no jogo é fundamental para mantê-las engajadas. 

Os rankings podem ser por equipe, pontuação, esforço.

Ser personalizado: 

É legal possibilitar a criação de avatares personalizados e até mesmo oferecer recompensas individuais.

Algumas pessoas ficam mais engajadas quando podem criar personagens ou escolher nomes diferentes, por exemplo.

Mas como faz para aplicar a gamificação no seu negócio? Vem aqui comigo que esse é próximo tópico.

Etapas para implementar os processos de gamificação 

Ao criar uma estratégia para o seu negócio, possivelmente você analisa os dados sobre a sua empresa, define os objetivos, estipula metas, define orçamento

Enfim, você não faz nada de uma hora pra outra. Certo?

Com a gamificação é a mesma coisa. Não dá para fazer sem antes observar alguns pontos importantes, como:

Identificar os problemas 

Antes de criar um modelo de gamificação, é importante identificar quais são os principais problemas da sua empresa ou do seu produto/serviço.

Seus funcionários estão desmotivados? A produtividade da equipe caiu? Os funcionários não estão conseguindo resolver pendências de maneira eficiente? Você precisa implementar um novo treinamento para os colaboradores?

O seu produto é difícil de usar? Ele tem muitas etapas que devem ser seguidas? Seus clientes não têm motivação para usá-lo e colocá-lo em prática?

Antes de gamificar algum processo, é necessário saber o que precisa ser melhorado.

Qual o objetivo da gamificação

Depois de analisar quais os pontos fracos, fica mais simples definir os objetivos da gamificação.

O que você quer? Engajar a equipe? Melhorar o relacionamento entre colaboradores? Gerar mais competitividade? Qualificar os seus funcionários?

Você quer que os seus clientes usem os seus produtos? Que eles cumpram as tarefas propostas de um curso? Quer que as pessoas façam os exercícios físicos ou sigam uma dieta, por exemplo?

Enfim, estabelecer os objetivos do jogo é um passo importante antes de aplicar a gamificação.

Crie metas e faça testes

No tópico anterior eu falei que todo jogo precisa ter um objetivo, mas também é interessante colocar metas ao longo dessa jornada.

Isso mantém os participantes motivados a continuar jogando e alcançar os objetivos definidos.

Mas também importante testar tudo isso antes. Faça testes com grupos menores para poder avaliar os resultados.

Aposte em ideias diferentes

Com a gamificação é possível criar inúmeras formas de tornar as atividades mais atrativas. 

Adotar um sistema de premiação, por exemplo, é uma alternativa legal para engajar as pessoas e tornar o processo mais satisfatório. 

Mas é apenas uma possibilidade. Existe a opção do sistema de pontuação ou até de títulos. 

O importante aqui é estimular uma competição saudável e fazer a pessoa chegar ao objetivo proposto.

Mensure os resultados

Analisar os resultados é fundamental para avaliar o processo gamificado. É uma forma de mensurar se deu certo ou não e de ter respaldo para decisões futuras.

Por isso, não deixe essa etapa de lado.

Veja se as pessoas estão concluindo as tarefas, se elas estão comentando sobre o jogo e, principalmente, se o objetivo proposto foi alcançado.

Também é interessante pedir um feedback dos participantes e analisar os pontos negativos e positivos.

5 exemplos de uso da gamificação nas empresas

A diversão é um quesito que pode manter colaboradores e clientes engajados, dependendo do seu negócio, claro.

Por isso, a gamificação tem sido aplicada cada vez mais em diversos segmentos. 

Separei aqui uma lista com 6 empresas que apostaram na gamificação em processos internos, com os colaboradores, e também em dinâmicas com os clientes.

1- Starbucks

Por meio do cartão de fidelidade do programa My Starbucks Rewards, a rede de cafeterias incentiva o acúmulo de estrelas para que seja possível fazer a troca por benefícios e produtos, como bebidas grátis.

Quem não gosta da palavra “grátis”?

Isso estimula o cliente a comprar mais vezes para marcar estrelas e, claro, ganhar produtos de graça.

É uma forma de fidelização.

2- Waze

Se você já  precisou saber a rota para chegar em algum lugar, possivelmente o Waze te ajudou.

Esse aplicativo de navegação e trânsito traça as melhores rotas para um determinado lugar. 

Não sei se você sabe, mas ele conta com a participação de motoristas para atualizar informações do trânsito, se houve colisão entre carros, se um sinaleiro está quebrado, entre outras coisas.

Como recompensa, os usuários da plataforma ganham pontos, podem criar avatares e participar de um ranking.

Essas pessoas podem inclusive, interagir entre si.

3 – Ignição Digital

Aqui  na Ignição, grupo que une o Klickpages e a Fórmula de Lançamento, já aplicamos a gamificação em alguns processos internos com os colaboradores e também nos cursos que oferecemos para os clientes. 

No Insider, por exemplo, uma mentoria que temos aqui para empreendedores, os participantes são divididos em faixa azul, faixa marrom e faixa preta.

Assim como no jiu-jitsu (ou outro esporte de luta), essas pessoas precisam aprender algumas técnicas e conquistar alguns objetivos para subir de nível e, assim, trocar de faixa.

É uma forma de motivar os participantes e, de certa forma, incentivar a competição saudável entre eles.

Esse mesmo esquema de faixas também é usado com os colaboradores das nossas equipes de conteúdo escrito e de vídeo.

Os conteúdos que produzimos aqui dentro são avaliados de forma qualitativa em faixa branca, faixa azul, faixa verde, faixa marrom e faixa preta.

O objetivo é sempre ter um material de nível faixa preta. 

4 – Volkswagen

Para diminuir o número de multas e acidentes causados pelo excesso de velocidade, a empresa criou o projeto Speed Camera Lottery, que em português significa Loteria do Radar.

Esse radar inteligente era capaz de registrar a velocidade dos carros em um determinado trecho em Estocolmo, na Suécia.

Os motoristas que dirigiam de forma prudente e na velocidade da via ganhavam um bilhete para um sorteio.

Além disso, o valor poupado em multas foi sorteado entre os motoristas participantes.

Isso estimulou os motoristas a dirigirem na velocidade indicada.  

5 – Gerdau

Essa empresa siderúrgica criou um programa de capacitação de pessoal com o uso de óculos de realidade virtual.

Com isso, o treinamento teórico foi substituído por jogos, o que deixou o conteúdo mais simples de ser absorvido pelos funcionários.

Com esses óculos, eles criaram um ambiente virtual com efeitos visuais, sonoros e até táteis. 

Uma maneira bem diferente e interessante para treinar os funcionários. 

Use a gamificação para engajar a sua lista

Manter a sua lista de contatos atualizada e engajada é fundamental para criar uma relação de confiança com seus cliente e potenciais clientes.

Isso porque para oferecer o seu produto ou serviço, o ideal é que essas pessoas estejam envolvidas com o seu conteúdo e com o seu trabalho.

Uma forma de fazer isso é gamificando essa relação com a sua lista. 

Você pode estimular o engajamento criando uma disputa saudável entre os integrantes da sua lista.

Dá para fazer um quiz com perguntas e respostas sobre o seu conteúdo e criar um ranking dos maiores pontuadores. 

Você pode também oferecer um prêmio para quem enviar o melhor depoimento sobre o seu produto.

E se você ainda não tem uma ferramenta que ajude na suas estratégias de e-mail marketing, o Klicksend  é a solução. 

Ele é uma ferramenta de envio de emails totalmente focada na conversão de leads em clientes.

Além de conseguir criar e enviar campanhas de e-mail marketing, você também terá acesso a:

  • dashboard com as métricas importantes para a sua estratégia de marketing;

  • segmentação da lista de contatos por meio de marcação com Tag;

  • suporte em tempo real para tirar qualquer dúvida.

Lembrando que ele é integrado com o Klickpages, a melhor ferramenta de criação de landing pages otimizadas para conversão.

Quer saber mais como essas duas ferramentas podem, juntas, agregar mais ao seu negócio? É só clicar aqui.

Conclusão

Nesse artigo, eu te mostrei que gamificação é uma forma de cumprir tarefas sem parecer que realmente são tarefas.

É um jeito de deixar conteúdos complexos mais simples, além de facilitar processos de trabalho e incentivar pessoas a cumprir metas e alcançar objetivos. 

Para deixar as tarefas mais dinâmicas, são usados elementos característicos de qualquer jogo: sistema de pontuação, ranking, objetivo a ser alcançado, recompensas…

Você viu ainda que antes de implementar a gamificação na sua empresa é preciso seguir algumas etapas, como definir o objetivo a ser alcançado e como os participantes serão recompensados.

Eu te mostrei também o que não pode faltar em um processo de gamificação. Regras e objetivos claros estão no topo dessa lista.

Por fim, você conheceu algumas empresas que já adotam a gamificação em suas estratégias. 

E você, o que acha desse processo de gamificar tarefas? Já implementou no seu negócio? Conta aqui nos comentários.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Juliana Amorim

Jornalista de formação e redatora de coração. Apaixonada por livros, revistas e jornais, meu único caminho era escrever. Já trabalhei como repórter, editora e apresentadora (de rádio, gente, não de TV) e, agora, faço parte do time de conteúdo do Klickpages. Adoro aprender e escrever sobre o universo do Marketing Digital e do Empreendedorismo. Tenho dois gatos lindos, adoro projetos de “do it yourself” e sou daquelas que viram a noite maratonando séries. Não dispenso uma boa conversa e simplesmente consigo transformar qualquer acontecimento bobo do meu dia em uma grande história.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)