Nicho de mercado: o que é, qual a importância e como definir o seu

Nicho de mercado

Nicho de mercado é um conceito simples, mas que ao mesmo tempo pode gerar uma confusão na cabeça de algumas pessoas. 

Se você planeja abrir o seu próprio negócio ou se você já tem a sua marca, entender esse conceito fará toda a diferença no seu faturamento. 

Pense em uma estratégia de divulgação e vendas, por exemplo.

Não conhecer bem o seu nicho pode levar você a investir de forma errada, direcionando o seu orçamento para um público que não tem interesse naquilo que oferece.

E tem mais…

Caso você não saiba qual é a diferença entre segmento e nicho de mercado, você pode acabar mudando o modelo do seu negócio por medo da alta concorrência.

Nesse artigo eu vou te ensinar como focar as suas ações em pessoas específicas e tirar proveito disso.

Nas próximas linhas, você vai descobrir o que é nicho de mercado, qual sua importância e como explorar esse conceito para levar seu projeto a um novo nível de faturamento.

Vamos lá?

O que é nicho de mercado?

Nicho de mercado é um recorte dentro de um determinado segmento que considera um grupo de pessoas com interesses, necessidades e preferências bastante particulares.

É um público com grande potencial específico, mas que não é tão bem atendido quanto poderia quando as ações são voltadas ao mercado como um todo.

Para entender melhor o conceito, nada mais certeiro do que um bom exemplo.

Vou falar sobre o mercado de calçados, então.

Esse é um segmento de atuação bastante amplo, já que inclui homens, mulheres, crianças e até bebês.

Se você focar em apenas um gênero, já vai reduzir o tamanho desse segmento.

Mas é possível avançar ainda mais. Quer ver só?

Sapatos sem couro para veganos ou uma linha de sapatos impermeáveis para trilhas seriam nichos bastante específicos dentro desse amplo mercado.

O que você deve entender é que quase todo mercado pode ser dividido em categorias, conforme características dos consumidores que fazem parte dele.

Você pode encontrar e definir um nicho de mercado levando em conta os seguintes aspectos:

  • preço (alto, moderado, descontos)

  • demografia (sexo, idade, nível de renda, nível de escolaridade)

  • nível de qualidade do produto/serviço (premium, alta, moderada, baixa, barata)

  • psicografia (valores, interesses, atitudes)

  • geográfico (a localização precisa do comprador).

Qual a importância de definir um nicho de mercado?

Um nicho representa uma fatia do mercado. Logo, corresponde a um público menor, mas não necessariamente pequeno.

Isso abre espaço para que você seja mais certeiro nas suas ações.

Como foca em consumidores bastante parecidos, dá para criar campanhas personalizadas.

E não é segredo para ninguém que essa característica é ótima para qualquer estratégia de marketing.

Seu investimento tende a ter um retorno melhor, o que em marketing chamamos de ROI.

Mas não é só isso.

Outro ponto bacana é a menor concorrência.

Você pode ser visto como alguém único, que oferece algo exclusivo, totalmente diferente dos demais.

E o consumidor sabe valorizar tudo isso, desde que haja satisfação com a oferta, é claro.

Ele não se importa, por exemplo, de pagar um pouco a mais para ter uma experiência diferenciada.

Além disso, um nicho de mercado oferece melhores condições para alcançar consumidores fiéis, que preferem comprar de você.

Essa é uma consequência natural do seu esforço enquanto empresa, já que consegue se concentrar melhor na qualidade e em nutrir relacionamentos.

E como você tem uma oferta pensada especificamente em torno das necessidades desse cliente, acaba sendo visto como um verdadeiro parceiro e não como mais uma empresa tentando empurrar seus produtos.

Qual a diferença entre segmento e nicho de mercado?

Eu falei rapidamente sobre isso no início desse artigo, mas vale reforçar para que não reste nenhuma dúvida.

Então, vamos combinar que vender significa oferecer o produto certo para os clientes certos, na hora certa e com a mensagem certa.

Para isso, você deve levar em conta fatores como preço, qualidade, localização, demografia e também aspectos emocionais, já que a compra por impulso é praticada por 60% das pessoas.

Mas o que torna um público-alvo um nicho ao invés de um segmento?

As diferenças são bem sutis. 

A primeira delas é que os nichos são pequenos e os segmentos são grandes.

Voltando ao exemplo dos calçados, um nicho pode ser os calçados veganos produzidos sem couro, o que representa uma parcela de segmento muito mais amplo, como o segmento de calçados femininos. 

Percebe a diferença?

Ou seja, um nicho é sempre parte de um segmento.

Em segundo lugar, é também uma estratégia usada por pequenos empreendimentos para evitar competir com um líder de mercado.

A questão é que os grandes negócios têm um poder de compra impeditivo para os pequenos.

Concorrer com eles pode ser mesmo uma missão ingrata.

Assim, ao escolher um nicho dentro de um segmento mais amplo, dá para fugir de uma competição que poderia ser fatal para o seu negócio.

Mas até mesmo as empresas maiores podem focar em determinados nichos. 

Por exemplo, se uma indústria de alimentos enxerga oportunidades no mercado de produtos sem glúten, o que ela faz?

Pode ter uma estratégia de marketing e vendas específica para esse público.

O que é o marketing de nicho?

Depois de entender o que é nicho de mercado, não é difícil já ter uma ideia pronta sobre o que é marketing de nicho. 

Sem mistério, esse tipo de marketing envolve uma estratégia para atingir a parcela específica de um segmento de mercado mais amplo. 

Ou seja, que ações você vai adotar para focar em parte do público e não no mercado todo.

Como no marketing tradicional, tudo começa com a identificação do que um cliente quer ou precisa.

Em seguida, dos canais pelos quais você vai acessar esse consumidor.

Afinal, você tem uma mensagem a entregar e tem que ser no lugar onde ele está, da forma como ele gostaria de receber.

A partir daí, então, o marketing de nicho entra em cena para mostrar que você oferece a melhor solução.

Nada muito diferente de qualquer campanha de divulgação ou vendas, certo?

O que muda mesmo é o recorte do público e o foco das ações nas suas características.

Para ser bem-sucedido na estratégia, recomendo que você dê uma olhada neste artigo sobre as personas, o perfil de cliente ideal do seu negócio.

Elas têm muitas informações valiosas para você construir o seu plano de marketing de nicho.

Os 4 tipos de segmentação do mercado

Existem diferentes maneiras de classificar o que o cliente quer: de acordo com suas necessidades, seus desejos e suas demandas.

Mas para decidir tudo isso, você precisa primeiro realizar a segmentação.

Ou seja, deve dividir os clientes em grupos menores, considerando aspectos semelhantes. 

Esse processo vai permitir uma comunicação mais assertiva com seu público por meio de técnicas de marketing direcionadas.

Por exemplo, existem produtos destinados a várias faixas etárias.

Não adianta atingir adolescentes em uma divulgação de produtos para idosos. 

Assim, a segmentação também permite direcionar melhor os recursos do seu orçamento de marketing. 

Quer aprender como fazer?

Nas próximas linhas eu vou destacar 4 tipos de segmentação de mercado e suas variações. 

1. Segmentação geográfica

A segmentação geográfica é, geralmente, a mais fácil.

Basicamente, ela cria diferentes grupos de público-alvo com base na localização desses consumidores.

Isso pode ser em âmbito local, regional, nacional ou até mesmo global. 

Por exemplo, uma indústria de eletrodomésticos pode vender aquecedores para lojas situadas em regiões frias, mas não ter esse produto em lugares de clima mais quente.

E os esforços de marketing seguem na mesma linha das vendas.

Você não vai investir em publicidade no Google para alcançar gaúchos se a sua empresa foca no mercado cearense, por exemplo.

2. Segmentação demográfica

Aqui, temos outro dos tipos de segmentação de mercado simples e amplamente usados.

Sua principal característica está na divisão do público de acordo com certas variáveis demográficas.

Com base nelas, a empresa tenta encontrar as pessoas certas para comprar o que ela oferece.

Dentre as variáveis próprias da segmentação demográfica, você vai encontrar: 

  • idade;

  • sexo;

  • tamanho da família;

  • estágio do ciclo de vida;

  • renda;

  • escolaridade;

  • ocupação;

  • religião;

  • raça;

  • nacionalidade, entre outros.

Um exemplo claro de segmentação demográfica é o do mercado automobilístico.

Até porque todo mundo sabe que existem diferentes faixas de preços nele, justamente por mirar pessoas diferentes.

Um carro popular custa bem menos e tem um público diferente de um esportivo de luxo.

Nesse exemplo, as empresas do setor segmentam o público com base na renda. 

Mas poderia ser no tamanho da família.

É o que faz uma marca de laticínios com embalagens menores, voltadas a pessoas solteiras e que moram sozinhas.

3. Segmentação comportamental

Como o nome sugere, essa segmentação divide a população com base em seu comportamento e padrão de tomada de decisão.

Isso permite que os profissionais de marketing desenvolvam uma abordagem mais direcionada.

Assim, é preciso pensar nos seguintes pontos:

  • o que esses clientes precisam?

  • o que compram?

  • quando compram?

  • quais os benefícios que procuram?

  • com que frequência?

Vamos ao exemplo…

Alguns compradores podem preferir sabonete líquido, enquanto outros gostam do tipo em barra. 

Dá para focar nos dois ou direcionar esforços para atrair apenas um dos grupos.

Isso acontece bastante também no mercado de smartphones.

Veja a batalha entre a Apple e o Android, por exemplo.

Em geral, enquanto os celulares da Apple miram um público premium, os com Android são mais democráticos, acessíveis e conhecidos pela quantidade de aplicativos gratuitos. 

4. Segmentação psicográfica

A segmentação psicográfica é bastante semelhante à comportamental. 

A diferença é que ela também leva em conta os aspectos psicológicos do comportamento de compra do consumidor

Pode ser o estilo de vida, a classe social ou a personalidade (como interesses e opiniões). 

É óbvio que duas pessoas com estilos de vida diferentes farão escolhas diferentes. 

Um cliente tradicional e conservador pode ser acessado a partir da mídia impressa, enquanto outro de perfil mais moderno talvez goste de receber ofertas por email ou até no WhatsApp.

Nesse caso, ainda que pertençam ao mesmo grupo demográfico, as características psicográficas das pessoas podem variar muito. 

Como descobrir o seu nicho de mercado em apenas 5 passos

Agora que essa conversa de nicho de mercado já está bem clara, vamos à prática.

Como descobrir o seu?

Tenho certeza de que, ao seguir os passos abaixo, você será capaz de começar a explorar uma parcela de consumidores rapidinho. 

1. Defina em qual mercado você quer atuar

É claro que a internet facilitou a vida de empreendedores de primeira viagem. 

As ideias de negócios digitais são inúmeras, diversas e, algumas, bem lucrativas

Mas de nada adianta abrir uma empresa se você não tem paixão por aquilo. 

Por isso, o primeiro passo para ser bem-sucedido é encontrar um mercado no qual você terá prazer em atuar. 

Mas não se deixe levar apenas pelos sentimentos.

A escolha do mercado precisa ser racional, considerando as oportunidades que o nicho oferece.

Como qualquer negócio, se não for rentável, mude de ideia.

2. Identifique as dores do seu público-alvo

Você precisa identificar as dores do seu público para oferecer o remédio certo a ele.

Minha dica é: pesquise bastante.

Faça um estudo de mercado, levante informações junto às redes sociais e fóruns online.

Tente descobrir sobre o que as pessoas do seu nicho estão falando, quais são as suas dúvidas, problemas e preocupações.

Se você já atua em um mercado amplo, faça uma pesquisa qualitativa junto aos próprios clientes.

Só não se arrisque em um novo nicho sem saber ao certo o que o consumidor deseja receber de você.

3. Avalie se você tem o conhecimento necessário

Assim que mapear as dores do cliente, é hora de uma autoavaliação sincera: você tem o que precisa para resolver os problemas dele?

Se não tem, consegue ir em busca do que falta?

Ser bem-sucedido em um nicho de mercado exige apresentar uma solução definitiva e não uma medida paliativa.

Você deve ser visto como referência, pois só assim terá uma marca forte e consumidores fiéis.

4. Observe se existe demanda

Seu negócio precisa ser rentável, certo?

Do contrário, haverá dificuldades até para se manter.

Assim, de nada adianta dominar um nicho específico se não houver interesse suficiente pela sua oferta.

Imagine a seguinte situação…

Você é fluente em Mandarim e gostaria de começar a dar aulas do idioma de forma online.

Para que você consiga ter lucro, é necessário que você se certifique de que existem pessoas que estão à procura de aprender o idioma. 

Imagine só ter montado todo o plano de aula, gravado os vídeos, editado e disponibilizado todo o material em uma plataforma sem saber se alguém de fato se interessa em aprender o idioma no momento. 

Você terá perdido tempo e dinheiro…

5. Analise a concorrência

Quando se trata de descobrir um nicho de mercado, um cenário com zero concorrentes é o ideal, mas não dá para negar que seja algo meio utópico. 

Então, é crucial analisar o volume de concorrentes e como eles têm se comportado no mercado.

A partir de um trabalho de benchmarking, você pode aprender com a concorrência para replicar no negócio os seus acertos e realizar ajustes para não repetir os seus erros.

Isso torna a sua oferta mais consistente e o seu negócio mais forte.

Como se tornar autoridade dentro do seu nicho de mercado?

Quando você se especializa em um nicho, define melhor suas habilidades e conhecimentos naquela área, atraindo pessoas que realmente precisam daquela solução. 

Basicamente, você constrói a sua autoridade com base em três pilares principais:

Como atrair leads compatíveis com o seu nicho de mercado utilizando o Klickpages

Está pensando em investir no mercado digital?

Então, fique ligado nesta dica que separei para você. 

Uma das melhores oportunidades que a internet oferece está na geração de leads a partir de seu site, blog ou mesmo via redes sociais.

Funciona assim: você primeiro cria um material de grande interesse e o disponibiliza para download no formato de ebook, curso online ou infográfico, por exemplo.

Para acessar, o usuário registra o email e ingressa no seu funil de vendas.

A partir daí, pode ser nutrido até que se torne de fato um cliente do seu negócio.

Bacana, né?

Só que ele só vai aceitar a oferta do material rico se ela for caprichada, apresentada na forma de uma landing page atraente.

Ainda não sabe como criar uma landing page?

Não se preocupe, com o Klickpages você consegue ter a sua página pronta para publicar em menos de uma hora.

Como? Basta seguir esses três passos básicos: 

  1. Escolha o modelo: conheça as opções de alta conversão comprovada através de testes.

  2. Customize a página: na sequência, é só editar textos, cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique no próprio domínio: sem custos adicionais de hospedagem.

Quer saber mais sobre o Klickpages e como ele pode te ajudar? É só clicar aqui

Conclusão

Neste artigo você viu que o nicho de mercado permite atingir um público bastante específico, com características únicas.

Essa pode ser uma oportunidade bem interessante para você explorar com um novo negócio ou uma estratégia de marketing diferente.

A minha sugestão é que coloque em prática as dicas que conferiu ao longo da leitura e se dedique ao planejamento.

Só assim você vai dar atenção a todos os detalhes necessários para que seja bem-sucedido no seu projeto.

Depois, volte aqui para contar como foram os resultados.

Gostou desse artigo? Não deixe de me contar aqui embaixo nos comentários! 

Ah, e não se esqueça de assinar a newsletter do Klickpages para receber mais conteúdos como esse semanalmente na sua caixa de entrada. Clique aqui

(Este artigo foi originalmente publicado em 18 de dezembro de 2018 e atualizado em 5 de agosto de 2021 por João Pedro Ferreira para oferecer informações mais precisas e completas).

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.