Newsletter: o que é, como funciona e como fazer em 13 passos

Newsletter: o que é, como funciona e como fazer em 13 passos

Se você ainda não tem uma newsletter para o seu negócio, você está perdendo uma fonte poderosíssima de tráfego e um canal de nutrição das suas leads.

Porque a newsletter funciona como um antídoto contra o esquecimento dos seus potenciais clientes.

Não sei se já aconteceu isso com você…

Você faz uma pesquisa na internet, cai em um site ou blog, lê um conteúdo, lê outro… É tudo muito bom, exatamente o que você queria e gostaria de saber mais sobre.

Só que depois que você fecha a janela, nunca mais você lembra de entrar naquele site de novo.

Pelo menos comigo, isso vive acontecendo com conteúdos que eu acho incríveis e gostaria de ler mais. 

No final das contas, eu só lembro mesmo de olhar recorrentemente aquilo que chega no meu email.

É claro que nem todo mundo é igual a mim.

Mas posso te dizer que se você quer desenvolver um relacionamento com seus potenciais clientes que vai levar a uma venda, você precisa estar em contato com eles frequentemente.

Você não deve se dar ao luxo de ficar esperando que eles lembrem novamente de acessar o seu site ou blog.

Porque as chances são que uma boa parte vai esquecer.

É mais fácil ser lembrado pelo seu público se semanalmente ou quinzenalmente você aparece na caixa de entrada dele.

Por isso, eu recomendo fortemente que você continue comigo até o final deste artigo e descubra como criar uma newsletter para o seu negócio.

Além disso, eu vou explicar exatamente:

  • o que é uma newsletter;

  • como ela funciona;

  • o que fazer para não cair na caixa de spam;

E ainda trouxe 3 exemplos para você se inspirar.

Bora lá?!

O que é uma newsletter?

A newsletter é um boletim informativo enviado por e-mail para pessoas interessadas, com uma periodicidade definida e uma linha editorial direcionada a um tipo de conteúdo.

O princípio da newsletter é bastante parecido com a assinatura de jornal ou revista.

Ela é como uma assinatura online, que chega na caixa de entrada de clientes ativos ou potenciais que manifestaram a intenção de receber esse conteúdo.

Apesar de não diretamente usada para fins comerciais (vender um produto ou serviço), ela pode fazer parte da sua estratégia de email marketing com o objetivo de estreitar o relacionamento com o seu público.

Na newsletter é oferecido conteúdo que agregue valor ao destinatário e, assim, gere tráfego orgânico ao site ou blog de uma marca ou empresa e também nutra e eduque as suas leads sobre o que o seu negócio oferece.

Por que você deve criar uma newsletter para o seu negócio?

No marketing digital, o que não faltam são canais de divulgação, contato e relacionamento com os clientes.

Então, em vez da newsletter, não seria mais fácil explorar as redes sociais? De certo modo, sim.

Mas não se esqueça de considerar o poder de uma excelente newsletter para capturar leads (potenciais clientes que você tem uma forma de contato direto como, por exemplo, o endereço de e-mail).

Através dela você consegue uma lista de e-mails realmente boa, qualificada, com reais interessados naquilo que oferece.

Porque, basicamente, para se cadastrar em uma newsletter, o usuário precisa preencher um formulário com o endereço de e-mail. 

A partir daí, você consegue aumentar a sua lista de contatos e montar uma base de leads e possíveis clientes mais qualificada. 

Mas, afinal, como isso ajuda o negócio?

Em primeiro lugar, contribui para estreitar o relacionamento entre a empresa e seus consumidores.

Afinal, se eles assinaram a newsletter, é porque realmente estão interessados naquilo que sua marca tem a oferecer. 

Outro ponto importante é que as pessoas não trocam sempre de e-mail. 

Geralmente, elas ficam com o mesmo endereço por muitos anos.

Logo, você terá uma forma mais assertiva de se comunicar com os contatos da sua lista.

As pessoas que estão nela não vão desaparecer da noite para o dia.

É a sua chance de aproveitar para informar periodicamente sobre as principais novidades do seu negócio. 

Além disso, uma base consolidada de e-mails também pode gerar excelentes oportunidades de venda. 

Mas tenha muita atenção se você quer fazer dinheiro com a newsletter.

Porque o objetivo dela não é a venda direta, mas sim fundamentar um bom relacionamento com seu público. 

Ou seja, ela serve para entregar conteúdo relevante produzido pelo seu negócio e que se encaixa nas necessidades e interesses dos potenciais clientes.

O que é uma das melhores formas de agregar valor e credibilidade para a sua marca. 

Gradativamente, com uma newsletter bem estruturada, o retorno financeiro aparece indiretamente por meio de uma base de leads mais qualificada e nutrida que está mais preparada para realizar uma compra. 

Como a newsletter funciona na prática?

Imagine que um possível cliente está fazendo uma busca online e encontra um artigo do blog do seu negócio.

Mais do que isso: aquele texto responde perfeitamente à dúvida, interesse ou necessidade do usuário.

O que acontece depois é um processo natural.

Quando ele estabelece intimidade com seu negócio, deseja continuar a receber conteúdos como aquele para solucionar problemas futuros, por exemplo. 

E é nesse momento que ele decide, então, assinar sua newsletter. 

Por isso você deve ter um formulário de inscrição bem visível nas páginas do seu blog ou do seu site.

Esse formulário deve pedir informações básicas, como e-mail e, no máximo, o nome, para que o usuário não desista de completá-lo.

Após preencher o documento, o usuário entra para a sua base de contatos e passa a receber periodicamente sua newsletter.

Que deve ser composta de conteúdos relevantes e de qualidade que seguirão despertando o interesse do cliente em saber mais sobre o seu negócio. 

Como fazer a sua newsletter em 13 passos

Criar uma newsletter não é nenhum monstro de 7 cabeças, só que exige um pouco de planejamento para que depois você não deixe sua lista no vácuo.

O ideal é que uma vez que você comece a enviar a newsletter, você não pare mais.

Além disso, como ela deve fazer parte de uma estratégia de email marketing, é importante que ela cumpra um objetivo e te ajude a crescer o seu negócio.

Para que todos esses pontos fiquem alinhados, eu criei para você um passo a passo simples com 13 etapas, que vai te ajudar a planejar e executar todas as ações necessárias para fazer a sua newsletter decolar.

1. Determine quais serão os objetivos e metas

Como toda ação de marketing, a newsletter também precisa de objetivos alinhados à sua estratégia e de metas a serem alcançadas.

Essa é a única forma que existe de você saber se a sua newsletter está caminhando na direção certa.

Por isso, antes de pensar em design, conteúdo, frequência… você deve traçar os objetivos e metas.

Por exemplo, se o seu objetivo principal ao criar uma newsletter é gerar mais leads, você pode estipular uma meta de crescer em 10% a sua lista nos próximos 6 meses.

Assim, fica mais fácil medir depois se a estratégia está dando certo ou não.

Outras ideias de objetivo podem ser: aumentar o tráfego do seu site ou blog, melhorar a sua entregabilidade e nutrir e educar as leads.

2. Defina a periodicidade e só envie quando realmente for relevante

Assim como uma assinatura de jornal ou revista, a newsletter tem uma periodicidade definida que pode ser semanal, quinzenal, mensal…

Tudo vai depender de alguns fatores como:

  • a frequência que você ou sua equipe consegue produzir esse tipo de conteúdo (porque uma vez que você começa não deve parar de enviar);

  • a quantidade de conteúdo relevante que você tem para enviar;

  • o comportamento dos assinantes.

Não adianta nada inundar a caixa de entrada das suas leads com uma newsletter que não agrega valor só por uma questão de enviar esse tipo de email.

Então, antes de prometer que será uma frequência semanal, quinzenal, mensal… verifique a quantidade de conteúdo que você tem que pode ser utilizado.

Por exemplo, se você publica quatro artigos no blog do seu negócio de segunda a quinta, vale a pena enviar uma newsletter na sexta agregando todo esse material.

Agora, se você tem conteúdo novo uma vez por semana ou a cada quinze dias, aí é melhor considerar um envio mensal.

Não existe um número mágico para definir a periodicidade da sua newsletter, isso vai dependender da frequência com que você consegue gerar valor para seus assinantes.

3. Escolha o conteúdo que será parte da newsletter

Outra decisão importante que você precisa tomar é o que irá compor a sua newsletter.

Algumas opções são apenas conteúdos novos, um mix de conteúdos novos com conteúdos antigos relacionados, apenas chamadas para os novos artigos, um texto mais chamada para os artigos.

Por exemplo, a newsletter do blog do KP sempre contém links para os artigos novos que saíram aqui na semana anterior e também um texto exclusivo para a newsletter.

Dessa forma, nossos assinantes têm acesso a algo de valor e podem aprender algo novo, mesmo se eles só lerem a newsletter e não acessar nenhum dos artigos.

Mas isso não é regra. 

Eu conheço newsletter bem sucedidas que contêm apenas uma chamada para os novos conteúdos do site da marca.

4. Torne o conteúdo escaneável

Passando para a parte mais mão na massa da sua newsletter, é hora de organizar como o conteúdo será apresentado no email.

O ideal é que ele seja escaneável. 

Isso quer dizer que uma pessoa que não leia palavra por palavra, mas só passe o olho por cima, consiga entender quais são os textos que você está divulgando.

Você pode fazer isso criando alguns “quebra-molas”, elementos que fazem com que a pessoa diminua por um instante a velocidade de rolagem.

Como, por exemplo, incluir imagens dos seus artigos, usar uma fonte maior ou negrito para dar destaque ao título, colocar botões para direcionar para o seu blog.

5. Crie um assunto impossível de ignorar

Você sabia que a taxa de abertura cai em 18,7% quando a palavra “newsletter” aparece no campo “assunto” do e-mail?

E vamos combinar que de nada adianta você ter todo o trabalho e investir tempo e esforço para criar um e-mail se ninguém vai abri-lo.

Por isso, uma das etapas mais importantes na hora de produzir a sua newsletter é criar o assunto.

Ele precisa ser algo que se diferencia no meio de várias mensagens não lidas, chama a atenção do destinatário e desperta a curiosidade para que ele abra o email.

Eu recomendo fortemente que você leia o artigo 20 fórmulas práticas de como escrever headlines irresistíveis para ter uma ideia de como criar assuntos impossíveis de serem ignorados.

6. Tenha um layout simples e responsivo

Cerca de 90,6% dos usuários utilizam o smartphone para checar sua caixa de entrada.

Isso significa que não dá para não ter e-mails responsivos, que se adaptam bem a qualquer tamanho de tela. 

A newsletter deve ter um layout simples e que funcione bem em todas plataformas, sem prejuízos à visualização. 

Antes de enviar seu email, lembre-se de sempre testar como ficará a aparência dele em diversas telas para ter certeza de que seus assinantes conseguirão acessar independentemente do dispositivo que eles escolham usar.

7. Tome cuidado ao usar imagens

Quanto mais imagens um email tem, mais demorado ficará o carregamento dele.

E isso pode ser um problema, dependendo da velocidade da conexão do assinante da sua newsletter.

Além disso, você provavelmente já deve ter aberto um e-mail e teve que clicar em um botão para afirmar que aquele conteúdo era confiável antes de liberar as imagens.

Isso acontece porque grande parte dos serviços de e-mail bloqueiam a exibição de imagens. 

E o excesso delas eleva as chances de o e-mail ser classificado como spam. 

O melhor é que as imagens usadas estejam ligadas a uma CTA, com o objetivo de conduzir o usuário a alguma ação.

Outro ponto importante é que cada imagem possua sempre um texto alternativo (alt-text) descrevendo o sentido dela. 

Assim, mesmo se forem bloqueadas, o usuário pode ter uma noção do que se trata. 

8. Coloque a assinatura no rodapé do e-mail

Assim como o campo do remetente, a assinatura do e-mail deve estar relacionada com o seu negócio.

Isso ajuda o assinante a identificar de onde veio aquela mensagem. 

O ideal é que a newsletter seja assinada por uma pessoa que represente o seu negócio, seja você ou algum membro da sua equipe, porque ajuda a humanizar a marca.

Você também pode aproveitar o espaço da assinatura para colocar links para as redes sociais do seu negócio e canais de contato.

Confira mais dicas em: Assinatura de e-mail o que é, como fazer a sua e exemplos

9. Facilite o cancelamento da newsletter

É importante que as pessoas que não estão mais interessadas em receber a sua newsletter consigam se descadastrar com facilidade.

Isso é bom para você e para elas.

É bom para você porque evita que você seja marcado como spam por quem não quer mais ser seu assinante e mantém na sua lista apenas as pessoas que estão interessadas em receber seu conteúdo.

Por isso, Inclua no final de todos os seus emails um link de descadastramento. 

10. Escolha uma ferramenta de email marketing adequada

Agora que os principais pontos do conteúdo da sua newsletter estão definido, você precisará fazer o agendamento do envio.

E para isso é necessário que você tenha uma ferramenta de email marketing adequada, onde sua lista ficará armazenada e você poderá agendar e acompanhar as métricas da sua newsletter.

A minha recomendação para você é o Klicksend. 

Uma ferramenta criada pelo time de desenvolvedores do Klickpages, simples e fácil de usar, para que com apenas alguns cliques você possa alcançar e se relacionar com os seus potenciais clientes.

Clique aqui para saber mais sobre o Klicksend

11. Ouça e responda cada um de seus assinantes

Não pense que a newsletter é uma comunicação de mão única, que é só enviá-la e o trabalho está completo. 

Como um dos seus principais objetivos é estreitar o relacionamento com o cliente, assegure que haja sempre alguém responsável para responder qualquer email que chegue de volta. 

Deixar os assinantes sem resposta constrói uma imagem ruim. É como se o negócio não se importasse com o que o cliente tem a dizer.

12. Mensure os resultados

Depois que você começar o envio da sua newsletter, para saber se a sua estratégia está funcionando corretamente, é preciso sempre mensurar e analisar os resultados dos disparos.

Isso vai te ajudar a otimizar os próximos emails.

Para uma mensuração bem feita, é preciso definir as métricas que você quer analisar e elas devem estar ligadas às metas e aos objetivos que você estabeleceu lá na primeira etapa.

Se você ainda está no começo e não sabe o que mensurar, uma boa dica é analisar quais conteúdos foram mais clicados.

Também vale conferir os picos de tráfego no site, o que permite identificar o melhor horário para envio dos e-mails.

13. Teste muito para aumentar suas conversões

Com a mensuração realizada, é possível aplicar testes e otimizar a newsletter, caso identifique que ela não está indo pelo caminho certo. 

Aqui no Klickpages, por exemplo, vira e mexe nós fazemos pequenas modificações na nossa newsletter e testamos para ver se melhora os nossos resultados.

Além disso, utilizamos testes A/B para verificar qual opção é a melhor (a que já estava sendo usada ou a nova com pequenas modificações).

Para fazer isso, nós pegamos a parte mais engajada da lista de assinantes e dividimos em duas (A e B), um grupo recebe uma versão e o outro grupo a outra, depois os resultados são comparados e analisados.

3 exemplos de newsletter para você se inspirar

Você já viu, neste artigo, informações valiosíssimas para criar a newsletter do seu negócio.

Mas para ficar ainda melhor, eu trouxe 3 exemplos de newsletters encantadores para você se inspirar.

E eu ainda vou te explicar o porquê de cada uma delas funcionar tão bem.

Exemplo 1 – Cook Smarts Weekly Eats

Cook Smarts Weekly Eats

Essa é a newsletter semanal da Cook Smarts, uma empresa do nicho de culinária que ajuda pessoas a planejar e preparar a própria alimentação.

Ela traz um menu para o assinante seguir de segunda a sexta, um plano alimentar que pode ser baixado e dicas de preparo que vão facilitar a execução das receitas.

Tudo isso é de imenso valor para quem não tem muita prática na cozinha mas gostaria de preparar sua própria alimentação.

Porque a pessoa não precisa ficar pensando em algo para cada dia, a newsletter já resolve esse problema para ela.

E a periodicidade é perfeita. Semanalmente o assinante recebe a sugestão de menu para aquela semana.

Exemplo 2 – Copyblogger Weekly

A newsletter do Copyblogger, um site sobre blog e copywriting, é um resumo dos artigos que saíram durante a semana e dos podcasts que eles publicaram.

Eles fazem um texto que amarra todos os tópicos e depois colocam link para os conteúdos.

O que eu acho mais interessante dessa newsletter é que ela facilita a vida de quem quer ir direto para os artigos do blog e podcasts.

Se você rolar direto para o final do email, encontrará uma imagem mais título e botão de CTA para cada conteúdo.

Copyblogger Weekly

Exemplo 3 – Robert McKee

Robert McKee é um dos professores de roteiro mais renomados, ele já foi consultor de grandes estúdios como a Paramount e a Disney.

Ele tem uma newsletter voltada para roteiristas e aspirantes, na qual ele compartilha um texto ensinando algo novo toda semana, traz recursos adicionais, faz chamadas para os próximos seminários que ele apresentará e ocasionalmente abre um pequeno espaço para parceiros.

Todas as seções são divididas com um cabeçalho com fundo azul e os botões de CTA são em amarelo, o que torna o conteúdo bastante escaneável.

Olha só:

Robert McKeeE você pode conferir mais outros exemplos no artigo Exemplos de Newsletters: como aumentar as chances do seu conteúdo ser visto.

O que fazer para sua newsletter não virar spam?

Um problema muito comum para quem trabalha com e-mail marketing é o risco dos seus conteúdos irem parar direto na caixa de spam.

Por isso, eu não poderia finalizar este artigo sem te dar algumas dicas do que fazer ou não fazer para sua newsletter não ser enviada para essa caixa.

As 3 principais coisas que você deve fazer são:

  • Enviar e-mail apenas para quem se cadastrou para receber sua newsletter, o fato de a pessoa ter se inscrito indica que ela está interessada. 

Mesmo que a sua lista de emails tenha mais pessoas, envie só para quem assinou a newsletter. 

Por exemplo, você pode ter clientes na sua base que estão lá porque desejam receber ofertas do seu produto ou serviço, mas isso não significa que eles desejam receber toda semana sua newsletter.

E todo conteúdo não solicitado pode ser considerado spam.

  • Conteúdo relevante: o seu conteúdo deve ajudar os seus assinantes a resolver algum problema ou aprender a fazer algo novo, e trazer algo de valor para eles.

Se você envia mensagens que não são relevantes, eles podem parar de abrir seus emails e daí para virar spam não precisa de muita coisa.

  • Ofereça opção de descadastro e siga outras boas práticas de email marketing: eu já falei isso antes, mas não custa nada reforçar, o seu assinante precisa ter uma forma fácil de sair da sua lista e parar de receber os emails.

Se ele não tem mais interesse na sua newsletter, não adianta ficar insistindo ou forçando a barra, porque isso vai só aumentar suas chances de ser marcado como spam.

Se você quiser se aprofundar nesse assunto, eu recomendo fortemente a leitura do artigo 19 dicas imperdíveis para evitar que seus e-mails caiam no spam aqui do blog do KP.

Conclusão

Neste artigo, você viu que a newsletter é um recurso poderoso para criar um relacionamento com seus potenciais clientes.

Ela pode até ser considerada um antídoto contra o esquecimento não intencional que acontece quando o consumidor gosta dos seus conteúdos, mas não lembra de acessá-los com frequência.

Por isso, nas últimas linhas eu te mostrei quais são as 13 etapas necessárias para começar a newsletter do seu negócio do zero.

Além disso, você viu 3 exemplos para se inspirar e dicas do que fazer para sua campanha não se tornar mais um email na caixa de spam.

Agora, me diz aqui nos comentários o que você achou deste artigo e quando vai começar a sua newsletter! 😉

(Este artigo foi originalmente publicado em 04 de janeiro de 2018 por Hugo Rocha e editado e atualizado em 23 de abril de 2020 por Angela de Oliveira para oferecer informações mais precisas e completas)

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Sou especialista em SEO, tráfego orgânico e informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.