Native Ads: o conteúdo que vende seu produto por você

Native ads

Você pode virar o jogo para o seu negócio usando os native ads, um tipo de conteúdo que vende o seu produto por você.

Eu não sei se os seus anúncios estão gerando o tanto de vendas que você espera. Mas o fato é que esse tipo de conteúdo que eu vou te mostrar, provavelmente, é diferente de tudo o que você já fez.

Porque ele reúne o que tem de melhor do mundo do tráfego pago e do marketing de conteúdo.

Ele vende o seu produto por você justamente porque ele gera valor para o seu público.

E gerar valor é o que faz os seus produtos ou serviços venderem. As pessoas só compram de quem elas confiam.

De quem elas acreditam que vão entregar exatamente aquilo que elas prometeram.

Por exemplo, imagina que uma pessoa tente de vender um curso de como aprender alemão em menos de um ano.

A proposta do curso até parece interessante, o preço é bom, mas a pessoa nunca nem viajou para a Alemanha e parece não ter muito domínio da língua.

Ainda assim você compraria esse curso?

Eu acredito que não, mesmo se você estivesse muito interessado em aprender alemão. Porque essa pessoa não se conectou com você.

E é por isso que você precisa entregar conteúdo de valor para o seu público. Para mostrar que você tem autoridade no assunto e sabe do que está falando.

E o tipo de conteúdo que eu quero te mostrar aqui não só faz isso como também vende o seu produto por você.

Ele conquista o coração do seu público de uma forma que, quando você falar do seu produto, eles vão estar interessados em te ouvir.

Além disso, ele tem todas as vantagens de um anúncio, como a segmentação de público e a garantia de distribuição, por exemplo.

Se você ficou interessado, mas está achando que isso é algo complicado de fazer ou que é só para profissionais do marketing, eu tenho uma excelente notícia para você.

Qualquer um pode criar um native ad.

Nesse artigo, eu vou te explicar os 4 passos que você precisa para fazer isso. E, além disso, você vai ver:

  • o que são os native ads (com exemplos);

  • quais as principais vantagens;

  • e as principais plataformas para te auxiliar.

Vamos nessa?

O que são Native Ads?

O que são Native Ads?

Os Native Ads, também conhecidos como publicidade nativa, são diferentes do conceito mais comum de anúncio que a gente costuma ter.

Se eu te pedisse para me descrever um anúncio ou propaganda, provavelmente você pensaria em algo como um outdoor, um comercial de televisão…

Ou aquele anúncio no YouTube antes do vídeo que você quer assistir ou até mesmo todos aqueles banners que aparecem nas laterais de vários sites.

Todos esses exemplos geralmente são bastante chamativos e aparecem sem que você possa escolher se quer ou não ver.

Diferente de tudo isso, os native ads têm como principal característica se assemelharem com o conteúdo nativo da plataforma.

Eles têm a mesma aparência e geram valor como qualquer outro conteúdo. A grande diferença é que o objetivo final dos native ads é fazer uma oferta ou aumentar o alcance e o reconhecimento de marca.

Além disso, o anunciante paga pela veiculação do anúncio e geralmente eles são identificados por conter as palavras “patrocinado”, “anúncio” ou “sponsored” próximo ao título ou texto.

Para ficar mais claro, eu separei alguns exemplos. Assim você vai ver na prática como esse tipo de anúncio funciona.

Exemplos de native ads

Exemplos de native ads

Eu escolhi 3 exemplos que mostram claramente como os native ads se misturam com o restante da plataforma e entregam conteúdo de qualidade e sem deixar de cumprir o seu papel de anúncio.

O primeiro é de um portal de notícias. Ele aparece ao final de uma matéria junto com outros artigos recomendados.

Exemplo 1

Como você pode ver, ele tem os mesmos elementos visuais dos outros artigos, a única diferença é a palavra “Patrocinado” em cima da headline, indicando que é um anúncio.

Quando você clica nele, você é direcionado para um artigo com 10 dicas para ter um fígado saudável. A princípio parece um artigo de blog como qualquer outro, porém uma das dicas é usar Epocler.

Exemplo 2

Apesar de não ter uma chamada para ação clássica, esse anúncio serve para aumentar o alcance e reconhecimento da marca.

O segundo exemplo é do Buzzfeed.

Exemplo 3

À primeira vista, parece ser apenas um teste.

No entanto, se você observar o nome do autor, enquanto os outros links têm nomes de pessoas, o primeiro foi escrito em parceria com uma empresa.

Quando você clica no link, você é direcionado para um teste normal do Buzzfeed. Porém, depois do resultado, há uma chamada para ação para fazer uma reserva nos hotéis Ibis.

Exemplo 4

Esse anúncio é muito bom, pois conecta bem o tema do teste, um lugar para passar as férias com o seu cachorro, com uma oferta de uma rede de hotéis que aceita animais de estimação.

Por fim, esse último exemplo mostra que os native ads também podem ser feitos para plataformas de vídeo.

A série Dear Kitten do BuzzFeedVideo no YouTube é sobre os conselhos de um gato mais velho para um filhotinho recém-chegado à casa onde ele mora.

O vídeo entrega conteúdo engraçado e envolvente, mas sem deixar o marketing de lado, a lata de Friskies é mostrada tanto no meio quanto no final do vídeo aumentando o alcance e reconhecimento da marca.

Com esses exemplos dá para ter uma ideia clara do que são os native ads e como eles funcionam. Mas quais são as vantagens desse formato?

Para você entender melhor, eu vou te explicar primeiro quais são as principais diferenças entre os anúncios nativos e os outros tipos.

Quais as diferenças entre native ads e outros formatos?

Quais as diferenças entre native ads e outros formatos?

Antes de te explicar exatamente qual é a diferença entre o native ads e os outros formatos, eu vou te falar rapidamente quais são eles, assim vai ficar mais fácil de você entender as diferenças.

  • Social: são os anúncios que aparecem nas redes sociais entre as publicações dos perfis que as pessoas seguem.

  • Rede de pesquisa ou marketing de busca: você já deve ter percebido que quando pesquisa por alguma coisa no Google ou em outro site de busca, junto com os resultados da pesquisa aparecem alguns anúncios, principalmente nas primeiras posições. Esse formato é chamado marketing de busca ou de rede de pesquisa pelo Google Ads.

  • Rede de display: o Google possui milhões de sites parceiros, além dos da própria empresa (Gmail, YouTube…), que têm espaço disponível para banners nas laterais, no meio ou no final do conteúdo onde são publicados anúncios gráficos.

Mas, então, qual é a diferença entre todos esses formatos e os native ads?

Bem, a resposta é simples.

A principal diferença é que a maioria dos outros tipos de anúncio aparece para pessoas que não estão necessariamente procurando por um produto ou serviço.

Elas podem estar fazendo uma pesquisa na internet, lendo sobre um assunto ou vendo as fotos dos amigos no Instagram.

Isso não é algo ruim, pois pode alcançar potenciais clientes que não estavam buscando, mas têm interesse no produto ou serviço oferecido.

Por outro lado, esse tipo de anúncio também pode ser visto como indesejado.

Ainda que hoje em dia os algoritmos de segmentação de público sejam bastante eficientes, não é possível distribuir anúncios apenas para as pessoas realmente interessadas.

Isso vai além do que qualquer algoritmo ou profissional da área de marketing pode prever. Afinal, cada pessoa tem interesses e passa por uma jornada de compra diferente.

Por exemplo, a pessoa que está pesquisando sobre tênis no Google não necessariamente está querendo comprar um tênis novo, pode ser que ela esteja em busca de como conservar melhor um que ela já tem.

Já os native ads são mais sutis, eles aparecem integrados ao conteúdo da plataforma, e os usuários escolhem ou não acessá-lo.

Ou seja, como nos exemplos que eu acabei de te mostrar, você só vê a oferta em si quando acessa o conteúdo.

Outra diferença é a forma como eles são criados. Para que um native ad seja eficiente, é necessário mais do que uma imagem e copy atraentes.

Os anúncios nativos primeiro engajam o público com conteúdo de valor e só depois apresentam a oferta.

Principais vantagens dos native ads

Principais vantagens dos native ads

Como já deu para perceber, esse tipo de anúncio é bem diferente dos demais. E talvez você esteja se perguntando se vale a pena investir em native ads…

Eu não sei qual é a sua situação. Se você já tem uma estratégia de marketing e as suas campanhas têm dado o retorno esperado…

Se você está em busca de uma solução, porque não tem conseguido alcançar as suas metas…

Ou se você está começando agora e quer saber o que é o melhor para o seu negócio.

Eu realmente não sei.

Mas eu te garanto que os anúncios nativos possuem diversas vantagens que podem ser o que falta para você chegar até os seus objetivos ou até mesmo dar o primeiro passo para ir além.

Eu vou te explicar as 5 principais vantagens para você entender o que esse tipo de anúncio pode fazer para a sua estratégia de marketing.

1. Gera uma experiência melhor

Imagina que você está andando numa das principais ruas ou avenidas da sua cidade, pensando no que vai fazer quando chegar em casa ou em alguma outra coisa.

Você tenta se concentrar nos seus pensamentos, porém a cada 2 metros alguém te interrompe para entregar um panfleto.

Mesmo que você seja uma pessoa calma, provavelmente vai chegar um ponto que isso vai te irritar. E aí é bem provável que você fique com uma imagem ruim das marcas ou produtos que estão te enchendo de panfleto.

O mesmo acontece quando os usuários da internet são bombardeados por anúncios.

Inclusive, hoje em dia, muitas pessoas instalam ad blockers (bloqueadores de anúncios) nos seus navegadores de internet para não serem interrompidas por anúncios.

Como os native ads são mais sutis e estão incorporados no conteúdo da plataforma, eles geram uma experiência melhor para o usuário.

Já que ele não está sendo bombardeado de anúncio, mas tem a opção de escolher acessar ou não.

É como se você pedisse licença para conversar com o seu público sobre o seu produto e a sua marca.

E esse é o tipo de coisa que pode refletir positivamente na forma como as pessoas enxergam o seu negócio.

2. Tem alto índice de aceitação

Um estudo sobre como os consumidores interagem com anúncios revelou que os native ads são consumidos da mesma forma que conteúdo editorial.

Ou seja, é como se as pessoas enxergassem o link de um anúncio nativo como se fosse o de uma notícia ou de um post em um blog e não uma propaganda.

Esse comportamento aumenta o índice de aceitação do público e com isso os native ads recebem cerca de 52% mais atenção do que anúncios em banner em desktops e, nos smartphones e tablets, esse número é ainda maior, chegando a 2 vezes mais.

3. Gera valor para o usuário

Gera valor para o usuário

Bons native ads oferecem conteúdo de qualidade que engaja e gera valor para a audiência.

É algo que as pessoas têm o prazer de ler ou assistir, porque elas sabem que vão obter algum benefício.

Retomando os 3 exemplos que eu te dei no começo… Quem clicou no anúncio do Epocler aprendeu 9 dicas de como manter o fígado saudável.

Quem fez o teste ou assistiu ao vídeo do Buzzfeed provavelmente estava em busca de entretenimento e encontraram.

E isso é muito bom, porque uma vez que você gera valor e engaja a sua audiência, as chances são que ela vai prestar atenção em você quando você fizer a oferta.

Além disso, o conteúdo que você está criando pode ser usado educar potenciais clientes sobre o seu produto ou serviço. Foi justamente isso que o Epocler fez.

Exemplo 1

Com isso você vai avançando os seus potenciais clientes em direção ao fundo do funil de vendas.

4. Aumenta o alcance e o reconhecimento de marca

Por ser um conteúdo que tem valor, as pessoas tendem a compartilhar os native ads mais do que outros tipos de anúncio.

Isso faz com que a sua marca chegue a pessoas para que inicialmente não eram o seu público, mas que podem ser potenciais clientes.

Além disso, você pode criar native ads para plataformas que têm bem mais visibilidade que a sua, como os sites de notícias, e assim atrair um público maior para o seu blog, por exemplo.

Em relação ao reconhecimento da marca, mais pessoas tendem a ver as marcas com bons olhos por causa de native ads do que por anúncios em banner.

Ou seja, você não só alcança mais pessoas como deixa uma impressão melhor.

5. Não podem ser bloqueados

Por último, a maioria dos native ads não são bloqueados por ad blockers.

Isso acontece porque eles estão incorporados às plataformas como se fossem conteúdo.

Assim, você consegue alcançar pessoas que normalmente você não conseguiria com anúncios em display.

Como fazer native ads

Como fazer native ads

Se você já tem um blog ou um canal no YouTube, você vai ver que criar anúncios nativos é muito parecido com produzir conteúdo para essas plataformas.

Se você nunca fez nada desse tipo, não se preocupe, criar um native ad não é nenhum bicho de sete cabeças.

Com os 4 passos que eu vou te explicar, você vai ver como é muito simples e como pode começar hoje mesmo.

Vamos nessa?

Passo 1 –  Defina o seu público

Assim como qualquer outra estratégia de marketing, você precisa definir quem é o seu público. Quem são as pessoas que você quer alcançar com o seu anúncio?

Isso vai muito além de responder apenas perguntas demográficas como faixa etária, sexo, localização. Se você ainda não criou a persona (o cliente ideal) do seu negócio, esse artigo que eu te escrevi vai te explicar tudo o que você precisa para definir o seu público ideal.

Esse é um passo importante, pois é ele que vai servir de base para os próximos.

Passo 2 – Entenda o seu público

Agora que você já sabe quais são as pessoas para quem você quer anunciar, você precisa entender os padrões de consumo delas.

Quais plataformas ou canais de comunicação elas mais acessam (redes sociais, sites de notícia…)? Quais são os assuntos de interesse delas? Elas preferem vídeos, imagens ou textos?

Ter essa informação em mãos é essencial para você saber qual tipo de conteúdo você deve criar.

Passo 3 – Crie conteúdos relacionados aos interesses do seu público

Como eu já te falei várias vezes ao longo desse artigo, um dos grandes diferenciais dos native ads é que eles conquistam o público por meio do conteúdo.

E isso só é possível, porque o conteúdo está relacionado com os interesses aos interesses do público.

O que o seu público quer saber? Quais são as respostas que você pode dar aos problemas da sua audiência?

Lembre-se que o conteúdo não precisa ser necessariamente informativo, às vezes o que o seu público quer é entretenimento. Os exemplos que eu dei tanto do site quando do canal no YouTube do Buzzfeed mostram isso.

Crie conteúdos relacionados aos interesses do seu público

Crie conteúdos que de alguma forma relacione os interesses do seu público com o que o seu negócio tem a oferecer.

E dependendo do seu objetivo, você pode adicionar uma CTA no final ou apenas mencionar o seu produto ou serviço ao longo do texto ou vídeo.

Passo 4 – Anuncie

O último passo para criar um native ad é distribuí-lo. E isso vai depender de quais são os canais de comunicação mais acessados pelo seu público.

Alguns sites e plataformas cuidam diretamente das parcerias e conteúdos patrocinados, e aí você precisa entrar em contato com eles.

Já outros terceirizam essa tarefa para plataformas que recebem o conteúdo produzido pelos anunciantes e distribuem nos canais parceiros conforme o público-alvo e o assunto do conteúdo.

Se você ficou curioso para saber quais são as principais plataformas e como elas funcionam, esse é o assunto do nosso próximo tópico.

Principais plataformas de native ads

Principais plataformas de native ads

As plataformas de native ads funcionam quase como imobiliárias. Elas fazem a integração entre o anunciante e as páginas com espaço para anúncio.

Assim, a empresa ou pessoa que está “alugando” o espaço da sua página para anúncios não precisa ter a preocupação de lidar diretamente com vários anunciantes.

E os anunciantes conseguem colocar os seus native ads em páginas com bastante tráfego e audiência já consolidada, contando ainda com os algoritmos das plataformas que trabalham para encontrar a melhor combinação entre o conteúdo da página e o do anúncio.

As duas plataformas mais populares são o Taboola e o Outbrain, mas essas não são as únicas.

Eu vou te apresentar as 5 principais plataformas de native ads para você escolher a que melhor se encaixa com a sua estratégia.

1. Taboola

Um dos motivos pelos quais a Taboola é uma das principais plataformas é porque ela conta com parcerias exclusivas com grandes portais do Brasil e do mundo.

A Taboola oferece suporte tanto para anúncios com imagem e texto, quanto para vídeos. E, além disso, eles focam em segurança para que os anúncios apareçam em ambientes seguros.

2. Outbrain

A Outbrain tem parcerias com grupos de mídia como a Editora Abril, a Editora Globo e a Folha de S. Paulo e alcança uma audiência mensal de 275 bilhões de visitantes.

É como se todas as pessoas do mundo acessassem 35 vezes por mês alguma página com anúncios posicionados pela Outbrain.

Ela funciona como uma plataforma de anúncios, tipo o Google Ads ou o Facebook Ads, onde você define um orçamento diário e o valor máximo que você quer pagar por clique.

E aí ela cuida do posicionamento do anúncio por você.

3. UOL Ads

O destaque do UOL Ads está no valor mínimo para começar, apenas R$10, e na simplicidade e facilidade que é criar os anúncios nativos na plataforma.

Além disso, essa plataforma tem parceria com grandes portais brasileiros como a Folha de S. Paulo e a Rolling Stone.

4. Revcontent

O Revcontent é uma das principais plataformas de anúncio nativo a nível mundial. Segundo o próprio site, eles conseguem entregar anúncios em 97% dos lares americanos.

A plataforma conta com grandes parceiros como a Forbes e o mercado de ações Nasdaq.

5. AdNow

Apesar de a AdNow ainda estar crescendo no mercado brasileiro, ela já uma gigante como plataforma de anúncio.

Atualmente ela está presente em 114 países e conta com cerca de 160 mil páginas parceiras, dentre eles os principais são AliExpress, Amazon e eBay.

Uma das principais vantagens dessa plataforma é que ela oferece variadas opções de segmentação.

Isso permite que você defina exatamente quem são as pessoas que você quer alcançar com o seu anúncio nativo.

O próximo passo para você transformar seu público em cliente

O próximo passo para você transformar seu público em cliente

Depois de capturar a atenção do seu público com um excelente native ad, o próximo passo para transformar os visitantes em clientes é conseguir seus respectivos emails.

Assim, você poderá desenvolver um relacionamento mais próximo com eles.

E para conseguir isso, você precisa de uma ótima landing page.

Se você ainda não tem uma, o Klickpages é a ferramenta ideal para você.

Veja como é simples criar a sua landing page:

  • Escolha seu modelo: veja opções de alta conversão comprovada através de testes.

  • Customize a página: edite os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  • Publique: por fim, é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Native Ads Conclusão

Os native ads são a combinação ideal entre o que tem de melhor entre o tráfego pago e o marketing de conteúdo.

Porque, ao mesmo tempo que ele conquista potenciais clientes com conteúdo de valor, ele não perde o que os anúncios têm de melhor que é a segmentação de público e a garantia de que ele aparecerá para pessoas possivelmente interessadas.

Neste artigo, eu te mostrei 3 exemplos para você se inspirar e te expliquei quais são as 5 principais vantagens de se criar native ads.

Você também aprendeu quais são os 4 passos para criar conteúdo que vende seu produto por você e quais são as 5 principais plataformas de distribuição de native ads.

Agora que você tem tudo o que precisa para começar, chegou a hora de botar a mão na massa!

Ah, depois me conta nos comentário o que você achou dos native ads! 😉

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)