Mobile First Index: a mudança do Google que pode afetar seu ranqueamento (e por que isso é uma boa notícia)

Google Mobile First Index: o que é e como afeta seu site

O Google mudou o jogo com o mobile first index e te fez um grande favor. 

Só de você estar lendo este artigo, as chances são que você pode ficar um passo à frente de muitos outros empreendedores, até mesmo de concorrentes seus.

Porque o que eu vou te falar aqui é algo que está na sua cara (na verdade, no seu bolso), mas muitas pessoas ainda não se tocaram dos desdobramentos disso.

E também eu vou te mostrar tudo o que você precisa saber para se beneficiar com essa mudança de jogo.

Mas antes deixa eu te explicar melhor porque o Google te fez um grande favor.

É o seguinte, atualmente mais de 139 milhões de brasileiros usam a internet no mobile

Isso quer dizer que quase 70% da população total do Brasil está conectada a internet por meio de smartphones e tablets.

Enquanto isso muitos empreendedores continuam criando páginas e sites pensando só na experiência no desktop.

E nem é por mal não. Acontece que algumas pessoas na hora de criar uma página se  esquecem que a maioria das pessoas usam celulares para acessar a internet.

É o que eu te falei, é algo que está na sua cara, perto de você boa parte do tempo, provavelmente até mesmo quando você vai dormir, mas acaba passando despercebido.

O fato é que uma experiência ruim no mobile não passa despercebida pelo usuário. 

Só para você ter noção, 40% dos usuários vão para o site de um concorrente após ter uma experiência ruim no mobile com o site de uma empresa.

Quem está preparado, isto é, tem páginas mobile friendly, sai na frente no mundo digital.

E agora o Google mudou o jogo da ferramenta de busca para privilegiar ainda mais quem já estava à frente na corrida por novos clientes.

Ele não fez isso porque ele quer beneficiar um grupo ou outro de empreendedores. Mas porque está focado em oferecer o melhor serviço possível para os seus próprios usuários.

Se você já tem páginas mobile friendly, você está à frente dos seus concorrentes que não têm, mas tem potencial para se destacar ainda mais e eu vou te mostrar como.

Agora se as suas páginas ainda não estão preparadas para usuários de dispositivos móveis, esse artigo é uma excelente oportunidade de você descobrir tudo o que precisa para se beneficiar dessa mudança de jogo que é mobile first index.

Vamos lá?

O que é e como funciona a indexação do Google?

O que é e como funciona a indexação do Google?

Antes de te explicar o que é o mobile first index e o que isso interfere nas suas páginas na internet, eu preciso te falar sobre como acontece o processo de ranqueamento do Google.

É o seguinte.

Quando você faz uma pesquisa no Google, na verdade, você não está fazendo uma busca na internet.

Como assim?

Funciona mais ou menos como uma biblioteca. Quando você gostaria saber se uma biblioteca tem o livro que você quer ler, você não sai andando por todos os corredores, conferindo estante por estante até encontrar o livro que você procura.

Isso seria extremamente demorado e nada prático.

O que você provavelmente faz é utilizar o sistema de catalogação da biblioteca para saber se o material está disponível.

Se tiver um exemplar do livro lá, aí sim, sabendo a localização dele, é que você vai andar pelos corredores atrás da estante exata que você está procurando.

Muito mais rápido e eficiente.

O Google funciona da mesma forma. Ele tem um catálogo, que se chama index (ou índice) da internet.

E toda vez que você faz uma busca é no index que ele olha para encontrar possíveis resultados para responder a sua pergunta.

Mas, para tudo isso acontecer e você achar o que está procurando no Google, primeiro outros quatro processos precisam ocorrer:

  • rastreamento ou crawling: o Google possui “robôs” conhecidos como spiders ou indexadores que rastreiam as páginas da internet. Eles vão seguindo os links de uma página para descobrir outras novas.

  • indexação: é o processo de armazenar nas máquinas do Google as páginas que os spiders encontraram para formar o índice (o catálogo que eu te falei no exemplo da biblioteca).

  • busca: quando você faz uma pesquisa, o Google então procura no index todas as páginas relacionadas a sua pergunta.

  • ranqueamento: por fim, com base em diversos fatores, as páginas do index são analisadas e ranqueadas para definir em qual posição cada um vai aparecer na página de resultados.

Esse vídeo aqui do próprio Google mostra de maneira divertida e simples como é que essas quatro etapas acontecem.

Agora que você já tem uma noção melhor de como a busca funciona e o que é a indexação, eu vou te falar sobre…

O que é o Google mobile first index?

O que é o Google mobile first index?

Em 2016, pela primeira vez, o tráfego de dispositivos móveis (smartphones e tablets) superou o tráfego de desktop (computadores e notebook).

Coincidência ou não, no mesmo ano o Google anunciou que iria realizar testes de um novo tipo de indexação que priorizasse dispositivos móveis

Essa foi a primeira que o Google oficialmente falou em mobile first index.

E o que isso quer dizer?

Antes de 2016, quando acontecia o processo de rastreamento e indexação (que eu te expliquei no tópico anterior), os “rôbos” do Google agiam como se estivessem acessando a internet a partir de um dispositivo desktop.

Ou seja, a versão que ia para o index e depois era analisada no ranqueamento era a que aparecia em computadores e notebooks.

Mesmo que uma pessoa estivesse fazendo uma pesquisa em um dispositivo móvel, os resultados que ela veria nas primeiras posições eram aqueles que se saíram melhor no desktop.

Como você provavelmente já deve ter percebido, as versões mobile e desktop de alguns sites são bastante diferentes.

Em alguns casos, a página para celulares e tablets pode até mesmo ter menos informações e conteúdo.

Isso era um problema para a ferramenta de busca, porque nem sempre os resultados que ela considerava como os melhores eram de fato os melhores se o usuário estivesse pesquisando em um smartphone, por exemplo.

E como o tráfego de dispositivos móveis superou o de desktop e a tendência é que continue caminhando nessa direção, esse problema da indexação não podia mais ser ignorado.

Então, o Google começou a realizar testes para priorizar a indexação para dispositivos móveis.

Ou seja, ao invés de os “robôs” acessarem as páginas para rastrear como se fossem computadores, eles fariam isso como smartphones.

Nos últimos anos desde então, o Google trabalhou nesse aspecto e aos poucos foi migrando o seu index para priorizar o mobile.

Até que em maio de 2019, foi anunciado que, a partir do dia 1º de julho de 2019, por padrão será realizado o mobile first index para todos os sites novos ou que até então não tivessem sido rastreados pelo Google.

Mas, então…

O que muda na prática com o mobile first index?

O que muda na prática com o mobile first index?

A primeira coisa que precisa ficar clara aqui é que o Google não está criando um segundo index voltado para o mobile, como alguns sites especularam que poderia acontecer quando os testes foram anunciados lá em 2016.

Na prática, continua existindo apenas um único index que vai priorizar o rastreamento e a indexação a partir de dispositivos móveis.

Ou seja, até mesmo as pesquisas que são feitas no desktop vão ser influenciadas por essa mudança, porque para exibir os resultados vai ser consultado o índice que agora prioriza o mobile.

Com relação ao ranqueamento das páginas na busca, durante essa transição para o mobile first index, não foi notada nenhuma mudança brusca. 

Algo que pode ser motivo de desespero para as pessoas que têm um site.

Até porque tudo tem acontecido de forma gradual e as pessoas estão sendo notificadas através do Search Console que as páginas delas serão indexadas priorizando o mobile.

 Notificação de que o site está sendo indexado pelo método mobile first

Um pequeno parênteses aqui:

(Inclusive, se você não sabe como o Google está rastreando a sua página, é só acessar o relatório de Cobertura do Search Console ou o resumo da Cobertura na página de Inspeção de URL.

Cobertura do Google Search Console mostrando que um site já está no mobile first index

Por exemplo, essa página que eu inspecionei já está sendo rastreada pelo “robô” para dispositivos móveis, o Googlebot para smartphones.)

Voltando às mudanças causadas pelo mobile first index, quem tem uma página com versão apenas para desktop não precisa ficar desesperado.

O Google não vai simplesmente parar de indexar a sua página, ele só vai fazer isso a partir da forma como um smartphone veria a sua página.

Isso significa que você precisa se preocupar em otimizar para que o seu site se torne mobile friendly e isso não impacte no seu ranqueamento.

Falando nisso…

Como o mobile first index pode afetar o seu ranqueamento?

Como o mobile first index pode afetar o seu ranqueamento?

O simples fato de o seu site ou páginas serem rastreados a partir do Googlebot para smartphones ou ainda não terem passado pela transição não influencia no seu ranqueamento.

Agora, com todas essas mudanças e o crescimento do tráfego mobile em comparação com o desktop, o Google tem tornado uma prioridade nos seus fatores de ranqueamento a experiência nos dispositivos móveis.

Isso significa que páginas que não oferecem uma boa experiência para o usuário, possuem conteúdo incompleto e têm pouca usabilidade em dispositivos móveis podem ser prejudicadas e perder posições.

Por isso é importante se preparar não só para essa mudança no processo de indexação, mas também para o futuro do SEO, que cada vez tende a ser mais focado no mobile.

E aqui entra a pergunta…

Como saber se o seu site está pronto para o mobile first index?

Como saber se o seu site está pronto para o mobile first index?

Isso vai depender de como é a estrutura do seu site e se você tem versões separadas para desktop e dispositivos móveis.

Se o seu site foi criado pensando só em computadores e não tem uma versão otimizada para dispositivos móveis, a versão indexada pelo Google, em termos de conteúdo, vai ser igual a exibida em desktop.

Porém você precisa ficar atento pois a experiência do usuário nesse cenário pode prejudicar o seu ranqueamento, já que as suas páginas não são mobile friendly.

Agora, se você usa um design responsivo, aquele que se adapta de acordo com o tamanho da tela e mantém o mesmo conteúdo tanto no desktop quanto no mobile, pode ficar tranquilo com a transição para o mobile first index.

Páginas mobile friendly com design responsivo são as que estão mais preparadas para essa mudança.

Por último, tanto se você utiliza URLs diferentes para as suas páginas, como exemplo.com.br para o desktop e m.exemplo.com.br para o mobile, ou a veiculação dinâmica (a URL é a mesma mas o site exibe conteúdo diferente com base no dispositivo do usuário), você precisa seguir as práticas recomendadas pelo Google.

Você pode acessar a lista com as práticas clicando aqui.

Como você pode otimizar suas páginas para o mobile first index?

Como você pode otimizar suas páginas para o mobile first index?

Nas últimas linhas eu te expliquei tudo o que você precisa saber sobre o que é o mobile first index e como isso pode influenciar no ranqueamento das suas páginas.

Agora eu vou te dar 7 dicas, 7 ações que você pode fazer para otimizar as suas páginas pensando nessa mudança no processo de indexação. 

#1 Torne o seu site mobile friendly

Se você ainda não tem um site que é acessível em dispositivos móveis, não só você está ficando para trás em termos de SEO, como também no empreendedorismo.

Como eu te mostrei, hoje em dia as pessoas usam mais o celular para navegar na internet do que dispositivos desktop.

Inclusive, 77% das buscas feitas no mobile são em lugares, como em casa ou no trabalho, onde provavelmente há um computador disponível.

Ou seja, ignorar o tráfego móvel e focar apenas na criação de páginas para desktop pode diminuir o impacto do seu negócio na criação de audiência e no número de vendas online.

Se você está na dúvida se o seu site é mobile friendly, o Google oferece uma ferramenta gratuita, o Teste de compatibilidade com dispositivos móveis, onde você pode testar a sua página e receber sugestões de melhorias.

Inclusive, dois pontos que você deve prestar atenção são:

Compacte imagens

Imagens muito grandes e com resolução muito alta, superior ao ideal para oferecer uma experiência do usuário de qualidade, tendem a atrasar o carregamento do conteúdo.

Isso torna a página lenta, o que pode fazer com que as pessoas desistam de acessar o site.

Otimize ícones clicáveis

No computador, a gente tem muito mais precisão para clicar com a setinha do mouse, ou seja, os botões não precisam ser grandes.

Já no mobile, ícones clicáveis muito pequenos são um problema pois o usuário pode não conseguir clicar no lugar certo de primeira, o que pode gerar frustração além de prejudicar a experiência com a página. 

#2 Otimize a velocidade de carregamento das suas páginas

No mobile, uma das coisas que mais importa tanto a nível de SEO como de experiência do usuário é o tempo que a sua página demora para carregar.

Uma pesquisa feita pelo Google mostra que a probabilidade de bounce, isso quer dizer a pessoa entrar e sair da sua página nos primeiros segundos, aumenta drasticamente se a página demora mais de 3 segundos para carregar.

Otimize a velocidade de carregamento das suas páginas

Aqui no blog do KP tem um artigo que fala como você pode descobrir o tempo de carregamento da sua página e dá dicas para reduzi-lo: Google Pagespeed Insights: o que é e como aumentar a sua nota.

#3 Utilize AMP

AMP é a sigla de Accelerated Mobile Pages, em português, páginas aceleradas para dispositivos móveis.

Ela é uma estrutura de página otimizada para o mobile que carrega mais rápido pois possui menos recursos visuais.

No artigo AMP: o que é essa ferramenta que dá velocidade para sua página aqui do blog do KP, você pode se aprofundar mais no assunto e descobrir como aplicar essa estrutura no seu site.

#4 Tenha conteúdo de qualidade igual nas versões mobile e desktop

Um dos grandes problemas que influenciou na mudança para o mobile first index é que um número considerável de sites tinham conteúdos diferentes nas versões mobile e desktop.

Geralmente, o que acontecia é que a página acessada em computadores era bem mais completa em termos de informação do que a página para smartphones.

Ou seja, o Google ranqueava bem um site com base no conteúdo desktop, mas quando o usuário acessava pelo celular, não encontrava bem o que estava procurando.

Para se sair bem no mobile first index, você precisa ter conteúdo de qualidade igual nas duas versões do seu site, caso você tenha páginas específicas para o mobile e desktop. 

#5 Use dados estruturados nas duas versões

Dados estruturados são informações extras que você pode oferecer sobre a sua página para o Google para ajudar no ranqueamento.

Não é algo que você deve obrigatoriamente fazer para que o seu site saia bem nos resultados de uma busca. 

Mas, caso você tenha dados estruturados nas suas páginas, é importante que eles estejam bem configurados tanto para o mobile quanto para o desktop.

Para saber mais sobre esse assunto, você pode acessar o Schema.org, uma comunidade fundada pelo Google e outros gigantes do mercado para regulamentar o uso dos dados estruturados.

#6 Use metadados nas duas versões

Diferente dos dados estruturados, os metadados são indispensáveis para as suas páginas.

Eles são dados sobre o seu conteúdo utilizados para formar o snippet (conjunto de título, URL e descrição que aparece como resultado da busca).

Use metadados nas duas versões

Se você tem versões diferentes de páginas para o mobile e o desktop, é importante que você não se esqueça de preencher os metadados das duas.

#7 Verifique a versão mobile no Google Search Console

Para saber se está tudo certo com as suas páginas nos dispositivos móveis e se o Google está enxergando ela de fato como é para ser, você pode utilizar a ferramenta de inspeção de URL do Search Console.

Uma vez que o relatório de inspeção de URL é gerado, você tem a opção de testar o URL publicado (aparece um botão no canto direito da tela).

No teste ao vivo, você consegue ver como o “robô” do Google está enxergando a sua página com a captura de tela.

Além disso, o Search Console também sugere melhorias que você pode fazer para aumentar o seu desempenho.

A ferramenta que você precisa para não se preocupar com o mobile first index

A ferramenta que você precisa para não se preocupar com o mobile first index

Antes de finalizar esse artigo, eu queria te dar uma recomendação. 

Se você não entende nada de programação e não quer se preocupar em como tornar as suas páginas mobile friendly, tem uma ferramenta muito simples e intuitiva de usar que faz isso por você.

Se você ainda não conhece, o Klickpages, uma ferramenta de criação de páginas, trabalha com templates responsivos que funcionam bem tanto no mobile quanto no desktop.

Oferecendo, assim, uma experiência de qualidade para o usuário independente do dispositivo que ele esteja utilizando.

Além disso, é muito simples criar as suas páginas com o Klickpages, basta seguir esses 3 passos:

  • Escolha seu modelo: conheça opções de alta conversão comprovadas por testes.

  • Divirta-se customizando a página: edite textos, cores e imagens, além de ocultar elementos que você não queira.

  • Publique: com tudo pronto é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Mobile first index - Conclusão

Neste artigo, você viu que o jogo do SEO mudou com o mobile first index, que é uma alteração na forma como o Google organiza os dados para favorecer páginas que oferecem uma boa experiência do usuário em dispositivos móveis.

Para te explicar o que de fato é o mobile first index, primeiro eu te falei quais são as etapas que a ferramenta de busca executa para apresentar os resultados de uma pesquisa: rastreamento, indexação, busca e ranqueamento.

E depois disso você viu como essa mudança na indexação pode impactar o ranqueamento de páginas que não são mobile friendly.

Eu também te falei como você sabe se o seu site está pronto para o mobile first index e o que você precisa fazer para otimizar as suas páginas.

E aí, você já tinha ouvido falar dessa mudança? Está preparado para ela? Me conta aqui nos comentários! 😉

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Angela de Oliveira

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Uma das minhas coisas favoritas é falar sobre redes sociais e anúncios. Além disso, sou especialista em informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)