Metodologia ágil: aumente em até 28% suas chances de ter projetos bem sucedidos

Metodologia ágil: o que é e como funciona | Klickpages

Quem não gostaria de aumentar em até 28% as chances de executar os projetos do seu negócio com sucesso? Com a metodologia ágil, isso é totalmente possível.

É o seguinte, eu sei que provavelmente todo começo de ano você faz uma lista de coisas que quer realizar. Pelo menos eu faço isso.

E a verdade é que todo ano é a mesma história… Sempre tem alguns (ou vários) projetos que acabam ficando pelo meio do caminho. 

Bem, para mim o principal esse ano foi aprender a tocar violão.

O lance é que essa é uma parada que tem pouco impacto na minha vida, eu posso deixar a meta para o ano que vem que está tudo bem.

Mas, quando se trata do seu negócio, algumas coisas não podem ficar para depois.

Se você quer crescer e aumentar o seu faturamento, você precisa não só tirar os projetos importantes do papel, como também concluí-los.

São essas coisas que vão levar te para o nível que você quer chegar.

Eu entendo que nem sempre completar todas as demandas é algo fácil, para ser sincera, muitas vezes pode até ser bem difícil.

Por isso é importante contar com todas as ferramentas possíveis para te ajudar a ser mais produtivo, concluir suas demandas e alcançar suas metas.

Pensando nisso, hoje eu trouxe para te ajudar a gerenciar os seus projetos uma metodologia que pode aumentar em 28% sua taxa de sucesso.

Se liga só… nas próximas linhas você vai ver:

  • o que é a metodologia ágil;

  • suas vantagens;

  • quando e como surgiu;

  • quais são os valores e princípios do manifesto ágil;

  • os principais métodos ágeis;

  • e como essa metodologia pode ser usada para além do mundo da TI.

Então, bora lá!

O que é a metodologia ágil?

O que é a metodologia ágil?

Ágil ou Agile é uma metodologia de gestão de projetos muito utilizada no desenvolvimento de softwares e que se diferencia dos modelos clássicos de gestão por ser mais flexível e adaptável.

Ela funciona em cima de ciclos iterativos e incrementais. 

O que isso quer dizer? Que, nos projetos desenvolvidos com metodologia ágil, não ocorre apenas a entrega do produto final.

A equipe responsável pelo projeto faz entregas menores de partes funcionais e vão aprimorando em cima disso.

Essa imagem aqui exemplifica esse conceito muito bem:

O que é a metodologia ágil?

Ao invés de entregar partes menores de um projeto maior que por si só não não têm utilidade, como na parte superior da imagem…

As equipes que trabalham com a metodologia ágil focam em concluir o mínimo produto viável, para que o cliente já consiga conquistar o seu objetivo de alguma forma, e depois vão aprimorando e fazendo versões melhores.

Um exemplo prático disso são as ferramentas criadas pelo time de desenvolvedores de software do KP. 

O Klickpages e o Klicksend são plataformas que passam por atualizações constantemente para implementação de novas funcionalidades e melhoria das antigas.

O que é uma parada muito vantajosa para diversas empresas. 

Pois se fosse esperar até que tudo estivesse 100% pronto, que tivesse todas as funcionalidades do projeto final para entregar um produto, levaria anos até que um projeto pudesse ser de fato concluído e disponibilizado para o mercado.

Foi partindo desse pensamento de dar mais agilidade na gestão e entrega de projetos, algo que os métodos clássicos não permitiam, que surgiu a metodologia ágil.

Mas antes de contar mais sobre como isso aconteceu, primeiro eu vou te falar sobre duas coisas.

Uma é que ao longo deste artigo você vai ver que muitas vezes eu vou mencionar desenvolvimento de software e a relação entre empresa e cliente, porque tudo isso tem a ver com o contexto que a metodologia foi criada.

Mas a verdade é que o método pode ser adaptado e aplicado em outras áreas e para projetos internos também, onde o cliente, no caso, seria quem demanda a criação de um determinado produto, por exemplo.

E a segunda é…

As vantagens da metodologia ágil

As vantagens da metodologia ágil

De acordo com uma pesquisa recente, os usuários da metodologia ágil são significativamente mais satisfeitos com o gerenciamento das atividades de trabalho do que quem não aplica essa estratégia.

Mas as vantagens não param por aí. Todo seu negócio pode se beneficiar dessa metodologia e, inclusive, aumentar a satisfação dos seus clientes.

O que pode gerar mais vendas e melhorar o seu faturamento.

Se liga só nos benefícios:

Agilidade

Como uma etapa não depende necessariamente que a anterior tenha sido finalizada para que ela possa ser iniciada, o trabalho como um todo tende a ser concluído mais rápido.

Por exemplo, uma (parte da) equipe que está desocupada não precisa ficar esperando que a outra conclua a tarefa que está fazendo, para que eles possam começar algo novo.

Ou seja, várias pessoas ou equipes podem trabalhar simultaneamente em partes ou fases diferentes de um projeto.

Além disso, um produto viável chega mais rapidamente na mão do cliente, pois como as entregas são feitas em fases, o consumidor não precisa ficar esperando tudo estar 100% pronto para que ele já possa tirar proveito do produto que está adquirindo.

Acompanhamento e visibilidade

Os clientes conseguem acompanhar os resultados parciais e o desenvolvimento do projeto com mais frequência por meio das múltiplas entregas.

O que além de aumentar a sensação de que o produto está em andamento e passando por aprimorações, também abre margem para…

Participação no projeto

Por ter uma visibilidade maior do que está acontecendo, o cliente pode participar de forma positiva do projeto dando feedbacks que vão ajudar a construir melhor o produto final.

A grande vantagem disso é que o consumidor fica mais satisfeito com o resultado, avalia melhor o trabalho do seu negócio e aumenta as chances de ele te recomendar para outras pessoas.

Customização e qualidade do produto

Com o feedback frequente dos clientes, você pode adaptar melhor o projeto às necessidades do seu consumidor.

Isso torna mais fácil implementar as mudanças necessárias enquanto o produto ainda está em desenvolvimento. Ao invés de esperar estar com tudo pronto para ver o que precisa ser alterado.

Um exemplo de customização do produto são as ferramentas do KP. 

A nossa equipe de suporte está sempre atenta às necessidades e feedbacks dos nossos clientes e, com base nisso, eles fazem sugestões de melhorias e novas funcionalidades para o time de desenvolvimento, que implementa conforme a lista de prioridades deles.

No final das contas, a customização impacta positivamente na satisfação do cliente e na qualidade final do produto.

Redução de riscos

Outro benefício importante que as múltiplas entregas geram é a redução de riscos. 

Pensa só, a sua equipe está trabalhando há meses em um projeto e quando ele finalmente fica pronto, não era bem isso que o cliente queria ou as necessidades dele mudaram e o produto final ficou obsoleto.

Tanto para o lado do negócio que está desenvolvendo um projeto quando para o lado do consumidor, os riscos são menores quando você entrega partes funcionais e faz as alterações necessárias prontamente.

Alinhamento de prioridades

A metodologia ágil também melhora a comunicação e dá mais visibilidade do andamento do projeto.

Para as equipes que seguem esse modelo de trabalho, isso se reflete num alinhamento melhor das prioridades.

Todos os colaboradores envolvidos no projeto sabem o que é importante e em qual tarefa eles devem focar os esforços naquele momento.

Isso evita a perda de tempo com demandas não que são urgentes, tornando a equipe mais produtiva e também dá velocidade para o andamento do trabalho.

Agora que você já sabe como essa metodologia pode te ajudar, eu vou te contar…

Quando surgiu a metodologia ágil?

Quando surgiu a metodologia ágil?

A metodologia ágil foi estabelecida em 2001, quando um grupo de 17 renomados desenvolvedores de software se reuniram em Utah e criaram o Manifesto Ágil.

Mas é claro que o caminho para chegar até lá começou alguns anos antes.  

As metodologias de gestão de projetos que surgiram por volta dos anos 70 eram muito engessadas, o que gerava diversos problemas tanto para o lado das empresas como dos clientes.

Os modelos clássicos da época eram sequenciais e baseados na premissa de que uma etapa só é iniciada depois que a anterior for concluída e, por isso, eram conhecidos como modelos em cascata.

Na teoria essa lógica faz sentido, o problema é que, quando passa para a prática, ela tende a ser burocrática, atrasa o processo e nem sempre a entrega final é satisfatória.

Pegando como exemplo essa imagem que eu já te mostrei:

O que é a metodologia ágil?

Na primeira metodologia, uma parte do carro só é construída depois que a outra está pronta. 

Ou seja, enquanto está no processo de fabricação, o usuário final não teria com o que se locomover e também não tinha garantia que ele iria gostar do resultado.

Fora que se ocorre um atraso em uma das etapas as outras ficam comprometidas.

Dentro da indústria de software, essas metodologias tradicionais começaram a gerar problemas na hora de atender às necessidades dos clientes. 

Pois podia acontecer de que até que todas as etapas do projeto de um software fossem desenvolvidas para o produto final ser entregue, o programa já estivesse obsoleto.

Ou, então, não fosse exatamente aquilo que o cliente esperava.

Com o objetivo de agilizar o processo, novas soluções surgiram: os métodos leves.

No ano 2000, um grupo de líderes da comunidade do eXtreme Programming (mais para frente eu vou te explicar o que é esse método) se reuniu para debater sobre as metodologias leves.

Desse encontro surgiu a necessidade de um outro, que aconteceu em Utah em 2001 e foi onde 17 programadores que já utilizavam os métodos de gestão de projetos mais recentes criaram e assinaram o Manifesto Ágil. 

Mas, afinal de contas, o que falava esse manifesto?

Ele é baseado em 4 valores e 12 princípios e é sobre isso que eu vou te mostrar agora.

Quais são os 4 valores do manifesto ágil?

Quais são os 4 valores do manifesto ágil?

O valores são os seguintes:

  • Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas

  • Software em funcionamento mais que documentação abrangente

  • Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos

  • Responder a mudanças mais que seguir um plano

Quando os 17 signatários definiram esses valores, eles não estavam dizendo que a parte à direita era irrelevante.

Na verdade, essas são coisas importantes em um projeto, porém elas não podem ser mais importantes que os termos em negrito.

E se você parar para pensar, esses são pontos que podem ser aplicados em outras áreas, não só na programação.

Por exemplo, no mundo do marketing é tudo muito dinâmico, e você precisa estar aberto às mudanças ao invés só de focar em seguir um plano.

Quando o algoritmo do Facebook mudou e praticamente acabou com a distribuição orgânica de conteúdo, quem estava focado em só seguir um plano, provavelmente, não se saiu bem e ficou frustrado com os resultados que passou a ter.

Enquanto os negócios que buscaram soluções para a mudança cresceram e ganharam dinheiro conquistando clientes no Facebook.

As 17 pessoas que criaram o manifesto ágil não pararam nos valores e desenvolveram princípios para orientar a metodologia.

Quais são os 12 princípios do Manifesto Ágil?

Quais são os 12 princípios do Manifesto Ágil?

Assim como os valores, os princípios têm a ver com o desenvolvimento de software, mas podem ser adaptados para as realidades de outras áreas.

Os 12 princípios são:

  1. Nossa maior prioridade é satisfazer o cliente, através da entrega adiantada e contínua de software de valor.

  2. Aceitar mudanças de requisitos, mesmo no fim do desenvolvimento. Processos ágeis se adequam a mudanças, para que o cliente possa tirar vantagens competitivas.

  3. Entregar software funcionando com frequência, na escala de semanas até meses, com preferência aos períodos mais curtos.

  4. Pessoas relacionadas à negócios e desenvolvedores devem trabalhar em conjunto e diariamente, durante todo o curso do projeto.

  5. Construir projetos ao redor de indivíduos motivados. Dando a eles o ambiente e suporte necessário, e confiar que farão seu trabalho.

  6. O método mais eficiente e eficaz de transmitir informações, para e dentro de um time de desenvolvimento, é através de uma conversa cara a cara.

  7. Software funcional é a medida primária de progresso.

  8. Processos ágeis promovem um ambiente sustentável. Os patrocinadores, desenvolvedores e usuários devem ser capazes de manter passos constantes indefinidamente.

  9. Contínua atenção à excelência técnica e bom design aumenta a agilidade.

  10. Simplicidade: a arte de maximizar a quantidade de trabalho que não precisou ser feito.

  11. As melhores arquiteturas, requisitos e designs emergem de times auto-organizáveis.

  12. Em intervalos regulares, o time reflete em como ficar mais efetivo, então, se ajusta e otimiza seu comportamento de acordo.

Um exemplo de como esses princípios podem ser adaptados é o time de conteúdo escrito aqui do KP. 

Nós regularmente conversamos sobre como está o andamento das demandas, o que não foi concluído dentro do tempo previsto, por que isso aconteceu e buscamos formas de tornar o trabalho mais efetivo.

Eu sei não qual é a realidade do seu negócio, mas você pode aplicar princípios como “a prioridade é satisfazer o cliente”, “contínua atenção à excelência técnica”, “construir projetos ao redor de indivíduos motivados”, independentemente do seu nicho ou do que você vende.

Agora que você já conhece melhor as bases da metodologia ágil, eu vou te mostrar como você pode aplicá-la no seu negócio.

6 Principais tipos de métodos ágeis

6 Principais tipos de métodos ágeis

Também conhecidos como tipos de métodos ágeis, os frameworks dessa metodologia são conjuntos de técnicas, ferramentas e conceitos que servem para colocá-la em prática.

Isso quer dizer que não existe um passo-a-passo exato de como aplicar a metodologia ágil no seu negócio. Mas sim diferentes formas de fazer isso.

Os principais frameworks utilizados no marketing são Lean (29,7%), Kanban (24,5%), Scrumban (14,5%) e Scrum (13,8%)

Eu vou te explicar como é cada um deles, mas antes uma curiosidade interessante. A maioria dos frameworks, na verdade, surgiram antes do Manifesto Ágil.

Quando a metodologia foi criada, já existiam as ferramentas, técnicas e conceitos necessários para aplicá-la. E o que esses frameworks permitiam realizar foi traduzido nos princípios e valores do manifesto ágil.

Os 6 principais tipos de métodos ágeis são:

1. Scrum

O scrum é baseado em períodos de sprints. Isso significa que a equipe tem um período determinado, entre 1 a 4 semanas, para concluir uma parte do projeto e tem um objetivo claro que deve ser alcançado até o final deste ciclo.

Os times que aplicam esse framework se reúnem para planejar cada sprint (quanto tempo durará e quais serão as entregas) e durante a execução fazem reuniões diárias rápidas para responder 3 perguntas:

  • O que você fez ontem que ajudou o time a chegar mais perto da meta?

  • O que você vai fazer hoje para ajudar o time a chegar mais perto da meta?

  • Existe algum obstáculo ou impedimento que interfira na entrega da meta?

Esses processos ajudam a dar clareza para o desenvolvimento do trabalho e torná-lo mais ágil.

Para conhecer melhor o scrum e como aplicá-lo no seu negócio, eu recomendo fortemente que você leia o artigo O que é Scrum: um antídoto para projetos difíceis de tirar do papel aqui do blog do KP.

2. Kanban

O Kanban foi desenvolvido nos anos 60 pela empresa japonesa Toyota e o termo significa “cartões”, que é um dos artefatos principais desses sistema.

Ele serve para gerenciar o fluxo de trabalho, equilibrar os processos e limitar o número de demandas iniciadas e ainda não finalizadas (afinal de contas, um dos objetivos da metodologia ágil é fazer entregas constantes).

O Kanban funciona com um quadro que é dividido em colunas (que representam os estágios de desenvolvimento) e cartões ou post-its (que servem para identificar as demandas).

O quadro geralmente é dividido com as seguintes colunas: a fazer (to do), fazendo (doing) e feito (done). Mas você pode adaptá-las de acordo com as suas necessidades.

Por exemplo, para controlar o fluxo de produção de artigos para o blog do KP, nós usamos o Trello (uma ferramenta online de criação de quadros Kankan) e temos as seguintes colunas:

Kanban

Além de esse sistema dar mais visibilidade para o andamento das demandas, ele também pode ser usado para limitar a quantidade de atividades em aberto. 

Por exemplo, uma equipe ou pessoa só pode ter uma quantidade determinada de demandas na coluna do “fazendo”.

Isso é excelente em situações que o time ou certos colaboradores têm a tendência de começar várias coisas e não terminar nenhuma.

3. Scrumban

Scrumban

Enquanto o Scrum é um framework mais prescritivo e limitado por reuniões (as demandas de um sprint são definidas na reunião de planejamento e novas atividades só podem ser incluídas em um novo ciclo), o Kanban funciona como um fluxo contínuo (novas tarefas são adicionadas continuamente conforme a necessidade).

Para combinar o melhor dos dois mundos (ou seja, aquilo que funciona na prática para alguns times e negócios), surgiu o Scrumban.

Nesse framework, as reuniões e os papéis do Scrum não são tão rígidos, mas existem conforme o necessário, e é aplicada a ideia do fluxo contínuo do Kanban.

Assim, não é necessário concluir um sprint para que novas demandas sejam adicionadas.

4. Lean

O lean também foi implementado pela Toyota, e isso aconteceu na década de 1980. Esse método busca reduzir o desperdício de recursos, focando apenas naquilo que é essencial para gerar valor para o cliente.

No lean, os princípios do Manifesto Ágil como simplicidade e satisfação do cliente ficam muito evidentes.

Isso porque esse framework é voltado para eliminar tarefas que não agregam valor e focar naquilo que de fato traz resultado.

Por exemplo, no desenvolvimento de software, não vale a pena investir na criação de uma funcionalidade que não há comprovadamente a necessidade dela, por mais interessante que a ideia possa parecer.

Ao invés disso, o time deve estar focado em fazer aquilo em que o cliente está interessado e vai trazer satisfação para ele, com o mínimo de recursos possíveis.

5. Feature Driven Development

Feature Driven Development (FDD), em português, significa desenvolvimento guiado por funcionalidade.

Esse framework surgiu entre 1997 e 1999, na Singapura, e era baseado no método Coad e no Lean.

O FDD é voltado para o desenvolvimento em si de um projeto e possui cinco processos básicos, que funcionam como etapas a serem percorridas:

  • Desenvolvimento de modelo abrangente;

  • Construção de lista de funcionalidades;

  • Planejamento por funcionalidade;

  • Detalhamento por funcionalidade;

  • Construção por funcionalidade.

No Feature Driven Development, o projeto começa com um olhar sobre o todo e a criação de um modelo abrangente. 

Por exemplo, na criação de um software é pensar em todas as características e funcionalidades que aquela ferramenta vai ter. 

Isso é importante para dar visibilidade ao conjunto do projeto e em como as partes e funcionalidades se conectam e interagem umas com as outras.

A partir desse passo começa o detalhamento e planejamento. E, posteriormente, quando entra no desenvolvimento em si, o time foca em terminar uma funcionalidade e só depois parte para a próxima.

Ou seja, o objetivo desse modelo é ir entregando partes funcionais de um projeto que tenham valor para o cliente, e que no final vão se somar como um todo integrado.

6. eXtreme Programming

O eXtreme Programming (XP) é um tipo de método ágil mais baseado em valores do que em regras prescritivas e papéis fixos.

O XP se guia por:

  • feedback constante; 

  • comunicação tanto entre a equipe bem como com o cliente; 

  • simplicidade para focar naquilo que é essencial e evitar desperdícios com coisas que não agregam ao projeto; 

  • coragem para encarar as mudanças e saber dizer não quando for necessário;

  • e respeito para saber ouvir e compreender o ponto de vista do outro.

O uso da metodologia ágil além do desenvolvimento de software

O uso da metodologia ágil além do desenvolvimento de software

Apesar de a metodologia ágil ter sido criada por programadores que buscavam novas soluções para lidar com a gestão dos seus projetos, ela pode ser adaptada para outras áreas.

Afinal de contas, os valores e os princípios que guiam essa metodologia estão focados em entregar valor e gerar satisfação para os clientes, o que deve ser um dos objetivos primordiais de todo negócio.

Como você viu ao longo do artigo, eu dei alguns exemplos de como o método ágil e os seus frameworks podem ser utilizados por outras áreas e no gerenciamento de projetos internos (aqueles que não estão diretamente ligados a um cliente).

Especialmente o Scrum, Kanban e Scrumban são bastante úteis para controlar e organizar as demandas, como está o fluxo e a prioridade delas.

Aqui mesmo na empresa, diversos times, como a galera do tráfego e do financeiro, utilizam o Scrum e o Kanban para planejar e executar as tarefas. 

A metodologia ágil perde o sentido se o seu negócio não tiver isso

A metodologia ágil perde o sentido se o seu negócio não tiver isso

Ao longo das últimas linhas você viu como a metodologia ágil foi pensada para entregar valor para os seus clientes e criar um relacionamento positivo com eles.

O fato é que ainda que você decida aplicar os frameworks para demandas internas, só faz sentido existirem projetos se sua empresa tiver clientes ou buscar mais deles.

Afinal, é essa galera que mantém e faz o seu negócio crescer.

E, quando se trata de conquistar clientes na internet, você vai precisar de uma landing page.

Isso porque é através dessa página que você dá o primeiro passo para construir um relacionamento que futuramente vai levar a uma venda.

Na landing page, você oferece um conteúdo de valor e em troca pede o e-mail do seu potencial cliente.

É com essa forma de contato que você vai poder educar e nutrir as pessoas sobre a necessidade do seu produto ou serviço e depois fazer uma oferta.

Não sabe como criar uma landing page otimizada para conversão? Nessas horas o Klickpages é o seu maior aliado.

Porque com ele, basta você seguir esses 3 passos simples:

  • Escolha o modelo: veja opções de alta conversão comprovada através de testes;

  • Customize a página: edite os textos, as cores e as imagens;

  • Publique: por fim, é só publicar no seu próprio domínio

Conclusão

Metodologia Ágil - Conclusão

Nas últimas linhas você conheceu a metodologia ágil, uma forma de gerenciar projetos que pode aumentar em 28% suas chances de sucesso.

Ela foi criada por um grupo de 17 desenvolvedores de softwares que estavam insatisfeitos com os modelos de gestão da época, que eram muito burocráticos e não funcionavam muito bem na prática.

Então, essa galera se reuniu em Utah em 2001 e assinou o Manifesto Ágil, que contém 4 valores e 12 princípios.

Além disso, eu te mostrei as vantagens de aplicar essa metodologia, entre elas agilidade na entrega de um produto, alinhamento de prioridades entre a equipe e a mitigação de riscos.

E você também viu seis frameworks, que são conjuntos de técnicas, ferramentas e conceitos para que você possa colocar a metodologia ágil em prática.

Por fim, eu reforcei que apesar de os criadores serem da área da tecnologia e desenvolvimento de softwares, os valores, princípios e frameworks podem ser adaptados para outros setores, como o marketing.

E aí, você já conhecia a metodologia ágil? Já utilizava o scrum ou kanban no seu negócio? Me conta aqui nos comentários que eu vou adorar saber! 😉

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Angela de Oliveira

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Uma das minhas coisas favoritas é falar sobre redes sociais e anúncios. Além disso, sou especialista em informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)