O que é Marketplace, vantagens, desvantagens e exemplos

O que é Marketplace, vantagens, desvantagens e exemplos

O marketplace oferece oportunidades diversas. Será que para você também?

Se você ouve falar no conceito e logo o associa ao comércio eletrônico, não está de todo errado.

Mas o significado de marketplace, assim como as características, vantagens e desvantagens do modelo, são diferentes do que se encontra no e-commerce.

Não se preocupe se, no momento, tudo isso ainda soa confuso para você.

Produzimos este artigo justamente para trazer esclarecimentos e acabar com qualquer dúvida.

A partir de agora, vamos explicar o que é marketplace, suas diferenças para o e-commerce  e as oportunidades que se abrem a negócios dos mais variados nichos.

Você também vai conferir exemplos de marketplace no Brasil e ver que tem muitas empresas de grande, médio e pequeno porte se dando bem nesse mercado.

Quer ser o próximo?

Então, siga a leitura!

O que é marketplace?

O que é marketplace?

Marketplace é um site de comércio eletrônico no qual são vendidos produtos da loja que o hospeda assim como mercadorias de estabelecimentos parceiros.

Funciona como um e-commerce tradicional, mas a plataforma reúne diferentes lojistas.

Traçando um paralelo para o mundo offline, um marketplace é como um shopping center, mas seria ainda mais parecido se o shopping em questão também vendesse produtos diretamente ao consumidor final.

Mais à frente, vamos trazer exemplos de marketplace que vão permitir a identificação imediata do modelo de negócio sobre o qual estamos falando.

Mas, desde já, pense na sua loja virtual preferida, aquela na qual você costuma realizar suas compras online.

Se você tem esse hábito de consumo, certamente já se deparou nela com um mesmo produto vendido por diferentes preços, assim como variados custos de frete.

Ao observar com atenção a página da mercadoria, você percebe que isso acontece porque ela é ofertada por lojas diferentes.

Se clicar em comprar sem observar os detalhes da oferta, talvez acabe fazendo negócio com outro lojista, sem perceber.

Mas não se preocupe: no marketplace, a entrega é realizada, monitorada e garantida pela plataforma que oferece o serviço.

Ou seja, o site principal.

Então, qual o papel de cada empresa que participa dessa parceria virtual?

No próximo tópico, ao conhecer os conceitos básicos do marketplace, você vai ter essa e outras respostas.

Conceitos básicos do marketplace

Conceitos básicos do marketplace

Para entender como o marketplace funciona, é necessário nos aprofundarmos em cada um dos seus elementos principais.

O primeiro conceito é o da plataforma.

Basicamente, ela é o site do varejista que vende produtos diretamente ao consumidor e que disponibiliza o espaço para que outros lojistas também vendam por ali.

Mas por que trazer concorrentes para dentro da empresa?

Não faz sentido para você?

Ainda vamos falar sobre as vantagens do marketplace neste artigo, mas tudo começa a ficar claro a partir de outro de seus conceitos básicos: a comissão.

Na prática, sobre a venda de cada lojista, é cobrada uma taxa que é revertida à empresa que disponibiliza a plataforma de comércio eletrônico.

Existem diferentes perfis de comissão, conforme o modelo de negócio.

Mas ela sempre está presente, revertendo em receitas adicionais para o site do varejista.

Para tanto, outro elemento que é chave nesse processo é o do intermediador financeiro, que é a plataforma de pagamento.

Mesmo que o lojista tenha seus próprios meios de pagamento, no marketplace, quem intermedia as transações financeiras e garante a segurança delas é a plataforma utilizada pelo site varejista.

O mesmo acontece com relação aos canais de entrega de mercadorias, como Correios e transportadoras.

Quem usa um marketplace, portanto, precisa se ater às suas regras.

Ainda quanto aos conceitos básicos, vale citar duas métricas que ajudam a monitorar o desempenho do negócio.

A primeira é a liquidez de produtos, que indica os itens com maior saída junto ao público.

É especialmente importante para avaliar o que deve ser oferecido aos consumidores, especialmente considerando itens não disponibilizados pelo site principal.

Já a liquidez de vendedores é um conceito semelhante.

Ela serve para identificar, entre todos os participantes do marketplace, quais são aqueles cuja parceria tem se revelado produtiva, ou seja, com boas vendas em volume e em receitas.

Diferença entre marketplaces e e-commerces

Diferença entre marketplaces e e-commerces

Como já dito, os conceitos de marketplace e e-commerce por vezes são confundidos.

Mas há algumas diferenças pontuais que podemos destacar para acabar com qualquer dúvida.

Vamos a elas:

  • O e-commerce vende produtos de um único site, enquanto o marketplace agrega mercadorias de diferentes lojistas

  • No marketplace, o modelo de negócio é de intermediação da venda, enquanto o e-commerce é baseado na operação de compra e venda em si

  • Também todo o aspecto operacional de um e-commerce depende só dele, a começar pela divulgação, que no marketplace foge da alçada dos lojistas parceiros

  • No e-commerce, a identidade visual da loja se destaca, enquanto ela não aparece ao ter seu item exposto à venda em um marketplace

  • O mesmo acontece com o tráfego, que sempre pertence à plataforma, sem gerar acessos ao lojista parceiro do marketplace

  • Já quanto ao estoque, ele não existe em um marketplace que apenas intermedia vendas, o que não ocorre no e-commerce, que precisa da disponibilidade de produtos para conquistar clientes.

Exemplos de marketplaces

Exemplos de marketplaces

Muitas vezes, a melhor forma de entender o conceito é com um exemplo.

E, ao falar sobre marketplace no Brasil, a plataforma que costuma vir primeiro à mente é o Mercado Livre.

Quem tem o hábito de fazer compras online certamente já foi apresentado em uma busca a produtos hospedados nesse site.

Não são oferecidos pelo Mercado Livre, mas por lojistas parceiros – vendedores de todos os perfis e localidades.

O mesmo vale para sites semelhantes, como Elo7 e Tanlup.

Um modelo um pouco diferente de marketplace é o de grandes redes varejistas, como Lojas Americanas, Extra e Walmart.

Nesses casos, além de hospedar mercadorias de outras lojas, as plataformas também vendem diretamente uma variedade de produtos.

Em geral, a escolha se dá por mercadorias que não fazem parte do seu portfólio, mas pode acontecer, gerando nova concorrência.

Também vale citar a Livraria Saraiva, que tem nos livros o seu carro-chefe, mas agrega novos itens a partir de parcerias, a exemplo de cosméticos, perfumaria e maquiagem.

Então, ficou mais claro agora sobre que tipo de comércio eletrônico estamos falando?

Vantagens do marketplace

Vantagens do marketplace

Quando se fala em vantagens do marketplace, é interessante destacar que elas não se limitam à plataforma principal, mas também atingem cada um dos lojistas que faz uso do espaço.

Além deles, também o consumidor é beneficiado por escolher esse tipo de site para suprir as suas necessidades.

Vamos entender melhor?

Vantagens para o consumidor

Um marketplace se caracteriza pela variedade de itens e de lojas que os ofertam.

Para o consumidor, é a oportunidade de comprar de lojas menos conhecidas com total segurança, fazendo isso junto a marcas que estão vivas na sua mente.

Não raro, isso resulta em economia, já que escolhe na hora o preço mais atrativo junto aos menores custos de frete, que também variam de acordo com a loja.

Ele não precisa acessar diferentes sites de comércio eletrônico para realizar uma primeira comparação de preços, por exemplo.

Também faz todas as suas compras pagando por uma única transação, ainda que recorra a diferentes lojas.

É uma praticidade que agrega valor à sua experiência de consumo.

Vantagens para a plataforma

Para a plataforma de marketplace, as vantagens são muitas.

Por isso, separamos em tópicos para facilitar o entendimento.

Maior diversidade na oferta

Ao atrair lojistas parceiros para a plataforma, ela acaba oferecendo itens que não constam no seu estoque.

Ou seja, a variedade e a diversidade de produtos aumentam e, com isso, há benefícios relacionados, como iremos destacar a seguir.

Maior visitação

Quanto mais itens oferece, mais o site se torna alvo de consumidores.

Na prática, ele tem tudo o que o usuário precisa e o número de acessos tende a crescer bastante.

Ao ir ao Google e buscar por determinado produto, o visitante é direcionado ao site do marketplace, o que não ocorreria se ele não apresentasse o item oferecido pelo lojista parceiro.

Maior faturamento

Maior faturamento

No marketplace, como você deve ter percebido, uma vantagem leva à outra.

Com mais produtos disponíveis, cresce o número de visitantes e, naturalmente, as vendas seguem no mesmo ritmo.

Para cada uma delas, há uma comissão paga à plataforma.

Cabe lembrar que esse é um valor com o qual ela não contaria se não disponibilizasse aquela oferta.

Aumento no ticket médio

Lembre-se do que destacamos há pouco: no marketplace, o usuário encontra tudo o que precisa.

Então, se ele entrou no site para comprar um celular e identificou a oportunidade de levar também um acessório oferecido por loja parceira, o valor total da sua compra fica maior.

Ticket médio se trata justamente disso: aumentar o gasto realizado por cada cliente na sua loja.

Contribui com a fidelização

O quão satisfeito com a experiência de compra fica o usuário que encontra tudo o que precisa em um só local?

Se você tem a resposta, sabe que isso é decisivo para ele voltar a comprar da sua loja.

Isso sem falar na propaganda positiva que realiza ao se tornar um divulgador da marca, quase um fã de carteirinha.

Vantagens para os lojistas parceiros

Quem faz uso do marketplace também sai ganhando – e não é pouco.

Quer ver só? Confira as principais vantagens para os lojistas parceiros nos tópicos abaixo.

Maior visibilidade

Maior visibilidade

Imagine a realidade de um pequeno lojista no interior do Rio Grande do Sul.

Como ele acessaria um consumidor no Amazonas ou na Paraíba se não fosse através de um marketplace?

Com esse exemplo, fica evidente que a maior visibilidade ao seu negócio é a primeira vantagem a destacar.

E se o consumidor ficar satisfeito, pode cogitar ir diretamente ao seu site para uma próxima compra.

Maior credibilidade

A sua loja aparece ao lado de grandes marcas do varejo online no Brasil.

Para o consumidor, isso é quase um atestado de que você merece a sua confiança.

É como um selo de qualidade, um reconhecimento da sua credibilidade no mercado.

Afinal, se não fosse assim, a loja famosa apresentaria o seu site como opção de compra para aquele produto?

Aumento nas vendas

Retomando o exemplo anterior, não se trata apenas de ser notado pelo consumidor distante da sua região, mas de fazer dele um cliente.

Essa é uma oportunidade que só se concretiza a partir de um marketplace.

De outro modo, ficaria difícil o cliente chegar até você, lembrando que critérios de geolocalização são utilizados pelo Google e, por isso, dificilmente a sua loja seria apresentada como sugestão para ele.

Maiores receitas

É claro que toda venda gera uma “perda” com a taxa de comissão.

Mas por que enxergar dessa forma?

Afinal, essa é uma venda que só acontece em razão da parceria com o marketplace.

Ou seja, é uma fonte nova de receita para o seu caixa.

Marketing gratuito

O marketplace quase sempre tem por trás um grande varejista, que investe pesado em marketing e publicidade para alavancar as vendas.

Cada vez que faz isso, beneficia por tabela os lojistas parceiros, que não precisam desembolsar nada para serem descobertos por novos clientes.

Oportunidade de aprendizado

Estar ao lado dos melhores gera uma oportunidade de aprendizado única.

O pequeno lojista pode identificar as melhores práticas em vendas e na oferta, incluindo a forma como são anunciadas as promoções.

Tudo isso pode ser aproveitado para realizar ajustes internos e qualificar o desempenho do seu próprio site.

Quer um exemplo?

Pode ser a chance de modificar o mix de produtos que oferece, identificando quais agradam mais ao seu público-alvo.

Chance de crescer como negócio

Com um maior faturamento e o aumento na visibilidade, o lojista parceiro pode ajustar o seu planejamento estratégico, quem sabe até mesmo estabelecendo metas maiores.

É mais uma das oportunidades que essa experiência junto ao marketplace gera.

Então, por que não aproveitá-la?

Desvantagens do marketplace

Desvantagens do marketplace

É claro que o marketplace não é um negócio perfeito – aliás, isso existe?

Então, conhecer seus pontos fracos é condição obrigatória a todo o lojista antes de aderir e confirmar uma possível parceira.

E no caso de um marketplace, as principais desvantagens se voltam aos possíveis parceiros.

Neste tópico, vamos apresentar pontos de atenção com os quais você deve se preocupar.

Comissão afeta margem de lucro

Embora a comissão só seja cobrada por existir uma venda que não ocorreria fora do marketplace, é preciso considerar como isso afeta a sua margem de lucro.

Um produto que é adquirido por R$ 20 e vendido por R$ 40 no seu site retorna com um lucro de R$ 20.

Mas no marketplace, supondo que a comissão abocanhe 20% da venda, você terá faturado R$ 32 e lucrado R$ 12 nela.

Pode parecer irrisório, mas é um lucro 40% inferior.

Modelo engessado

O marketplace é quem dita as regras. E isso vale para todo e qualquer lojista que queira vender nele.

Se a comissão for alta, o contrato não for vantajoso ou houver qualquer outro ponto de insatisfação, não há margem para negociar.

Ou você aceita, ou não se junta àquele marketplace.

Dependência perigosa

Imagine que a parceria com o marketplace vai indo bem, as vendas estão em alta, mas a plataforma decide cancelar o contrato ou mudar o seu modelo de negócio.

Perceba que isso tudo foge do seu controle.

Se grande parte do faturamento depende do marketplace, é falência na certa.

Nem sempre agrega valor à marca

No marketplace, é grande a chance de o consumidor comprar do lojista parceiro, mas dar o mérito à plataforma.

Ou seja, se perguntado onde adquiriu aquele item, tende a não lembrar do nome da sua loja, pois na sua mente está a lembrança do site pelo qual realizou a aquisição.

No fim das contas, se isso acontecer, seu negócio e sua marca seguirão como meros desconhecidos para aquele cliente.

Processos burocráticos

Há questões burocráticas da parceria que nem sempre são levadas em conta.

A categorização dos produtos do lojista parceiro é uma delas, podendo variar conforme o marketplace.

O mesmo ocorre com relação aos prazos envolvidos, tanto para a mercadoria aparecer como sugestão, quanto para liberação de valores.

Na prática, até começar a dar resultados, o lojista já se sente desanimado e desconfiado.

Comece a capturar leads hoje mesmo com o Klickpages

Comece a capturar leads hoje mesmo com o Klickpages

Se a sua empresa tem uma estratégia de marketing digital, vale ficar ligado nesta dica.

Use o seu site para capturar leads e tornar esses potenciais clientes ainda mais próximos da sua marca e da concretização de uma compra.

Para alcançar esse objetivo, você precisa caprichar na landing page.

Conheça o Klickpages e veja como criar a sua a partir dessa ferramenta:

  1. Escolha seu modelo: veja opções de alta conversão comprovada por testes.

  2. Customize a página: depois, edite os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: ao final, é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Marketplace Conclusão

Apresentamos neste artigo um guia completo sobre o marketplace, explicando o conceito, suas diferenças para o e-commerce e trazendo exemplos de negócios que atuam nesse nicho.

Você também conferiu as vantagens e desvantagens do modelo, com uma análise do ponto de vista do consumidor, da plataforma operadora e dos lojistas parceiros.

Seja qual for o seu mercado, para quem quer vender mais na internet, vale a pena se aprofundar no assunto e estudar de que forma o marketplace pode trazer benefícios.

O importante é ter uma estratégia bem clara, pois há riscos muito grandes ao se aventurar sem planejamento.

Então, vê aí uma oportunidade de crescimento?

Se você também tem uma dica sobre marketplace, deixe seu comentário abaixo.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.