O que é Marketing Social, como fazer e exemplos de campanhas

O que é Marketing Social, como fazer e exemplos de campanhas

O que acha de promover a sua marca a partir do marketing social?

Mais que uma oportunidade, para algumas empresas, isso se mostra como uma necessidade.

Em um mercado altamente competitivo, é preciso inovar.

Explorar seus diferenciais frente aos concorrentes pode ser decisivo para conquistar o coração e a mente dos clientes.

Para tanto, nada melhor do que se aproximar do consumidor através de um diálogo interativo, fomentando não apenas uma reflexão, mas ações concretas a fim de gerar mudanças sociais eficazes.

Se você está curioso para saber mais sobre o marketing social, como funciona e como colocar em prática, neste artigo, vai encontrar todas as respostas.

Veremos como é possível gerar valor à sua marca a partir dessa estratégia.

Também traremos as principais dicas para sair da teoria para a prática, adotando uma campanha de marketing social na sua empresa.

É isso que procura?

Então, siga a leitura!

O que é marketing?

O que é marketing?

Marketing é um conjunto de ações cujo objetivo é garantir visibilidade de uma empresa, uma marca, produto ou serviço.

A palavra vem do inglês Market, que significa “mercado”.

O verbo To Marketing é entendido como “comercializar”.

Então, fazer marketing é comercializar de acordo com as necessidades do público para o qual se quer vender.

É a partir daí que são definidas ações, que variam de acordo com os objetivos e também conforme as características das pessoas que se pretende atingir.

O que é marketing social?

O que é marketing social?

Marketing social, como a própria expressão indica, é um conjunto de ações realizadas por uma empresa por causas sociais e não comerciais. Dessa forma, em vez de focar na venda de produtos ou serviços, ou na reputação da marca, ela se promove a partir de ideias e atitudes.

Por isso, quando se trata de campanhas institucionais, o marketing social é uma das principais estratégias utilizadas pelas empresas.

Ele é praticado em especial por órgãos públicos, por exemplo, nos quais há maior apelo à coletividade.

Basicamente, as estratégias de marketing social relacionam a empresa a uma questão que seja relevante à sociedade como um todo.

Entre elas, as principais se direcionam à educação, saúde e transporte, que estão entre as necessidades básicas.

Ao mesmo tempo em que tenta amenizar problemas pontuais, o marketing social acaba envolvendo a população em torno da causa.

De quebra, gera benefícios importantes para uma determinada comunidade, seja ela regional ou nacional.

Obviamente, esse tipo de campanha também acarreta em um retorno positivo para a própria empresa promotora das ações.

Isso acontece ao reforçar o seu posicionamento e valores, melhorando a sua imagem.

Elementos do marketing social

Elementos do marketing social

Para que as campanhas sociais alcancem seus objetivos, é preciso dar a devida atenção e alguns elementos essenciais.

São eles que irão orientar sua equipe na elaboração das estratégias.

Mas, afinal, como definir corretamente a campanha?

A mensagem pode variar de empresa para empresa.

No entanto, a base de toda campanha é formada por quatro elementos principais.

Antes de tudo, claro, é preciso definir a causa, que é a questão social a ser abordada na campanha.

Em seguida, há o compromisso de deixar bem evidenciado quem é o promotor da mudança, ou seja, a empresa com a qual a causa será associada.

O terceiro elemento consiste em estabelecer quais segmentos serão escolhidos como o alvo da campanha.

Por fim, vem a cereja do bolo.

Para que a campanha tenha eficácia, deve propor estratégias de mudanças para aquela questão.

Ou seja, existe a necessidade de mostrar ao público que a empresa se importa com a comunidade e preza pelo seu bem.

Essa é a razão de a estratégia de marketing social existir.

Formas de marketing social

Formas de marketing social

Você está com a base da sua campanha estruturada e os quatro elementos bem definidos.

Agora, é o momento de decidir qual a forma de marketing social que será utilizada.

Ou seja, como a empresa irá aplicar os elementos no contexto da campanha.

Entre os principais, podemos apontar:

  • Marketing de filantropia: quando o conteúdo da campanha se apoia na doação que a empresa está fazendo a uma determinada entidade.
  • Marketing de campanhas sociais: envolve a veiculação de mensagens de interesse público em embalagens de produtos, por exemplo, ou organizar uma força de vendas com um percentual destinado a entidades.
  • Marketing de relacionamento com base em ações sociais: busca aproximar o público e a empresa, fazendo uso da equipe de vendas para guiar os clientes como usuários de serviços sociais.
  • Marketing de promoção social do produto e da marca: o foco desse tipo de marketing é a geração de valor para o negócio. Normalmente, é adotado pela empresa que utiliza o nome de uma entidade, por exemplo.
  • Marketing de patrocínio dos projetos sociais: nessa modalidade, o patrocínio pode ser tanto a terceiros quanto próprio, no qual projetos são criados e implementados com os recursos da empresa.

Um bom exemplo dessa última forma de marketing social foi o Pepsi Refresh Project.

Durante meses de campanha, foram distribuídos 1,3 milhão de dólares para financiar novas ideias e implementar iniciativas em diversas áreas como alimentação, cultura, educação e saúde.

Os fundos foram destinados para grandes e pequenos projetos, variando de 5 mil até 250 mil dólares.

Bacana, não?

A importância do marketing social

A importância do marketing social

Estamos vivenciando uma verdadeira revolução nos hábitos de consumo.

Isso acontece em grande parte graças ao avanço da tecnologia e da internet.

Os consumidores estão cada vez mais exigentes e com expectativas altas em relação às empresas, seus produtos e serviços.

Nesse contexto, as marcas precisam sempre estar em busca de novas formas de se diferenciar dos concorrentes.

Assim, o marketing social cai como uma luva para agir nesse novo mercado e conquistar os clientes.

É preciso levar em conta que a responsabilidade social deve começar com ações de cidadania, fazendo uso do marketing como sua base de sustentação.

Logo, o principal benefício desse tipo de marketing é a geração de um valor diferencial para a marca e uma vantagem competitiva para ela.

Mas como alcançar tal condição?

A saída é focar no compartilhamento de valores entre as pessoas e sua empresa.

Não se trata apenas de fazer com os consumidores aspirem os valores da sua marca.

Para que eles sejam bem aceitos pela audiência, é preciso adequar a campanha de acordo com três pontos básicos:

  1. Antes de tudo, identificar quais são os valores da marca e os valores do consumidor dessa marca, produto ou serviço.
  2. Em seguida, mapear as causas sociais que, de algum modo, se relacionam com os valores identificados.
  3. Finalmente, é o momento de escolher uma ou mais causas e definir objetivos claros de curto, médio e longo prazo para serem trabalhados.

Vale lembrar que o maior desafio do marketing social é justamente encontrar valores em comum entre a empresa e o consumidor para depois achar uma causa que seja relevante para a ele e coerente com o negócio.

A diferença entre marketing social e comercial

A diferença entre marketing social e comercial

Ao chegar até aqui, talvez já tenha notado a diferença entre o marketing social e o comercial.

Como mencionado no início, a principal diferença entre as duas metodologias é que o marketing tradicional está focado na venda de produtos e serviços.

Por sua vez, o marketing social busca incentivar ideias com o intuito de promover mudanças em esfera social.

Pode-se dizer ainda que o marketing social é até mais ambicioso que o comercial.

Afinal, ele não almeja apenas a satisfação individual, mas sim o bem-estar de todo um grupo de indivíduos.

Além disso, podemos destacar mais dois aspectos:

O objetivo é estritamente pessoal

No marketing social, o foco são as pessoas.

Ele busca fomentar uma consciência em cada indivíduo para que, em conjunto, consigam romper a zonas de conforto e adotar novos hábitos, prezando o bem comum.

Intervenções sociais e políticas públicas se integram para que seja alcançado esse objetivo da adoção de novos valores e comportamentos.

Não busca gerar a necessidade de novos comportamentos

É comum o marketing comercial focar nos benefícios dos produtos ou serviços, não é mesmo?

Já o marketing social vai na contramão.

Ele procura chamar a atenção para a desvantagem de não se adotar um novo pensamento ou atitude.

Essa mudança de postura é um grande desafio, pois cada um possui certo hábitos que estão enraizados.

Imagine um fumante, por exemplo.

Ele até sabe que o ato de fumar é totalmente prejudicial à sua saúde.

Mas não existe apenas uma ação que vá fazer com que ele deixe o hábito para sempre.

E o mesmo acontece com a mudança que o marketing social tenta promover.

Ao tentar introduzir um novo modo de pensar e novos valores, é gerado um desconforto nas pessoas;

Elas já estão acostumadas com sua rotina e outros valores que orientam suas escolhas e percepções há algum tempo.

Assim, tendem resistir às mudanças.

Como fazer marketing social

Como fazer marketing social

É comum vermos nas redes sociais as empresas mudando a cor do avatar do perfil de acordo com algum movimento, como o Outubro Rosa e o Novembro Azul, por exemplo.

Mas o marketing social vai muito além disso.

Se a empresa quer realmente surtir efeito nas pessoas, uma mudança em seu comportamento através do seu negócio, é preciso investimento.

Como em qualquer campanha, no marketing social, é necessário identificar e segmentar o público-alvo ideal, realizar pesquisas para entender o mercado, traçar metas e criar um plano de marketing com objetivos claros e fáceis de serem mensurados.

Ao estabelecer aqueles quatro elementos principais que falamos acima, você já estará fazendo sua campanha de marketing social.

Lembre que, antes de tudo, é preciso escolher a causa social com a qual sua empresa irá trabalhar.

Ela precisa ser relevante para o público e estar de acordo com os valores pregados pela empresa.

Com a causa escolhida, é o momento de decidir a forma como a sua empresa irá trabalhar para ser promotora de mudança na prática.

Se ela ainda está começando a pensar em marketing social e não tem capacidade para atuar ativamente naquela causa, o marketing de filantropia pode ser um bom pontapé inicial.

Para isso, basta fazer doação para alguma entidade que realize o trabalho de fato.

Por outro lado, se a sua empresa já atua nesse segmento e possui recursos próprios, patrocinar projetos sociais pode ser uma boa pedida.

De um jeito ou de outro, o ideal é se comprometer com a causa e propor maneiras de conseguir mudanças efetivas.

Por fim, certifique-se de estar divulgando seu trabalho de maneira sutil.

Não corra o risco de passar uma imagem prepotente.

A busca é por criar uma associação na mente dos consumidores de que a marca realmente promove mudanças e merece seu valor.

Exemplos de campanhas de marketing social

Exemplos de campanhas de marketing social

Selecionamos alguns exemplos de campanhas bem sucedidas nesse método para servir de inspiração para seu negócio.

Criança Esperança, da TV Globo

O Criança Esperança é um dos principais exemplos que vêm à cabeça quando falamos de marketing social.

O projeto já conta com 32 anos de existência e nasceu graças à iniciativa do ator Renato Aragão, o Didi, para amenizar os problemas da seca no Nordeste.

Com o passar dos anos e a boa aceitação da ideia, as doações passaram a ser destinadas a projetos em outras regiões.

Hoje, já são mais de 5 mil instituições beneficiadas em todo o Brasil.

Nessa busca de conscientização em prol dos direitos das crianças e adolescentes, a campanha passou a ser reconhecida como modelo pela ONU e firmou parceria inicialmente com a UNICEF e, atualmente, com a UNESCO.

McDia Feliz, do McDonald’s

A gigante McDonald’s é a idealizadora de um das campanhas de marketing social mais conhecidas do mundo.

O evento comunitário McDia Feliz acontece em mais de 20 países, sempre realizado no último sábado de agosto.

Nele, toda a renda obtida na venda do clássico Big Mac naquele dia é direcionada para instituições de combate ao câncer infanto-juvenil.

O bacana é que a ação é comandada pelo Instituto Ronald McDonald, uma instituição criada dentro da própria rede de fast-food que se dedica a essa e outras causas sociais.

Papai Noel dos Correios

Assim como o Criança Esperança, a campanha Papai Noel dos Correios é uma das pioneiras no Brasil e já é realizada há 25 anos.

Ela acontece nos meses de novembro e dezembro de cada ano e tem como foco crianças em situação de vulnerabilidade social.

Fomenta a solidariedade e a cidadania conectando cartas escritas por essas crianças e endereçadas ao Papai Noel a pessoas que estejam dispostas a atender aos pedidos realizados por elas.

Além disso, o incentivo à prática de redação e a melhoria na escrita é outro benefício que as crianças conseguem com a campanha natalina.

Adotar é tudo de bom, da Pedigree

A campanha da Pedigree usa o slogan da própria marca “Cachorro é tudo de bom” para idealizar a campanha e conscientizar as pessoas sobre a adoção de animais de estimação abandonados.

Através dessa conscientização, a empresa acaba aumentando as vendas de rações caninas e revertendo parte das vendas a mais de 150 ONG’s que cuidam desses animais.

Para você ter noção do impacto da campanha, mais de 60 mil cães já foram adotados.

A empresa investe pesado nessa ação e criou até um aplicativo para adoção de animais.

Além disso, foi disponibilizada uma plataforma para compartilhamento de histórias de sucesso e agenda com os eventos de adoção espalhados pelo país.

Comece a capturar leads hoje mesmo com o Klickpages

Comece a capturar leads hoje mesmo com o Klickpages

Há certas ações que são necessárias em toda e qualquer estratégia de marketing.

A primeira delas é se conectar ao seu público-alvo.

Mesmo quando a marca já tem um nome conhecido no mercado, as pessoas podem ter dificuldade de estabelecer uma conexão direta entre o que necessitam e aquilo que a empresa oferece.

Então, um desafio comum é conversar com seu público, ser notado e despertar nele o interesse por você e pelas ações que promove.

A boa notícia é que o meio digital facilitou bastante essa tarefa.

Hoje, as empresas podem usar seu site ou blog para capturar leads, por exemplo.

Leads são potenciais clientes.

São usuários que ingressam no seu funil de vendas ao descobrirem a sua marca, produto ou serviço.

Isso acontece quando você obtém o seu contato, o que pode se dar através de ações variadas.

Entre elas, um convite para assinar uma newsletter, receber novidades por e-mail, baixar um e-book ou se inscrever em um curso gratuito.

A partir daí, sim, abre-se a chance de promover abordagens mais direcionadas.

E na hora de capturar leads, seja qual for a ação, é importante caprichar na landing page, pois isso aumenta muito a chance de confirmar as conversões desejadas.

Para isso, o Klickpages é a ferramenta ideal.

Veja os três passos básicos para criar a sua:

  1. Escolha seu modelo: confira as opções de alta conversão comprovada através de testes.
  2. Customize a página: após fazer a escolha, é só editar os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.
  3. Publique: está com tudo pronto? Então, agora é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Muito fácil, não é mesmo?

Conclusão

Conclusão

Agora que sabe mais sobre o marketing social, interessado em apostar nessa ideia?

Certamente, é uma estratégia interessante.

Vale lembrar que, quando bem executado, o marketing social tem o poder de transformar seus consumidores em verdadeiros embaixadores da sua marca.

Se a empresa escolher defender causas e valores que realmente sejam relevantes, tanto para ela quanto para seu público, as chances de criar relacionamentos significativos com os consumidores é bem mais alta.

Pense a respeito.

E na hora de se conectar aos seus leads, lembre-se do Klickpages e de suas landing pages personalizadas.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.