Marketing de Guerrilha: o que é, como fazer, cases e exemplos

Marketing de Guerrilha: o que é, como fazer, cases e exemplos

Que tal a ideia de usar o marketing de guerrilha para vencer a concorrência?

Essa pode ser uma oportunidade e tanto.

Um dos aspectos mais interessantes da estratégia é o seu alto poder de viralização.

Ou seja, se quer uma ação que faça todo mundo falar de você nas redes, não há nada mais indicado do que o marketing de guerrilha.

Por outro lado, não há como garantir que toda campanha desse tipo seja um sucesso.

Tudo depende do seu planejamento e da sua capacidade de criar, inovar e ser original.

Mas quando o tiro é certeiro, a ação gera uma grande repercussão para a marca e você consegue até “cutucar” o concorrente de uma forma leve, sutil e bem humorada.

Para te ajudar nessa jornada, preparamos esse material para conceituar de forma mais clara o marketing de guerrilha.

Você vai descobrir por que vale a pena investir nesse tipo de ação.

Também vai ver dicas para montar sua estratégia e exemplos e cases de sucesso para servir de inspiração.

Vamos lá!

O que é marketing de guerrilha?

O que é marketing de guerrilha?

Marketing de guerrilha é uma estratégia mais agressiva e direta, que busca impactar uma grande parcela de consumidores com um investimento não tão alto quanto exige a publicidade.

Seu objetivo é oferecer uma experiência única para a audiência.

Isso que requer da sua equipe de marketing bastante criatividade e energia no momento do planejamento das ações.

É uma das estratégias de marketing utilizadas para a divulgação de produtos ou serviços que tenta fugir das formas tradicionais de comunicação.

Isso acontece, por exemplo, com ações que são executadas em locais públicos com um grande fluxo de pessoas, como praças e shoppings.

De onde vem esse nome?

O conceito de marketing de guerrilha foi introduzido na década de 80 por Jay Conrad Levinson através da sua obra, o livro Guerilla Marketing.

É interessante observar que, no momento de seu lançamento, havia um clima propício para o uso dessa expressão.

Basta observar o contexto histórico da época para entender.

Fazia alguns anos do fim da Guerra do Vietnã e foi nela que o autor se baseou para criar esse termo.

Durante essa guerra, havia a divisão do país em Vietnã do Norte e Vietnã do Sul.

O pessoal do norte possuía menos recursos que o pessoal do sul, o qual era aliado dos Estados Unidos.

Mesmo assim, os norte-vietnamitas conseguiram atrasar e superar os adversários graças às táticas e estratégias de guerrilha próprias.

Perceba, então, algumas características do conflito armado que ajudam a entender a criação do conceito:

  • Confronto direto entre dois participantes
  • Um lado mais fraco que o outro
  • Recursos inferiores exigindo ações diferenciadas
  • Vitória a partir de estratégias únicas.

Foi inspirado nessas táticas que o autor cunhou, então, o termo marketing de guerrilha.

Por que investir no marketing de guerrilha?

Por que investir no marketing de guerrilha?

Se o objetivo do marketing de guerrilha é fazer mais com menos, fica óbvia a sua importância como estratégia para atingir as metas traçadas, não é mesmo?

Do ponto de vista mercadológico, tanto o marketing tradicional quanto o de guerrilha são utilizados para fins comerciais.

Por isso, não existem grandes diferenças entre eles.

Mas, então, como é possível atingir resultados mais significativos mesmo com menos investimento?

O segredo do sucesso do marketing de guerrilha está em pensar fora da caixa na hora da abordagem.

E é por isso que ele consegue criar uma experiência memorável para o consumidor.

Utilizando táticas fora do convencional, o método consegue quebrar essa espécie de escudo que criamos em nós mesmos, o que acaba bloqueando, inconscientemente, a avalanche de anúncios a qual estamos submetidos todos os dias.

Ao contrário dos anúncios tradicionais, os quais são facilmente descartados, as ações do marketing de guerrilha são focadas em provocar uma reação no público.

Assim, são tão chamativas que dificilmente passam despercebidas.

Considerando a alta competitividade atual, o método se mostra essencial para que os consumidores podem passar a olhar a empresa com outros olhos, reforçando sua imagem, agregando valor e possibilitando estabelecer um diferencial no mercado.

Dicas de como fazer um marketing de guerrilha eficiente

Dicas de como fazer um marketing de guerrilha eficiente

Como já mencionado, as campanhas de marketing de guerrilha precisam sair da caixa.

Por isso, todas elas envolvem muita criatividade e inovação.

Mas não fique pensando que toda ação desse tipo de marketing é eficaz.

Algumas delas simplesmente não conseguem ser bem aceitas pelo público.

Já as que conseguem chamar a atenção e cativar a audiência tem alto potencial.

São realmente capazes de deixar a marca mais conhecida e facilmente lembrada.

É preciso considerar que o momento atual favorece isso.

Como todo mundo tem seu smartphone na mão, podem fotografar, filmar e compartilhar conteúdo, a viralização nas redes sociais é uma dos principais meios de garantir uma campanha de sucesso.

Com base nisso, preparamos algumas dicas que você deve considerar para ser efetivo na campanha e não gerar uma reação ruim no consumidor.

Vamos a elas!

Conheça bem seus clientes

Compreender quem é o seu público é uma máxima presente em toda campanha que deseje alcançar seus objetivos.

No marketing de guerrilha, não seria diferente.

Conhecer detalhadamente seus clientes e até mesmo possíveis clientes garante que sua campanha não falhe por entregar valores que não são do interesse daqueles consumidores.

Por isso, o pontapé inicial das campanhas devem ser a criação das buyer personas do seu negócio.

Ou seja, aquelas pessoas que você julga ter o perfil ideal para se tornarem seus clientes.

Mas como criar essas personas?

Para conseguir identificar um perfil, é preciso estudar não apenas o mercado, mas também os hábitos de consumo do seu cliente, seus valores, objetivos e necessidades.

Assim, você consegue passar a mensagem certa no momento certo.

Descubra os canais estratégicos para alcançá-las

De nada adianta estar com a mensagem certa em mãos se você não fazer com que ela chegue até o público, concorda?

Por isso, o segundo passo é descobrir onde seu público está presente.

Ou seja, quais os canais de comunicação que eles mais utilizam.

Como mencionamos há pouco, as redes sociais são uma excelente arma no marketing de guerrilha.

O fato é que elas proporcionam a viralização do conteúdo, conseguindo alcançar uma maior quantidade de pessoas em um curtíssimo espaço de tempo.

Vale lembrar que, para garantir uma campanha de sucesso, é importante que sua marca fale a mesma língua que seus consumidores.

Se é algo mais descontraído ou mais sério, a linguagem precisa sempre estar de acordo com o segmento do negócio.

O interessante é certificar que a sua ação não ofenda nem deixe ninguém ferido pelo conteúdo ou pela forma como ele é transmitido.

Considere parcerias

Considere parcerias

Você já ouviu falar em co-marketing?

Basicamente, é quando duas empresas se juntam para atingir um mesmo público, criando conteúdo e promovendo produtos que despertem o interesse dessas pessoas.

No marketing de guerrilha, essa parceria entre empresas pode render bons frutos quando bem acertada.

O ideal é que todos os envolvidos ganhem algo com aquela ação, nem que seja maior atenção para o negócio, por exemplo.

Seja autêntico

Sua campanha pode até ser criativa, mas se a ideia por trás dela não for original, não ter algo seu, ela corre o risco de cair em clichês e não atingir os objetivos desejados.

A criatividade e a originalidade devem andar juntas para chamar a atenção dos consumidores, desde que ambas estejam de acordo com seu negócio, é claro.

Uma boa forma de evitar acusações de plágio e causar uma repercussão negativa é pesquisar exemplos e cases de sucesso de quem já vem fazendo isso no mercado.

Aposte na interatividade

O objetivo é criar uma experiência única para o público.

Por isso, por mais simples que pareça, as campanhas mais bem-sucedidas são aquelas que promovem uma interação com a audiência.

Essa interação pode se dar em diferentes níveis.

O importante é que ela seja criativa e que ajude a construir uma percepção positiva sobre a marca.

Cuidado na hora da execução

O momento da execução é decisivo para qualquer estratégia de marketing de guerrilha.

Por envolver lugares públicos e a movimentação de pessoas, cada detalhe da execução deve ser pensado de antemão.

Por exemplo, vamos imaginar que sua campanha irá utilizar algo do mobiliário urbano para gerar a interação com o público, como os pontos de ônibus da cidade.

É preciso pensar em vários elementos que envolvem, diretamente ou indiretamente, aquele mobiliário, como quais as linhas de ônibus seu público mais utiliza, por exemplo.

Assim, você consegue escolher os melhores pontos para executar a ação.

Provoque emoções

Provoque emoções

Para que a experiência seja memorável, ela precisa provocar reações e emoções nos consumidores, certo?

Novamente, você deve refletir quanto à importância do conteúdo estar adequado ao segmento e ao público.

Você com certeza não quer despertar emoções ruins e afugentar seus clientes, quer?

Se o seu objetivo é a divulgação de produtos, por exemplo, a abordagem pode ser feita de forma leve e informal.

Já para retratar assuntos mais sérios e urgentes, campanhas em tom igualmente sério podem ser a melhor solução.

Geralmente, elas causam uma espécie de choque no público e provocam a sua reflexão.

Potencialize o conteúdo produzido

A iniciativa da campanha foi bem aceita pelo público?

Que tal produzir e viralizar conteúdos com o marketing digital, relatando essas experiências obtidas?

Nesse contexto, as redes sociais (de novo elas) e o e-mail marketing são ótimas armas para potencializar e divulgar o conteúdo, além de fomentar um engajamento com o público.

Invista nisso!

Avalie os resultados

Como em qualquer campanha de marketing, é essencial acompanhar os resultados para fazer as otimizações necessárias e manter o sucesso da ação.

Por menor que seja o seu investimento, ele precisa dar retorno, concorda?

Mesmo as ações de marketing de guerrilha se baseando na espontaneidade, elas não fogem a regra.

Portanto, elas precisam ser mensuradas.

Uma ótima maneira de começar é acompanhar a repercussão nas redes sociais.

Analisando o que é dito nelas através do boca a boca, você consegue ter insights quanto às percepções do público sobre sua marca.

Depois disso, pode fazer os ajustes necessários.

Vale destacar ainda que é interessante comparar os resultados obtidos durante a execução da campanha com o desempenho normal dos outros meses.

Isso permite avaliar se a estratégia está no caminho certo ou não.

5 Exemplos e cases de marketing de guerrilha

5 Exemplos e cases de marketing de guerrilha

Se você ainda não fez nenhuma campanha nesse estilo, talvez esteja sem dúvida sobre como criar algo impactante.

A boa notícia é que dá para se inspirar em quem já encontrou a receita de sucesso.

Selecionamos bons exemplos de marketing de guerrilha para motivar você a também ter ideias inovadoras e relevantes para seu negócio.

Certamente, você vai lembrar de alguns deles e se identificar.

Afinal, são campanhas marcantes, como é próprio do marketing de guerrilha.

Coca-Cola

A Coca-Cola é um dos exemplos mais notórios de marketing de guerrilha.

E isso não se dá apenas graças ao seu generoso orçamento de marketing, mas pelo alto impacto que provoca através de mensagens por vezes simples.

São vários os exemplos de guerrilha que podemos citar.

Para começar, as inúmeras propagandas ao longo do tempo em que a marca trocou provocações de forma divertida com as concorrentes são icônicas.

A marca também investe pesado em ações de guerrilha envolvendo as máquinas de vendas que ficam espalhadas por lugares públicos.

Essas ações têm um grande poder de engajamento, promovendo uma interação com as pessoas de forma interativa.

Veja que bacana o exemplo desta ação em um shopping de Porto Alegre:

Outra grande ação da empresa acontece sempre no mês de dezembro, durante as festividades do Natal.

Na oportunidade, uma caravana de caminhões da marca e iluminados com pisca-pisca circula por várias cidades do país.

Não tem como ignorar!

Netflix

A Netflix foi uma das pioneiras no serviço de streaming de entretenimento.

E, assim como a Coca-Cola, ela também sempre impressiona com suas campanhas de marketing de guerrilha.

Quer um exemplo?

Para promover o lançamento da terceira temporada da sua série original The Orange Is The New Black, a marca transformou a fachada de um prédio em Paris em uma espécie de prisão, fazendo referência ao ambiente da série.

O que chamou mais a atenção das pessoas foi a presença de atrizes na instalação, realizando atividades rotineiras que alguém que está preso faz.

McDonald's vs. Burger King

No mercado de fast-food não há quem não conhece a rivalidade entre as duas marcas.

Recentemente, elas travaram uma batalha no Black Friday: a guerra das batatinhas.

O resultado?

Novamente, foram as marcas mais citadas do evento.

Mas essa rivalidade não começou agora. Ela é histórica.

O que ninguém esperava é que, para celebrar o Dia Internacional da Paz, em 2015, o Burger King promovesse uma ação tão inusitada e inovadora.

A marca publicou um anúncio na forma de carta aberta no The New York Times, propondo a criação de um sanduíche que juntasse o principal lanche das duas em um só: o McWhopper.

O sanduíche seria vendido apenas nesse dia e em uma lanchonete pop-up construída especialmente para a ocasião, como uma forma de “trégua” entre elas e a promoção da paz.

Em contrapartida, o McDonald’s não aceitou o desafio e ainda criou uma imagem ruim para a empresa com a resposta dada, afirmando que as duas marcas poderiam fazer muito mais pela paz se trabalhassem separadas.

Uber vs Lyft

Você talvez ainda não tenha ouvido falar da Lyft.

Ela é uma empresa que trabalha no mesmo segmento da Uber, conectando usuários com motoristas através de um aplicativo móvel.

A empresa não chegou ao Brasil até o momento, mas nos Estados Unidos, o marketing de guerrilha já é bastante utilizado por ela.

Uma de suas ações foi a distribuição de bigodes cor de rosa para seus motoristas, fazendo referência à própria cor da marca e diferenciando-os dos condutores da concorrente Uber.

A resposta da Uber acabou alfinetando a concorrente de forma descontraída e chamou mais atenção ainda para os dois serviços.

Foram propostas ações que tentavam convencer os motoristas da rival a trocarem de plataforma.

Kit Kat

A ação da Nestlé foi super simples, mas, com certeza, despertou o desejo de muitos chocólatras por aí.

Basicamente, a empresa pintou bancos de madeira com as cores do Kit Kat, metade chocolate e metade embalagem.

O interessante foi que a pintura encaixou perfeitamente no mobiliário urbano de uma forma muito criativa, dando uma impressão fiel da barra do chocolate.

Comece a capturar leads hoje mesmo com o Klickpages

Comece a capturar leads hoje mesmo com o Klickpages

Não importa qual seja a forma de marketing utilizada pela sua empresa: é preciso usar o seu site ou blog para capturar leads.

Isso significa conduzir o visitante a deixar seu e-mail para um contato futuro.

Para tanto, convide o usuário para assinar uma newsletter, receber novidades por e-mail, baixar um e-book ou se inscrever em um curso gratuito.

Seja qual for a ação, caprichar na landing page aumenta muito a chance de confirmar as conversões desejadas.

E, para isso, o Klickpages é a ferramenta ideal.

São três os passos básicos para criar a sua:

  1. Escolha seu modelo: há opções de alta conversão comprovada através de testes.
  2. Customize a página: edite textos, cores e imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.
  3. Publique: publique no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

É muito fácil, rápido e eficaz!

Conclusão

Conclusão

O marketing de guerrilha tem um nome que pode sugerir conflito – e que de certa forma sugere.

Mas como vimos neste artigo, ele é quase sempre marcado por bom humor.

O público acaba se divertindo com a “guerra” entre as marcas e suas ações criativas e originais.

Interessante observar ainda que, embora tenhamos falado sobre gigantes do mercado, essa é uma estratégia sob medida para pequenos negócios.

Basta pensar em como “brincar” com o concorrente de maior peso do seu setor para atrair a atenção da audiência para você.

E com custo baixo, o que é ainda melhor.

Então, está preparado para ter ideias criativas, fora da caixinha e que vão oferecer uma experiência única ao seu público?

Só não se esqueça de caprichar no momento da execução para que tudo ocorra conforme o esperado e que a ação atinja seu objetivo.

Se você já fez ou faz algumas ações de marketing de guerrilha, compartilhe com a gente aqui nos comentários.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.