Mapa de calor: descubra quais as áreas do seu site que de fato geram mais resultado

Mapa de calor: o que é e 6 ferramentas para criar o seu

Se você acha que 100% da sua página é atraente ao usuário, você pode estar muito enganado. E um mapa de calor pode provar isso.

É o seguinte.

Eu sei que quando se cria uma página, o objetivo é que cada informação ali seja útil e tudo esteja otimizado.

Só que a forma como o visitante percebe os elementos da página é uma outra história. Para ser bem sincera, é bobeira achar que ele vai dar atenção para tudo.

As chances são que existem pontos mortos no seu site, áreas que passam despercebidas para praticamente todo mundo.

E isso não é nenhum problema, desde que as informações mais valiosas, aquelas que são essenciais para conquistar potenciais clientes não estejam nesses pontos mortos.

Por isso você precisa saber quais são as áreas do seu site que de fato mais geram resultados.

Ou seja, quais são os elementos que os visitantes mais prestam atenção, clicam e interagem.

Porque com esses dados você poderá organizar as informações das suas páginas de forma que potencialmente conquiste mais clientes.

A boa notícia para você é que isso é muito simples de se fazer e neste artigo eu explico tudo sobre o assunto.

Nas próximas linhas, você verá:

  • o que é um mapa de calor?

  • qual a importância dele;

  • quando você não precisa de um;

  • tipos de mapas de calor;

  • e 6 ferramentas para criar o seu.

Bora lá?!

O que é um mapa de calor?

O que é um mapa de calor?

Se você é fã de algum esporte tipo futebol ou basquete, muito provavelmente já viu algum mapa de calor mostrando as regiões onde os jogadores mais se movimentaram durante uma partida.

No marketing digital, a ideia é basicamente a mesma. 

Os heatmaps ou, em português, mapas de calor são representações gráficas que mostram as áreas onde houve mais atividade dos usuários.

Tudo isso é indicado por meio de uma escala de cores que, geralmente, vai do vermelho (mais quente) ao azul (mais frio).

Os pontos onde os usuários mais clicaram ou passaram o mouse sobre são marcados de vermelho, enquanto as regiões que passaram despercebidas ficam em azul.

Como nesse gráfico aqui:

O que é um mapa de calor?

Fonte: Demo do Crazy Egg

Esse é um recurso que pode gerar insights valiosos para o seu negócio. E é exatamente sobre isso que eu falo agora.

Qual a importância de um mapa de calor para sua estratégia de marketing?

Qual a importância de um mapa de calor para sua estratégia de marketing?

Se você acompanha o blog do KP, provavelmente já percebeu que a gente bate muito na tecla de que um dos fatores que mais importam é a experiência do usuário.

Ela é fundamental não só para que você conquiste a confiança de potenciais clientes, como também consiga vender mais no final das contas.

E os mapas de calor tem um papel diretamente ligado à experiência do usuário. Começando pelo fato de que com eles é possível…

Entender o comportamento do usuário

No artigo sobre UI design, eu expliquei o que você pode fazer para projetar uma interface que seja amigável ao usuário.

Mas a verdade é que você só vai saber se de fato alcançou o seu objetivo quando colocar para jogo e as pessoas começarem a utilizar.

E é aí que entra o mapa de calor.

Com ele você poderá identificar se os usuários estão realmente dando atenção para os pontos que você gostaria, se estão clicando em objetos que são clicáveis ou se tem elementos importantes que estão passando despercebidos.

Uma vez que você descobre como o seu público está se comportando no seu site ou blog, você consegue…

Identificar possíveis otimizações

Com um mapa de calor em mãos, você pode perceber:

  • quais são as áreas da sua página que os usuários estão ignorando e remover de lá informações importantes;

  • pontos secundários que estão “roubando” a atenção;

  • até onde os usuários estão rolando sua página;

  • e quais são as áreas que estão funcionando como deveriam.

Com essas informações, você tem dados objetivos para propor possíveis otimizações e direcionar a atenção do usuário para os elementos mais importantes.

Você deve ficar atento e sempre reparar no que está ao redor das áreas mais quentes.

Pois não necessariamente o usuário deixa o mouse exatamente em cima do que ele está lendo, mas nas proximidades.

No fim das contas, todo esse conhecimento deve ser utilizado para…

Gerar mais pontos de conversão

Um estudo de 2012 do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) junto com uma startup alemã descobriu que consumidores tendem a escolher um produto com impacto visual maior ao invés de sua preferência em ambientes onde precisam tomar decisões rápidas, como em e-commerces.

Isso significa que se você sabe quais são os pontos da sua página que mais chamam atenção, você pode criar neles pontos de conversão (botões de CTA, links para concluir a compra…) e assim, possivelmente, agilizar a tomada de decisão do seu público.

Além disso, se os seus pontos de conversão estão em áreas que recebem pouca movimentação, é um sinal vermelho com luzes de neon piscando avisando que você precisa alterar o design da sua página.

Por último, os mapas de calor te ajudam a…

Reduzir a taxa de rejeição

Taxa de rejeição pode ser entendida aqui como o abandono da página antes de consumir todo o seu conteúdo.

Isso acontece quando o usuário acessa, olha rapidamente o que está na tela, às vezes nem rola para continuar lendo e parte para outro site.

Pensa comigo.

Na sua página de vendas, por exemplo, ou em um artigo do seu blog, o objetivo é fazer com que o seu público veja tudo o que está ali.

Se o usuário sai antes, provavelmente, ele não clicará na sua chamada para ação.

Com um mapa de calor, você pode identificar até onde o público está avançando na página e analisar se há algum elemento que está dispersando a atenção.

Dessa forma, você consegue adaptar o seu conteúdo para diminuir a taxa de rejeição.

Com todos esses benefícios, você deve estar ansioso para gerar o heatmap do seu site ou blog. Mas segura aí, porque primeiro eu preciso te explicar…

Quando um mapa de calor não vai ser útil para a sua estratégia?

Quando um mapa de calor não vai ser útil para a sua estratégia?

O mapa de calor serve para, dentre outras coisas, entender como os usuários navegam nas suas páginas, descobrir pontos nos quais a taxa de rejeição é elevada, saber onde os usuários estão clicando e identificar possíveis otimizações.

O lance é que você só consegue ter todos esses insights se o seu site ou blog já está recebendo um tráfego constante.

Não adianta nada se preocupar em analisar o comportamento dos usuários, se suas páginas têm pouquíssimos visitantes.

Se esse é o seu caso, eu recomendo que você dê dois passos para trás e primeiro invista em estratégias de SEO, tráfego pago, e-mail marketing e marketing de conteúdo.

Estes artigos do blog do KP que eu separei aqui para você podem te ajudar nessa etapa:

Agora, se você já tem um tráfego constante no seu site, blog ou landing pages, se liga nos…

Tipos de mapas de calor

Tipos de mapas de calor                                                                                     

Nem todos os mapas de calor são iguais e vão te mostrar os mesmos tipos de informação.

O formato de cada um deles vai depender da ferramenta que você escolher (já te falo sobre isso) e também das ações que são utilizadas para determinar quais são os pontos quentes.

Existem 4 tipos de mapas de calor e cada um deles pode ser útil para obter diferentes insights. Eles são:

Hover maps

Também chamados de mapas de movimento de mouse, os hover maps determinam as áreas quentes e frias com base no posicionamento do ponteiro (a setinha do mouse) na página.

Ele é baseado na ideia de que o mouse tende a acompanhar a leitura ou estar próximo do campo que o usuário está olhando.

Click maps

Os click maps, como o próprio nome diz, indicam onde os usuários estão clicando.

Ele é muito útil para você identificar áreas que não possuem links ou botões, mas por algum motivo estão atraindo cliques.

E também para analisar qual chamada para ação é a mais quente e aplicar o mesmo formato em outras páginas.

Scroll maps

Esses são os mapas de rolagem. Com eles você pode descobrir até que ponto do seu site os usuários estão navegando.

E a partir daí adaptar o seu conteúdo para trazer as informações mais importantes para a parte mais acessada.

Recording maps

Por último, esse tipo de mapa na verdade é uma gravação do usuário navegando pela sua página.

Os recording maps são uma excelente ferramenta para você aprender sobre a usabilidade do seu site ou blog e entender, por exemplo, o caminho que o usuário está fazendo para chegar na informação que ele quer.

Com esses dados, você pode fazer otimizações para tornar sua páginas mais simples e acessíveis e oferecer uma experiência melhor.

Está ansioso para analisar os mapas de calor do seu site ou blog? Finalmente chegou o momento de eu te explicar como criar o seu.

6 ferramentas para criar o mapa de calor do seu site ou blog

6 ferramentas para criar o mapa de calor do seu site ou blog

O fato é o seguinte. Mapa de calor não é uma parada que você faz manualmente ou utilizando uma ferramenta de edição de imagens.

Você até pode criar um utilizando o Excel ou o Google Planilhas.

Mas quando se trata de entender os acessos ao seu site ou blog, o melhor mesmo é utilizar ferramentas apropriadas para isso.

Porque elas vão gerar de forma prática esse tipo de relatório para o seu negócio.

Aqui embaixo eu separei as mais utilizadas no mercado, algumas delas são pagas, mas tem opções gratuitas também.

E eu explico quais tipos de mapas de calor cada uma delas oferece.

Olha só:

#1 Hotjar – planos gratuitos e pagos

O Hotjar é uma das ferramentas de mapas de calor mais completas que existem no mercado.

Com ela é possível ter acesso a mapas de cliques, movimento de mouse, rolagem e também gravações de sessões de usuários reais.

Além disso, você tem a opção de fazer pesquisas de feedback para entender por que os usuários tiveram determinados comportamentos.

A ferramenta oferece um plano gratuito mais básico para um acompanhamento limitado a duas mil visualizações da sua página.

Isso significa que se você tiver dez mil visualizações, a ferramenta vai considerar apenas duas mil para fazer o heatmap.

O Hotjar também tem opções pagas para empresas com um período gratuito de teste de 15 dias.

#2 Crazy Egg – planos pagos

Está em busca de uma ferramenta intuitiva de usar? O Crazy Egg é perfeito nesse caso.

Antes mesmo de optar por testá-lo, você pode acessar o demo para ver como é a interface e alguns relatórios modelos.

O Crazy Egg oferece mapas de calor de cliques e rolagem de página. 

O legal é que você tem a possibilidade de aplicar segmentações para obter resultados específicos de acordo com a fonte de tráfego (por país, tipo de dispositivo, se veio de uma busca ou foi referenciado por outro site…).

E ele também separa os cliques por áreas clicáveis e não-clicáveis. Assim você pode descobrir elementos que não são links e botões, mas o usuário acha que são.

Além disso, o Crazy Egg disponibiliza a gravação de sessões de usuários reais e tem uma funcionalidade para teste A/B.

Todos os planos da ferramenta são pagos, mas você pode aproveitar o período de teste gratuito de 30 dias. 

#3 Mouseflow – planos gratuitos e pagos

O Mouseflow é uma ferramenta de heatmap muito popular. Inclusive, é utilizado por grandes empresas como Unicef, Samsung, Pandora, Philips, Bosch e AT&T.

Ele oferece mapas de calor por cliques, movimentos de mouse e rolagem de página. Além de rastrear o preenchimento de formulários e disponibilizar gravações de sessões de usuários reais.

O Mouseflow também tem uma funcionalidade para coletar feedback dos visitantes.

E monitora a passagem de uma página para outra. Assim você pode entender em qual etapa da conversão está ocorrendo a maior taxa de bounce.

A ferramenta oferece gratuitamente um plano bem básico com direito ao acompanhamento de até 100 sessões por mês e você pode testar os planos pagos sem custo nenhum durante 14 dias.

#4 Heatmap – planos gratuitos e pagos

Se o que você precisa é de uma ferramenta gratuita só que com uma capacidade maior do que as outros planos que eu já te falei, o Heatmap é ideal para você.

Você pode acompanhar as informações de até um milhão de visualizações de página por mês sem ter que pagar nem um centavo por isso.

O Heatmap oferece mapas de calor de cliques atualizados em tempo real e também permite o acompanhamento de conversão, ou seja, a passagem de uma página para outra até que  a ação esperada seja concluída.

#5 SessionCam – planos pagos

O SessionCam é uma ferramenta bem completa para monitoramento do comportamento do usuário que oferece insights valiosos para sua estratégia.

Entre as diversas funcionalidades disponíveis estão os mapas de calor por clique, movimento de mouse e rolagem de página.

Além disso, você pode comparar dois heatmaps para entender, por exemplo, as diferenças entre quem acessa seu site por um dispositivo mobile e um desktop.

No site do SessionCam é possível solicitar um teste gratuito da ferramenta e você precisa entrar em contato com a empresa para saber mais sobre os planos.

#6 ClickTale

A palavra tale, em português, significa conto ou narrativa. Daí o nome ClickTale, a história (ou narrativa) dos cliques. 

Ela é uma plataforma completa com diversas funcionalidades para analisar o comportamento do usuário.

Inclusive, é claro, heatmaps por cliques, movimento de mouse, rolagem e um mapa específico para ver o desempenho dos links de uma página.

Essa ferramenta é utilizada por grandes empresas como Dell, T-Mobile, Adobe e Allianz.

Para contratar um dos seus planos, é necessário entrar em contato por meio de um formulário no site do ClickTale e solicitar uma reunião.

Como criar páginas de alta conversão

Como criar páginas de alta conversão

Nas últimas linhas, você viu como os mapas de calor podem te ajudar a otimizar o seu site ou blog para criar uma experiência de qualidade para o usuário.

Mas a verdade é que, para ter páginas de alta conversão, tão importante quanto identificar as otimizações que devem ser aplicadas, é ter uma ferramenta que te permite fazer tudo isso de forma fácil, intuitiva e rápida.

Se você ainda não conhece o Klickpages, ele é uma ferramenta de criação de landing pages totalmente descomplicada.

Com ele, para ter suas páginas prontas e publicadas, você só precisa seguir esses 3 passos:

  1. Escolha seu modelo: conheça opções de alta conversão comprovadas por testes.

  2. Divirta-se customizando a página: edite textos, cores e imagens, além de ocultar elementos que você não queira.

  3. Publique: com tudo pronto é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão 

Mapa de calor - Conclusão

Neste artigo, você viu como descobrir quais são as áreas do seu site que de fato mais geram resultados usando os mapas de calor.

Esse é um tipo de relatório gráfico que, por meio de uma escala de cores que vai do vermelho ao azul, mostra quais são as regiões da sua página que mais tiveram cliques e chamaram atenção.

Além disso, os mapas de calor são extremamente úteis, pois te ajudam a entender o comportamento do usuário, identificar possíveis otimizações, gerar mais pontos de conversão e reduzir a taxa de rejeição.

Eu também te expliquei quais são os tipos de mapa de calor: hover maps, click maps, scroll maps e recording maps.

E, por último, você viu 6 ferramentas para criar o heatmap do seu site.

Agora é hora de você colocar a mão na massa e descobrir quais são as áreas das suas páginas que estão gerando mais resultados.

E não se esqueça de depois me contar aqui nos comentários como o mapa de calor te ajudou a otimizar seu site. 😉

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Sou especialista em SEO, tráfego orgânico e informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.