Lista de emails: o que é e por que montar a sua ajuda a vender mais

Lista de emails: o que é e por que montar a sua ajuda a vender mais

Uma lista de emails tem tudo para ser o início de uma bem-sucedida estratégia de marketing.

Isso se ela for construída da forma certa, é claro.

Ainda hoje há negócios que apostam em soluções ditas milagrosas, como comprar endereços eletrônicos cuja procedência pouco se sabe.

O mesmo acontece quando o esforço se volta a descobrir como conseguir uma lista de emails grátis.

Como você vai ver neste artigo, só funciona por um golpe de sorte.

Se a loteria virtual não sorri para você, o melhor mesmo é batalhar para montar a sua própria relação.

Não sabe como? Então, não deixe de acompanhar este artigo até o fim.

Você vai entender o que é uma lista de emails, a importância desse instrumento e tudo o que precisa para construir a sua.

Vamos listar 10 poderosas estratégias para que tenha em mãos uma relação de endereços eletrônicos sob medida, um material capaz de levar o seu negócio a outro patamar.

Interessado? Boa leitura!

O que é uma lista de emails?

O que é uma lista de emails?

Uma lista de emails é mais do que uma simples relação de endereços eletrônicos.

É um material que serve como base para o envio de comunicações, cujo objetivo é nutrir e qualificar leads, que são potenciais clientes de um negócio.

Você já ouviu falar em email marketing?

Essa é uma estratégia utilizada por profissionais ou empresas para divulgar e promover a sua marca e soluções que oferecem, além de manter um relacionamento mais próximo com seu público-alvo.

É a partir de campanhas por email que potenciais clientes são apresentados a novidades e promoções.

Mas de que adiantaria criar tais promoções se você não tem como acessar seu público, não é mesmo?

Pois é justamente esse o objetivo de uma lista de emails.

Você reúne nela os contatos de pessoas e empresas com potencial interesse no que tem a dizer.

São também possíveis consumidores dos seus produtos ou serviços.

E é por isso que de nada adianta comprar uma lista de emails ou baixar uma relação grátis de endereços.

O que acontece nesses casos é que ela vai trazer contatos genéricos, não necessariamente relacionados com o seu nicho de mercado.

Se for por esse caminho, pode cometer erros graves na estratégia, direcionando esforços a ações totalmente ineficazes, como entregar um conteúdo valioso sobre cuidados com bebês para quem não tem filhos ou sequer pensa em ter.

Mais à frente, vamos explicar que tipo de informações você deve ter na lista de emails.

Antes, porém, você vai conhecer razões para montar a sua agora mesmo.

Por que montar uma lista de email?

Por que montar uma lista de email?

Com tanta gente usando redes sociais, você até pode achar que o email anda em baixa.

Afinal, ao comparar os canais, estamos falando de uma ferramenta já antiga.

Antiga, mas não obsoleta. Muito pelo contrário!

Conforme a pesquisa Email Statistics Report, do Radicati Group, essa ainda é a principal forma de contato entre empresas e clientes.

Para 2020, a previsão é de que o número de usuários do email chegue a 3 bilhões de pessoas – quase a metade da população mundial.

Ao mesmo tempo, o total de emails enviados entre consumidores e empresas deve chegar a quase 260 bilhões por dia.

Incrível, não é mesmo?

Há ao menos duas razões para o crescente uso desse canal.

A primeira delas diz respeito à necessidade do usuário de redes sociais ter justamente um endereço de email para acessá-las.

Ou seja, de nada adianta pensar em Facebook, Twitter ou Instagram sem ter uma conta de email.

Além disso, engana-se quem pensa que o avanço da tecnologia poderia engolir a ferramenta.

Segundo o Radicati Group, 65% dos usuários de email no mundo utilizam dispositivos móveis para acessarem suas contas.

Veja, portanto, que o email nunca morreu, mas se reinventou para se manter como uma estratégia de divulgação e vendas para negócios de todo o porte.

E os dados que vamos apresentar agora só reforçam isso.

Segundo a Content Trends 2018, da Rock Content, o email marketing é utilizado como canal para consumo de conteúdo por 48,9% das pessoas que responderam à pesquisa.

É praticamente o mesmo percentual daqueles que utilizam portais online para encontrar informações de seu interesse, o que foi mencionado por 52,7% dos respondentes.

E fica bem à frente da mídia impressa (com 19,1%) e dos anúncios no Google (com 18,5%).

O que acha de criar logo a sua lista de emails?

Quais informações você deve ter em sua lista de emails?

Quais informações você deve ter em sua lista de emails?

Montar uma primeira versão da sua lista de emails não é nenhum bicho de sete cabeças.

As informações que devem ser coletadas são um tanto óbvias, mas não custa relembrar.

Em primeiro lugar, tenha em mente o seu compromisso com a definição das personas do negócio.

Ou seja, qual o perfil ideal de cliente que você busca atrair.

Esse passo inicial é necessário para entender a quem as suas ações de marketing serão destinadas.

Lembrando que a criação de personas envolve aspectos como gênero, faixa etária, renda, escolaridade, hábitos e interesses.

Conhecendo detalhes sobre o seu alvo, veja que informações deve coletar para montar uma lista de emails completa:

  • Nome e sobrenome

  • Endereço de email

  • Profissão

  • Empresa

  • Cargo que ocupa

  • Segmento em que atua.

Basicamente, com o nome e o endereço de email, você já pode iniciar uma aproximação com o cliente.

Então, tente não ser muito incisivo no primeiro contato, como iremos explicar no próximo tópico.

Comece a construção da sua lista de emails com uma página de captura (Landing Page)

Comece a construção da sua lista de emails com uma página de captura (Landing Page)

No marketing digital, outra poderosa ferramenta é a landing page.

Essa é uma página de captura de leads, uma peça que serve como uma espécie de formulário online para obtenção dos dados que você precisa para montar uma lista de emails.

A landing page, em geral, é utilizada para dar acesso ao usuário a conteúdos ricos, como ebooks e infográficos.

Como ele tem interesse no material, pois integra as suas personas, aceita informar o nome e o email em troca da liberação do download.

Quando faz isso, ingressa para a sua base de leads, que são os potenciais clientes.

A partir daí, o relacionamento entre empresa e consumidor tem início.

Para que isso aconteça, garanta que as informações na landing page sejam objetivas e que o usuário não a veja como uma comunicação invasiva.

Embora uma boa lista de emails traga detalhes adicionais sobre o contato, como explicamos antes, não é uma boa prática exigi-las nessa primeira abordagem, pois pode afastar e não atrair o potencial cliente.

Com um layout limpo, restringindo-se às informações necessárias e um CTA (call to action) chamativo, você tem o que precisa para capturar esse lead.

A partir daí, é só colocar em prática as estratégias que vamos ensinar para montar e qualificar a sua lista de emails.

10 Estratégias que você pode utilizar para construir e aumentar sua lista de emails

10 Estratégias que você pode utilizar para construir e aumentar sua lista de emails

Agora que já domina a teoria, que tal passarmos à prática?

Veja quais são as principais estratégias a adotar para ter uma poderosa lista de emails atuando em benefício das suas campanhas de marketing digital.

1. Ebooks

Ebooks são livros digitais, um conteúdo aprofundado sobre um determinado assunto.

Funcionam como um post de blog em versão ampliada e detalhada, oferecendo dicas valiosas, que servem como isca digital.

Isso significa dizer que ter acesso ao conteúdo é tão importante para o usuário que ele não hesita em fornecer seu email de contato para realizar o download.

Você pode desenvolver ebooks tanto para capturar leads quanto para nutri-los e qualificar a relação com os potenciais clientes.

Lembrando que esse é um esforço necessário para conduzir o usuário pelas etapas do funil de vendas do seu negócio.

Ou seja, até que ele esteja pronto a efetivar uma compra e se tornar, de fato, um cliente.

Um ebook deve ter um conteúdo completo sobre assuntos relacionados ao seu nicho, despertando grande interesse de suas personas.

2. Checklists

Checklists são listas didáticas com ações sequenciais para realizar uma determinada tarefa.

É uma relação passo a passo com tudo o que o usuário precisa, por exemplo, para instalar um equipamento, preparar uma receita ou construir algo.

O que você está vendo neste artigo é uma espécie de checklist resumido para montar a sua lista de emails.

Pense, então, em uma relação de dicas bastante completa e detalhada para uma tarefa relacionada ao seu nicho.

Em vez de oferecê-la no formato de post de blog, você pode criar um conteúdo em PDF, assim como o ebook, e disponibilizá-lo em troca do endereço de email do usuário.

Também pode usar esse material para enriquecer a relação com o potencial cliente.

3. Resumo de artigos

Quando um artigo interessa muito ao usuário, ele faz questão de ter acesso ao material.

Ao oferecer um resumo dele, você cria uma espécie de degustação, o que serve para instigá-lo ainda mais.

Assim, para continuar a leitura, o leitor aceita o desafio de fornecer seu endereço eletrônico para que passe a integrar a sua lista de emails.

Nesse caso, ele não vai fazer o download de nenhum material, mas simplesmente ter acesso a ele na própria página ou em outra que se abra a partir dela.

Obviamente, a tática funciona bem, mas não para qualquer artigo.

Você deve usar essa estratégia apenas para conteúdos que considera especiais e de maior interesse para as suas personas.

Só não esqueça de entregar o que promete, pois a expectativa do leitor costuma ser grande nesses casos.

4. Infográficos

Infográficos

A estratégia por trás dos infográficos é muito semelhante à dos ebooks.

Ou seja, você cria e disponibiliza um material especial sobre um assunto de interesse de suas personas e só libera o acesso a ele em troca do email do contato.

É também uma isca digital bastante interessante.

Um infográfico é sempre uma peça atrativa visualmente e com conteúdo rico.

Ela combina elementos que agregam valor à informação, geralmente a partir de estudos e pesquisas relevantes.

Podem ter conteúdo estático ou mesmo ser interativa, permitindo cliques do usuário.

Há diversas ferramentas que permitem elaborar online um bom infográfico.

Só não banalize o seu uso: faça sempre que o formato for exigido para a oferta de material aos leitores.

5. Cursos gratuitos

Toda forma de aprendizado é útil para o usuário.

Se ele não precisa pagar nada por isso, então, a oferta se torna ainda mais atrativa.

Esse é o caso de cursos gratuitos, os quais podem trazer uma pequena amostra da sua autoridade em determinado assunto.

Mesmo que você não atue no setor educacional, pode disponibilizar aulas sobre a realização de um pequeno serviço ou a utilização de um produto, por exemplo.

A escolha depende do seu modelo de negócio e nicho de atuação.

O importante é que o email do participante funcione como uma garantia de sua inscrição.

Dessa forma, você tanto pode capturar novos leads como qualificar os atuais.

6. Listas de ferramentas

Você, provavelmente, já teve contato com a oferta de materiais do tipo.

São aqueles que anunciam um número X de ferramentas úteis para uma determinada atividade.

Quer um exemplo?

Pense em um kit com 29 ferramentas de marketing digital.

Ou, quem sabe, 15 ferramentas para aumentar a produtividade no ambiente de trabalho.

Pode ser também 11 ferramentas de gestão para pequenas empresas.

Todos esses exemplos são válidos para entender a oportunidade que existe por trás da oferta.

Novamente, disponibilize o conteúdo em troca do email.

Ou, em uma estratégia de nutrição de leads, para aproximá-lo de uma possível compra.

7. Templates

Templates

Templates são modelos prontos para a construção de uma determinada peça.

Você certamente já teve acesso a esse tipo de material, como ao utilizar templates para montar infográficos, por exemplo.

Também templates para fazer um site, criar um blog, entre outros.

Eles são ótimos como um guia que facilita a realização de uma tarefa.

Seu público-alvo certamente possui templates de interesse, relacionados com a sua atividade.

O segredo, então, é criar um material que agregue valor ao potencial cliente e incentivá-lo a fazer o download.

8. Newsletter

Newsletters são uma ótima estratégia para fomentar o relacionamento com seus leads.

Estamos falando sobre um boletim eletrônico que divulga notícias, novidades e promoções relacionadas ao seu negócio, cujo envio acontece justamente para o endereço de email cadastrado.

Muitos leads podem ser gerados a partir dessa oferta, que pode estar disponível de forma permanente no site.

A inscrição na newsletter também deve ser divulgada em redes sociais, canal que ainda pode anunciar destaques do boletim, o que aumenta a abrangência do conteúdo.

E como o endereço eletrônico deve ser informado para receber o material, essa peça não poderia ficar de fora das dicas para construir uma lista de emails.

9. Webinários

Os webinários, por sua vez, são uma espécie de aula por vídeo.

Um curso online, um workshop, uma demonstração de produto ou mesmo um bate-papo com seguidores pode servir de motivação para oferecer esse momento à audiência.

Seja transmitido ao vivo ou gravado, representa uma oportunidade de interação importante com o público, permitindo a ele se sentir mais próximo da empresa.

Acerte na escolha do tema do webinário e confirme as inscrições a partir do registro do email do interessado.

Vale tanto para atrair leads como para nutri-los.

10. Vídeos

Os vídeos são a nova febre da internet. Ou nem tão nova assim.

Eles já representam a maior fonte de tráfego online e, até 2020, devem corresponder a 80% dele, segundo pesquisa divulgada pela Cisco.

Oferecer conteúdo em vídeo, portanto, é quase sempre uma estratégia de sucesso para conquistar o público e se manter engajado com ele.

Embora esse tipo de material possa ser oferecido a partir de um canal no YouTube, por exemplo, é válido pensar em formas de vincular o acesso ao endereço de email do usuário.

Dessa forma, você atua novamente em duas frentes: gera novos leads e investe no relacionamento com os atuais.

Crie landing pages para capturar leads com o Klickpages

Crie landing pages para capturar leads com o Klickpages

Seja um ebook, infográfico, curso online, newsletter ou webinário, todas as suas estratégias dependem de uma página de captura de leads.

Ou seja, de uma ótima landing page.

Mas se você não sabe como criar a sua, não se preocupe.

Temos como dica uma ferramenta que dá show nessa hora: o Klickpages.

Veja só como é muito fácil, prático e rápido usá-la a seu favor:

  1. Escolha seu modelo: veja opções de alta conversão comprovada em testes.

  2. Customize a página: como próximo, é só editar os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: por fim, publique no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Conclusão lista de emails

Uma lista de emails é um excelente ponto de partida para uma estratégia de marketing bem-sucedida.

Conforme você aprendeu neste artigo, a ferramenta é útil tanto para atrair potenciais clientes quanto para conduzir os atuais leads pelo seu funil de vendas.

Você não só pode como deve usar esse recurso para vender mais.

Não dá para ignorar os benefícios do email em tempos de tanto interesse digital do público.

Então, coloque em prática o que aprendeu hoje.

E na hora de criar as melhores landing pages, não se esqueça do seu principal aliado: o Klickpages tem a solução que você precisa.

Deixe seu comentário abaixo e compartilhe o conteúdo nas redes!

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.