Landing Page: Guia Prático Completo

Landing Page: Guia Prático Completo

Se você quer que o seu negócio tenha uma presença na internet, a landing page é um dos recursos indispensáveis para alcançar esse objetivo. 

E para ser bem sincero, não importa se você deseja ter um negócio 100% digital ou se você tem uma loja física e quer apenas usar a internet para atrair mais clientes.

Uma landing page pode ser a prova que o seu potencial precisa de que o seu negócio de fato existe.

Além disso, essa página é muito poderosa e capaz de transformar simples visitantes em potenciais clientes.

Ou até mesmo potenciais clientes em clientes de fato.

E nesse guia prático completo você vai ver tudo o que precisa saber sobre o assunto, desde o que é uma landing page e para que serve até como criar uma e os erros fatais que podem acabar com as suas conversões.

Começando por… 

O que é landing page?

A landing page é uma página totalmente focada em uma coisa: conversões. Ela também é chamada de página de destino ou de entrada. 

E tem como objetivo conduzir o usuário a realizar uma ação. Seja ela consumir um conteúdo, fazer o download de um material, se inscrever para a sua newsletter ou realizar uma compra.

A diferença da landing page para as outras páginas do seu site é que ela é construída exatamente com esse objetivo e nenhum outro.

Assim, tudo aquilo que pode gerar distrações, prejudicar ou comprometer de alguma forma esse objetivo é removido.

Portanto, ela é uma página mais limpa, com menor quantidade de links e de elementos visuais.

Mas, de forma prática, qual é o papel da landing page na sua estratégia de marketing. É exatamente isso que você verá agora.

Para que serve uma landing page?

Uma landing page serve para realizar conversões e também gerar leads.

Isso é conseguir uma forma de contato, preferencialmente o e-mail, de potenciais clientes para que depois você possa criar um relacionamento com eles através do seu conteúdo e fazer uma oferta do seu produto ou serviço.

Dessa forma, a landing page é passo importante no processo de venda de produtos e serviços.

Pois é através dela que você provavelmente irá iniciar o relacionamento com muitos dos seus futuros clientes.

E é por essa razão que ela precisa ser construída com linguagem convidativa e aparência atrativa.

A confirmação da conversão e a atração de um potencial cliente para a sua base de contatos depende dessa estratégia.

Por isso, um dos principais erros no marketing digital é não dar valor a landing page e tratá-la como uma homepage, por exemplo. 

Para você entender melhor, eu vou te explicar as diferenças entre a homepage e a landing page. Mas primeiro…

Por que você deve usar landing pages?

Por que você precisa de uma página 100% focada em conversões? 

Não seria melhor ter uma página que oferece conteúdo, vende diversos produtos e dá a opção de o usuário se cadastrar em uma newsletter, além de conhecer mais sobre o que é o seu negócio?

O fato é que um potencial cliente pode visitar a sua página uma vez e nunca mais retornar. E aí você perdeu de vez o contato com aquela pessoa.

É que nem você ver alguém que te interessa em uma festa ou balada e não pegar o número da pessoa.

Dificilmente, no momento da festa você vai conseguir sair de lá com um relacionamento formado.

Mas esse passo de pegar o número de telefone da pessoa é o que garante que você tem uma chance de falar com ela novamente e novamente, até que vocês dois decidam entrar em um relacionamento.

Da mesma forma, a landing page é voltada para que o potencial cliente realize a compra e aí seu objetivo final é alcançado. 

Ou para você conseguir uma forma de contato dele para criar uma relacionamento que futuramente levará a uma possível compra.

Sendo bem sincero, sem esse ponto na sua estratégia de marketing digital, você está perdendo potenciais clientes.

Agora que você já sabe por que essa página é tão importante, eu vou te explicar a diferença dela para a homepage e por que elas não são a mesma coisa.

Qual a diferença entre landing page e uma homepage?

A homepage ou página inicial é a capa de um site. Ela aponta caminhos, mas não a solução exata para a necessidade do usuário.

Geralmente, de lá você pode obter links para informações de contato do negócio, endereço das lojas físicas, blog e até mesmo conhecer um pouco da história da empresa.

Já a landing page tem como objetivo responder a uma demanda específica do usuário.

A homepage é subjetiva, cheia de links, imagens e também anúncios.

A landing page é objetiva, com elementos restritos para evitar distrações.

A primeira apresenta ao usuário uma série de opções; a segunda, recomenda claramente o que ele deve fazer ao indicar um único caminho.

Agora que você já sabe diferenciar essas duas páginas, eu você vai ver…

Tipos de landing page

Como você já viu, cada landing page possui um objetivo único, mas eles podem ser divididos em categorias para você ter mais facilidade de identificar o tipo de página que você precisa.

Neste tópico, eu separei para você quais são os principais tipos, características de cada um deles e em que momento da sua estratégia eles se encaixam.

Página de captura

Essa é uma landing page voltada exclusivamente para capturar o e-mail de um potencial cliente.

Geralmente, nela você faz uma oferta, seja de um material para download ou a inscrição em um webinário, por exemplo.

E em troca, para liberar o acesso, pede o endereço de e-mail do visitante através de um formulário.

Para saber mais detalhes sobre a página de captura, leia o artigo Página de captura: por que ter uma não vai te fazer capturar mais leads aqui do blog do KP.

Página de confirmação pendente

Normalmente, depois que o usuário deixa o e-mail, ele é redirecionado para uma página de confirmação pendente.

Essa é uma landing page bem mais simples cujo objetivo é indicar para o potencial cliente que ele precisa acessar a conta de e-mail e confirmar a inscrição para ter acesso a recompensa.

Aqui precisam estar bem claras as informações sobre os passos seguintes que o usuário deve tomar, para que ele não fique confuso, achando que a ação anterior não foi bem sucedida.

Página de vendas

A landing page do tipo página de vendas tem como objetivo ofertar um produto ou serviço.

Ela deve conter os benefícios do que está sendo vendido, a transformação que esse produto ou serviço pode gerar na vida da pessoa, prova social através de depoimento de clientes satisfeitos, uma seção de FAQ com respostas para as principais perguntas sobre a oferta.

Todos os recursos dessa página têm o foco em levar o usuário para a página de pagamento, que é onde ele irá finalizar o processo de conversão.

Para conhecer melhor a página de vendas, leia Página de vendas: resolva as objeções do seu cliente em um único lugar.

Página de obrigado

Por último, a página de obrigado serve para finalizar a conversão tanto no caso de uma venda quanto na captura de lead.

Ela indica para o cliente ou potencial cliente que a ação executada foi concluída com sucesso e pode sugerir um próximo passo.

Esse próximo passo pode ser desde a leitura de um artigo de blog, o download de uma outra recompensa ou a compra de um produto adicional.

A Angela explica mais a fundo o que uma página de obrigado deve conter no artigo Página de obrigado: por que essa etapa foi fundamental para gerar 293,66% de ROI.

Como criar uma landing page

Antigamente, para ter esse tipo de página você precisava entender de programação ou contratar alguém que fizesse esse tipo de serviço.

Mas, hoje em dia, é muito mais simples. 

Você pode ter uma landing page publicada em poucos minutos utilizando uma ferramenta como o Klickpages.

Se você ainda não conhece, o Klickpages é um construtor de páginas simples e intuitivo de usar.

Por meio de templates, você pode criar suas páginas com a cara do seu negócio sem precisar encostar em uma linha de código ou depender da disponibilidade de um desenvolvedor.

Clique aqui para saber mais sobre o Klickpages

Mas o fato é que criar uma landing page não é só escolher e editar um template utilizando a ferramenta da sua escolha.

É imprescindível que você saiba exatamente quais são os elementos que a sua página deve ter e também quais erros não cometer.

E é justamente isso que eu te explico agora.

Quais elementos uma boa landing page precisa ter?

Você já viu que todos os elementos da sua landing page devem estar focados em converter um visitante em potencial cliente ou um potencial cliente em cliente.

Mas o que você provavelmente ainda não sabe é quais elementos são esses.

Na minha experiência, uma boa landing page tem basicamente 4 partes. Elas são as seguintes:

1. Título chamativo

O título deve tirar o usuário da inércia, levá-lo a se mexer na cadeira e abandonar a zona de conforto.

Isso quer dizer falar algo que chame a atenção do público e o deixe curioso para saber do que se trata a sua oferta.

Além disso, ele deve ser claro, prometer algum benefício ou oferecer uma solução, e não pode gerar confusão.

Exemplos de bons títulos: 

  • A ferramenta que você precisa para criar landing pages, atrair clientes e alavancar o seu negócio

  • Como usar a internet para alavancar suas vendas ou criar um negócio digital 100% do zero

  • Desenvolva uma nova habilidade e mude o seu futuro

  • Cursos 100% online e gratuitos para você entrar com o pé direito nas tecnologias mais desejadas do mercado

2. Oferta

Depois de conquistar a atenção do seu potencial cliente, você deve convencê-lo de que a oferta da sua landing page vale o tempo dele (e o dinheiro, se você estiver vendendo algo).

Esse é o momento de usar os gatilhos mentais para apresentar seu produto, serviço ou material para download de forma interessante e que estimule a conversão.

Lembre-se de destacar os benefícios da oferta e o que o seu potencial vai sair ganhando ou qual problema será resolvido, se ele completar a conversão.

3. Call to Action (CTA)

Você sabe o que é CTA? 

É a chamada para ação, ou seja, um convite para o usuário dar o próximo passo.

Geralmente, em uma landing page a call to action costuma aparecer na forma de botão com frases no estilo “clique aqui e experimente grátis”, “baixe agora e descubra…”.

Esse é um dos pontos que você deve tomar mais cuidado com o quesito clareza, pois o usuário deve entender com facilidade qual é a ação esperada dele.

Você pode se aprofundar mais nesse elemento lendo os artigos:

4. Formulário simples

Por último, vem o formulário para concretizar a conversão.

E tanto faz se o seu objetivo é captar uma lead ou processar o pagamento de uma compra, peça apenas os dados que realmente são essenciais.

Se o usuário tiver que preencher muitos campos, ele pode acabar desistindo de acessar sua recompensa ou de finalizar a compra.

Por isso, o seu formulário deve ser o mais simples e objetivo possível.

4 dicas para criar landing pages matadoras

Como transformar uma landing page boa em uma excelente com alta taxa de conversão? 

A resposta para melhorar os resultados pode estar nas dicas simples de serem executadas que eu trouxe para você nas próximas linhas.

Olha só:

#1 Seja objetivo

Ao agregar elementos que vão atrapalhar o foco do usuário, você só irá se distanciar do objetivo da landing page.

Em regra geral, a dica é ir direto ao ponto, sem rodeios. Quanto mais você disser em menos palavras e elementos, melhor. 

#2 Remova as distrações

Todos os elementos que compõem a sua landing page precisam contribuir para a conversão.

Opte por um layout limpo e leve, utilize cores mais chamativas apenas nos elementos para os quais você quer de fato chamar atenção, como os botões de CTA.

E siga a regra: se não reforçar a mensagem da sua oferta, corte.

#3 Utilize recursos visuais

Os recursos visuais, como imagens e vídeos, podem e devem ser usados para tornar a sua oferta mais concreta.

Por exemplo, se você está vendendo um produto, coloque uma foto dele.

Além disso, você também pode usar imagens que representam a transformação que a sua oferta pode gerar na vida do seu potencial cliente.

Isso vai deixar mais claro para o visitante qual é o tipo de resultado que ele pode esperar caso ele prossiga com a conversão.

#4 Melhore sua landing page com testes A/B

Se você tem dúvidas como:

“Afinal, onde devo colocar o formulário? E o botão de CTA?”

“Será que estou usando as cores certas?”

“Esse título está mais chamativo do que o anterior?”

Você pode utilizar os testes A/B para decidir qual é a melhor opção.

Eles consistem em lançar duas versões da mesma página porém com alterações em um elemento.

Durante o período de testes, alguns usuários são selecionados para acessar a versão A da página, e outros a versão B.

No final, você analisa os resultados e descobre na prática qual caiu mais no gosto do seu público e, assim, pode usar esse modelo para captar leads ou fazer vendas.

E, se você quiser conferir mais dicas para deixar suas landing pages ainda melhores, confira o artigo: Landing page: 11 dicas para criar páginas atraentes e de alta conversão.

Agora, uma coisa que eu não poderia deixar de te falar…

2 erros que você não deve cometer em hipótese alguma ao criar landing pages

Você já viu o que deve fazer para criar uma landing page matadora. 

O lance é que não adianta você construir a melhor página possível, se você cometer esses dois erros.

Porque eles podem ser fatais.

Eles não são os únicos erros. No artigo 22 erros ao criar landing page que estão matando as suas conversões, eu aprofundo nesse assunto.

Mas esses dois em especial, podem derrubar a sua estratégia. Por isso eu resolvi destacá-los aqui para você.

Eles são:

#1 Demora no carregamento da página

Só para você ter uma noção, 74% dos usuários que acessam à internet por smartphones desistem de ver uma página se ela demorar mais que 5 segundos para carregar.

E muitas vezes essa demora no carregamento não tem nada a ver com a velocidade da internet do visitante.

E, sim, com a estrutura da sua página.

Por isso é importante regularmente fazer testes utilizando ferramentas como o Google Pagespeed Insights para verificar a velocidade de carregamento.

E também implementar as otimizações necessárias para oferecer uma boa experiência do usuário para os seus potenciais clientes. 

#2 Não utilizar um design responsivo

Se você não sabe, as páginas responsivas são aquelas que se adaptam automaticamente a telas menores, como tablets e smartphones.

Essa tecnologia é indispensável, pois atualmente cada vez mais as pessoas utilizam o celular para navegar na internet.

E se a sua página não oferece uma boa experiência em telas pequenas, dificilmente o visitante vai realizar a conversão que você espera.

Principais métricas para medir o sucesso das suas landing pages

Depois que as suas páginas estiverem prontas e publicadas, você precisará saber como medir os seus resultados para saber se está alcançando o seu objetivo.

E você está enganado se achar que o sucesso das suas landing pages pode ser medido apenas através da quantidade de visitantes.

Essa é uma métrica que não indica se esse tipo de página está de fato cumprindo o papel dela. Afinal a meta é a conversão.

Por isso os 5 principais indicadores que você deve utilizar para medir o sucesso das suas landing pages são:

  1. taxa de conversão;

  2. taxa de rejeição;

  3. taxa de saída;

  4. taxa de cliques;

  5. custo por lead;

Para entender cada uma dessas métricas e como calculá-las, leia o artigo 5 métricas essenciais para avaliar na sua landing page.

Exemplos de landing pages para você se inspirar

Para finalizar este artigo, eu trouxe 3 exemplos de landing pages para você se inspirar e criar as suas.

#1 Uber

Landing page da Uber

Por que essa landing page é boa?

Ela tem um único objetivo: conseguir que o visitante se inscreva para se tornar um motorista da Uber.

Por isso, o título dela está voltado para um dos principais benefícios que uma pessoa tem ao tomar esta ação: poder trabalhar no seu próprio horário, sem ter que bater ponto.

Além disso, está muito claro o que o usuário precisa fazer através da CTA “Cadastre-se agora”.

E apesar de o formulário ter diversos campos a serem preenchidos, neste caso, isso não tende a ser um problema para o público, pois são informações essenciais para que a pessoa se torne um motorista da Uber.

Se o formulário fosse muito simples e pedisse só o e-mail, por exemplo, poderia até causar uma certa estranheza e a sensação de que algo não parece certo.

#2 Airbnb

Lading page da Airbnb

Se você não conhece, a Airbnb é uma empresa na qual as pessoas podem anunciar suas casas ou um cômodo, por exemplo, para ser alugado durante uma temporada.

Esta landing page tem o objetivo de atrair e conseguir o contato de novos anfitriões.

Por isso, a oferta dela está focada no valor que uma pessoa pode ganhar hospedando visitantes através do Airbnb.

Além disso, esta página traz outros elementos que são essenciais para o tipo de produto que eles estão oferecendo.

Ao longo da página, eles explicam como o serviço do Airbnb funciona, quais são as garantias para o anfitrião, como o pagamento funciona e tem até uma seção de FAQ.

Ou seja, o tempo todo eles estão tornando a oferta mais clara e descomplicada para o público.

Fora que eles mesclam essas informações com prova social, através de depoimentos, para criar uma conexão e estimular a ação.

#3 Academia da produtividade

Landing page da academia da produtividade

Esta landing page é focada na inscrição para um workshop gratuito.

De cara, você já tem a oferta explicada de uma forma simples e a CTA.

Mas se o visitante ficou na dúvida se vai se inscrever ou não, nas seções seguintes ele pode descobrir o que será ensinado no workshop, quem é a pessoa por trás, ver histórias de sucesso e tirar suas dúvidas na FAQ.

Um detalhe interessante sobre essa landing page é que praticamente depois de todo elemento tem um botão com a CTA.

Essa pode ser uma sacada legal para estimular a conversão.

Gostou dos exemplos? Você pode ver outros no artigo: 20 exemplos de landing pages para você salvar nos seus favoritos.

Conclusão

Neste artigo, eu trouxe para você um guia prático completo sobre landing pages, que é um tipo de página crucial para quem deseja ter presença na internet.

Primeiro, você viu o que são as landing pages (ou, em português, páginas de aterrissagem), para que elas servem e por que deve usá-las.

Depois, eu te expliquei as diferenças entre a homepage (ou página inicial) e uma landing page.

Além disso, você descobriu quais são os quatro tipos mais comuns: página de captura, página de pendente, de vendas e de obrigado; e quais são os elementos indispensáveis.

Eu também te dei 4 dicas para tornar as suas páginas ainda melhores e falei sobre 2 erros que você não pode cometer de forma alguma.

E, por fim, você viu 3 exemplos de landing pages para se inspirar.

Gostou deste artigo? Me conta aqui nos comentários!

(Este artigo foi originalmente publicado em 20 de setembro de 2017 e atualizado em 10 de março de 2020 para oferecer informações mais precisas e completas)

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.