Jornada do Herói: a fórmula comprovada para se contar boas histórias (e como aplicar no seu marketing)

Jornada do Herói: 12 etapas para contar uma história envolvente

Você já tentou contar a história de como surgiu a sua empresa ou a ideia para o seu produto e não sabia por onde começar? Ou pior, contou a história e as pessoas não prestaram atenção? Então, a jornada do herói pode te ajudar!

Não sei você… Mas toda vez que eu vou narrar algo, uma voz dentro de mim fica se perguntando se as pessoas estão de fato interessadas no que eu estou falando.

Será que elas estão prestando atenção? Será que eu estou mantendo o meu público entretido?

E talvez esse seja um dos motivos pelos quais eu não compartilho muitas piadas com os meus amigos.

Se você se identifica um pouco com o que eu estou falando, eu tenho uma boa notícia.

Existe uma fórmula comprovada para se contar boas histórias. Um passo a passo que foi usado por best-sellers, fenômenos de bilheterias.

E o melhor é que é algo que você pode aplicar no seu marketing e, inclusive, utilizar para ofertar o seu produto.

O nome dessa fórmula que eu estou te falando é “jornada do herói” e aqui neste artigo eu vou te explicar tudo o que você precisa saber sobre ela. Desde:

  • o que é a jornada do herói;

  • como ela surgiu;

  • sua estrutura;

Até como utilizá-la no seu marketing para aumentar suas vendas.

Mas, antes de começar, eu preciso te alertar sobre uma coisa:

Esse artigo contém spoilers dos filmes Harry Potter e a Pedra Filosofal, Star Wars episódios IV e V, Irmão Urso, Jogos Vorazes e Matrix. 

Não é nada demais, mas é só para você não dizer que eu não te avisei.

Então, bora lá?!

O que é a jornada do herói?

O que é a jornada do herói?

A jornada do herói, também chamada de monomito, é uma estrutura utilizada para contar histórias.

Ela é dividida em 12 etapas e, em cada uma delas, o herói (ou seja, o protagonista) supera algum desafio ou toma uma decisão para avançar em direção ao desfecho.

Essa estrutura foi e é utilizada consciente e inconscientemente em diversos mitos, lendas, romances e filmes.

Inclusive, pode-se dizer que a jornada do herói é uma dos modelos clássicos mais utilizados na cultura ocidental para contar histórias.

Além de ser um dos mais estudados por escritores e roteiristas.

E não é só isso. Você pode aplicar o monomito para potencializar suas estratégias de marketing e, até o final deste artigo, eu vou te explicar exatamente como fazer isso.

Mas, primeiro, como foi que surgiu essa estrutura?

Origem da jornada do herói

Origem da jornada do herói

A primeira vez que o termo “jornada do herói” apareceu foi em 1949 no livro “O Herói de Mil Faces”, do norte-americano Joseph Campbell.

Campbell dedicou a sua vida a estudar as artes, literatura e, especialmente, religião e mitologia.

Tantos estudos e pesquisas o levou a encontrar e consolidar uma fórmula narrativa que estava presente nas histórias de diversas civilizações, desde Jesus Cristo até Buda e mitos da Grécia Antiga.

Para ele, era como se todos esses relatos seguissem à sua própria maneira uma mesma estrutura arquetípica.

Ou seja, um modelo que servia de exemplo para se contar boas histórias.

Detalhe: ele não criou um passo a passo e tentou fazer as narrações se encaixarem nele. Pelo contrário, ele observou que existia algo em comum na forma como os mitos eram contados.

Então, Campbell explicou sua teoria a partir dos arquétipos do famoso psicólogo Carl Jung e consolidou a estrutura da jornada do herói em 18 estágios divididos em 3 atos.

Eles são os seguintes:

Ato 1 – Partida

  1. Mundo cotidiano

  2. Chamado à aventura

  3. Recusa do chamado

  4. Ajuda sobrenatural

  5. Travessia do primeiro limiar

  6. Barriga da baleia

Ato 2 – Descida, iniciação e penetração

  1. Estrada de provas

  2. Encontro com a deusa

  3. A mulher como tentação

  4. Sintonia com o pai

  5. Apoteose

  6. A grande conquista

Ato 3 – Retorno

  1. Recusa do retorno

  2. Voo mágico

  3. Resgate interior

  4. Travessia do limiar

  5. Senhor de dois mundos

  6. Liberdade para viver

Só que a história da jornada do herói não acabou por aí com a publicação do livro “O Herói de Mil Faces”.

Cinquenta e sete anos depois, em 2006, Christopher Vogler lançou o livro “A Jornada do Escritor: Estrutura Mítica para Escritores”.

Vogler é um roteirista de Hollywood e também já foi professor de cursos de cinema em universidades americanas renomadas, como a USC (Universidade do Sul da Califórnia) e UCLA (Universidade da Califórnia, Los Angeles).

Na época em que trabalhava nos estúdios da Disney, ele escreveu um memorando baseado no livro “O Herói de Mil Faces” para ser utilizado como referência pelos roteiristas do estúdio.

Esse memorando tomou tamanha proporção que virou livro e hoje em dia é utilizado como guia por escritores e roteiristas que querem aplicar a jornada do herói em suas histórias.

O grande diferencial da versão de Vogler é que os 18 estágios foram transformados em 12 etapas mais simples de se compreender e aplicar. 

E é isso que eu vou te mostrar agora.

Estrutura da jornada do herói

Estrutura da jornada do herói

Provavelmente, se você reparar bem, seus filmes e livros favoritos seguem a estrutura (se não for tim tim por tim tim, pelo menos boa parte dela) que você vai ver nas próximas linhas.

Eu estou te falando isso porque grandes sucessos como Matrix e Star Wars usaram como base a jornada do herói.

E não só esses como muitos outros filmes de grandes estúdios de Hollywood. 

Além do mais, a jornada do herói também funciona para formatos mais curtos como vídeos institucionais e cases de sucesso que você pode utilizar para atrair mais clientes para o seu negócio.

Então, se liga só nas 12 etapas que Christopher Vogler definiu em “A Jornada do Escritor”:

1. O mundo comum

A história começa apresentando o protagonista em seu status quo, sua vida cotidiana.

2. O chamado à aventura

Então, o protagonista recebe um chamado à aventura, que pode ser um convite externo ou uma situação em que ele mesmo se coloca.

Por exemplo, Harry Potter foi convidado por meio de cartas e da visita do Hagrid para ir estudar em Hogwarts (fator externo).

Já a Katniss Everdeen decidiu por conta própria se voluntariar para participar dos jogos vorazes no lugar da irmã mais nova dela (fator interno).

3. Recusa do chamado

Geralmente, depois de receber o convite, o protagonista reluta em aceitar, porque ele não quer sair de seu mundo comum.

Foi o que aconteceu com Luke Skywalker que, a princípio, se recusa a ajudar a princesa Leia.

4. Encontro com o mentor

Para dar um empurrãozinho a mais para o personagem principal embarcar de fato na aventura, aparece então um mentor.

É comum que essa figura seja representada por alguém mais velho, que assume a condição de sábio e vai transmitir ensinamentos importantes para o futuro herói sobreviver a sua jornada.

Por exemplo, Haymitch, o mentor de Katniss Everdeen (em Jogos Vorazes). Ele é um dos sobreviventes de edições anteriores dos jogos e tem algumas dicas valiosas que ajudarão a protagonista a se manter viva.

5. A travessia do primeiro limiar

Finalmente, o futuro herói deixa para trás o seu mundo comum e embarca no desconhecido. 

Esse é o momento em que o protagonista entra na nave que vai levá-lo para o espaço, no trem que vai para Hogwarts ou toma um comprimido vermelho para descobrir o que é a matrix.

6. Provas, aliados e inimigos

Dentro do novo mundo, o personagem principal irá fazer amigos, inimigos e enfrentará os seus primeiros testes.

Essa etapa é de bastante aprendizado. Por exemplo, Harry tem suas primeiras aulas de magia, entra acidentalmente para o time de Quadribol e faz amizade com Rony e Hermione.

7. Aproximação da caverna oculta

Depois de um tempo aprendendo as regras do novo mundo e conhecendo seus aliados, aqueles que vão ajudá-lo a conquistar a missão, o herói se prepara para sua maior batalha.

É nesse momento que ele vai atrás do seu objeto de maior desejo ou do grande inimigo que ele precisa enfrentar.

Se fosse um jogo de videogame, é como se depois de passar por diversas fases chegasse finalmente o momento de ir encarar o chefão.

8. A provação

Aqui é quando de fato acontece o encontro com o chefão. Ou seja, esse é o maior desafio que o herói precisa enfrentar, até o momento, em sua jornada.

Geralmente, a provação é uma experiência de (quase) morte, onde o protagonista vai usar tudo o que aprendeu como o mentor e nas etapas anteriores para ressurgir glorioso.

O exemplo mais claro disso é na história de Jesus Cristo, quando ele enfrenta a morte de cruz para, três dias depois, ocorrer a ressurreição durante a Páscoa.

Mas trazendo algo mais contemporâneo, no episódio V de Star Wars, é o momento em que depois de Darth Vader contar que é seu pai, Luke Skywalker quase se mata.

9. A recompensa

Após passar pela experiência de quase morte (seja física ou mental), o herói ressurge como um novo homem.

E recebe uma recompensa que pode ser um prêmio, título, objeto precioso ou nova habilidade.

Por exemplo, no final do primeiro filme do Harry Potter, Dumbledore dá pontos extras para Harry, Rony e Hermione, o que faz com que Grifinória ultrapasse Sonserina e ganhe a Taça das Casas. 

10. O caminho de volta

Agora que o herói venceu os desafios do mundo desconhecido e conquistou a recompensa é, finalmente, hora de voltar para casa.

11. A ressurreição

Mas, se você você achava que a jornada do herói já tinha chegado ao seu fim, está muito enganado.

Aqui surge um momento decisivo na vida do personagem, onde ele precisa provar que realmente aprendeu lições valiosas durante sua aventura.

Se você assistiu a “Irmão Urso”, a ressurreição é quando Kenai decide que vai continuar como urso para cuidar de Koda.

12. O retorno com o elixir

Agora sim, finalmente, o herói retorna ao seu mundo comum trazendo consigo o elixir (uma poção mágica com poderes de cura), um tesouro ou uma grande lição que ele aprendeu ao longo de toda essa jornada.

Esse vídeo do TED-Ed resume de forma simples e divertida os 12 passos que eu acabei de te explicar:

Agora que você já viu as 12 etapas descritas por Christopher Vogler em “A Jornada do Escritor”, eu vou te falar um pouco mais sobre como você pode aplicá-los para atrair mais clientes e aumentar suas vendas.

Como usar a jornada do herói no marketing

Como usar a jornada do herói no marketing

Se você não sabia, o storytelling é uma das técnicas mais poderosas para quem quer vender um produto.

Primeiro porque, além do fato de que uma história bem contada é capaz de capturar a atenção das pessoas, um experimento feito na Universidade de Princeton comprovou, por meio de exames de ressonância, que a atividade cerebral de quem ouve uma história é praticamente igual a de quem está contando.

Ou seja, narrar um fato você pode influenciar a audiência a focar naquilo que você quer que ela perceba.

Dessa forma, você consegue ressaltar os benefícios do seu produto ou serviço ao mesmo tempo em que cria uma conexão emocional com os seus potenciais clientes.

Se você tem interesse em saber mais sobre como as histórias atuam no cérebro humano, eu recomendo fortemente que você assista a este vídeo abaixo:

Agora a parada é que para você aproveitar todos os benefícios do storytelling, você precisa saber como contar uma boa história.

E é exatamente nesse ponto que a jornada do herói pode acrescentar na sua estratégia de marketing.

Eu não sei se você envia e-mails com ofertas ou tem uma página de vendas do seu produto.

Mas o fato é que você pode adaptar a jornada do herói para mostrar para o seu potencial cliente como a vida dele pode ser transformada com o seu produto ou serviço.

Como o seu negócio pode resolver alguma dor ou problema que o seu público tem ou como é possível conseguir algum benefício valioso.

Nesse contexto, é preciso estar claro para você que o herói não é a sua empresa ou o seu produto, mas sim o cliente.

É ele que vai sair do mundo comum e ser transformado pelo que você oferece. O seu papel nessa jornada é ser o mentor que vai ajudá-lo conquistar o objetivo.

Falando de forma prática você pode adaptar a jornada do herói usando as 5 primeiras etapas para ofertar o seu produto ou serviço da seguinte maneira:

  1. Mundo comum: mostrar para o seu público qual é o problema que existe no status quo dele ou qual oportunidade ele está deixando de aproveitar;

  2. Chamado à aventura: é o seu convite para experimentar algo novo que pode resolver a dor do seu potencial cliente ou trazer algum benefício que ele deseja. É a promessa que você faz sobre o seu produto ou serviço;

  3. Recusa ao chamado: na cabeça do seu prospect é bem possível que haja objeções, motivos pelos quais ele não deveria comprar o seu produto ou serviço (não tenho tempo, é muito caro…). A sua missão nessa etapa da jornada é quebrar essas objeções, mostrar de forma íntegra que essas razões não são motivos pelos quais o seu público deveria deixar essa oportunidade passar.

  4. Encontro com o mentor: como eu falei, o seu papel (e o do seu negócio) é ser o mentor da jornada do herói. Aqui é o momento de você se apresentar e mostrar como você pode ajudar o seu potencial cliente a alcançar os objetivos dele. Não se esqueça de colocar prova social para reforçar sua expertise.

  5. A travessia do primeiro limiar: a passagem para o novo mundo é a sua CTA (chamada para ação), é o botão que finaliza a compra ou completa a conversão. Aqui é quando o cliente toma a decisão se vai prosseguir ou não na oferta que você fez.

Aplicando essas 5 etapas você consegue criar uma oferta de forma estruturada.

Mas além dessa adaptação, você pode usar a jornada do herói para contar a história do seu negócio em vídeos institucionais e também como você descobriu o método que você ensina ou desenvolveu o seu produto.

O primeiro passo antes de aplicar a jornada do herói

O primeiro passo antes de aplicar a jornada do herói

Como eu acabei de te explicar, você pode usar a jornada do herói no marketing para transformar seus potenciais clientes em clientes de fato.

Ou seja, dar aquele empurrãozinho para concretizar a venda.

Só que para você enviar um e-mail com uma oferta ou atrair o seu público para a página de vendas, você precisa primeiro construir uma lista.

Se ainda não tem uma lista de e-mails, eu recomendo fortemente que você crie uma landing page e ofereça uma recompensa de valor (pode ser um ebook, inscrições para um webinar ou infográfico, por exemplo).

Em troca, peça o endereço do e-mail das pessoas que se interessarem.

Assim você consegue construir uma audiência de potenciais clientes para quem você poderá fazer uma oferta aplicando a jornada do herói.

E se você não sabe como criar uma landing page, o Klickpages é a ferramenta ideal para te ajudar.

Com ele, você só precisa seguir esses 3 passos para ter suas páginas publicadas:

  1. Escolha seu modelo: conheça opções de alta conversão comprovadas por testes.

  2. Divirta-se customizando a página: edite textos, cores e imagens, além de ocultar elementos que você não queira.

  3. Publique: com tudo pronto é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Jornada do Herói - Conclusão

Neste artigo, eu te falei sobre a fórmula comprovada para se contar boas histórias: a jornada do herói.

Esse é um conceito que foi estabelecido por Joseph Campbell depois de analisar diversos mitos e narrativas de diferentes culturas.

A jornada do herói ou o monomito, como ela também é chamada, é uma estrutura arquetípica com 18 passos divididos em 3 atos que o protagonista passa para se tornar um herói.

O roteirista norte-americano, Christopher Vogler, condensou essa jornada em 12 etapas mais simples de compreender e publicou isso em um memorando que depois se tornou o livro “A Jornada do Escritor”.

Inclusive, esse livro é utilizado como base por diversos roteiristas famosos no mundo inteiro.

Aqui neste artigo eu te expliquei exatamente quais são as 12 etapas de acordo com Vogler e como você pode adaptá-las para fazer uma oferta.

E aí já tinha ouvido falar na jornada do herói ou utilizado essa estrutura no seu marketing? Me conta aqui nos comentários! 😉

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Sou especialista em SEO, tráfego orgânico e informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.