Por que você não deve tentar alcançar a nota máxima no Google Pagespeed Insights

Google Pagespeed Insights: o que é e como aumentar sua nota

Focar em alcançar a nota máxima no Google Pagespeed Insights é uma tarefa que toma tempo, energia e esforço desnecessários e ainda pode colocar outras áreas do seu negócio em risco.

É que nem fazer prova de duas matérias diferentes no mesmo dia. Não sei se na época de escola você passou por uma situação assim.

Mas eu lembro que, quando estava no ensino fundamental, tinha a semana de provas e fazíamos duas avaliações por dia.

O lance é que, na maioria das vezes, eram duas disciplinas completamente diferentes. Por exemplo, história e matemática no mesmo dia.

Na época, eu ia para a escola à tarde e tinha as manhãs livres para fazer dever de casa e estudar. Então eu precisava dividir o meu tempo para revisar as duas matérias.

Se eu ficasse obcecada em rever um conteúdo para gabaritar uma prova, eu corria um sério risco de não ter tempo para me preparar para a outra.

E aí eu poderia até tirar a nota máxima na disciplina em que eu foquei, mas também tinha uma probabilidade alta de me sair mal na outra que eu não me preparei direito.

O segredo para me dar bem no geral era ter equilíbrio e dividir o meu tempo e energia de forma que eu pudesse revisar cada matéria o suficiente para ter uma boa nota.

Era muito melhor não gabaritar uma matéria mas passar nas duas, do que correr o risco de ficar de recuperação em uma para tirar nota máxima na outra.

Por que estou te falando isso?

Porque a mesma coisa rola no seu negócio. 

Alcançar uma pontuação 100/100 no Google Pagespeed Insights não é fácil. Nem mesmo o próprio Google tem:

 Google Pagespeed Insights Nota

E, como empreendedor, você provavelmente tem muitas tarefas que precisa administrar, assim como a sua equipe (caso você tenha uma) também tem diversas demandas para lidar.

Se vocês ficarem obcecados em atingir a nota máxima no Google Pagespeed Insights, as chances são que vão estar desperdiçando tempo, energia e recursos que poderiam ser utilizados para crescer e melhorar outras áreas do seu negócio.

É a mesma lógica de fazer duas provas no mesmo dia.

É melhor ter uma nota boa o suficiente no Pagespeed Insights e se sair bem em outros aspectos do seu negócio…

Do que perder tempo, energia e recursos tentando alcançar a pontuação máxima (o que demanda otimizar diversos detalhes que podem ser complicados) e deixar a peteca cair em áreas que você deveria dar mais atenção.

Então, para você não cometer esse erro, hoje eu vou te mostrar:

  • o que é o Google Pagespeed Insights;

  • por que você deve se preocupar com a velocidade das suas páginas;

  • como o Google Pagespeed Insights funciona;

  • o que é considerado uma boa nota;

  • e 6 otimizações que você mesmo pode fazer para melhorar sua nota.

Bora lá?

O que é o Google Pagespeed Insights?

O que é o Google Pagespeed Insights?

O Pagespeed Insights é uma ferramenta gratuita do Google que serve para medir em tempo real o desempenho de uma página, tanto em dispositivos móveis quanto no desktop, e estipular uma pontuação de velocidade.

É como se fosse uma barreira eletrônica que mede e mostra a velocidade dos carros numa via. 

A diferença aqui é que não existe um limite, na verdade, quanto mais rápida for a página melhor.

Além disso, o Pagespeed Insights aponta oportunidades de melhorias específicas. Otimizações que você pode fazer na sua página para acelerar o carregamento.

Mas afinal de contas…

Por que você deve se preocupar com a velocidade de carregamento da sua página?

Por que você deve se preocupar com a velocidade de carregamento da sua página?

No mundo digital cada segundo conta, principalmente no mobile. 

Tanto que a velocidade de carregamento ideal para uma página é abaixo de 3 segundos, de acordo com o Google.

E a probabilidade de um usuário desistir de acessar uma página aumenta em 123% quando o tempo de carregamento é de 10 segundos.

Mas o que todas essas informações querem dizer no final das contas para o seu negócio?

Redução do número de visitantes

Quando a taxa de abandono aumenta, a tendência é que o número de visitantes caia ou pelo menos que a sua página não receba tantas pessoas quanto poderia.

Consequentemente isso diminui o número de potenciais clientes que você pode nutrir e educar sobre a necessidade de comprar o seu produto.

E tudo isso causa um…

Impacto no faturamento

Se as pessoas desistem de acessar o seu conteúdo porque suas páginas demoram demais para carregar, a probabilidade é que essas pessoas também não se tornarão clientes do seu negócio.

Fora que, mesmo para os visitantes que estão esperando os segundos a mais e chegam à sua página, uma experiência de acesso ruim pode influenciar negativamente a decisão de compra.

E, no final das contas, se o seu negócio vende menos, o faturamento também é menor.

Redução no tráfego orgânico

Além do impacto direto no faturamento do seu negócio, o tempo de carregamento da página influencia no SEO.

O Google, pensando no lado do usuário e na experiência dele, privilegia páginas mais velozes com posicionamentos melhores no resultado de uma busca.

Ou seja, se o carregamento é lento, as chances da página aparecer entre os primeiros resultados é menor, o que tende a reduzir o tráfego orgânico.

Isso quer dizer que diminui o número de pessoas que acessam a sua página a partir de uma pesquisa no Google ou em outra ferramenta de busca.

Impacto no tráfego pago

E, por último, se você investe em tráfego pago, ou seja, coloca dinheiro em plataformas de anúncio como o Google Ads, você pode sofrer baixa na taxa de conversão e pagar mais caro por cada clique.

Isso acontece porque quando as plataformas identificam que a landing page para onde o anúncio é redirecionado é lenta e tem uma taxa de abandono alta, elas diminuem o índice de qualidade do anúncio e isso pode fazer com que você pague mais caro para anunciar.

Como o Google Pagespeed Insights funciona?

Como o Google Pagespeed Insights funciona?

Agora que você já sabe porque a velocidade de carregamento das suas páginas não é algo que você pode simplesmente deixar de lado, eu vou te mostrar como o Pagespeed Insights funciona na prática.

É o seguinte, para você testar sua página, tudo o que você precisa fazer é acessar o site da ferramenta e colocar a URL para ser analisada.

 Como o Google Pagespeed Insights funciona?

O Google então avalia diversos pontos, como o momento em que aparece o primeiro conteúdo (seja texto ou imagem) e o tempo que a página demora até ficar totalmente interativa, e atribui uma nota de 0 a 100 de acordo com o Guia de Pontuação Lighthouse.

Sendo que 100 é a melhor pontuação de velocidade que se pode receber. Mas, se você ganhar um 0 (zero), não se desespere pois isso geralmente indica um erro na ferramenta.

Depois que o Google termina a análise, você é redirecionado para a página de resultados, onde poderá consultar duas abas diferentes: uma que mostra os dados para o acesso por meio de dispositivos móveis e outra para desktop.

Sim, sua página terá duas notas distintas, uma mobile e uma desktop. Inclusive é possível que ela tenha uma pontuação excelente para computadores e uma nota baixa para smartphones.

Por isso é importante olhar não só a nota que o Google atribui para cada tipo de acesso, como também as oportunidades de otimização que a ferramenta destaca para acelerar o tempo de carregamento.

Aproveitando que estamos falando de pontuação…

O que é uma boa nota no Google Pagespeed Insights?

O que é uma boa nota no Google Pagespeed Insights?

Como eu te falei, no Pagespeed Insights a sua página recebe uma pontuação de velocidade que pode ir de 0 a 100.

Uma nota entre 0 e 49 é vermelha e significa que o carregamento é lento. As otimizações sugeridas pela ferramenta não só devem ser consideradas, como também aplicadas o mais rápido possível.

Já uma pontuação entre 50 e 89 é amarela e considerada média. 

Isso quer dizer que a sua página não é um caso grave, mas pensando que cada segundo conta para a experiência do usuário, vale a pena implementar as oportunidades sugeridas pelo Pagespeed Insights.

E uma nota ideal (verde) é entre 90 e 100. Neste caso, as chances são que a sua página já é otimizada e não tem muitas modificações que você deve fazer.

Além da pontuação de velocidade, as oportunidades de otimização também são sinalizadas em vermelho e laranja para destacar aquelas que são mais críticas e que tem um potencial maior de diminuir o tempo de carregamento.

Aqui vale a regra de dar prioridade e implementar primeiro as sugestões que estão em vermelho e depois passar para as laranjadas.

E para te ajudar na missão de ter páginas mais rápidas, eu vou te mostrar 6 otimizações simples que você mesmo pode fazer e que provavelmente vão economizar muito tempo de carregamento.

Como melhorar seu resultado no Google Pagespeed Insights

Como melhorar seu resultado no Google Pagespeed Insights

Às vezes as sugestões de melhorias feitas pelo Google Pagespeed Insights podem parecer um pouco com grego, se você não entende nada de desenvolvimento para web.

E, sim, as chances são que para algumas otimizações mais complexas você vai precisar contar com alguém da área de tecnologia para resolver.

Mas para ser bem sincera, a probabilidade de que o que está impactando a velocidade de carregamento da sua página é algo que você mesmo pode resolver é alta.

Por isso, eu trouxe aqui para você 6 formas diferentes de você mesmo melhorar seu resultado no Google Pagespeed Insights.

Ah, e se a sua nota já está acima de 90, você não precisa ficar obcecado tentando chegar a um 100.

Como eu te falei no início, isso seria um gasto de energia e esforço desnecessário que você poderia aplicar em outra área do seu negócio. Nem mesmo o Google tem uma nota 100 na versão mobile da sua página. 

Mas se a sua nota está baixa ou mediana, fica de olho nessas 6 otimizações que eu trouxe para você:

#1 Comprima suas imagens

Arquivos de imagem muito grandes podem deixar o carregamento da página mais lento, principalmente em dispositivos móveis.

O ideal é usar imagens compactadas e preferencialmente nos formatos JPEG 2000, JPEG XP e WebP, que são os recomendados pelo próprio Google, ao invés de PNG ou JPEG.

Você consegue fazer a compressão utilizando sites como TinyPNG (você só precisa fazer o upload da imagem que o site cuida de todo o processo), plugins para WordPress como Smush ou salvar os arquivos do seu editor de imagens nos formatos recomendados.

#2 Use o formato de vídeo para conteúdo animado

O Google recomenda substituir conteúdos animados em formato GIF por vídeos.

Isso porque GIFs grandes demoram mais tempo para carregar. 

Por exemplo, no artigo Analytics do Klickpages a substituição de um único GIF por vídeo poderia economizar 8,24 segundos de carregamento, segundo o Pagespeed Insights.

Use o formato de vídeo para conteúdo animado 

Na internet você consegue encontrar ferramentas gratuitas e simples de usar que fazem esse tipo de conversão e depois é só substituir o arquivo antigo pelo novo para tornar a sua página mais rápida.

#3 Implemente AMP

A sigla AMP significa Accelerated Mobile Pages. É uma tecnologia que tem como objetivo melhorar a navegação em dispositivos móveis tornando o carregamento da página mais rápido.

Esse é o tipo de solução que tem pouco impacto na pontuação de velocidade desktop, mas que pode fazer toda a diferença no mobile.

Aqui no blog do KP tem um artigo completíssimo sobre AMP que explica tudo o que você precisa saber sobre essa tecnologia e como implementá-la: AMP: o que é essa ferramenta que dá velocidade para sua página.

#4 Reduza seus códigos HTML, CSS e Javascript

Os nomes HTML, CSS e Javascript podem parecer de algo de outro mundo… Mas, calma, como eu prometi as otimizações que eu vou falar aqui você mesmo consegue implementar.

Não é necessário saber nada de HTML, CSS ou Javascript para reduzir os códigos da página (que nada mais é do que remover espaços desnecessários).

Com plugins para WordPress como Better WordPress Minify e W3 Total Cache isso é feito com apenas alguns cliques sem que você tenha que entender uma linha de programação.

#5 Evite redirecionamentos múltiplos

Por diversos motivos, você pode precisar que o link de uma página redirecione para outra. 

Por exemplo, imagina que você vai fazer uma live e cria uma página para convidar o seu público

É interessante se no momento em que a transmissão estiver acontecendo, quem acessar a página de convite ser redirecionado para a live. 

Pois não faz muito sentido gastar tempo para convidar alguém para algo que já está em andamento, sendo que a pessoa pode ir direto para a transmissão.

E isso é uma parada massa de fazer. O problema é quando você faz um empilhamento de redirecionamentos. Manda o usuário para uma página que vai enviar ele para outra e depois para uma outra.

Esse tipo de estrutura atrasa o carregamento da página, pois o navegador do usuário vai ficar indo de um lugar para o outro até chegar na página final.

#6 Aproveite o cache

O cache do navegador é como uma memória onde ficam guardadas informações sobre a sua página para que o usuário não precise carregar tudo de novo.

Isso torna o acesso mais rápido, já que o usuário fica menos dependente da transmissão de todos os recursos via internet para visualizar algo que já viu antes.

E você pode aproveitar melhor o cache utilizando plugins como o W3 Total Cache que além de otimizar esse aspecto também serve para a redução de códigos.

Crie páginas rápidas com essa ferramenta

Crie páginas rápidas com essa ferramenta

Antes de finalizar este artigo, eu queria te dar uma última dica. Até aqui você viu o quanto é importante ter páginas rápidas e otimizar seus recursos para alcançar uma boa nota do Google Pagespeed Insights.

O lance é que essa missão pode ser muito mais fácil se você tiver em mãos a ferramenta certa.

O Klickpages é uma ferramenta de criação de páginas otimizadas e de alta conversão

E além de ser simples de usar, já faz automaticamente algumas das melhorias que eu te expliquei aqui como a redução dos códigos HTML, CSS e Javascript.

Para criar suas páginas, você só precisa seguir esses 3 passos:

  1. Escolha seu modelo: conheça as opções de alta conversão comprovadas por testes.

  2. Divirta-se customizando a página: edite textos, cores e imagens, além de ocultar elementos que você não queira.

  3. Publique: com tudo pronto, é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem. 

Conclusão 

Google Pagespeed Insights Conclusao

Nas últimas linhas, você viu por que não deve focar em tentar tirar uma nota máxima no Google Pagespeed Insights.

Que é uma ferramenta que te mostra quanto tempo suas páginas demoram para carregar e ajuda a entender os fatores que influenciam na velocidade dela.

Além disso, você viu que cada segundo conta para o usuário e que uma página lenta pode causar redução no número de visitantes, impacto no faturamento e no tráfego pago.

Eu também te mostrei como o Pagespeed Insights funciona e o que é considerada uma pontuação baixa, média e boa.

E por fim você viu 6 formas de melhorar os resultados das suas páginas que você mesmo pode aplicar, sem precisar ficar dependendo de um programador para fazer isso.

Por exemplo, comprimir as imagens e usar formato de vídeo para conteúdo animado ao invés de GIFs.

E aí já tinha ouvido falar dessa ferramenta antes? Como anda o carregamento das suas páginas? Me conta aqui nos comentários! 😉

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Angela de Oliveira

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Uma das minhas coisas favoritas é falar sobre redes sociais e anúncios. Além disso, sou especialista em informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)