12 exemplos de newsletter incríveis para você salvar nos seus favoritos

Bons exemplos de newsletter não estão apenas focados em entregar conteúdo de qualquer jeito na caixa de entrada dos assinantes.

Mas em como fazer isso de uma forma envolvente para que o seu público fique na expectativa pelo seu próximo envio.

Afinal de contas, não adianta nada mandar um e-mail com links para conteúdos incríveis e de alto valor, se a sua audiência vai ignorá-lo e não clicará nos links para acessar as suas indicações.

Fazer isso é como preparar um super presente para uma pessoa especial e entregá-lo embrulhado em um saco de lixo.

Certamente, o presente parecerá ter menos valor por causa do seu embrulho.

O mesmo acontece quando você pega o conteúdo incrível que você teve trabalho para produzir e o envia em uma newsletter de qualquer jeito.

Ele passa a não soar tão interessante para os seus assinantes.

Por isso, eu trouxe 12 ideias incríveis para você se inspirar na hora de criar a sua próxima newsletter.

E também vou te dar 14 dicas de como otimizar o seu email para aumentar suas taxas de abertura e de cliques.

Mas antes, deixa eu te explicar o que de fato é uma newsletter.

O que é uma newsletter?

Newsletter é um boletim informativo enviado por email para um grupo de pessoas interessadas no seu conteúdo. 

Lembra quando era muito comum fazer assinatura de jornal ou revista?

Pois é, a newsletter funciona mais ou menos desse jeito. A diferença é que, na maioria das vezes, não precisa pagar nada para recebê-la. 

É só o visitante se cadastrar e esperar os emails chegarem periodicamente na caixa de entrada. 

Dessa forma, você oferece conteúdo de valor para os seus assinantes e gera tráfego de email marketing para o site ou blog do seu negócio. 

E agora que você já sabe o que é uma newsletter, vou te mostrar 12 exemplos incríveis para te inspirar a criar uma para o seu negócio. 

12 exemplos de newsletters para te inspirar a criar a sua

Você já leu um conteúdo tão bom que você sentiu vontade de compartilhar nas suas redes sociais ou enviar para os seus amigos?

É isso o que acontece com newsletters incríveis.

Elas não só estimulam o leitor a clicar e ir para o site ou blog do seu negócio e continuar lendo o seu conteúdo.

Como também são tão boas que os assinantes têm vontade de indicar e compartilhar com outras pessoas.

Eu posso dizer que atualmente, mais de 80% das newsletters que eu assino foram indicações de amigos, conhecidos ou de pessoas que eu considero referências.

E eu trouxe aqui para você 12 exemplos de newsletters que têm características que fazem delas altamente compartilháveis.

Para que você possa se inspirar na hora de criar a sua. 

Olha só:

#1 Curadoria de conteúdo

Uma newsletter de curadoria de conteúdo é aquela que entrega no email dos assinantes um compilado de artigos ou vídeos postados recentemente ou que foram escolhidos como os melhores da semana.  

A ideia é simples: você coloca um pedacinho do artigo, a parte mais interessante que vai chamar a atenção e despertar a curiosidade e, em seguida, conduz a pessoa a finalizar a leitura no site ou no blog onde o conteúdo está disponível na íntegra.

É bem provável que você já tenha visto esse exemplo de newsletter no seu email, mas vou te mostrar uma que pode servir de inspiração para o seu negócio. Dá uma olhada:

Curadoria de conteúdo

Essa newsletter do HubSpot Blog, por exemplo, é uma coleção dos melhores e mais recentes artigos da empresa. 

O diferencial aqui é que, entre as publicações, eles colocam um quiz cuja resposta está no final do email. Assim, induz o leitor a ver todo o conteúdo antes de olhar a resposta.

quiz com resposta no final do email

Outro ponto muito interessante é que além dos links tradicionais para gerenciar as preferências e cancelar a inscrição, eles pedem a opinião dos leitores por meio de emojis. 

Assim, se o assinante quiser dar um feedback é só clicar em uma das carinhas para abrir automaticamente uma caixa para responder o email. 

#2 Curadoria de notícias

Muito parecida com a newsletter de curadoria de conteúdo, esse exemplo é para aqueles negócios que possuem um portal de notícias ou querem selecionar matérias importantes para os seus assinantes. 

A diferença é que os resumos das notícias são bem maiores do que na curadoria de conteúdo. 

Isso porque a intenção é passar toda a informação para o leitor sem que ele precise sair do email.

Mas isso não quer dizer que você não possa colocar links internos ou externos no conteúdo, que levem o leitor para o portal de origem da notícia ou para matérias relacionadas ao tópico.

 Dá uma olhada na newsletter do Meio:

Curadoria de notícias

#3 Uma boa história

Imagine que você está assistindo um filme que começa contando a história de um homem que foi abandonado pela esposa e precisa criar sozinho o filho de 5 anos.

Ele tenta ser vendedor de porta em porta, mas quando vê um engravatado em uma Ferrari decide que quer trabalhar na bolsa de valores.

No entanto, o estágio era não remunerado e as dívidas só foram acumulando. Até que chega o dia em que ele e o filho são despejados e passam a viver em abrigos, estações de metrô e até banheiros públicos.  

Mas, então, depois de muito trabalho duro, no seu último dia de estágio ele é chamado para conversar com o patrão e recebe a notícia de que vai ser efetivado. 

Com os olhos cheios de lágrimas, ele agradece a boa notícia e sai do escritório com o sorriso no rosto.

Ele continua andando nas ruas muito alegre e aí que você percebe que ele está indo abraçar o filho de 5 anos. 

Sabe de que filme estou falando? À Procura da Felicidade, um filme de 2006, mas que sensibiliza o mundo até hoje. 

E isso acontece porque ele consegue conectar o telespectador na história ao ponto de fazer ele se envolver emocionalmente. 

Um dos melhores jeitos de fazer com que a sua audiência preste atenção em você, ou melhor, de fazer com que eles se conectem com você é contando uma história

Pois esse é um dos gatilhos mentais mais poderosos do marketing digital. 

Funciona assim: quando conta uma história, você ativa algumas áreas no cérebro da audiência que faz com que ela se conecte com você e ativa emoções que, consequentemente, podem inspirá-la a tomar uma ação. 

Seja chorar, tomar uma atitude de mudança, comprar um produto ou contratar um serviço. 

E isso você pode fazer na sua newsletter também. Olha só como a Empiricus faz: 

Uma boa história

#4 Curso Gratuito

Você pode dar um curso gratuito para os seus leitores por meio de newsletters. 

Não precisa ser algo aprofundado, com muitas informações ou um certificado no final. 

A ideia é passar um conteúdo com muito valor agregado que fale do seu produto ou serviço sem necessariamente vender. 

A EF English Live, por exemplo, manda lições diárias em inglês para todos aqueles que assinaram a newsletter.

Curso Gratuito

Essa interação ensina algo de útil, mantém o leitor sempre atento às novidades e pode gerar futuras vendas para a empresa. 

Pois você oferece uma pequena amostra do que o potencial cliente pode ter se contratar o seu serviço. 

#5 Previsibilidade

Imagine comigo a seguinte situação: você é um adolescente no auge das assinaturas de revistas de carros, culinária, dicas para garotas, etc…

Um certo dia você está passando perto de uma banca de jornal e vê uma que tem na capa o melhor carro do ano.

Você adora esse assunto e começa a folhear a revista. No entanto, o cara da banca fala que para ver a revista toda você vai ter que comprar.

Sendo assim, no próximo mês você junta uma grana e compra sua primeira revista de carros. 

A ansiedade para saber mais sobre aquele assunto é grande, então você entra no seu quarto e em um único dia lê todas as matérias.

Porém você sente que aquela leitura não foi o suficiente. 

Você precisa saber mais sobre como funcionam os motores, quais as novas tecnologias do momento, o que fazer para ter o primeiro carro com 18 anos.

E aí você decide que vai comprar outra revista. O problema é que você vai ter que esperar o próximo mês para ler outra edição. 

Então, mesmo falando sobre o mesmo assunto, no próximo mês você compra uma revista, no outro mês mais uma, no outro mais uma e aí assim vai. 

Você deve estar se perguntando: mas o que faz alguém comprar todo mês uma revista que sempre fala do mesmo assunto?

A previsibilidade e a novidade. 

Você pode até saber o que vai ter em cada edição, mas os assuntos sempre serão tratados de forma distinta. 

E isso não é muito diferente do que acontece nesse exemplo de newsletter. Dá uma olhada no boletim informativo da Perestroika:

Previsibilidade

A newsletter é enviada uma vez por semana e possui seções bem definidas que ajudam na previsibilidade.

Além disso, ela tem um nome próprio (O Spam) e um design pessoal que cria uma identidade exclusiva, assim como nas revistas. 

#6 Produto ou serviço

O objetivo da newsletter de produto ou serviço é falar sobre as vantagens de uma solução e mostrar o quanto ela é perfeita para resolver a dor ou problema do cliente, mas sem necessariamente fazer uma oferta.

Por exemplo, se a dor do seu cliente é “não consegui cantar” e você tem um curso de canto, pode criar uma newsletter falando sobre as técnicas que você usa no seu curso. 

Olha só como a marca Canva faz isso em sua newsletter:

 Produto ou serviço

Nesta newsletter, a empresa apresenta os benefícios do Canva for Work falando sobre as preocupações do leitor e logo em seguida apresentando uma solução.  

Assim, o email não só oferece informações valiosas, como também ajuda a fortalecer a imagem da empresa. 

#7 Personalidade

Você já teve vontade de ficar horas conversando com aquela pessoa que você admira? Ou pelo menos saber o que se passa na cabeça dela? 

Se você é expert em alguma coisa e reconhecido por isso, os seus fãs podem ter essa mesma vontade.

E você pode realizar esse desejo deles com uma newsletter de personalidade.

Esse é um formato onde um expert de um determinado nicho manda para seus assinantes textos de interesse pessoal, uma reflexão, indicações. 

Sempre seguindo a periodicidade característica das newsletters. 

A ideia aqui é que a newsletter aproxime o público do expert para saber o que ele pensa, o que ele gosta, quais conselhos ele daria.

Isso é excelente para negócios que tem uma pessoa que é a cara da marca, pois aproxima o potencial cliente dos valores da marca e cria um relacionamento.

É o que Seth Godin, um dos maiores nomes do marketing, faz na sua newsletter. Dá uma olhada: 

Personalidade

Nessa newsletter diária, os assinantes recebem um texto curto com os pensamentos do Seth sobre algum aspecto do marketing, da atual situação do mundo ou de como melhorar o seu trabalho e se tornar um profissional melhor.

Agora, dá uma olhada na newsletter do Austin Kleon, autor do livro “Roube como um Artista”:

Austin Kleon, autor do livro “Roube como um Artista”:

Ele manda toda sexta-feira uma lista com as 10 coisas que ele acha que vale a pena compartilhar.

Ou seja, não há uma regra bem definida. O importante é ser um conteúdo autêntico e que transmita a sua personalidade.

#8 Com conteúdo no próprio email

O objetivo desse exemplo de newsletter é bem simples: fornecer valor com conteúdo diretamente no email, ou seja, sem direcionar o leitor para outro lugar. 

É como se fosse um artigo de blog dentro da caixa de entrada do assinante. A publicação possui um título bem definido e subtítulos claros para dividir o conteúdo e facilitar a leitura. 

Quem faz isso muito bem é o Ben Collins. Veja só: 

 Com conteúdo no próprio email

Aqui eu não consegui te mostrar o email todo, mas no corpo do texto tem apenas algumas CTAs incentivando o leitor a visitar o site dele.

Além disso, ele também pede para o leitor encaminhar o email para algum amigo que ele acha que possa se interessar pelo conteúdo. 

Assim, ele consegue aumentar o acesso orgânico enquanto constrói confiança e autoridade com seus leitores. 

#9 Conteúdo personalizado

Fazer uma newsletter de conteúdo personalizado não significa apenas colocar o nome do leitor em alguns momentos do email. 

É ir além e desenvolver conteúdos que sejam a cara da sua audiência e conforme as preferências dos seus assinantes.

É o que a Netflix faz para indicar séries e filmes conforme o que o usuário já assistiu anteriormente.

Conteúdo personalizado

E é totalmente possível fazer isso mesmo que você não seja uma empresa tão grande quanto a Netflix. 

É só você pedir para os seus leitores responderem quais assuntos eles mais se interessam e segmentar o envio da sua newsletter de acordo com os temas preferidos de cada grupo. 

#10 Interativa

Uma newsletter interativa é permite que você mantenha um diálogo mais descontraído com o seu assinante.

Ela é mais divertida do que um email padrão e estimula o engajamento, pois permite que os destinatários realizem uma ação a partir da mensagem. 

Como, por exemplo, responder uma enquete ou ser direcionado para o site assim que clicar na imagem. 

O legal é que você não precisa fazer algo muito difícil de executar. Você pode, por exemplo, utilizar um gif para promover uma novidade assim como a Domino’s fez:

Interativa

Ou você pode criar questionários, enquetes, pesquisas, usar galeria de fotos, vídeos… 

A ideia é aumentar o envolvimento dos leitores com uma abordagem mais atrativa e dinâmica.  

#11 Boas imagens

Sabe aquela frase “uma imagem vale mais do que mil palavras”?

Aqui neste exemplo de newsletter é exatamente essa ideia que é aplicada.

Dá uma olhada:

Boas imagens

Nessa newsletter do Bon Appetit eles separaram imagens chamativas e acrescentaram apenas três linhas sobre cada artigo. 

Isso porque a ideia é fisgar o leitor através das imagens deliciosas e que mexem com o estômago e levá-lo a consumir o conteúdo completo no blog da empresa.

E se você não sabia, usar imagens na sua newsletter aumenta as chances de o seu conteúdo ser visto e consumido. 

Isso porque o nosso cérebro processa 60 mil vezes mais rápido uma imagem do que um texto. 

Ou seja, exige menos esforço e menos tempo para interpretar uma informação e estimular uma ação.

Se você tem um ótimo acervo de imagens pode economizar nas palavras e usá-las para direcionar a atenção do seu assinante para os conteúdos do seu blog ou site.

#12 Menos pode ser mais

Se você é daquelas pessoas que prefere uma newsletter com configuração mais simples esse é o exemplo ideal para você. 

Aqui o foco não é o design arrojado, mas entregar um conteúdo que parece com um email que um amigo seu te enviaria. 

Por exemplo, aqui no blog do KP, o time de conteúdo pega os artigos publicados na semana, encontra um ponto ou tema em comum entre eles, depois escreve uma pequena introdução e incentiva o assinante a continuar a leitura no blog.

Veja só:

 Menos pode ser mais

Apesar de não ter um design arrojado, a newsletter consegue levar o leitor até as publicações da semana de forma muito natural. 

Agora que você já viu os 12 exemplos de newsletter que eu separei para você, chegou a hora de conferir 14 dicas incríveis para melhorar os seus resultados.

As 14 melhores dicas para criar uma newsletter de sucesso

Eu sei que apenas ver alguns exemplos de newsletters inspiradoras não é o suficiente para você botar a mão na massa e começar a escrever e enviar a sua.

Por isso, eu decidi trazer para você 14 dicas com o objetivo de tornar o processo mais simples, melhorar os seus resultados e tornar a sua newsletter uma inspiração para os assinantes.

Afinal de contas, quem é que não quer escrever um conteúdo altamente recomendável e compartilhável?

Então, olha as dicas que eu trouxe para você:

Dica 1: Conheça a sua persona

Se você acompanha o blog há algum tempo já sabe que a primeira coisa que você deve fazer antes de pensar em qualquer estratégia de marketing digital é definir a sua persona. 

Caso você ainda não saiba o que é, eu te explico. 

Persona é uma representação fictícia do seu cliente ideal entre todas as pessoas que constituem o seu público-alvo. 

Não é apenas uma descrição do seu cliente, mas um perfil completo com informações necessárias que vão te ajudar a manter uma relação personalizada com o seu público.  

Ele vai muito além de dados demográficos (idade, sexo e profissão), a definição da persona envolve saber como é a rotina do seu potencial cliente, quais as dores e preocupações, quais os objetivos e por quem ele é influenciado. 

Esse mapeamento é uma das primeiras coisas que você deve ter em mãos. 

Se você não sabe que a sua persona não vê email antes das 10h da manhã, por exemplo, você pode acabar enviando a newsletter em um horário que não tenha tanta abertura, atrapalhando, assim, a sua estratégia.  

Portanto, é fundamental você saber quem é a sua persona para direcionar a newsletter de acordo com as preferências dela. 

Se você quer saber mais sobre como definir a sua persona, aqui no blog tem um artigo que te mostra como você fazer isso. 

Dica 2: Crie assuntos atraentes

O assunto do email é um fator decisivo para o leitor abrir ou não a sua newsletter. 

Imagine que a sua caixa de email está lotada às 10h40 da manhã. Você dá uma olhada rápida e se depara com dois assuntos: 

  1. Quatro novos artigos no blog do KP; 

  2. É assim que você sabe se está olhando na direção certa.

Me responda com sinceridade, qual email você abriria? 

Provavelmente, você escolheria a segunda opção. 

Porque o assunto, que é uma das primeiras coisas que chama a sua atenção para clicar em um email, te deixa mais curioso para saber do que se trata.

Não adianta nada você fazer uma excelente newsletter se o assinante ignorar a sua mensagem, porque o assunto não fisgou a atenção dele.

Você deve criar o assunto pensando em algo que desperta alguma emoção, mostrar um benefício desejável ou criar uma reação inevitável. 

Agora, só fique ligado para não usar palavras que possam ser interpretadas como spam

Por exemplo: muitos pontos de exclamação, palavras em caixa alta, percentual de desconto, frases com “como ganhar dinheiro” ou “como fazer dinheiro”, etc. 

Para saber mais sobre como criar assuntos atraentes, confira o artigo 20 fórmulas práticas de como escrever headlines irresistíveis aqui do blog do KP.

Dica 3: Use o seu nome ou de um representante da empresa

Se você acompanha as newsletters do KP, já deve ter reparado que o remetente é o nome de quem está assinando o texto naquela semana:

Isso não é à toa. A ideia é se destacar no meio de uma avalanche de conteúdos que você recebe. 

Afinal, a caixa de email de qualquer pessoa hoje em dia é cheia de promoções, atualizações e coisas do trabalho. 

E para conseguir se destacar no meio de tanta informação, o seu nome ou de um representante da empresa pode chamar a atenção daquele leitor que acompanha o seu conteúdo

Além disso, é uma ótima maneira de ficar mais próximo do seu leitor. Pois o nome faz com que a pessoa sinta que aquele email foi escrito pensando nela. 

Diferente de um email com o nome da empresa que dá a sensação que você não está conversando com uma pessoal real.  

Sendo assim, faça um teste. 

Você vai perceber que essa pequena alteração pode trazer uma sensação de aproximação com o seu público ou até mesmo aumentar a taxa de abertura dos seus emails. 

Ah, e se você ainda não assinou a nossa newsletter, você pode fazer isso no banner que tem na lateral deste artigo. 

Dica 4: Entregue conteúdos relevantes

Depois de conhecer bem a sua persona fica muito mais fácil entregar conteúdo de valor para a sua audiência. 

Você pode, por exemplo, enviar dicas sobre o seu segmento, responder dúvidas em forma de artigo ou mandar um compilado dos melhores artigos da semana. 

O importante é você pensar muito bem se o conteúdo que vai enviar é realmente de interesse do seu público. 

Para saber isso você tem que conhecer bem a sua persona e entender o que ela procura quando acessa um site um blog do seu nicho de mercado. 

Dica 5: Pense na periodicidade

Newsletter não é para você mandar apenas quando tem vontade ou quando surge algo legal. A sua principal característica é justamente possuir uma frequência pré-definida. 

Faça alguns testes e descubra com que regularidade você deve mandar emails para seus assinantes. 

Aqui no KP, por exemplo, a newsletter é enviada uma vez por semana porque o time de conteúdo faz um compilado de todos os artigos que foram publicados no período. 

Mas você pode ver o que fica melhor para a sua audiência. Pode ser uma vez por mês, duas vezes na semana, somente aos finais de semana…

Dica 6: Não compre listas de emails

Nunca! Jamais! Em hipótese alguma compre listas de emails

Eu sei que pode parecer uma facilidade pular a etapa de atrair potenciais clientes para montar a sua própria lista, mas no final das contas você só vai estar perdendo dinheiro. 

Primeiro porque a maioria esmagadora desses destinatários não está interessada em receber a sua newsletter, já que essa galera não te deu a permissão para entrar em contato com ela. 

Consequentemente, isso quer dizer que logo de cara você vai ter vários descadastramentos. 

E segundo é que, geralmente, essas listas possuem vários contatos inativos que não servem para nada. 

O pior de tudo é se tiver um “spam trap” entre esses emails inativos, que serve como armadilha para pegar pessoas que fazem spam e enviam mensagens para listas compradas. 

Comprar listas de email pode atingir drasticamente a sua taxa de entregabilidade. É essa taxa que mostra se a suas mensagens estão chegando na caixa de entrada do destinatário. 

Se a taxa de entregabilidade está baixa pode ser que você está violando uma das boas práticas de envio de email, que pode ser uma linha de assunto mal formulada, você não ser considerado relevante para o destinatário, entre outras que devem ser analisadas.  

O ideal é você dedicar um tempo e criar a sua própria lista com pessoas interessadas no seu conteúdo. 

Eu expliquei o passo a passo de como criar a sua lista do zero nesse artigo, dá uma olhada. 

Dica 7: Saiba qual padrão de cor usar

Se você vai fazer uma newsletter com um design personalizado, uma das primeiras coisas que você deve saber é que existem dois padrões de cor: CMYK e RGB

O primeiro é recomendado para materiais impressos e o segundo para mídia digital.

No entanto, alguns profissionais acabam não se preocupando com essa distinção e usam as cores no padrão CMYK para mídias digitais.

Isso acaba atrapalhando o resultado final do conteúdo, porque gera alterações na imagem vista no monitor. 

Por exemplo: se na sua newsletter sobre dicas de moda tem um fundo vermelho feito em CMYK ele pode ser visto como rosa ou um vermelho escuro porque o padrão de cores usado não foi o próprio para mídia digital (RGB).

Dica 8: Pense nos smartphones e tablets

Já se foi o tempo em que as pessoas olhavam email só em computador. 

Agora, com a praticidade dos celulares e tablets, elas podem ler emails dentro do ônibus, na fila do banco e até na praia. 

Isso quer dizer que a sua newsletter também deve ser pensada para se adaptar a qualquer tela sem perder formatação ou conteúdo. 

Você pode, por exemplo, pensar no tamanho do assunto do email, criar botões de call to action maiores, utilizar imagens leves e prestar atenção no tamanho da fonte também. 

Dica  9: Use CTA’s com moderação

CTA significa call to action, uma expressão em inglês que indica uma “chamada para ação”. 

Sua função é convidar o leitor a dar um próximo passo que pode ser, por exemplo, clicar em algum link ou encaminhar uma mensagem. 

O problema é a falta ou o excesso de CTAs. 

Imagine um e-mail com cerca de 10 CTA’s diferentes. Ao invés do leitor realizar uma ação específica, ele pode abandonar a leitura porque está confuso sobre o que deve fazer.

E, por outro lado, sem CTA o seu leitor não vai consumir o seu conteúdo em outro canal e, consequentemente, você pode perder a oportunidade de construir e manter um relacionamento com ele.

Sendo assim, priorize as CTAs que são mais relevantes no momento e deixe claro o que você está sugerindo para o cliente. 

Pode ser com um simples “Leia Mais” ou uma frase de impacto linkando para o conteúdo completo. 

Dica 10: Evite erros de português

Você não precisa ser um expert da língua portuguesa para escrever seus emails, mas isso não significa deixar passar batido alguns erros de pontuação, concordância ou digitação.

Faça uma, duas e até três revisões se for necessário. Peça para outra pessoa ler ou espere um dia para fazer uma releitura da sua newsletter.  

Assim, você diminui os erros de português nos seus emails e deixa a mensagem mais clara e com um aspecto mais profissional. 

Dica 11: Facilite o cancelamento da assinatura

Cara, não tem coisa mais chata do que você querer cancelar uma assinatura e não encontrar o link para fazer isso. 

Pode parecer loucura você mostrar o caminho para o leitor parar de receber os seus emails.  

Mas facilitar o cancelamento da assinatura é essencial para você manter a sua lista sempre atualizada com quem realmente tem interesse no seu conteúdo.

Facilite o processo de descadastramento e deixe a opção visível e clara para o leitor. Aqui no KP, por exemplo, nossa newsletter vai direto ao ponto. Dá uma olhada: 

“Caso você não tenha se inscrito nesta lista, clique aqui para remover seu email dessa lista.”

Pronto! Sem apelo emocional. 

Pois é melhor ter uma lista de emails menor, ativa e engajada do que ter uma lista imensa que te marca como spam e reduz sua entregabilidade. 

Dica 12: Coloque botões de mídias sociais

Se possível, coloque botões para as mídias sociais da sua empresa no rodapé da newsletter. 

Pode ser um ícone que direciona para a página do Facebook, por exemplo, ou apenas uma palavra com um link. 

Assim, você tem grandes chances de interagir com os seus leitores em outros canais e aumentar o contato com eles. 

Dica 13: Faça testes e avalie os resultados

Não tem como saber se a sua newsletter está agradando os seus leitores se você não fizer testes. 

Você pode, por exemplo, experimentar dois tipos diferentes de assunto ou disparar o email uma vez pela manhã e outra vez a tarde. 

Assim, você pode aproveitar os relatórios oferecidos pelas ferramentas de email marketing e analisar a taxa de abertura e taxa de cliques. 

Dica 14: Gerencie sua newsletter com um bom serviço de email

Você vai precisar de um bom serviço de email marketing para disparar as suas newsletter de forma profissional.

Pois assim você consegue gerenciar sua lista, enviar a newsletter apenas para as pessoas interessadas, fazer o agendamento dos disparos e gerar relatórios com as principais métricas para você entender os seus resultados.

Se você ainda não conhece, o Klicksend, uma ferramenta de email marketing desenvolvida pela equipe do Klickpages. 

Nela você consegue fazer uma segmentação de público de forma eficiente, garante uma base de contatos mais ativa com os dados de engajamento e pode contar com um suporte especializado que estará à disposição para resolver suas dúvidas.

Clique aqui para saber mais sobre o Klicksend

Conclusão

Neste artigo, você viu 12 exemplos de newsletter para te inspirar a criar ou modificar a sua.

Você pode adaptar esses modelos para eles ficarem de acordo com a persona do seu negócio e identidade da sua marca.

Além disso, eu te mostrei 14 dicas para você criar uma newsletter de sucesso.

Você tem informações valiosas de como planejar e criar um boletim informativo que conquiste o seu cliente desde o assunto até o final do email. 

Bom, agora é com você. Me conta nos comentários o que você achou do conteúdo e qual exemplo você vai colocar em prática. Beleza? 😉

(Este artigo foi originalmente publicado em 03 de abril de 2019 e atualizado em 21 de maio de 2020 por Angela de Oliveira para oferecer informações mais precisas e completas)

Faça download da planilha de Principais Métricas de Email Marketing

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.