Entenda de uma vez por todas a diferença entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo

Se você quer saber a diferença entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo, desculpa a franqueza, mas você está se fazendo a pergunta errada.

Isso porque se você ainda não tem clareza sobre isso, as chances são que você não sabe o que é cada uma dessas estratégias e, consequentemente, não está aplicando nenhuma delas direito no seu negócio.

E, assim, acaba perdendo muitas oportunidades de vendas.

A real que é você, provavelmente, não está produzindo e distribuindo conteúdo valioso aos seus potenciais clientes… Quiçá nem definiu ainda  quem é a sua persona e qual é o seu mercado de atuação.

Além disso, chuto que você não tem usado técnicas de SEO (search engine optimization), diferentes tipos de tráfego e muito menos postado o seu conteúdo nos canais certos e para as pessoas certas.

Por isso, eu digo que antes de saber a diferença entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo, o que você realmente deveria estar se perguntando é: o que é cada uma dessas estratégias e como aplicá-las de forma eficiente no seu negócio.

Por isso, eu sugiro fortemente que você  fique aqui comigo, porque eu vou te explicar tudo isso e ainda vou pontuar a diferença entre as duas no final.

Vamos lá?

O que é Inbound Marketing? 

Em uma tradução livre para o português, Inbound Marketing poderia ser chamado de “Marketing de Entrada” ou “Marketing de Atração”.

Esse conceito de Inbound surgiu em 2009, nos Estados Unidos, e é uma estratégia  que rompe com velhas práticas do marketing tradicional. 

Ele traz uma nova forma de trabalhar com marketing, que se baseia em conquistar o interesse das pessoas e fazer com que potenciais clientes busquem pelo seu produto ou serviço de maneira espontânea. 

Para isso, o Inbound usa estratégias como SEO (search engine optimization), tráfego orgânico e tráfego pago, além da produção de conteúdo, para atrair o cliente certo, na hora certa e no lugar certo.

Ou seja, bem diferente do marketing tradicional, chamado de Outbound Marketing.

Nesse modelo tradicional de marketing são utilizadas técnicas que interrompem o fluxo de atenção da pessoa que está consumindo o conteúdo.

Sabe quando você está lendo uma revista e de repente surge uma página inteira de anúncios ou então quando você assiste um programa na TV e é interrompido por um comercial, ou até mesmo as publicidades no Youtube ou banners em sites e blogs? 

Isso tudo é marketing de interrupção.

Mas com o passar dos anos, as pessoas começaram a ignorar esse tipo de anúncio, fazendo com que esse marketing de interrupção perdesse a efetividade.

O marketing atual busca proporcionar conteúdo de qualidade aos consumidores. Um conteúdo que eles querem ler, assistir ou ouvir.

É aí que entra o Inbound Marketing.

Ele busca atingir quem realmente tem interesse nos produtos e serviços que a sua empresa oferece. A ideia é conquistar o público alvo e leads mais qualificadas.

O Inbound não realiza ações para o público em geral, ele foca seus esforços em atrair as pessoas certas para o seu negócio.

E, como eu disse ali em cima, para isso, ele usa SEO , links patrocinados, landing pages, redes sociais, blogs e sites, call to actions (CTAs), tráfego orgânico e pago…

Ou seja, o Inbound é uma junção de várias estratégias de marketing para atrair a atenção dos potenciais clientes. 

O Marketing de Atração segue uma metodologia com quatro etapas bem marcantes:

  1. Atrair o tráfego de visitantes;

  2. Converter visitantes em leads;

  3. Transformar leads em clientes;

  4. Encantar os clientes para que se tornem divulgadores da sua marca.

Todas essas etapas são feitas por meio de ações e técnicas conjuntas, como otimização do conteúdo para SEO, posts em blog, atualização de mídias sociais, email marketing, landing pages, investimento em diferentes tipos de tráfego, etc.

A ideia por trás disso é que, ao publicar o conteúdo certo no lugar certo, o seu marketing torna-se relevante e útil para os seus potenciais clientes e não interruptivo, como os comerciais de televisão, que simplesmente interrompem o programa que você está assistindo para passar uma oferta.

Com essa quatro etapas (atrair, converter, transformar e encantar), você ganha a atenção das pessoas e leva os consumidores até o seu site, blog ou landing page através da criação de conteúdo relevante.

Dessa forma, o Inbound marketing ajuda a consolidar uma marca e a capturar mais leads qualificadas, além de colaborar para a conversão dessas leads, aumentando, assim, as suas vendas.

É uma estratégia planejada, focada no público-alvo (persona) e que reúne as melhores ações de marketing para atrair o público certo para a sua empresa.

A intenção é sempre fazer os potenciais clientes passarem por todas as etapas do funil de vendas.

Antes de detalhar cada uma dessas etapas, preciso destacar alguns termos para que você entenda a metodologia do Inbound Marketing:

  • Visitante: pessoa que está conhecendo seu site e ainda não compartilhou nenhum dado de contato com sua empresa;

  • Lead: quem assinou uma newsletter ou baixou gratuitamente um material, por exemplo, deixando algum dado de contato como “moeda de troca”, como nome, email, telefone

  • Oportunidade: são leads que estão prontas para comprar e que foram educadas com o passar do tempo com conteúdo criado por você.

  • Cliente: A pessoa que depois de conhecer e estudar bastante a oferta finalmente adquiriu seu produto ou serviço. 

Pronto. Agora que você já está familiarizado com esse termos, vou detalhar cada uma das etapas do Inbound Marketing:

1-  Atrair (gerar tráfego)

Nesse primeiro estágio, você precisa produzir conteúdo para ser encontrado na internet – seja nas redes sociais, site ou blog, anúncios pagos…

Neste estágio o seu possível cliente ainda não conhece a sua empresa, seu produto ou serviço, mas você pode ser encontrado por ele através de conteúdos que sejam interessantes e relevantes para ele.

A ideia aqui é atrair muitos visitantes que podem vir a ser clientes no futuro.

2 – Converter (transformar visitantes em leads)

Aqui você já conseguiu levar o seu potencial cliente para o seu site/blog, landing page, rede social… 

Nessa etapa, o objetivo é fazer com que ele se torne um contato qualificado, ou seja, uma lead.

3 – Fechar a venda (converter leads em clientes)

Agora vem a etapa mais importante: transformar seus contatos em clientes, de fato. 

O grande diferencial do Inbound Marketing é que, até aqui, você já tem muitas informações sobre suas leads. Com isso, você entende quais conteúdos eles querem consumir e o momento certo para enviar uma oferta e fechar uma venda.

Nesse contexto, trabalhar com email marketing, vídeos e depoimentos de clientes é um diferencial para que você consiga convencê-lo a comprar seu produto ou serviço.

4 – Fidelizar (proporcionar a melhor experiência ao cliente)

Pronto, você transformou um lead em cliente. 

Agora, sua missão é fidelizar essa pessoa e fazer com que ela tenha uma experiência única com a sua marca.

Quando uma pessoa compra um produto, ela não está comprando apenas algo material. Ela está comprando uma experiência.

Por isso, entregue o produto ou serviço no prazo definido anteriormente, esteja atento às dúvidas dos clientes, forneça sempre conteúdo personalizado e de alta qualidade e procure sempre avaliar sua satisfação através de pesquisas de experiência.

Não é porque a venda já foi feita que você deve deixar de dar atenção aos clientes. A boa experiência deve continuar no pós-venda

Bem, até aqui eu te mostrei que o Inbound Marketing é uma estratégia mais focada no público-alvo, com o objetivo de criar um relacionamento por meio de um conteúdo de qualidade.

Esse relacionamento de confiança em conjunto com a produção de conteúdo ajuda no processo de decisão de compra do clientes.

Agora, vou falar sobre um ponto-chave dentro do Inbound Marketing.

O que é Marketing de Conteúdo? 

De maneira bem simples, Marketing de Conteúdo nada mais é do que produzir conteúdo para educar, informar e entreter um potencial cliente para o seu negócio.

A ideia é informar as pessoas, com conteúdo de qualidade, para que no futuro elas não só tenham a sua empresa como referência, mas também se tornem clientes do seu produto ou serviço.

Se for usado de maneira correta, o Marketing de Conteúdo pode gerar muito impacto na sua empresa.

Isso porque, hoje em dia, as pessoas buscam informações, principalmente na internet, sobre produtos e serviços antes de comprar. 

Por isso, é essencial que quando seu público procurar por informações relevantes sobre temas relacionados à sua área de atuação, encontre em seus canais o conteúdo o que busca.

Assim, por meio de materiais qualificados, será possível atrair, envolver e gerar valor para as pessoas de um modo que elas criem laços com a sua marca e, consequentemente, comprem (mais) de você.

Você pode fazer isso por meio de alguns canais de distribuição de conteúdo. 

Separei alguns aqui:

Ferramentas que fazem a sua estratégia acontecer

Na internet, distribuição de conteúdo significa divulgar o seu material em diversos formatos de mídia (texto, vídeo, imagem, áudio) por meio de diferentes canais para atingir o seu público-alvo.

Sem essa divulgação, todo o seu esforço de escrever um texto ou gravar um vídeo, por exemplo, terá sido em vão.

E para isso, há vários canais, ferramentas e práticas disponíveis. Trouxe aqui as principais plataformas de distribuição de conteúdo na internet.

Olha só:

Blog: com essa ferramenta você pode postar textos, vídeos, áudios, fotos… Tudo em um único lugar. Além disso é possível colocar informações sobre a sua empresa e também sobre o seu produto ou serviço.

Ter uma blog é uma forma de expandir sua presença no mundo online e, assim, conquistar novos clientes.

Se você quer saber como ter um blog de sucesso, aqui no KP tem um artigo com 13 dicas essenciais

Email marketing: é considerado a forma mais popular de fazer marketing de conteúdo, já que é uma ferramenta eficiente e relativamente barata para promover e distribuir conteúdo.

O email marketing é um tipo de estratégia em que o correio eletrônico é utilizado como canal de comunicação direta entre empresas e clientes.

Graças às ferramentas de email marketing disponíveis no mercado, os resultados são facilmente mensurados, o que permite ajustes e otimização para os disparos das campanhas.

Ainda não sabe o que é email marketing? Aqui no blog tem um artigo completinho explicando como essa ferramenta funciona e como você pode aplicar no seu negócio

Vídeo: o uso de vídeo para a divulgação de conteúdo está cada vez mais popular. Para você ter uma ideia, até 2020, o tráfego na internet por meio de vídeos deve superar 80%

O formato dinâmico e as inúmeras possibilidades de edições chamam mais a atenção do usuário. 

Sem contar que para algumas pessoas, é mais rápido e eficiente consumir informações no formato em vídeo.

Quer produzir e editar vídeos diferentes para a sua audiência? Então dá uma olhada nesse artigo: Como fazer vídeos animados e oferecer conteúdo 100% personalizado para o seu público.

Infográfico: esta ferramenta utiliza um design bem elaborado para apresentar a mensagem de forma clara, rápida e atrativa.

Criar infográficos é uma boa forma de apresentar dados e informações mais densas.

Para saber mais detalhes sobre o que é um infográfico e como fazer um, clique aqui.

E-book: é um dos principais materiais de conversão de leads, porque, assim como outros materiais de grande valor para o seu público, pode ser disponibilizado em páginas que pedem o preenchimento de um formulário, como uma landing page.

Você pode criar um e-book com conteúdo valioso e oferecer para a sua audiência. Em troca desse material, você  pede um contato da pessoa (sugiro o email). 

A partir desse contato, você estabelece um relacionamento com esse potencial cliente. 

Se você ainda não sabe como criar a sua página de captura, eu tenho uma dica: o Klickpages é o seu melhor aliado na hora de criar landing pages personalizadas e de alta conversão.

Você só precisa seguir 3 passos:

  • Escolha o modelo: veja opções de alta conversão comprovada por testes.

  • Customize a página: feita a escolha, edite os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  • Publique: ao final, publique no próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Para conquistar muitas leads para o seu negócio, o e-book deve ter informação relevante em um layout que chame a atenção.

Ainda não sabe como fazer um ebook? Então clica aqui para saber como fazer um livro gratuito para gerar muitas vendas e leads.

Webinar: é uma forma de fazer uma palestra, aula ou conferência usando a internet. O webinar possibilita a interação entre internautas e palestrantes. 

Clique aqui para saber quais são os benefícios do webinar para o seu negócio como fazer um.

Redes sociais: são importantes para o compartilhamento rápido de conteúdo. Por meio das redes sociais, como Instagram, Facebook, LinkedIn e Twitter, é possível postar fotos, textos, vídeos, fazer stories, enquetes.

Bem, agora que você já sabe o que é Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo, chegou a hora de responder à seguinte pergunta:

Qual a diferença entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo?

Como eu expliquei ali em cima, o Inbound Marketing reúne várias técnicas para atrair e converter possíveis clientes por meio de conteúdos de valor.

Logo, o Marketing de Conteúdo é uma peça importante dentro do Inbound Marketing. São metodologias complementares. Para funcionar de verdade, o Marketing de Atração precisa da produção e distribuição de conteúdo.

Um não funciona bem sem o outro. Isso porque para vender você precisa atrair potenciais clientes… E essa atração, na internet, é feita por meio da criação de conteúdo de qualidade.

É por meio de um conteúdo de qualidade que você atrai potenciais clientes e consegue guiá-los pelas outras etapas do funil de vendas até que se tornem fãs da sua marca. 

Conclusão

Nesse artigo, eu te mostrei que se você está ainda não sabe a diferença entre Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo, chances são que você não está aplicando nenhuma dessas estratégias direito no seu negócio.

Isso quer dizer que, provavelmente, você está perdendo potenciais clientes, vendas e, claro, deixando dinheiro na mesa.

Então, para esclarecer essa dúvida eu expliquei que o Inbound Marketing é uma estratégia focada no público-alvo, com o objetivo de criar um relacionamento antes fazer uma oferta. 

Para isso, o Inbound usa a criação de conteúdo massiva e outras técnicas de marketing, como SEO, tráfego orgânico e pago, links patrocinados, landing pages, entre outras estratégias.

Eu também mostrei que o Marketing de Conteúdo é uma peça importante dentro do Inbound Marketing, já que ele foca na criação e distribuição de conteúdo valioso para os seus potenciais clientes. 

Ou seja, não existe Inbound Marketing sem Marketing de Conteúdo. Mas para que essas duas estratégias funcionem, de fato, você precisa conhecer bem o seu mercado e o seu público-alvo.

E você, já aplica o Inbound Marketing e o Marketing de Conteúdo na sua estratégia? Me conta aqui comentários

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Juliana Amorim

Jornalista de formação e redatora de coração. Apaixonada por livros, revistas e jornais, meu único caminho era escrever. Já trabalhei como repórter, editora e apresentadora (de rádio, gente, não de TV) e, agora, faço parte do time de conteúdo do Klickpages. Adoro aprender e escrever sobre o universo do Marketing Digital e do Empreendedorismo. Tenho dois gatos lindos, adoro projetos de “do it yourself” e sou daquelas que viram a noite maratonando séries. Não dispenso uma boa conversa e simplesmente consigo transformar qualquer acontecimento bobo do meu dia em uma grande história.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)