Como escrever bem: 19 dicas para tornar seu conteúdo memorável

Como escrever bem: 20 dicas para tornar seu conteúdo memorável

Saber como escrever bem não depende de nenhum gene presente apenas no DNA de grandes escritores.

Nem é restrito a experts da língua portuguesa.

Nem depende de um diploma.

Nem de ter toda a gramática na ponta da língua.

A verdade é que qualquer pessoa pode escrever bem.

E quando digo qualquer pessoa…

Quero dizer que até eu, que sempre tive dificuldade para escrever, tanto que reprovei no vestibular da Unicamp justamente em redação, aprendi a escrever bem e hoje publico quatro artigos por semana aqui no blog.

O que estou dizendo é que se você não tem a menor ideia de por onde começar e acha que escrever bem é praticamente impossível para você…

Então está no lugar certo.

Você não precisa ser um escritor profissional para escrever conteúdos memoráveis, que grudam na cabeça do público.

Com as 19 dicas que preparei nas próximas linhas, você poderá:

  • Aniquilar o medo da página em branco que te assombra na hora de escrever;

  • Escrever textos incríveis que conectam, engajam e deixam o público sedento pelo seu conteúdo;

  • Ser a referência número um de bons conteúdos para o seu público, mesmo sem ser um escritor profissional;

  • Produzir conteúdo com consistência e qualidade e levar sua estratégia de marketing de conteúdo para outro patamar.

Ao final desse artigo, você vai ver como escrever bem vai muito além de técnica e de acertar todas as regras de português.

Vou começar essa conversa te falando sobre o que é, de fato, escrever bem.  

O que é escrever bem, afinal de contas?

O que é escrever bem, afinal de contas?

Antes de partir para as 19 dicas para deixar o seu leitor sedento por mais conteúdo, preciso falar sobre uma coisa.

Quando saber se um texto é bom?

Já adianto que um bom texto não tem a ver com a quantidade de páginas escritas ou o número de palavras no papel. Um bom texto tem mais a ver com a qualidade do que é escrito do que com a quantidade.

E você mede a qualidade do texto pelo nível de clareza e objetividade dele.

E esse processo começa na sua cabeça. Pessoas que pensam bem, escrevem bem. Se as informações estão confusas na sua cabeça, as chances são que você não vai conseguir passá-las de forma clara para o leitor.

Na prática, enquanto escrevo e depois do texto pronto, eu uso os seguintes critérios:

  1. Um adolescente de 15 anos é capaz de entender meu texto?

  2. Ou melhor, um adolescente de 15 anos não só entende, como gosta do meu texto e compartilharia o conteúdo com os amigos?

  3. Minha mãe, meu pai, ou uma pessoa mais velha faria a mesma coisa? As pessoas só passam para frente o que elas entendem e gostam.

  4. Todo o meu conteúdo gira em torno de uma única ideia (a big idea)?

Se a resposta for não para qualquer uma dessas perguntas, então meu conteúdo não está claro e objetivo o suficiente. E eu trabalho nele até dar "check" em todos os itens.

E, se você está pensando que seu conteúdo é técnico demais, específico demais para se encaixar nesses critérios, peraí. Porque o que eu estou falando aqui não tem nada a ver com o tema do seu texto.

Eu mesmo aprendi a maioria dessas perguntas com um médico. Imagina o nível técnico dos conteúdos dele.

Quando você trabalha em torno de uma única ideia, tudo fica mais claro e fácil de entender. Você não enrola, não enche linguiça, não se perde no meio do texto.

Então, se você quer criar conteúdos memoráveis, minha sugestão é que foque na clareza e objetividade.

Dito tudo isso, posso partir para as 19 dicas.  

Dica #1 Comece pelo básico

Comece pelo básico

Vou começar com uma dica assumidamente clichê. Mas, talvez seja justamente esse o motivo pelo qual muita gente não dá atenção para ela.

O primeiro passo para escrever bem é saber ortografia e gramática. Mas calma, você não precisa ser um mestre jedi do português.

Eu não estou falando sobre decorar as regras nem nada do tipo. Até porque saber regra gramatical na ponta da língua realmente não é minha praia.

Estou falando sobre saber como aplicar essas regras na prática. Onde colocar vírgulas, pontos finais, que acento usar, se é com ss ou com ç. Essas coisas.

Eu, que publico textos toda semana, dou umas escorregadas aqui e ali. Tenho dúvida nessa ou naquela palavra. Não tem problema nenhum nisso. Porque é praticamente impossível dominar 100% da língua.

O que eu faço para evitar que esses erros aconteçam é usar o Google para tirar minhas dúvidas. Quando não tenho certeza da escrita de uma palavra, jogo lá e vejo.

Dica #2 Saiba para quem vai escrever

A não ser que você vá escrever um diário e deixá-lo trancado a sete chaves, alguém vai ler seu texto. E você precisa saber quem quer atingir com sua escrita.

Vou dar um exemplo de uma situação que eu acho muito desconfortável e que me dá vontade de enfiar a cabeça num buraco toda vez que acontece.

Talvez você também tenha passado por algo assim.

Quando alguém puxa um assunto muito chato com você. Mas muito chato mesmo. Um assunto que você não tem o menor interesse de conversar sobre.

As chances são que, no cara a cara, você finja que está ouvindo só para não ser grosso.

Mas o seu leitor não vai fingir interesse. Ele vai simplesmente fechar o texto e seguir com a vida.

Por isso você precisa saber quem quer atrair com seus textos. Nesse artigo, eu explico em detalhes como fazer isso.

Quando você sabe exatamente quem quer atingir, fica mais fácil entender como a cabeça dessa pessoa funciona e falar diretamente com ela.

Inclusive, dica dentro da dica: a palavra mais poderosa que você pode usar no seu texto é… você. Gera conexão porque o leitor realmente sente que você está falando diretamente com ele.

Dica #3 Qual é o propósito do seu texto?

Qual é o propósito do seu texto?

Outro dia eu estava vendo essa entrevista com o Seth Godin, um dos maiores gurus do marketing. Tem uma coisa que o Seth falou que se encaixa perfeitamente aqui.

Ele disse que um grande erro das marcas é focar em si mesmas, não no cliente.

Isso é um erro porque o cliente não está interessado em ouvir sobre a sua marca, mas sim em como ela pode ajudá-lo, em como ela o impacta.

Por isso, eu pergunto e espero sinceridade na resposta…

Você está escrevendo para você ou para o seu leitor?

Por que você decidiu produzir esse conteúdo agora?

De que forma ele ajuda o seu leitor?

Como ele fortalece sua estratégia de marketing de conteúdo?

O que nele faz com que as pessoas leiam até o final?

Meu ponto aqui é: se você produzir conteúdo pensando apenas no próprio umbigo, bom… só você vai gostar de consumir esse conteúdo.

É a mesma coisa de sentar para trocar ideia com alguém e passar os próximos 40 minutos sem emitir um som, só ouvindo o que ela está falando sobre ela mesma.

Chega uma hora que enche o saco.

Então não coloque seu leitor nessa posição: escreva com o propósito nele, não em você.

Dica #4 Crie hábitos para escrever bem

Posso ser brutalmente sincero com você?

Tem dias que eu não estou com saco para escrever. Mesmo. Qualquer coisa parece mais interessante do que sentar na cadeira, abrir o Google Drive e começar um artigo novo.

É possível que você passe por essa exata situação também.

A solução é deixar para a manhã seguinte, quando eu talvez esteja mais a fim de produzir conteúdo?

Definitivamente não.

Consistência de produção e de postagem é um dos pilares de conteúdos excelentes. Não adianta postar dois artigos por semana, passar outras várias semanas sem publicar e voltar como se nada tivesse acontecido. Não é assim que funciona.

Como resolver?

Programando o seu cérebro para escrever sempre, mesmo naqueles dias de preguiça. O objetivo aqui é muito maior que uma tarde de Netflix.

São pequenos hábitos que, juntos, te preparam para a atividade.

Eu, por exemplo, funciono melhor pela manhã.

Pego uma água, um café ou um chimarrão. Ligo o computador, abro o Google Drive e o bloco de notas. Escrevo cada tópico separadamente no bloco de notas e jogo a versão final, ainda não revisada, no Drive.

Minha sugestão é que você teste em qual horário se sente mais produtivo e quais pequenos hábitos funcionam melhor.

Tenha em mente que o importante é criar esses hábitos para escrever para treinar o seu cérebro a continuar produzindo.

Dica #5 Organize sua rotina

Organize sua rotina

Depois de criar seus hábitos de escrita para ser mais produtivo, é o momento de organizar sua rotina.

Planeje quantas horas por dia vai escrever.

Planeje quantas vezes por semana vai produzir.

Planeje quantos conteúdos vai publicar por semana ou por mês.

Essa organização funciona como combustível e incentivo para que você continue escrevendo cada vez melhor. Produzir conteúdo sem perspectiva, sem planejamento, te deixa perdido. Quando você vê o macro, fica mais fácil manter o foco.

É possível que, quanto mais você siga sua rotina, mais ela tenha que ser ajustada de tempos em tempos. Como assim?

Quanto mais você pratica, quanto mais foco tem, escreve textos cada vez mais rápidos e de melhor qualidade. Aí, se antes você precisava de 4 horas para escrever um artigo, agora precisa de 2, por exemplo.  

Dica #6 Goste do tema sobre o qual vai escrever

Essa dica é muito simples. Se você odeia tecnologia, qual o sentido de escolher esse tema?

Escrever sobre algo que não faz sentido para você, ou que te tira a paciência, vai refletir na qualidade e na entrega do seu conteúdo.

Você vai demorar mais para produzir, vai sentir vontade de quebrar a tela do computador e é possível que acabe empurrando com a barriga só para se livrar daquilo.

Mas a pior consequência é que seu público vai sacar isso. É tipo chupar limão e não fazer careta… quase impossível de esconder.

E, quando o público perceber que até você está de saco cheio do seu conteúdo, vai sair correndo rapidinho.

Dica #7 Pesquise

Pesquise

Ok, você pode ser especialista em comportamento felino, carros de corrida ou qualquer outra coisa…

E é bem provável que você entenda bastante sobre o conteúdo que vai produzir. O fato é que isso não é o bastante. Você precisa pesquisar antes de escrever.

Porque, enquanto pesquisa, você sabe o que está sendo falado sobre o assunto e o que as pessoas querem saber. Isso te ajuda a escrever pensando no seu público, no que ele quer ler e não no que você quer escrever.

Ou seja, a pesquisa te mantém atualizado sobre o tema.

Ela também é fundamental quando você escreve conteúdo otimizado para os mecanismos de busca, como o Google.

Porque te ajuda a cobrir todos os pontos que o Google considera relevantes para colocar seu conteúdo na primeira página.

Chegar na primeira página é fundamental, já que 95% das pessoas não passam dela. Mas eu vou falar melhor sobre SEO daqui a pouco.

Dica #8 Faça um esqueleto do texto

Essa dica deve ser usada em conjunto com a pesquisa. O esqueleto funciona para organizar suas fontes de pesquisa, estruturar os tópicos do texto (vou conversar sobre isso já já) e colocar suas sugestões de título.

É importante para manter a organização do seu processo de pesquisa para você não se perder no meio do caminho, do tipo "onde foi que vi essa informação mesmo?".

Dica #9 Organize suas ideias

Lá no início do texto eu te falei que ter clareza mental é indispensável antes de escrever qualquer linha de texto.

Você pode montar um rascunho no computador, separando em tópicos os pontos que não podem ficar de fora.

Eu prefiro organizar as ideias com post-its mesmo. É a chamada Técnica dos Cartões, que aprendi com a Victoria Labalme.

Funciona assim: você coloca os tópicos em cartões e os distribui em uma mesa ou no chão. Aí consegue visualizar o que é fundamental manter e qual é a melhor ordem para colocar as informações, a que faz mais sentido.

Quando faço com os post-its, fica tipo isso aqui:

Organize suas ideias

Dica #10 Estruture o conteúdo em tópicos

Esse é o tipo de coisa que transforma um texto impossível de degustar em um manjar dos deuses para quem lê.

Colocar seu conteúdo em tópicos facilita em 200% a leitura.

Os tópicos funcionam como os capítulos de um livro. Imagina ler um livro sem capítulo nenhum. Além de dificuldade para saber em que ponto você parou a leitura, é visualmente muito cansativo e a informação fica confusa.

Lembra o que eu falei sobre clareza lá no início do artigo? Pois é. Exatamente isso.

Dica #11 Seja simples

Acho que já deu para sacar que saber como escrever bem gira em torno da clareza e objetividade.

Ser simples é uma das formas mais eficazes de conseguir isso porque torna o seu conteúdo agradável de consumir.

Sabe aquele vídeo que você nem viu a hora passar enquanto estava assistindo? Ou o livro que te fez virar noites? Pois é.

Simplicidade atrai público. Ninguém quer quebrar cabeça tentando entender alguma coisa.

Para ser simples, a única coisa que você precisa fazer é… ser simples. Como assim?

Escreva como se estivesse em uma conversa, com linguagem natural, livre de palavras difíceis. Mesmo que você tenha um vocabulário rebuscado no cara a cara, lembra do que eu já te falei antes.

O conteúdo não é sobre você, é sobre seu público. Quanto mais soar como uma conversa simples e gostosa, mais ele vai querer consumir o seu texto.

Ser simples também inclui não 'abrir muitos parênteses', não enrolar, não encher linguiça. Tudo isso só gera confusão.

Outra forma de ser simples é como tamanho das frases e dos parágrafos do texto. Corte palavras desnecessárias, enxugue a informação.

Se você acompanha o blog, já deve ter percebido que meus parágrafos não passam de 4 linhas. Por quê? Porque é mais simples de ler.

Dica #12 Use histórias, metáforas e analogias

Use histórias, metáforas e analogias

É uma figura assustadora.

Um homem velho, sujo, com roupas rasgadas e manchadas e o cheiro forte de suor.

Ele carrega um saco de pano nas costas e anda pelas ruas atrás de crianças.

Suas vítimas favoritas são crianças que saem sozinhas na rua ou crianças que fazem malcriação dentro de casa.

Ele pega essas crianças, as prende no saco e as leva para a casa dele.

Nenhuma criança que foi pega pelo homem do saco voltou para casa.

Todas elas viraram sabão.

Se você passou a infância nos anos 1980 ou 1990, talvez já tenha ouvido essa história ou uma versão dela quando era criança.

O fato é que ela era contada para fazer com que as crianças fossem obedientes e ficassem com medo de sair na rua sozinhas.

Pense em você, com seus 7 ou 10 anos de idade.

O que imagina que funcionaria melhor para te manter nos eixos: contar essa história ou simplesmente ouvir um "você tem que ser obediente porque sim".

Acredito que a história é mais eficaz.

Porque, assim como metáforas e analogias, ela ajuda a criar imagens mentais e, consequentemente, conectar o ouvinte com o que está sendo falado.

Histórias grudam na cabeça.

Aposto que daqui uma hora você é capaz de reproduzir a história do homem do saco.

Usar histórias, metáforas e analogias no seu texto é importante para escrever bem porque torna o seu conteúdo mais claro, concreto e fácil de lembrar.

Dica #13 Otimize seus textos para SEO

Se você acompanha o blog, sabe que essa não é, nem de longe, a primeira vez que eu bato na tecla de SEO.

Caso não saiba, SEO é a sigla para Search Engine Optimization. É, basicamente, o processo para conseguir visitantes para sua página de forma orgânica, usando os mecanismo de busca, como o Google.

Tipo quando você faz uma busca no Google. Os resultados que aparecem na primeira página estão lá porque passaram pelos critérios que o Google considera essenciais para um conteúdo aparecer ali.

A primeira página é a menina dos olhos do Google. Se o seu conteúdo não estiver lá, as chances são que ninguém vai vê-lo. E não adianta escrever bem se ninguém vai ler.

Digo isso porque 95% dos usuários não passam da primeira página. Quantas vezes você sentiu necessidade de continuar sua pesquisa na segunda ou na terceira página? Pois é.

A melhor forma de aumentar consideravelmente as chances do seu conteúdo parar na primeira página do Google é otimizar para SEO, como escolher uma palavra-chave e usá-la no título e no primeiro parágrafo do texto.

Nesse artigo, eu explico melhor as 12 técnicas de SEO que você precisa saber.

Mas não adianta focar só em bater todas as regras de SEO. Senão você corre o risco de, por exemplo, repetir a palavra-chave em todo parágrafo porque esse é um dos critérios.

É fundamental pensar no sentido do que você escreve. Agora, os mecanismos de busca não olham apenas para as regras de SEO.

Eles olham para a semântica, que nada mais é do que um texto feito pensando na experiência do leitor.

Dica #14 Preste atenção no ambiente

Preste atenção no ambiente

Barulho, luz artificial, cadeira desconfortável, bagunça.

Tudo isso pode atrapalhar seu foco e sua produtividade na hora de escrever.

Outro dia eu vi em algum lugar que escrever é como entrar no sono profundo porque qualquer interrupção te força a voltar ao início do processo. Pode ser que você seja uma exceção, mas a regra geral é: quanto mais calmo o seu local de escrita, melhor.

Mantenha sua mesa limpa, organizada e com o mínimo de elementos possível para não causar distração visual.

Prefira ambientes com luz natural.

Sente em uma cadeira confortável, é bom para sua concentração e a coluna agradece.

Quanto ao barulho, tem quem prefira silêncio absoluto, tem quem goste de colocar uma música, vai da sua preferência.

Faça isso e veja a melhora na qualidade dos seus textos. 😉

Dica #15 Leia todo dia pelo menos um conteúdo interessante

Leia todo dia pelo menos um conteúdo interessante

Leia todo dia um conteúdo interessante.

Para melhorar seu repertório e a qualidade do seu conteúdo, você precisa encher as gavetas da sua cabeça com boas referências.

Não adianta passar o dia inteiro lendo piada no WhatsApp e achar que vai escrever um texto super legal.

As chances são que você vai travar na hora de ter ideias para seu conteúdo.

Minha sugestão é que você acompanhe blogs, sites, canais no Youtube, enfim, tudo que encha gavetas com boas referências.

Por exemplo, o Copyblogger é um dos blogs que eu acompanho e é referência em escrever bem.

Ler também ativa o seu senso crítico, você passa a identificar mais facilmente erros no seu texto, exemplos fracos, enfim.

Dica #16 Revise como se não houvesse amanhã

Cara… revisar é, para mim, o passo mais importante do processo de escrever bem.

É nessa hora que você lapida o seu texto.

É o que separa conteúdos medianos de conteúdos extraordinários.

Esse é o momento de enxugar seu conteúdo, tirar palavras desnecessárias, checar o português, ver se não tem repetição de informação. Também é a hora de verificar todos os links que você colocou, todos os nomes, lugares e fontes que você citou.

Leia seu texto em voz alta. Assim, você vai perceber se a leitura está fluída e se a transição entre as informações funciona direitinho.

Só que a revisão só funciona quando você está com a cabeça descansada. Ou seja, não dá para revisar no mesmo dia que escreveu porque seu cérebro está viciado no texto e isso faz com que você deixe alguns erros escaparem.

O ideal é deixar o texto descansar por 24 horas antes de revisar.

Dica #17 A prática leva à perfeição

"Escrever bem não é um talento natural. Você tem que aprender a fazer isso".

Quem disse isso foi David Ogilvy. Não sei se você já ouviu esse nome, mas o fato é que ele é um dos maiores nomes da publicidade de todos os tempos. Já ouvi dizer que o personagem Don Draper, de Mad Men, foi inspirado nele

Essa frase dele resume tudo o que eu te disse até agora.

Ninguém precisa nascer um escritor para saber como escrever bem. O que vai tornar seus conteúdos memoráveis, interessantes e imãs de leitores é a prática e a consistência.

O que isso quer dizer?

Quer dizer que quanto mais você escreve, quanto mais conteúdo você publica, melhor você se torna. Tanto por treinar seu cérebro para escrever sempre, quanto por colocar seus textos para jogo, receber feedback dos leitores e usar isso para melhorar.

É tipo ir para a academia e fazer dieta, quanto mais certinho você segue a rotina, mais resultados você tem.

Dica #18 Para escrever bem, dê um tempo

Escrever não é como apertar parafuso. Não é uma atividade mecânica que não precisa de foco mental.

Para escrever bem, dê um tempo

A verdade é nós não somos máquinas de produtividade, especialmente para atividades criativas, que exigem muito da mente.

É praticamente impossível passar um dia inteiro sentado na cadeira produzindo loucamente textos incríveis.

O cérebro só consegue manter o foco por 90 minutos consecutivos.

Por isso, se você quer escrever bem, é fundamental que faça pausas. Quando sentar que sua cabeça precisa de uns minutos de ócio, respeite.

Por exemplo, se você está lendo um texto e precisa voltar na frase anterior a cada ponto final, é melhor dar um tempo.

Isso me lembra uma frase bem famosa do filme O ILuminado, de Stanley Kubrick (filmaço, inclusive).

A frase é a seguinte: "Muito trabalho e nenhum descanso fazem de Jack um menino bobo".

Descanso é necessário para colocar os pensamentos no lugar.  

Dica #19 Pegue leve com você mesmo

Pegue leve com você mesmo

O que eu vou te falar agora não é nenhuma novidade se você já me acompanha há algum tempo.

Feito é melhor do que perfeito.

Pegue leve consigo mesmo, principalmente no início.

Estou te falando isso porque, mesmo com toda a pesquisa, revisão e prática do mundo, você pode cometer erros.

Pode ser um erro de digitação, de ortografia, ou até de conteúdo mesmo.

Calma, porque dá para arrumar depois.

Ficar obcecado com a perfeição do seu texto só vai te travar.  

O mais importante é que você consiga passar sua mensagem de forma clara e objetiva. Se a pessoa terminar a leitura do seu conteúdo com a sensação de que aprendeu algo novo, isso é o suficiente para você ficar satisfeito como trabalho que fez.

Transforme seus leitores em clientes

Transforme seus leitores em clientes

Agora que você já sabe como escrever bem para deixar seu público sedento por mais conteúdo, tenho mais uma dica valiosa.

No marketing digital, não faltam oportunidades de se conectar com a audiência.

E uma das melhores delas é converter visitantes do seu site ou blog em leads.

Não sabe como?

Seja em artigos ou ao apresentar promoções, por exemplo, esse é o momento de obter seu contato para, depois, promover abordagens mais direcionadas.

Faça isso a partir de uma landing page caprichada, o que aumenta muito a chance de confirmar as conversões desejadas.

Veja como criar a sua no Klickpages:

  1. Escolha seu modelo: veja opções de alta conversão comprovada através de testes.

  2. Customize a página: edite os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: por fim, é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Conclusão Como Escrever Bem

Com tudo o que eu te falei nesse artigo, já deu para perceber que não é mesmo necessário ser um escritor profissional para criar conteúdos que são imãs de público.

Que saber escrever textos que conectam, engajam e deixam o público com gostinho de quero mais pode ser a realidade de qualquer pessoa que esteja realmente disposta a isso.

E foi para tornar esse processo ainda mais tranquilo para você que eu separei essas 19 dicas sobre como escrever bem.

Agora você não precisa mais ficar com medo da página em branco. 😉

Então, vai lá, coloca essas dicas em prática e me conta qual delas tem dado mais resultado para o seu processo criativo.

E se tiver mais alguma ideia que possa ajudar, compartilha comigo aqui nos comentários, que eu vou adorar saber.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)