Como criar uma lista de e-mails do zero: o guia definitivo

Como criar uma lista de e-mails do zero: o guia definitivo

Esqueça tudo o que você acha de sucesso na internet até agora. Porque saber como criar uma lista de e-mails para sua estratégia de marketing digital é o ponto chave para determinar o sucesso do seu negócio na internet.

Eu sei que pode parecer pretensioso, mas não estou mentindo.

Vou te dar um exemplo que aconteceu comigo recentemente. Consegui vender 7.500 ingressos em apenas 15 dias por causa da minha lista de e-mails.

Sim, eu poderia ter apostado apenas em anúncios e provavelmente teria vendido a mesma quantidade de ingressos.

Mas a verdade é que depender de anúncios sai mais caro e demora mais.

É como se fosse um carro 1.0. Você vai chegar onde quer, mas não com a potência e velocidade que poderia.

Pense na sua lista de e-mails como um carro turbo que te faz ganhar a corrida.

Algo com muito, muito valor mesmo.

Porque uma lista de e-mails bem construída é o maior ativo do seu negócio. É o que vai garantir que a roda gire e você fique de carteira cheia.

Vai por mim: investir no e-mail como a principal forma de comunicação com seus leads e clientes é o que vai fazer a diferença.

Se você ainda está com o pé atrás, aí vai.

Dos adultos online, 92% têm uma conta de e-mail. Me fala o nome de um adulto que usa a internet e que não tem uma conta de e-mail.

Eu não consigo pensar em ninguém.

E digo mais: quem compra produtos ou serviços promovidos por e-mail gasta 138% a mais do que quem não recebe esse tipo de comunicação.

Os números impressionam. Mas o que mais me impressiona mesmo é olhar pra trás e ver o poder que a lista de e-mails teve nos meus negócios.

Eu sei que você não vai aprender a usar essa poderosa estratégia da noite para o dia. Por isso, eu organizei um guia com todo o passo-a-passo que você precisa seguir.

Depois desse artigo, você vai estar preparado para vencer a corrida.

Você vai ter todas as ferramentas na mão para aumentar (e muito) seu faturamento.

Você vai aprender desde qual é a melhor estratégia de marketing para promover seu produto ou serviço na internet até os passos para criar a lista de e-mails ideal (como definir sua persona e fazer uma landing page).

Tudo o que eu vou te falar nas próximas linhas é muito valioso.

Não perca mais tempo.

Comece pelo marketing de 3 passos

Como criar uma lista de emails Comece pelo marketing de 3 passos

Sabe aquele outdoor que você viu, um anúncio em uma revista ou a propaganda na televisão?

Então, nada disso é marketing de 3 passos.

Isso é marketing de branding, que é basicamente investir muita grana em campanhas que não permitem medir e mensurar os resultados.

Por exemplo: você vai lá e solta um anúncio em um outdoor, mas não tem como saber quantas pessoas viram e compraram seu produto ou serviço por causa desse anúncio.

E mais: você depende de veículos como revistas ou televisão para espalhar sua mensagem.

Ou seja, você não entra em contato direto com o  cliente ou prospecto. É uma abordagem mais indireta.

Funciona muito bem para gigantes do mercado que podem se dar ao luxo de gastar milhões.

Mas, se seu negócio é pequeno ou médio, marketing de branding não é o jeito mais eficiente de começar, pela minha experiência.  

Porque marketing de branding é como querer pilotar um carro de corrida sem nem saber andar de bicicleta ainda.  

Começar por ele pode ser o maior erro do seu negócio porque você não tem os milhões que grandes empresas têm.

Você ainda não pode se arriscar como elas podem.

Se esse é seu caso, a melhor opção que eu conheço é fazer o marketing de 3 passos.

Nesse tipo de marketing, você pode medir e comparar os resultados de cada campanha.

Aí você consegue ver qual campanha funcionou melhor, qual teve mais conversão, qual teve o maior ROI (retorno gerado pelo investimento que é, inclusive, a métrica mais importante).

O marketing de 3 passos faz parte de um tipo chamado marketing de resposta direta.

Ele tem esse nome porque você entra em contato direto com o cliente ou prospecto e não depende de terceiros, como no marketing de branding.

Além disso, seu investimento é bem menor.

O marketing de resposta direta pode acontecer de duas formas:

  • No marketing de 3 passos, como você já viu

  • No marketing de 1 passo ou marketing tradicional

No marketing tradicional, você vai de cara para a oferta:

Cliente, você quer o produto ou serviço que eu estou oferecendo?

Isso funciona muito bem para clientes que já querem aquele produto ou serviço, como quem assina um programa de emagrecimento sem pensar duas vezes.

Já no marketing de 3 passos, você faz as coisas com mais calma e consegue atingir até clientes que nem sabiam que precisavam do seu produto ou serviço:

  1. Oferece algo de valor para o prospecto em troca do contato dele (o melhor é o endereço de e-mail);

  2. Usa o contato para criar um relacionamento com ele;

  3. Depois faz a oferta.

Daqui a pouco você vai ver que esses 3 passos só funcionam quando você tem uma boa lista de e-mails.

Esses 3 passos são mais baratos e eficazes que o marketing tradicional. Não é difícil entender o motivo.

Imagine que você está em um bar e vê uma pessoa interessante (o prospecto). Se você chegar de cara pedindo para namorar com ela, é bem provável que dê tudo errado.

Se você fizer a pergunta outras vezes, mas continuar com a mesma abordagem, a resposta não vai mudar. Você só vai gastar tempo tentando sempre da mesma forma.

Isso só funciona quando a pessoa está na mesma vibe que você, digamos assim.

Se ela estiver muito a fim de você, ou melhor, se ela já está a fim de você há algum tempo, então é bem provável que dê certo.

Mas a realidade não é essa, na maioria das vezes. A mesma coisa acontece com seu negócio.

Chegar direto na oferta só funciona para clientes que já estão muito aquecidos e querem muito seu produto ou serviço.

A melhor forma de evitar esse fora é com o marketing de 3 passos. Porque você primeiro conversa, troca uma ideia, paga uma bebida.

Aí pede o número da pessoa. Se ela te passar o número, é porque está te dando sinal verde para mandar mensagens.

E aí, só depois de algumas mensagens trocadas, talvez outros encontros, você a pede em namoro.

Assim é muito mais eficaz porque a pessoa vai criando interesse por você. Até chegar no ponto que ela se sente pronta para assumir um relacionamento com você.

Seguir o marketing de 3 passos é a forma de ir preparando o prospecto, ir guiando pelo funil de vendas e estágios de compra até que ele queira seu produto ou serviço.

Antes de mais nada: o que é e-mail marketing

Como criar uma lista de emails o que é e-mail marketing

Agora você sabe como o marketing de 3 passos é a melhor jogada.

Ter uma lista de e-mails bem construída faz toda a diferença para você ganhar o jogo.

Mas, antes de aprender como fazer uma lista de e-mails de qualidade, deixa eu te contar uma coisa.

A lista de e-mails é a chave de um bom e-mail marketing.

E o e-mail marketing nada mais é que um dos principais pilares do marketing digital. É difícil imaginar uma comunicação integrada e eficaz que não adota essa prática.

Depois do email marketing, sua empresa vai ter mais resultados. Talvez até múltiplos do que ganha hoje.

Esse tipo de estratégia usa o email para fazer a comunicação entre empresas e clientes.

Ele tem a vantagem de ser o melhor em criar relacionamentos estáveis e com longa durabilidade com a sua audiência.

Uma vez com o email do consumidor, você consegue se comunicar de um jeito mais rápido e fácil, sem depender das redes sociais.

Afinal, o Facebook não vai entregar sua mensagem para toda a base de fãs sem ganhar algo em troca.

O email também é mensurável em todas as etapas, ajudando você a entender onde estão os acertos e erros do seu processo: o ROI do e-mail marketing é 3.800%!

Inclusive, o e-mail é quase 40 vezes mais eficiente na aquisição de clientes do que Facebook e Twitter juntos.

Dica de ouro: sempre deixe a opção de descadastramento do e-mail bem visível. O destinatário tem que ter a opção de não receber mais seus e-mails.

Lista de e-mail: o maior ativo do seu negócio

Como criar uma lista de e-mails o maior ativo do seu negócio

A lista de e-mails te permite fazer ofertas para as pessoas certas e na hora certa, como você viu no marketing de 3 passos.

Mas, muito mais do que isso, a lista de e-mails é a melhor forma de criar um relacionamento valioso com seus prospectos ou clientes.

Por que a lista de contatos em forma de e-mail é a melhor opção?

Para começar, porque é 5x mais provável que seu público veja sua mensagem pelo e-mail do que nas redes sociais.

E digo mais: 72% dos consumidores preferem que a comunicação com empresas seja feita por e-mail.

Por isso que eu falo sem dúvida nenhuma: a lista de e-mail é o maior ativo do seu negócio.

Se ainda não está convencido, deixa eu te explicar os dois tipos de lista que existem:

  • a lista que você não tem controle (redes sociais)

  • a lista que você tem controle (e-mail)

Pense na sua página do Facebook ou no seu canal do Youtube, por exemplo. Você tem total autoridade sobre o que acontece por lá? A resposta é fácil: não.

E eu te digo os porquês:

  1. Quando você publica conteúdo nessas plataformas, apenas uma parte da sua audiência recebe sua publicação;

  2. Pode ser que o Facebook "acorde de mau humor” e simplesmente decida te sacanear, tirando seu público de você (cancelando a inscrição de algumas pessoas sem nenhum motivo, por exemplo);

  3. Sua página ou canal pode ser excluído a qualquer momento, sem que ninguém te pergunte nada;

  4. Você tem que seguir as normas das plataformas de redes sociais se quiser que seu conteúdo continue no ar.

Imagine que você só usa o Facebook ou o Youtube para entrar em contato com seus prospectos e clientes.  De repente essas plataformas acabam. Assim, do dia para a noite.

O que você faz?

Sai “batendo de porta em porta” na casa de cada um dos seus inscritos ou seguidores? Não dá.

Por isso, eu te digo: você não tem controle nenhum da sua lista de contatos nessas plataformas.

Mas, olha só: não estou, de forma alguma, te dizendo para não investir em redes sociais. Você deve investir.

Até porque elas são plataformas poderosas para divulgar sua marca, ficar visível para seu público e estar sempre em contato com ele.

Só estou dizendo que essa não é a única (nem a melhor) estratégia para se comunicar com seus leads e clientes.

O melhor que você faz é o seguinte: investir na lista que você não tem controle ao mesmo tempo em que investe na lista que você tem controle.

E você tem controle da sua lista de e-mails.

Pensa comigo: uma vez que a pessoa te dá o e-mail dela, ninguém pode tirar essa informação de você.

Nenhum provedor de e-mail pode tirar a lista de você porque ela é SUA.

Mesmo que o software de e-mails que você usa dê pane por algum motivo, se você armazenar a lista direitinho, ela vai ser sua para sempre.

Mais de uma lista de e-mail

Como criar uma lista de emails Mais de uma lista de e-mail

Eu estou falando lista de e-mails, no singular, mas na verdade são listas de e-mails.

Listas em dois sentidos. O primeiro é que você constrói cada lista de acordo com a segmentação do seu público.

Isso porque, por mais que você tenha definido direitinho seu cliente ideal, a verdade é que sempre vai ter uma variação ou outra.

Por exemplo, seu produto ou serviço é para quem quer falar espanhol.

Alguns não sabem nem por onde começar. Outros já estão em um nível avançado e só querem ter fluência.

Você provavelmente não vai colocar os dois na mesma lista e disparar os mesmos e-mails para eles.

O jeito certo é mandar e-mails personalizados para cada um.

Esse é o primeiro sentido de listas, no plural. O segundo sentido é que existem dois tipos:

  1. lista de leads ou clientes em potencial

Essa lista é importante porque é o que vai permitir que você cresça, ganhe escala.

Essas pessoas te deram os e-mails delas, ou seja, têm interesse por seu produto ou serviço, mas nunca abriram a carteira.

  1. lista de clientes

Essa é sem dúvidas a lista mais importante de todas. Vale muito, muito mais.

Sabe aquele ditado “mais vale um pássaro na mão do que dois voando”?

Pois é. Acredita em mim: ter mil clientes é muito mais valioso do que ter dez mil leads. Porque foram essas mil pessoas que te deram um voto de confiança.

Elas abriram a carteira, já pagaram por seu produto ou serviço. Isso significa que você entregou um produto ou serviço que afetou positivamente a vida delas.

Bom, você viu que eu usei números na casa dos milhares no meu exemplo.

E eu sei que esses números podem mexer com o bichinho da preguiça que tem dentro de todo mundo. Conseguir cada um desses e-mails pode ser desmotivador. 

Porque eu não vou mentir para você: construir uma lista de clientes de qualidade é resultado de trabalho duro.

Mas, meu amigo, vale muito a pena.

Porque a lista de e-mail é o ativo mais importante do seu negócio.

É ela que vai manter a roda girando e o dinheiro entrando.

Agora, é o seguinte: muita gente entende o valor de uma boa lista de e-mails, mas simplesmente não quer fazer o menor esforço para construir uma.

E acaba cometendo um erro que pode custar o sucesso do negócio dela.

Em alguns segundos, eu vou te falar que erro é esse.

Mas já fica com isso na cabeça. Nunca, jamais, de forma alguma, cometa esse erro.

Nunca compre listas de e-mail

Como criar uma lista de emails Nunca compre listas de e-mail

Ter a oportunidade de pegar atalhos pode ser tentador.

Não me entenda errado: atalhos são bons para muita coisa na vida. Atalhos no teclado, por exemplo, economizam muito tempo para quem trabalha no computador.

Mas, pegar atalhos na hora de fazer uma lista de e-mail é uma grande cilada. Eu vou te explicar o motivo.

O maior atalho que as pessoas pegam é comprar listas de e-mail.

Faz um teste, joga aí no Google “comprar lista de e-mail”. O que não falta é opção.

Mas já ouviu falar que quando a esmola é muita, o santo desconfia? Esse ditado nunca foi tão verdadeiro.

Isso porque comprar listas de e-mail gera consequências cruéis para o seu negócio.

Problema nº1

É simples: imagine que você detesta café.

Aí, do nada, começa a receber vários e-mails de uma empresa que nunca ouviu falar antes te oferecendo um clube de assinatura de café.

Como diabos seu e-mail chegou até eles, por que eles estão mandando esse tipo de conteúdo para você se você claramente não é o público deles?

Esse é um caso óbvio de empresa que comprou uma lista com milhares de e-mails e saiu disparando sem nem ver a direção.

Agora, me diz: quais as chances de você virar cliente dessa empresa? Eu arriscaria nenhuma.

Eu chuto que você denunciou spam no e-mail porque não quer mais saber de nada de café na sua caixa de entrada.

É tipo o feitiço virando contra o feiticeiro: a empresa tentou te empurrar o conteúdo ou a promoção e acabou com um alerta de spam na cara.

Agora imagine outra situação. Você adora reformas de móveis DIY (do it yourself ou faça você mesmo). Sempre que pode, faz pesquisas sobre o assunto.

Você acha um blog que dá dicas sobre como fazer esse tipo de reforma. O blog oferece um ebook sobre os melhores materiais para usar em uma reforma de móveis DIY.

O assunto te interessa, então você quer baixar o ebook. Para isso, precisa dar seu endereço de e-mail.

Na sua caixa de e-mail aparece o tal ebook para baixar. Depois disso, a cada semana, você recebe um e-mail com outros conteúdos ou promoções sobre reforma de móveis DIY.

Isso não te incomoda porque você permitiu que aquela empresa te enviasse e-mails.

E quando eles te fizerem uma oferta, vai por mim, vai ser muito mais fácil você aceitar.

Problema nº 2

Não pense você que ser denunciado por spam pelas pessoas que se sentiram invadidas pelo seu e-mail é o único dos seus problemas.

Não, meu amigo.

Porque os provedores de e-mail – como Gmail e Hotmail – não são nada bobos.

Eles sabem identificar se essa lista que você está tentando disparar o e-mail é uma lista comprada ou não.

E quando eles identificam que é… você vai direto, sem escala, para a caixa de spam de todo mundo.

Ou seja, a pessoa nem chegou a ver seu e-mail. Porque ele foi parar no buraco negro dos e-mails, onde ninguém nunca vai.

Confia em mim… comprar listas simplesmente não vale a pena.

Em resumo:

  • Comprar uma lista de e-mails é quando o feitiço vira contra o feiticeiro: você vai pelo caminho mais fácil, não precisa fazer esforço para montar sua lista, dispara o e-mail para pessoas nada a ver e acaba com alerta de spam na cara;

  • Os provedores de e-mail estão sempre de olho em quem tenta pegar atalhos;

  • O que importa não é o tamanho da lista, mas a qualidade dela;

  • Montar um lista de e-mails lead por lead é a forma mais eficiente e mais barata de disparar e-mails para quem importa, quem quer ouvir sobre você.

Na prática: como criar uma lista de e-mail

como criar uma lista de e-mail na prática

Agora você já sabe que criar uma lista de e-mails é tão importante para o seu negócio digital quanto oxigênio é para seus pulmões.

Mas eu sei que você pode estar com um nó na cabeça, sem saber por onde começar.

É nisso que eu vou te ajudar agora. Vou te mostrar quais são os passos essenciais para criar uma lista de e-mail.

Vem comigo.

Definir nicho

Eu não sei se você já viu esse caso, mas houve uma época que a Colgate (sim, a marca de pasta de dente) se aventurou no mundo das massas congeladas e começou a vender lasanhas.

Quê?

Pois é, não faz o menor sentido.

Não faz sentido porque são dois nichos de mercado completamente diferentes (e cá entre nós, até meio opostos).

Então, definir o nicho de atuação do seu negócio é o primeiro passo antes de decidir qualquer outra coisa.

E digo mais: dentro de nichos, tem um mundo de subnichos.

Por exemplo:

  • Luta é um nicho. Muay thai ou karatê são subnichos.  

  • Culinária é um nicho. Culinária japonesa é um subnicho.

  • Marketing é um nicho. Marketing digital é um subnicho.

Dica: quanto mais específico for o seu subnicho, mais específico será seu público-alvo.

Definir persona

Persona ou avatar é o seu cliente ideal, o consumidor perfeito para o seu produto ou serviço.

Ou seja, é o cara que você quer que compre o que você vende.

Porque, afinal de contas, produto ou serviço nenhum é feito para literalmente todo mundo.

Não adianta tentar vender sorvete convencional para quem não pode tomar leite, ou um serviço de como educar crianças para quem não tem filhos, por exemplo.  

É comum que você tenha mais de uma persona para seu negócio.

No exemplo do serviço de como educar pessoas, uma persona poderia ser um pai solteiro que está com dificuldades, ou uma avó que ajuda a criar a criança.

A junção das suas personas forma seu público-alvo.

Se você não tiver personas definidas, não vai saber para quem está vendendo.

O que quer dizer que: sem persona definida, sem negócio de sucesso.

Você define cada uma das suas personas ao responder as perguntas que eu vou te explicar agora.

Demografia:

  • É homem ou mulher?

  • Qual a idade?

Essas duas perguntas são importantes porque a linguagem que você usa para falar com homens e mulheres é diferente.

O jeito que você fala com um adolescente é diferente de uma pessoa de 40 anos.

Necessidades e pontos de dor:

  • Quais os sonhos?

  • Onde quer chegar?

  • Do que gosta?

  • Do que não gosta?

  • Do que ela tem medo?

  • O que a faz perder o sono?

  • Quais as maiores dores dela?

Responder a essas perguntas com sinceridade é sua forma de descobrir se seu produto ou serviço é mesmo o que a pessoa precisa.

Se não for, você tem como fazer mudanças antes de sair metendo a cara no mercado.

Descobrir as necessidades e pontos de dor do seu avatar faz com que você se comunique com ele do jeito certo e eficiente.

Quando você se comunica do jeito certo, tem chances muito maiores de gerar conexão com seu público.  

As pessoas se conectam com quem entende o que elas sentem, pensam, têm medo.

Concorrência:

  • O que seu avatar está consumindo?

  • Que anúncios ele vê?

Aqui você precisa se colocar no lugar dele. Pesquise o que ele pesquisaria e veja os resultados que aparecem na tela.

Se o seu produto ou serviço é sobre como emagrecer rápido, jogue essas palavras no Google e veja os anúncios que aparecem.

Anúncios que ficam ali mesmo depois de semanas, são anúncios que estão dando certo. É isso que seu avatar está consumindo.

Assim, você fica por dentro da sua concorrência e conhece melhor seu avatar.

Objeções:

  • O que impediria seu cliente ideal de comprar seu produto ou serviço?

Funciona melhor para quem já tem um produto ou serviço e já vendeu.

Nesse caso, você pode aplicar uma pesquisa de satisfação e deixar os canais de comunicação abertos para o cliente se manifestar sobre as próprias objeções.

Mas definir objeções também é um ponto de partida se você ainda está montando seu negócio.

Olha só: mais uma vez, se coloque no lugar do seu avatar.

É claro que você “bota fé” no seu produto ou serviço. Mas, se alguém tentasse vender isso para você, o que te impediria de comprar? Pode ser:

  • Talvez já exista algo melhor e mais barato no mercado

  • Só resolve seu problema em parte

  • É muito caro

  • Não é a prioridade

Enfim, assim que você sabe quais são as objeções, você pode trabalhar para resolver cada uma.

DICA: Avatar é um ser que está sempre mudando. Não é porque você definiu o seu há um ano que ele continua o mesmo.

Por exemplo, se você trabalha com serviço para noivas, pode ser que algumas já tenham se casado.

Por isso, você deve sempre revisitar o seu avatar.

Ofereça conteúdo gratuito

Como criar uma lista de emails Ofereça conteúdo gratuito

Pronto! Agora que você sabe qual é o seu nicho e quem é seu avatar, fica muito mais fácil se comunicar com ele por meio de estratégias de marketing de conteúdo e conseguir construir sua lista.

Uma das melhores formas que eu conheço para captar leads e alimentar a lista é produzir conteúdo gratuito que faça sentido para seu avatar.

Porque de nada adianta falar sobre as melhores formas de fazer um churrasco de primeira se seu avatar é vegano, oras…

O conteúdo gratuito pode ser feito de várias formas:

  • ebooks

  • podcasts

  • infográficos

  • webinários (aulas online)

  • artigos para blogs

  • newsletters

Enfim, quem vai escolher o formato ideal para seu negócio é você.

O que importa é: deve ser um conteúdo relevante que deixe seu avatar com gostinho de quero mais.

Ele precisa pensar: “se o que eu estou recebendo de graça é bom assim, imagina o conteúdo pago!”.

Seu conteúdo precisa ajudar seu avatar a:

  • Resolver um problema ou uma dor

  • Chegar mais perto de um objetivo

  • Economizar tempo

Faça chamadas para ação

Como criar uma lista de e-mails Faça chamadas para ação

Você foi lá, fez seu artigo no capricho para publicar no blog.

O visitante leu o texto e gostou. Achou outros artigos que você escreveu e leu alguns.

E… só isso.

Não houve conversão, não houve ação, nada aconteceu.

Esse é um problema tão simples de resolver que me impressiona como muitos empreendedores não prestam atenção no seguinte: fazer uma chamada para ação, mais conhecida como CTA (call to action).

Pela chamada para ação que você vai conseguir o e-mail do seu lead.

Pela chamada para ação que seu visitante vai saber que um ebook, um webinário ou uma newsletter estão disponíveis para ele.

Sem a CTA, seu visitante fica de mãos atadas e você continua sem uma lista.

É também pela CTA que você vai capturar leads em sua landing page (já vou explicar melhor o que é isso).

Você provavelmente percebeu que deu de cara com uma CTA no momento que abriu meu blog:

Se eu não tivesse colocado essa CTA no início e no final da página, você não saberia que pode se juntar a 20 mil empreendedores e receber conteúdo exclusivo do meu site.

Outro exemplo de CTA é essa na página do Érico Rocha para baixar o ebook dele. Perceba como a chamada para ação está destacada na página.


Crie uma landing page

Landing page é a porta de entrada para a construção da sua lista porque o único objetivo dessa página é converter visitantes em leads.

O que você precisa ter em mente é o seguinte: sem uma landing page, você fica travado na hora de construir sua lista.

Você faz sua landing page (página de inscrição) justamente pensando: “eu quero o e-mail desse cara”.

Daqui a pouco eu vou te explicar a estrutura básica de uma landing page e tudo vai ficar mais claro.

Aliás, por falar em como fazer uma landing page.

Até um tempo atrás esse era trabalho para profissionais da área de tecnologia. Criar sozinho era praticamente impossível.

Mas ainda bem que tudo está diferente agora.

Porque você pode criar sua própria landing page em apenas alguns cliques.

Claro que você ainda pode contar com “a galera da TI” para isso, mas deixa eu te contar uma coisa: não vale a pena.

Porque se você precisar fazer qualquer alteração na página, vai depender da disponibilidade deles.

Com as ferramentas que existem hoje no mercado, você tem muito mais autonomia e agilidade.

Foi por isso que eu criei o Klickpages, para que você possa criar landing pages sem dificuldade, conquistar clientes e alavancar seu negócio.

O Klickpages é uma das melhores opções na criação de Landing Pages, por oferecer vários modelos de alta conversão comprovadamente testados.

Ele te permite fazer testes e analisar dados para encontrar o melhor modelo.

Com o Klickpages, você cria landing pages em apenas 3 passos:

  1. Escolha seu modelo: veja opções de alta conversão comprovada por testes.

  2. Customize a página: edite textos, cores e imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: publique no próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Estrutura de uma landing page

Promessa é dívida. Agora eu vou te mostrar os 5 elementos que você precisa colocar na estrutura da sua landing page.  

Vou usar como exemplo a landing page do Érico Rocha, que foi feita com o Klickpages.

  1. CTA ou chamada para ação + Formulário para o visitante colocar o melhor e-mail dele;

  1. Os benefícios que a pessoa vai ter, se tomar essa ação. No exemplo do Érico, ele explica os benefícios no vídeo;

  2. Gatilho mental da prova social: testemunhos de pessoas que já compraram seu produto ou serviço;

  1. Uma explicação curta sobre quem é você ou sua empresa;

  1. Um FAQ com as perguntas/objeções mais frequentes.

Então, para resumir. Os itens fundamentais de uma landing page são:

  • CTA ou chamada para ação

  • Formulário para inscrição

  • Benefícios

  • Prova social

  • Uma breve bio sua ou da sua empresa

  • FAQ com perguntas frequentes

Conclusão

Como criar uma lista de e-mails Conclusão

Depois desse artigo, acredito que você não tem mais dúvidas da importância que a lista de e-mails tem para o seu negócio.

Você viu como aplicar o marketing de 3 passos para uma estratégia de marketing bem sucedida.

Também aprendeu que pegar atalhos como comprar uma lista de emails é a maior cilada para sua empresa. De verdade, é difícil limpar seu nome depois se você fizer isso.

Eu também te mostrei os passos essenciais que você precisa seguir para construir uma lista de e-mails matadora, desde definir seu nicho e sua persona, até construir sua landing page.

Você aprendeu que oferecer conteúdo gratuito para visitantes é um pote de ouro.

Agora você está preparado para colocar todas essas dicas em prática e ver de perto o sucesso do seu negócio.

Me conta aí nos comentários qual é a etapa que você acha mais desafiadora e qual o motivo.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.