Clickbait: vilão ou mocinho do marketing digital?

Clickbait: vilão ou mocinho do marketing digital?

Afinal, o clickbait é vilão ou mocinho no marketing digital?

Faço essa pergunta porque vejo muitas pessoas tomando como verdade apenas uma versão da história e afirmando com toda certeza que ele é um vilão.

Provavelmente você já leu por aí que esse é o tipo de coisa que você não deve fazer de jeito nenhum no seu negócio.

Já ouviu falar que é uma grande cilada.

Bom… Acontece que eu não consigo enxergar dessa forma. Até porque eu mesmo faço clickbait todo dia. Várias vezes ao dia.

E aqui na minha empresa o clickbait é, definitivamente, o mocinho da história.

Às vezes, ele é até herói.

O fato é que ele pode ser tudo isso ou nada disso – tudo depende de como você o utiliza no seu marketing de conteúdo.

Eu não sei se você é familiarizado com o termo, mas dentro da cultura pop essa característica de ser bom e mau ao mesmo tempo se aproxima muito do que é denominado anti-herói.

Só para não pecar por falta de clareza sobre esse tipo de personagem nas histórias, vou te dar um exemplo de uma série que eu gosto muito: Dexter.

Na trama, o personagem principal (de mesmo nome) é um psicopata e serial killer que trabalha para a perícia de Miami e que, para satisfazer o seu lado sombrio, precisa matar.

Mas não ele mata qualquer pessoa, aleatoriamente. Ele escolhe muito bem as suas vítimas e vai atrás de criminosos que, segundo ele, merecem esse destino fatal.

Se você for parar para pensar, o que o Dexter faz é muito cruel.

Até porque a morte, para muitos, é algo que nada justifica.

Mas, ao mesmo tempo (e curiosamente), 90% das pessoas com quem eu já conversei sobre a série disseram que torcem pelo psicopata enquanto assistem.

E a mesma coisa acontece com vários outros personagens fictícios que também são considerados anti-heróis.

Isso acontece porque eles podem até fazer coisas horríveis e agir de forma moralmente questionável…

Mas eles têm algumas fraquezas, humanidades e (acredite se quiser) boas intenções que fazem com que muitas pessoas sintam empatia e, em determinado momento da história, até fiquem do lado deles.

O que você quer dizer com isso, Hugo?

Quero dizer que hoje em dia é muito difícil uma coisa ser considerada verdade absoluta.

Tudo depende de quem está analisando, do olhar e da percepção de cada um.

A mesma coisa acontece com o clickbait.

Na sua essência, ele é apenas uma estratégia, uma prática relacionada à divulgação e distribuição de conteúdo.

Ele não é vilão, não é mocinho e não é herói. Porque para ser considerado bom ou ruim depende muito de como você faz o clickbait.

E é por isso que eu o considero o anti-herói do marketing digital.

O que resta saber então é: como você pode usar o clickbait para trazer apenas resultados positivos para o seu negócio?

Como usá-lo apenas como o mocinho ou, quiçá, herói?

É exatamente isso que eu vou te mostrar nesse artigo.

Até o final desse texto, você vai saber exatamente o que é clickbait, por que as pessoas clicam nesse tipo de link, em quais casos ele funciona ou não para a sua empresa.

E ainda vou te mostrar a relação que ele tem com o marketing de atração e como converter esses cliques em vendas.

Vamos lá?

O que é Clickbait?

O que é Clickbait?

Clickbait é uma tática usada para chamar a atenção e atrair mais cliques em determinado link nas redes sociais ou em qualquer outra página da internet.

Esse termo vem do inglês e é uma junção de duas palavras: "bait" (isca) e "click" (clique) e, por isso, tem como definição "caça-cliques" ou "isca de cliques".

Esses “caça-cliques” podem ser um título, uma imagem chamativa ou uma thumbnail que desperta o interesse do usuário para clicar no conteúdo.

Por ter sido muitas e muitas vezes praticado sem ética, o clickbait acabou levando consigo uma conotação negativa.

Inclusive, esse nome tem sido atribuído a matérias com títulos sensacionalistas e tendenciosos, criados apenas para atrair o maior número de pessoas para um conteúdo que, na maioria das vezes, não vale o clique.

Ou a títulos chamativos que não têm nada a ver com o conteúdo apresentado – em formato de texto ou vídeo.

E o pior é que muitas pessoas tomam essa versão como uma verdade absoluta.

Acontece que eu não enxergo dessa forma. Prefiro me ater ao que é o clickbait em essência: um conteúdo cujo objetivo principal é atrair a atenção e incentivar os visitantes a clicarem em um link para uma determinada página da web.

Se utilizado de maneira inteligente e ética, essa prática pode ser até muito interessante para o seu negócio, como você vai ver daqui a pouco.

Acontece que esse tipo de link te dá a chance de fazer com que as pessoas realmente consumam o seu conteúdo

Por isso, um dos maiores objetivos do clickbait é gerar maior tráfego online, o que pode influenciar em aumento das taxas de conversão, de vendas e te fazer economizar muito tempo e energia.

Por que clickbait funciona?

Por que clickbait funciona?

Antes de explicar por que o clickbait funciona e faz com que as pessoas realmente cliquem no conteúdo em questão, deixa eu te mostrar como isso acontece na prática.

Imagine a seguinte situação:

Você está navegando pelo Facebook quando se depara com um título bastante curioso: “4 maneiras simples e fáceis de ganhar dinheiro sem sair de casa. A número 3 vai te surpreender!”.

Poxa, isso não é algo que se vê todo dia. Você fica animado e agradece ao algoritmo do Facebook por esse artigo ter aparecido na sua timeline.

Quão incrível seria saber como ter mais dinheiro no bolso sem precisar sair de casa? As chances são que esse conteúdo resolveria muitos dos seus problemas financeiros.

E aí você clica no link, super empolgado em finalmente saber mais sobre o assunto.

A página abre no tal artigo, você escaneia o texto em busca da informação e, a princípio, não tem nada que seja realmente viável naquele texto.

Aí você volta, lê cada linha com cuidado e… É isso mesmo. A sua expectativa ao clicar no link não foi alcançada, definitivamente.

No fim das contas, todas as opções tinham algo que dificultavam e tornavam o processo tudo, menos simples e fácil, como prometido.

Nada de novo sob o Sol.

E é nesse momento que você fecha a página frustrado e, provavelmente, com uma certa raiva da página responsável pela enganação.

Isso te soa familiar?

Pois é. Isso acontece muito nas redes sociais hoje em dia.

Clickbait everywhere

É exatamente por casos como esse que eu acabei de descrever e porque, na grande maioria dos casos, os conteúdos em tais links não entregam o que prometem nos seus títulos que a palavra clickbait tem hoje uma conotação pejorativa.

Dessa forma, a prática de usar promessas exageradas para conseguir a atenção do público é vista como algo negativo, tanto por usuários das redes sociais quanto por especialistas em marketing digital.

Mas, a questão aqui é: o clickbait funciona porque faz uso de recursos que conseguem captar a atenção do público.

Eles despertam sentimentos nas pessoas e se tornam irresistíveis aos olhos dos visitantes.

Esses sentimentos podem ser:

  • medos que seu cliente ideal provavelmente possui

  • ganância ou desejo do seu público-alvo

  • dor ou dificuldade que seu potencial cliente possa ter

  • curiosidade

Esse último pode ser feito usando uma informação incompleta ou o uso de uma palavra ou expressão intrigante, por exemplo.

Essas são algumas estratégias que conseguem despertar a atenção do público a ponto de impactá-lo e convencê-lo a abrir o seu conteúdo.

Exemplos de clickbait negativo

Exemplos de clickbait negativo

Como eu te mostrei, o mais comum de se ver ou ouvir falar são os casos negativos dessa prática. Por isso, eu trouxe para você alguns exemplos mais comuns desse tipo de “caça-clique”.

Lembre-se que o objetivo aqui é justamente que você possa identificar e fugir delas, ok?

Bom, geralmente um clickbait negativo contém:

Informações enganosas

Nessa categoria aqui, dá para encaixar dois tipos de conteúdo:

Primeiro, aqueles que são verdadeiramente fake news (informações falsas), desde o título até o final do conteúdo, com um tipo de informação que visa apenas gerar comoção geral e muitos compartilhamentos.

Segundo, aqueles que têm uma informação errada no título para gerar clique, mas que no fim das contas não têm nada a ver com o restante do conteúdo no link.

Informações repetidas

Esse é o tipo de conteúdo que te atrai mas, após o clique, você não encontra absolutamente nenhuma ideia original.

São apenas repetições da mesma informação (às vezes, até a mesma do título), mas escritas de forma diferente em um texto bem curto.

Informações incompletas

Essas informações são típicas de portais de notícias que estão verdadeiramente atrás de cliques ou de ganhar dinheiro com espaços de publicidade online.

Sem nenhum compromisso real com a notícia em si, essas páginas costumam encher uma história com trechos resumidos que foram conseguidos em outro lugar e nem se dão o trabalho de concluir as ideias.

Muitas vezes, essas informações sequer correspondem ao que foi “prometido” na manchete.

Informações exageradas

Imagina que você deu de cara com um artigo cujo título era Esse é o jeito mais rápido de captar leads”.

Para que essa chamada não seja considerada um clickbait negativo o texto precisa, necessariamente, trazer a maneira comprovadamente mais rápida de conseguir leads.

Caso contrário, se trata apenas de mais um título exagerado e enganoso.

Muitas páginas fazem esse tipo de clickbait, usando “o melhor”, “o maior”… Tudo “o mais mais” – totalmente em vão.

Essas estratégias que você acabou de ver são totalmente apelativas e manipuladoras e são mais um exemplo do que não vale a pena quando se trata de ter credibilidade com o público.

Depois de tudo isso que você viu nesse tópico, você deve estar se perguntando…

E existe clickbait positivo?

E existe clickbait positivo?

Sim. Clickbait positivo existe, desde que seja feito de forma ética.

Eu falei que sim, infelizmente, nos últimos anos essa estratégia foi usada por tantas pessoas e empresas de forma errada, que hoje em dia ela carrega uma conotação negativa consigo.

Mas isso não quer dizer que todo clickbait é enganoso. De forma alguma.

Aqui na empresa, inclusive, nós usamos muito essa técnica de chamar a atenção através de headlines (títulos) atrativos e que despertam a curiosidade.

A grande sacada aqui é a integridade.

Nós prezamos muito pela integridade em tudo que nós fazemos.

Como você viu lá no início, o conceito de clickbait diz respeito a chamar a atenção para o clique.

A questão é que não necessariamente essa estratégia de chamar a atenção precisa ser enganosa ou de qualquer maneira que eu acabei de citar no tópico anterior.

Por isso, aqui nós sempre temos em mente o conteúdo que estamos disponibilizando, seja no blog ou nos vídeos que são produzidos, pois o intuito é justamente entregar aquilo que a pessoa procura quando clica e acessa nosso material.

Essa é a maneira que encontramos de gerar tráfego de forma honesta, que agrega positivamente ao nosso público e gera confiança e credibilidade para o Klickpages.

A grande diferença entre os dois tipos de clickbait é o ser ou não desonesto com as pessoas que te acompanham.

Para saber se você está fazendo um clickbait positivo, tente responder às seguintes questões sobre o seu conteúdo “caça-cliques”:

  • O conteúdo entrega o que o título promete?

  • Ele responde à expectativa que está sendo criada no seu potencial cliente?

  • Ele tem fonte confiável e embasamento?

  • O seu conteúdo realmente agrega valor ao público?

Essa é uma boa maneira de se policiar e ver se não está errando a mão na hora de atrair cliques.

Agora deixa eu te explicar melhor por que você deve ter cuidado ao usar o clickbait nos seus conteúdos.

Por que você deve ter cuidado ao usar clickbait no seu negócio

Por que você deve ter cuidado ao usar clickbait no seu negócio

Eu preciso te alertar que existem alguns motivos pelos quais é preciso ter cuidado ao fazer uso desse tipo de prática.

Muitas vezes os problemas aparecem a longo e médio prazo, mas do que jeito que as pessoas já estão ligadas no uso antiético do clickbait, eles podem também acontecer de uma hora para outra.

No exemplo que eu te dei lá em cima, sobre4 maneiras simples e fáceis de ganhar dinheiro sem sair de casa”, por exemplo, uma das consequências do clickbait é o usuário "marcar" as páginas que fazem isso de uma forma completamente enganosa.

Pensa comigo: quem é que gosta de sentir que foi enganado ou que desperdiçou seu tempo com algo que não valia a pena?

Se você se arriscar nessa prática, as chances são que, não importa o que você poste de qualidade depois, você já terá manchado a imagem da sua marca.

Já vai ter afastado muitos usuários que possivelmente saíram indignados de algum link anterior.

Sua página pode virar sinônimo de informações questionáveis.

Outra coisa com a qual você deve se preocupar é a consequência disso em termos de SEO, já que muitos mecanismos de pesquisa, como o Google, estão sempre atualizando seus algoritmos e os projetando para filtrar clickbait (do tipo negativo).

Além disso, os mecanismos de buscas também classificam as páginas pela taxa de rejeição.

Ou seja, se os usuários percebem que clicaram em um link com conteúdo inútil ou que não agrega valor e já saem imediatamente, o Google entende que o seu conteúdo não é valioso e você acaba “perdendo pontos” com ele.

Por isso, os sites que buscam atalhos e praticam “caça-cliques” que não sejam honestos são punidos e ficam cada vez mais no final das páginas de resultados.

Com o Facebook, o processo é bem parecido. Uma nova atualização no algoritmo faz com que esse tipo de postagem enganosa seja identificada e as impede de aparecer nos feeds de notícias dos usuários.

Já no Youtube, se esse tipo de prática acontece, é um tiro no pé. Quem não consegue manter as pessoas atentas depois do clique tem um baixo tempo de visualização no canal.

Logo, a plataforma entende que o conteúdo não é relevante e vai recomendar para menos pessoas.

E ainda, no email marketing, essa prática quando mal usada também tem suas consequências…

Os usuários que se cansam de assuntos mentirosos ou tendenciosos tendem a classificar tal email como spam ou pedir para sair da sua lista de contatos.

Com isso, o domínio é mal classificado pelos provedores e as entregas de suas campanhas vão caindo com o passar do tempo.

Agora… Além disso tudo que eu acabei de falar, o maior dos problemas, na minha opinião, é a sua marca perder a credibilidade com o público.

Se isso acontecer, meu amigo, não adianta… Por mais que suas publicações sejam atrativas e de valor futuramente, elas simplesmente não têm mais importância para quem costumava te acompanhar.

Por isso mesmo que esse é o tipo de jogo que eu prefiro não jogar.

O ideal, então, é usar o clickbait com sabedoria e criatividade para gerar um tráfego positivo e melhorar a presença online de forma consistente.

Quando vale a pena usar o clickbait, então?

Quando vale a pena usar o clickbait, então?

Quando se trata de vídeo, eu sempre bato na tecla de que não adianta apenas ter um bom número de visualizações.

Eu me importo muito mais com a quantidade de pessoas que assistem o vídeo até o final.

O meu foco é nessas pessoas porque, se elas consumiram meu conteúdo até o final, significa que o que eu estou oferecendo faz sentido para ela.

Por que eu estou te falando isso?

Simplesmente porque as pessoas tendem a ver (ou ler) até o final e, quiçá, compartilhar com amigos e familiares, apenas aquilo que eles realmente gostam e/ou se identificam.

Pois bem: é justamente nesses casos que eu recomendo que você faça uso dessa estratégia: quando você tiver certeza de que está fazendo um “clickbait do bem”.

Para saber se esse é caso, é bem simples. Reflita:

  • Você se sente orgulhoso do conteúdo que você produziu?

  • Você acredita que esse conteúdo agrega valor à vida das pessoas que o consomem?

  • Você entrega o que promete com o seu “caça-cliques”?

Se você respondeu sim a todas essas perguntas, o uso do clickbait é totalmente válido.

A questão é: não se sinta mal em conseguir que alguém clique no seu link se o que você oferece através dele é realmente bom.

Afinal de contas, você pode sim usar essa estratégia para promover seu negócio de um jeito que o seu público não se distancie e não rejeite a sua marca.

Clickbait e o marketing de atração

Clickbait e o marketing de atração

Vejo muitas pessoas fazendo comparativos entre o clickbait e o marketing de atração (também conhecido como inbound marketing), os colocando em posições completamente opostas.

Isso é o que eu quero esclarecer aqui para que não não te reste nenhuma dúvida.

Bom, eu até entendo por que isso acontece: quem enxerga dessa forma toma como verdadeiro o conceito negativo da estratégia de atrair cliques.

Na cabeça dessas pessoas clickbait é sim sinônimo de enganação.

Mas, como já falei, eu não concordo. Eu considero o clickbait uma tática de conversão de usuários em cliques para o seu conteúdo.

Decidir se isso será algo bom ou ruim cabe somente a você – ele é o anti-herói da parada, lembra?

Por isso, eu considero que o clickbait faz parte do marketing de atração e não se opõe a ele.

Veja bem: ao atrair o seu potencial cliente para o seu conteúdo, você está fazendo inbound marketing.

Até porque o objetivo dessa estratégia é, no fim das contas, oferecer um conteúdo de valor que engaje o público.

O resultado disso tudo é uma marca com maior autoridade no seu nicho de atuação com um volume cada vez maior de leads qualificados, cada vez mais perto de comprar o seu produto ou serviço.

Esses dois conceitos andam de mãos dadas quando de trata de aumentar o seu tráfego, melhorar o seu relacionamento com o cliente e, consequentemente, aumentar as vendas na sua empresa.

Como converter cliques em vendas

Como converter cliques em vendas

Bom, agora você já sabe que para ter credibilidade e sucesso com o seu público precisa fazer o que eu chamei aqui de "clickbait positivo".

Afinal de contas, um bom conteúdo é o poder.

E você pode aproveitar para capturar leads quentes para o seu negócio, ao aliar o famoso clickbait com uma landing page caprichada.

Você vai conseguir atrair cada vez mais o seu público e pode conseguir o contato deles em troca de uma recompensa de valor.

E, a partir do momento em que você tem uma lista de emails, pode fazer uma abordagem mais elaborada e educar o seu potencial cliente para que ele siga até o final do funil de vendas.

Nesse momento, você vai precisar de uma landing page de alta conversão e, para isso, é claro que pode contar com a ajuda do Klickpages!

E, se você não sabe como montar a sua, não precisa se preocupar.

Olha só como é fácil fazer a sua:

  • Escolha seu modelo: veja opções de alta conversão comprovada através de testes.

  • Customize a página: edite os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  • Publique: por fim, é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Conclusão Clickbait

Depois desse artigo, não existe essa história de rotular o clickbait como o grande vilão do marketing digital.

Agora você já sabe que, na sua essência, essa prática pode trazer muitos benefícios para o seu negócio, se você souber usar da maneira adequada.

E justamente por ter esse papel ambíguo, dependendo da forma como é utilizada, eu considero que o clickbait é, na verdade, o anti-herói do marketing digital.

Você viu qual o conceito dessa estratégia, por que ela funciona na grande maioria das vezes e o que leva as pessoas a realmente clicarem nesse tipo de link.

E viu ainda exemplos do que eu chamo de tipos de clickbait negativo e por que você deve evitá-los no seu negócio.

Mas a boa notícia é que dá para usá-lo a seu favor e aumentar consideravelmente o seu tráfego online, melhorar o seu relacionamento com o cliente e aumentar as vendas na sua empresa.

Para finalizar, você sai daqui sabendo como converter os seus cliques em vendas com a ajuda do Klickpages. 😉

E você? Usa o clickbait na sua empresa? Me conta aqui nos comentários como ele funciona para você!

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.