Cauda Longa: o que é e como usar em sua estratégia de marketing

Se você quer visitantes qualificados no seu site, investir na cauda longa é uma excelente estratégia.

E não se preocupe se o conceito ainda soa confuso para você.

Neste artigo, vamos tornar tudo mais claro.

O importante a saber desde já é que você está diante de uma bela oportunidade.

Toda pesquisa é uma expressão das necessidades, desejos e interesses das pessoas, concorda?

Agora, imagine como a sua empresa pode se beneficiar disso se você puder analisar as tendências de pesquisa no Google, encontrar termos relacionados ao seu mercado e personalizar o conteúdo para atender às necessidades reais dos clientes.

Parece interessante, não é mesmo?

Pensando nisso, preparamos um material completo com tudo o que você precisa saber sobre as long tail keywords, ou as palavras-chave de cauda longa.

Além de entender o conceito, você também vai ficar por dentro das regras, vantagens e vai aprender como aplicar na prática no seu negócio.

Uma ótima leitura!

O que é cauda longa?

Cauda longa é um conceito criado pelo físico Chris Anderson, baseado na regra 80/20 de Vilfredo Pareto, o qual, basicamente, serve para analisar a distribuição de dados estatisticamente.

Essa regra parte da premissa que 80% dos efeitos são obtidos por apenas 20% das causas.

Ou seja, um pequeno número de fatores é responsável por um grande impacto na empresa.

Conceito

O termo cauda longa surgiu em 2004 graças ao trabalho de Chris Anderson, autor do livro “Cauda longa – do mercado de massa para o mercado de nicho”.

Através dele, Anderson encontrou uma maneira de descrever a estratégia de direcionar as ações para várias coisas com uma demanda menor, no lugar de investir em poucas coisas com muita demanda.

https://qph.ec.quoracdn.net/main-qimg-3b21f991d3f0446ce30b9b33496e87ab

Nessa estratégia, podemos notar claramente que as coisas mais genéricas tem maior demanda.

Já aquilo que fica na “cauda longa” possui uma demanda bem menor por ser mais específico.

https://www.ted.com/talks/chris_anderson_of_wired_on_tech_s_long_tail?language=pt-br

Regras da cauda longa

Agora que você está a par do conceito popularizado por Chris Anderson, é hora de aprender um pouco mais sobre suas regras.

Vamos lá?

Reduzir os custos

Como o objetivo é atingir uma audiência mais qualificada e propensa à compra, reduzindo os custos, você pode seguir essa regra através da movimentação de estoques, como no caso do iTunes, a loja virtual da Apple, e seu estoque digital.

Ou também através de uma produção colaborativa.

Um bom exemplo disso é deixar que os próprios clientes avaliem sua empresa no lugar de você mesmo.

Isso confere muito mais credibilidade para outras pessoas do que se fosse alguém do departamento de marketing realizando essa avaliação.

Desenvolver a mentalidade do nicho

Nesta regra, Anderson quer dizer que cada cliente é único.

Na verdade, um tipo de combinação de produtos específica atinge públicos diferentes, de acordo com suas necessidades e desejos.

Por isso, é preciso ter em mente que apenas um modo de distribuição não é suficiente para todas as situações.

Além disso, somente um produto pode não atender a todas as necessidades do cliente.

Tenha em mente ainda que o preço julgado como adequado varia de pessoa para pessoa.

Perder o controle

Finalmente, a última regra refere-se realmente a perder o controle e lançar seus produtos e combinações de itens para ver como o mercado vai reagir.

Dessa forma, com o tempo você conseguirá identificar quais deles vendem mais e podem ser melhor trabalhados.

As 3 forças principais da cauda longa

De acordo com Anderson, além das regras citadas, existem também três forças principais da cauda longa.

Vamos a elas!

1. Democratização da produção

Graças aos avanços tecnológicos e ao acesso à internet cada vez mais facilitado, houve uma democratização da produção de conteúdo.

Assim, ela deixou de ser algo feito apenas por um pequeno número de empresas e passou a integrar as estratégias de qualquer um que tenha domínio do assunto e acesso às ferramentas necessárias.

2. Democratização da distribuição

Além da democratização da produção, a distribuição desse conteúdo também sofreu bastante mudanças com o avanço do mercado digital.

O que ocorre é que ele possibilita que os produtos fiquem armazenados em bancos de dados na nuvem, eliminando a necessidade de grandes espaços físicos com prateleiras para a sua disposição.

3. Flexibilização da relação oferta/demanda

Por fim, para Anderson, é possível encontrar justamente o produto que você esteja procurando, graças à lógica dos mecanismos de buscas, facilitando essa relação entre a oferta e a demanda.

Sem contar que a avaliação e indicação da empresa para conhecidos ajuda a viralizar o conteúdo e trazer novos clientes.

O que são palavras-chave cauda longa?

As palavras-chave de cauda longa são um conjunto de pelo menos três palavras-chaves que formam um termo de pesquisa mais específico.

Normalmente, são usadas quando o site deseja refinar termos de pesquisa para suas páginas da web e também quando o pesquisador está usuário por algo bastante específico.

Essas palavras-chave são altamente específicas e atraem menos tráfego para o site.

Mas não se precipite ao julgar essa característica como negativa.

O que acontece é que elas tendem a atrair um tráfego de maior qualidade, o que acaba levando a mais conversões do que palavras-chave normais.

Na prática, a taxa de conversão de palavras-chave cauda longa costuma ser bem maior.

Exemplo de cauda longa

As palavras-chave de cauda longa também podem ser usadas pelos editores do próprio site e pelos visitantes de diferentes maneiras.

Para deixar mais claro, vamos dar um exemplo de como essas palavras-chaves funcionam na prática.

Imaginemos que sua empresa fabrica e vende móveis rústicos em São Paulo, certo?

Então, você quer que as pessoas encontrem seu negócio logo ali de cara na primeira página dos resultados orgânicos do Google.

Esse é o objetivo de todo negócio que investe em uma estratégia de SEO, que consiste justamente na otimização para os mecanismos de busca.

No seu caso, então, palavras-chave muito generalizadas (como mobiliário, móveis de madeira, cristaleira, entre outras) podem fazer com que o usuário acabe não encontrando o site da sua empresa.

Afinal, a concorrência por palavras-chaves normais é mais alta e chegar ao topo do Google bem mais difícil.

Já no caso da busca paga, como no Adwords, o uso de palavras-chave comuns pode gerar um bom prejuízo.

Nessas situações, usuários que não estejam prontos para a compra, por exemplo, podem clicar no anúncio, ver que aquilo não é o que eles estão procurando no momento e sair da página.

Ou seja, o investimento não gerou nenhum retorno. E isso é péssimo.

Nesse contexto, as palavras abaixo talvez seriam uma melhor opção para ajudar o usuário a encontrar sua loja, tanto na busca paga quanto orgânica:

  • móveis rústicos de madeira

  • móveis rústicos de madeira sp

  • móveis rústicos de madeira em são paulo

  • móveis de madeira em são paulo

  • comprar cristaleira de madeira

  • comprar móveis de madeira novos

  • modelos de móveis rústico.

É fato que esses termos têm uma média de pesquisas muito menor que “móveis rústicos”, por exemplo.

Por outro lado, são palavras que aumentam as chances de venda para quem esteja em São Paulo procurando por móveis rústicos de madeira.

O que acontece é que a busca é muito mais direcionada e tem uma concorrência menor que palavras-chaves normais.

Além disso, o uso de palavras-chave de cauda longa na pesquisa ajuda até mesmo quem ainda não está preparado para a compra a encontrar seu site.

Por isso, é interessante investir na produção de conteúdo que inclua esse tipo de termos, sendo baseados na jornada de compra do seu consumidor.

Veja exemplos:

  • decoração com móveis rústicos

  • como comprar móveis de madeira

  • como conservar móveis de madeira

  • fabricantes de móveis rústicos

  • melhores marcas de móveis rústicos.

Ficou clara para você a diferença entre palavras-chaves normais e de cauda longa?

Vantagens do uso da cauda longa

Agora que conhece o conceito e conferiu exemplos, você já deve ter notado que o uso de palavras-chave de longa cauda é importante como elemento da sua estratégia de marketing de conteúdo.

Vale todo o tempo e o esforço dedicado para identificar as melhores entre elas, não é mesmo?

Não importa se você está tentando aumentar suas vendas ou simplesmente quer alcançar maior tráfego no seu site.

Pensar em palavras-chave de cauda longa em vez das frases genéricas de uma ou duas palavras oferece vários benefícios.

Listamos as quatro principais vantagens para mostrar a você como o negócio é impactado na prática.

Confira!

Chegar mais fácil no objetivo

Tome as suas próprias pesquisas como exemplo.

Não é uma maravilha quando encontramos as respostas certas para aquilo que estamos procurando?

Esta é uma das principais vantagens das palavras-chave de cauda longa: facilitar o caminho do usuário até encontrar as respostas exatas para as suas perguntas.

A probabilidade de ele clicar no seu link se torna muito maior.

Assim, por consequência, as chances de o seu objetivo ser alcançado, seja ele uma conversão, venda ou qualquer outra ação, também aumenta.

Cliques mais qualificados

As palavras-chaves de cauda longa geram um Retorno sobre Investimento muito mais alto se comparadas com as palavras-chaves de cauda curta ou as head tails – isto é, quando o termo de pesquisa é apenas uma palavra.

Isso porque elas conduzem o visitante até onde ele quer chegar, com a solução correta para seu problema.

Na prática, isso acaba induzindo ele a uma conversão, seja ela qual for.

Menor taxa de rejeição

É sempre bom ficar de olho nas métricas do seu site.

Entre elas, a taxa de rejeição é uma das principais.

O termo é usado para indicar quando um usuário ingressa no site e sai dele sem nenhuma interação, nem mesmo um único clique.

Se você notar que a taxa esteja alta, algo deve estar errado na sua estratégia e precisa de ajustes para reverter a situação.

Dessa forma, ao otimizar o conteúdo do seu site com palavras-chaves de cauda longa relevantes para seu negócio, você garante mais visitantes qualificados para adquirirem seus produtos.

Isso sem contar a possibilidade de novas compras ou até mesmo de incentivo ao marketing boca a boca para os conhecidos.

É mais fácil de se posicionar bem no Google

Uma coisa leva a outra.

Quando a taxa de rejeição do seu site diminui, por consequência, ele começa a ser melhor classificado pelos algoritmos do Google e consegue se posicionar melhor no ranking dos resultados orgânicos.

Isso significa que, sem pagar por isso, você gradativamente vai se direcionando ao topo.

Assim, mais pessoas são atraídas para o site da sua empresa e, como já mencionamos, as chances de conversão ficam bem mais altas.

Como usar a cauda longa em sua estratégia: passo a passo

Agora que tudo começa a fazer sentido, é hora de eliminarmos as dúvidas que restam.

Ok, estou por dentro do conceito e das vantagens que as palavras-chave de cauda longa oferecem, mas como usá-las de fato na minha estratégia?”

Excelente questionamento!

Pensando nisso, montamos um passo a passo para ajudar você na sua jornada.

Preparado para pôr a mão na massa?

Vamos lá!

1. Faça uma boa pesquisa de palavras-chave

Primeiramente, é preciso que você faça uma pesquisa e identifique quais termos são os mais relevantes para a empresa e para o seu nicho de mercado.

O bacana é que você não está sozinho nessa missão e não precisa partir de achismos para definir esses termos.

Existem boas ferramentas disponíveis no mercado que facilitam bastante essa primeira fase do trabalho.

Quer conhecer algumas delas?

  • Keyword Planner: ferramenta gratuita do próprio Google Adwords. Ela possibilita pesquisar ideias de palavras-chave e grupos de anúncios, como também ver o histórico de pesquisa daquele termo.

  • Ubbersuggest: a ferramenta aprimora o termo da pesquisa, incluindo outras palavras-chaves e dando variações e sugestões de novos termos mais específicos.

  • Keyword Tool: a ferramenta pesquisa termos gratuitamente utilizando o Google Autocomplete para gerar centenas de palavras-chave de cauda longa relevantes para qualquer tópico.

Sugestão: teste, experimente e escolha a sua.

2. Use o Google Analytics e o Search Console

Como mencionamos, é interessante ficar atento às métricas de desempenho do seu site.

O Google Analytics é uma das principais plataformas de web analytics e está presente em milhares de site pelo mundo.

Além de não ter custo, a ferramenta é fácil de instalar e oferece uma infinidade de informações e insights sobre suas páginas.

Já o Search Console mostra como o próprio Google enxerga o seu site.

Por isso, ajuda a compreender o caminho do visitante até ele.

E como não existe buscas na internet sem o Google, nada mais natural do que concentrar sua estratégia nele.

3. Use sinônimos

Tenha em mente que, para ter sucesso nessa estratégia, é preciso entrar na cabeça do seu consumidor e pensar como ele.

Ou seja, seu desafio é tentar identificar as palavras-chaves que ele poderia usar em sua pesquisa.

E como nosso idioma tem um vocabulário extenso, reservar um tempo para pensar em alguns sinônimos para os termos de pesquisa pode ser uma boa chance de ser encontrado por potenciais clientes.

Voltando ao exemplo dos móveis, os clientes podem pesquisar tanto por móveis de madeira quanto por móveis rústicos.

Faz sentido, não é mesmo?

4. Produza conteúdo de qualidade

Podemos dizer que o conteúdo é a moeda de troca do marketing digital.

É através dele que as empresas são encontradas pelos usuários.

Logo, o relacionamento de vocês pode nascer bem nesse ponto.

Por isso, não deixe de planejar e produzir conteúdos que agreguem valor para os usuários e que entreguem as respostas certas para as perguntas que esses visitantes estão fazendo.

É preciso ser relevante para ser notado.

Comece a capturar leads hoje mesmo com o Klickpages

Como você viu até aqui, a cauda longa se mostra efetiva para atrair visitantes ao seu site.

Mas como vai fazer deles seus futuros clientes?

Esse é um desafio que pode ser vencido.

A dica é utilizar seu site ou blog para capturar leads.

Conforme conversa com o usuário em artigos ou ao apresentar promoções, não perca a chance de obter seu contato para, depois, promover abordagens mais direcionadas.

Faça isso a partir de um convite para assinar uma newsletter, receber novidades por e-mail, baixar um e-book ou mesmo se inscrever em um curso gratuito.

Não importa qual seja a ação: caprichar na landing page aumenta as chances de confirmar as conversões que tanto deseja.

Nessa hora, o Klickpages é a ferramenta ideal.

Veja os três passos básicos para criar a sua:

  1. Escolha seu modelo: veja opções de alta conversão comprovada através de testes.

  2. Customize a página: agora, é só editar os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: com tudo pronto, publique no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Viu como é fácil e rápido? Além disso, é muito eficaz!

Conclusão

À primeira vista, a cauda longa pode parecer distante da sua estratégia de marketing.

Afinal, estamos falando de um conceito definido por um físico e que se baseia em estatísticas.

Mas não se engane.

Conforme você viu neste artigo, estamos falando de um conhecimento obrigatório para gerar tráfego qualificado para o seu site.

Especialmente em negócios que estão dando os primeiros passos no meio digital, é arriscado demais querer chegar ao topo do Google investindo em termos de alta concorrência.

A chance de sucesso, nesse caso, é bem menor.

Por isso, a dica é que comece a construir autoridade e relevância a partir de palavras-chave de cauda longa.

As long tails podem trazer um bom número de visitantes para o seu site.

E quando isso acontecer, esteja pronto para fisgá-los.

O Klickpages pode ajudá-lo nesse desafio.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.