18 exemplos de call to action que funcionam como ímãs de cliques

18 exemplos de call to action que funcionam como ímãs de cliques

Se você quer mais leads, assinantes da sua newsletter, vendas, pessoas experimentando o seu produto… você precisa de uma call to action que seja um ímã de cliques.

Não tem como fugir.

Todas essas conversões que eu listei (e várias outras que ficaram de fora) dependem de que o seu público ou potencial cliente realize a ação de clicar em algo.

Pode ser no botão para se inscrever, comprar, fazer o download… enfim.

E é a sua call to action que vai fazer a diferença entre o visitante ser mais um bounce* ou uma conversão.

* (O bounce ou rejeição é quando a pessoa acessa a sua página e sai sem clicar em nada ou navegar em outras páginas do seu site).

Por isso, você precisa de uma CTA que seja um verdadeiro ímã de cliques, que chame a atenção dos seus visitantes e os persuadam a prosseguir com a conversão.

E para te ajudar a construir a melhor call to action para suas páginas, emails e redes sociais, eu trouxe 18 exemplos sensacionais e te explico quando e como utilizar cada um deles.

Bora lá?!

O que é call to action?

No marketing, call to action (CTA) –  que, em português, quer dizer chamada para ação – é um texto que convida e estimula o leitor a fazer algo.

Pode ser, por exemplo, baixar um material de graça, se inscrever para receber uma newsletter, comprar ou testar um produto.

Se você tem uma conta na Netflix, no Spotify, comprou algo na internet, se inscreveu para um curso online, você já foi persuadido por uma call to action.

Esse recurso está presente em landing pages, páginas de venda, redes sociais, email marketing… sempre com o objetivo de convencer o público a realizar uma ação.

Por isso ele é um componente essencial das estratégias de marketing digital. De CTA em CTA é possível transformar visitantes em potenciais cliente e potenciais clientes em clientes.

E nas próximas linhas você verá…

18 exemplos de call to action para aplicar no seu negócio e converter visitantes em clientes

Não existe resposta certa para qual tipo de CTA é a melhor. Tudo depende do seu público, do estágio do funil de vendas que ele se encontra e da oferta que você quer fazer.

Inclusive, você pode usar a sua criatividade para escrever calls to action incríveis e personalizadas.

Mas se você está na dúvida por onde começar ou o que colocar no botão ou link da sua landing page, página de vendas, campanha de email marketing, post nas redes sociais… 

Os modelos e exemplos abaixo certamente vão te ajudar.

1. Teste grátis ou experimente grátis

Se os seus potenciais clientes já estão num estágio mais avançado do funil de vendas, provavelmente eles estão considerando qual é a melhor solução para resolver o problema deles.

E é aí que a CTA de testar ou experimentar gratuitamente um produto ou serviço entra em jogo para provar como aquela é a solução ideal para o problema do seu potencial cliente.

O teste grátis pode vir em duas versões, no próximo tópico eu vou falar mais sobre a segunda.

O primeiro tipo é aquele que o potencial cliente pode utilizar por tempo ilimitado o produto, porém numa versão mais básica, com menos recursos.

Esse teste grátis é bastante oferecido para softwares que são vendidos por assinatura e tem o objetivo de encantar o usuário com uma experiência incrível, porém limitada.

O que desperta o desejo de adquirir a versão paga, para aproveitar sem limites.

Um exemplo disso é a chamada da página do Spotify, o serviço de streaming de música que oferece duas versões, uma gratuita com interrupções de anúncios e uma paga sem anúncios e com outros recursos adicionais, como baixar música para ouvir offline.

Teste grátis ou experimente grátis

2. Experimente grátis por XX dias

Essa é a segunda versão da call to action de experimentar ou testar gratuitamente.

Aqui o jogo muda um pouco. 

A ideia não é mais oferecer uma versão mais básica com recursos limitados. Mas sim possibilitar que o potencial cliente utilize a versão premium, com todos os recursos da ferramenta de graça durante um período.

Hoje em dia, praticamente todos os serviços de streaming oferecem o primeiro mês gratuito, para convencer o potencial cliente a se inscrever e começar a usar a plataforma.

Porque eles sabem que uma vez que a pessoa entra e vê que aquele serviço é útil para ela, dificilmente irá cancelar a assinatura nos próximos meses.

Até hoje eu me lembro de quando assinei o Spotify premium por apenas dois reais nos 3 primeiros meses, prometendo para mim mesma que depois eu voltaria para a versão gratuita.

Já faz dois anos que todos os meses eu pago a assinatura do premium 😂.

E já que eu usei o Spotify como exemplo, olha aqui como eles aplicaram esse modelo de CTA na página do premium.

Experimente grátis por XX dias

3. Sem complicações

Uma das grandes objeções de quem vai assinar qualquer serviço é depois ter que lidar com o cancelamento, caso depois a solução não seja o que a pessoa esperava.

Quem já passou pela dor de cabeça de tentar cancelar um serviço recorrente sabe do que eu estou falando.

Por isso, algumas marcas como a Netflix, trazem para a call to action a ideia de cancelar a recorrência é muito simples.

Pode parecer contraintuitivo falar de cancelamento no momento em que você está tentando convencer o potencial cliente a se tornar o seu cliente.

Mas se essa é uma objeção que já está formada na cabeça dele, nada melhor do que quebrar o quanto antes e usar isso como uma forma de persuadi-lo.

O botão de call to action da Netflix é “Assine a Netflix”, mas se você reparar o texto que compõe essa seção da página, você vai ver que ele é todo voltado para a ideia de que não tem complicações.

Sem complicações

4. Entenda como funciona ou saiba mais

Dando um passo atrás no funil de vendas. Pense que seu potencial cliente já sabe que tem um problema e que precisa de uma solução para resolvê-lo.

Mas ainda não conhece ou seu negócio ou como você pode ajudá-lo.

Nesse ponto da jornada, entra a call to action para entender como funciona ou saber mais.

Porque é justamente esse o tipo de informação que o seu potencial cliente quer saber.

Eu trouxe como exemplo desse tipo de CTA, a página da SuperCarers. Essa é uma plataforma que conecta pessoas que precisam de cuidadores com pessoas habilitadas para serem cuidadores.

Esse é o tipo de serviço que é levado muito a sério por quem está contratando, pois ele estará confiando a vida de alguém próximo aos cuidados de outro.

Então, é do interesse dele saber como funciona o processo, como os cuidadores são selecionados, as qualificações…

Por isso na página inicial do site da SuperCarrers, você encontra a CTA “See how SuperCarers works” (Veja como o SuperCarers funciona).

Entenda como funciona ou saiba mais

5. Nosso trabalho ou o que fazemos

Agora se o seu potencial cliente está mais interessado em conhecer o seu portfólio, seus trabalhos anteriores ao invés de saber como o seu produto ou serviço funciona, uma CTA desse tipo funciona melhor.

Ela incentiva o seu público a conhecer um pouco do que você já fez para tomar uma decisão se a sua expertise é ou não o que ele precisa.

Ao clicar na CTA, o leitor será levado para uma página onde poderá conhecer melhor quais são as soluções que você oferece, ver exemplos de coisas que você já fez e acessar o seu portfólio.

Eu trouxe como exemplo as chamadas que aparecem na página de buscas do Homify. Essa é uma plataforma onde você pode pesquisar por profissionais de construção civil, arquitetura, decoração… para te ajudar a construir sua casa dos sonhos.

Ao buscar por profissionais em uma área, você vê o título (nome do negócio), a área que ele atende, uma pequena descrição, e alguns adicionam uma CTA para conhecer mais o trabalho deles.

Nosso trabalho ou o que fazemos

6. Entre em contato conosco

Seguindo com a jornada do seu potencial cliente, ele viu o que você tem a oferecer, gostou, talvez tenha algumas dúvidas, mas já está bem mais preparado para comprar uma solução do que antes.

Nesse momento, você pode utilizar algumas CTAs dependendo do tipo de produto ou serviço que você oferece.

A primeira é entrar em contato.

Esse pode ser um contato sem compromisso, apenas para você conhecer melhor o seu potencial cliente, esclarecer as dúvidas dele e explicar como seu produto ou serviço pode resolver o problema dele.

A chamada de entrar em contato, pode ser utilizada em landing pages, email, redes sociais, onde o seu público está buscando informações sobre seu negócio.

Eu trouxe como exemplo um email que eu recebi da SEMrush, uma plataforma de ferramentas para Search Engine Marketing (em tradução livre, Marketing para Mecanismos de Buscas).

Apesar de não ter nenhum botão ou link, a chamada para entrar em contato sobre a oferta é clara.

Entre em contato conosco

7. Agendar uma visita

Essa CTA não funciona muito bem para negócios 100% digitais, mas ela é bastante utilizada por imobiliárias, colégios e outros negócios físicos, onde é do interesse do potencial cliente visitar e conhecer o ambiente antes de tomar uma decisão.

Eu não sei se você tem filhos, mas na hora de escolher onde eles vão estudar, para muitos pais é indispensável um tour pela escola.

Assim, eles podem conhecer melhor a estrutura e conversar pessoalmente com os coordenadores e orientadores educacionais.

Outro exemplo onde essa chamada é muito efetiva é em sites de construtoras.

A pessoa que está interessada em comprar um apartamento, por exemplo, geralmente visita uma unidade pronta ou um decorado, para saber como é a disposição dos cômodos, tamanho…

Olha só como esse modelo foi utilizado no site do colégio Leonardo Da Vinci:

Agendar uma visita

8. Vamos fazer algo juntos?

Essa é uma forma descontraída de propor o seu serviço para o potencial cliente e mostrar que ele não está simplesmente fazendo uma compra, mas uma parceria.

Por exemplo, um arquiteto poderia utilizar “vamos construir a sua casa dos sonhos juntos?”.

Uma chamada assim passa a sensação de que o projeto, o sonho do seu potencial cliente também é importante para você.

A agência digital Epic, usou muito bem esse modelo de call to action para convidar os potenciais clientes para começar um projeto com eles.

Vamos fazer algo juntos?

9. Aproveite por tempo limitado

Essa é uma chamada focada completamente no fundo do funil de vendas.

Ela serve para acelerar a tomada de decisão de potenciais clientes que estão considerando seu produto ou serviço há algum tempo.

Porque ela desperta o gatilho mental da urgência.

A call de action de aproveite por tempo limitado é parte de uma oferta que é válida apenas durante um período.

Ou seja, a pessoa precisa agir rápido para não perder a oportunidade.

Você pode colocar essa CTA em um email ou página de vendas, após apresentar a sua oferta.

Eu, particularmente, recebo muitos emails com chamadas desse tipo da Quem disse, berenice?, uma loja de cosméticos que também faz vendas online. 

Vira e mexe, eles fazem promoções relâmpago durante a noite com descontos em alguns produtos selecionados.

Olha só:

 Aproveite por tempo limitado

10. Apenas XX restantes

Essa call to action segue a mesma linha da anterior, só que aqui utiliza o gatilho mental da escassez.

Se o potencial cliente não agir rápido, ele perderá a oportunidade de comprar, pois não terão mais unidades, vagas, ingressos… disponíveis.

Por exemplo, um festival de música na Flórida fez parceria com hotéis na região para oferecer pacotes de estadia durante o evento.

Na página, onde você pode olhar os hotéis, eles mostram quantos quartos ainda estão disponíveis próximo ao botão de CTA.

Apenas XX restantes

O objetivo é fazer com que o participante do festival faça sua reserva o mais rápido possível para não ficar sem opções depois.

Neste exemplo, eles poderiam reforçar ainda mais essa mensagem colocando a disponibilidade logo acima ou abaixo do botão de “reserve”.

11. Voltar e finalizar a compra ou abandono de carrinho

Seu potencial chegou a colocar o produto ou serviço no carrinho, mas acabou desistindo no meio do caminho?

Uma email com uma CTA para voltar e finalizar a compra pode recuperar parte desses carrinhos abandonados.

Neste exemplo, a call to action para finalizar a compra (“Finish checking out”) é clara e ainda vem acompanhada de um código para frete grátis.

Voltar e finalizar a compra ou abandono de carrinho

12. Me avise quando estiver disponível

O seu potencial cliente se interessou pelo seu produto ou serviço e decidiu que queria comprar.

Mas, ao chegar na sua página de venda, ele descobre que a solução não está disponível no momento.

Seja porque acabou o seu estoque e você está reabastecendo, a turma do seu curso está em andamento e você abrirá outra apenas daqui uns meses, a sua agenda para esse mês está lotada…

O fato é que daqui algum tempo o produto ou serviço estará disponível novamente e você, é claro, não quer perder esse potencial cliente.

Para esses casos, a call to action ideal é a de fila de espera ou “me avise quando estiver disponível”.

Pois desse jeito você garante o contato do potencial cliente e pode notificá-lo futuramente sobre a disponibilidade.

Eu trouxe dois exemplos de aplicação desse modelo de CTA:

Me avise quando estiver disponível

Me avise quando estiver disponível

A principal diferença entre os dois é que no primeiro o potencial cliente se cadastra apenas para ser avisado, enquanto no segundo ele tem um incentivo a mais que é um guia para ele ir aproveitando, enquanto o curso não fica disponível novamente.

Você pode aplicar um ou outro de acordo com o seu público e a sua disponibilidade de materiais ricos para download.

13. Sentimos sua falta

Essa call to action é para aqueles clientes que deram uma sumida.

Eles já compraram de você algumas vezes, mas estão há um tempo sem dar sinal de vida.

O objetivo desse modelo de chamada é fazer a retenção do cliente e trazê-lo de volta para o seu negócio. 

Por isso, geralmente ela vem acompanhada de um cupom de desconto ou outra condição especial.

Olha só:

Sentimos sua falta

14. Inscreva-se

Agora pensando nas pessoas que estão no topo do seu funil de vendas, eu trouxe 5 exemplos de chamada para ação que vão te ajudar a capturar o endereço de email das leads e entregar conteúdo de alto valor para nutrir e educar seu público.

O primeiro é o “inscreva-se”, que é bastante utilizado para chamar pessoas para assinar uma newsletter ou participar de um mini curso, workshop ou webinário gratuito.

É uma CTA bem simples e direta ao ponto, pois o porquê a pessoa deveria se inscrever já é explicado na descrição do evento.

Aqui a intenção é mais só indicar qual a ação a pessoa vai realizar.

Eu trouxe para você este exemplo da Academia da Produtividade:

Inscreva-se 

15. Download gratuito

Outra opção é fornecer um material rico para download, tipo um ebook, checklist, guia, template…

Aqui no blog do KP, por exemplo, em alguns artigos você pode encontrar banners como este, no qual o visitante clica e é levado para uma landing page onde informará os dados para receber o material gratuitamente.

Download gratuito

Essa call to action é bem direta ao ponto também e o que faz ela funcionar é o contexto e o termo gratuito.

Geralmente, CTAs desse tão são utilizadas para oferecer um extra em conteúdos educativos. 

O leitor já está envolvido em um assunto e você apresenta a ele a oportunidade de baixar gratuitamente um material complementar. Isso definitivamente aumenta as chances de ele clicar.

16. Participe

A call to action “participe” tem o mesmo objetivo que a de “inscreva-se”: fazer o usuário se cadastrar para fazer parte de algo.

No caso da “participe”, geralmente o uso está mais ligado ao cadastro em promoções ou grupos exclusivos.

Por exemplo:

Download gratuito

Ao clicar no botão de participe o usuário é direcionado para uma página com formulário onde ele poderá realizar o cadastro.

17. Está fazendo algo errado? Descubra

Vamos combinar que ninguém gosta de estar errado. Pelo menos eu não conheço alguém que fique confortável ao saber que não está certo. 

A possibilidade de descobrir que se está cometendo um erro é o suficiente para despertar aquela pulguinha atrás da orelha de curiosidade e tornar essa call to action efetiva.

Está fazendo algo errado? Descubra

“Você está fazendo seu SEO errado? Coloque sua URL para descobrir” – Não sei você, mas se eu sou a responsável por uma estratégia de SEO, só por via das dúvidas eu colocaria a URL do site. 

Você pode adaptar esse modelo de acordo com o seu nicho, por exemplo, “Você está lavando o seu cabelo errado? Responda este rápido quiz para descobrir” ou “Você comete algum desses 5 erros na hora de investir seu dinheiro? Responda este quiz e receba um guia de como fazer investimentos da maneira certa”.

18. Escolha

Esse modelo de call to action geralmente é utilizado em pop-ups, aquelas janelas que abrem automaticamente sobre a página.

O objetivo dessa CTA é dar uma escolha para o usuário: concordar em receber um benefício ou ter que falar que não quer.

O que a torna diferente de todas as outras é que, em todos os outros 17 exemplos que eu te mostrei, o visitante pode simplesmente ignorar e fazer de conta que não viu.

Aqui, mesmo que seja com um clique, ele está dizendo “eu não quero tal coisa”.

Por exemplo, nessa página de uma loja de roupas, é mentalmente mais fácil concordar com “Sim, por favor, me envie o cupom de desconto de 15%” do que ter que clicar num botão que diz “Não, obrigada, não tenho interesse”.

Escolha

Mesmo que você ainda não tenha se decidido que vai comprar algo ou não, garantir o cupom de desconto é mais satisfatório do que admitir que você não tem interesse.

Essa estratégia de apresentar uma escolha é excelente para conquistar o contato de potenciais cliente que estão no topo do funil de vendas, principalmente quando a ação de concordar não exige um comprometimento grande.

No caso do exemplo da loja de roupas, a pessoa está concordando apenas em receber um cupom, não em fazer uma compra.

5 erros comuns para evitar ao criar uma call to action

Antes de finalizar este artigo, eu gostaria de te alertar para 5 erros que são mais comuns do que parecem na hora de criar uma CTA.

Afinal de contas, não adianta nada você se inspirar em um dos exemplos sensacionais que eu te dei nas últimas linhas e colocar seus resultados a perder por causa de um desses erros.

Olha só:

Erro #1: CTA difícil de encontrar

Na sua landing page, a sua call to action deve ser o elemento mais destacado e visível. 

Porque o objetivo desse tipo de página é a conversão, então todos os elementos precisam direcionar a atenção do visitante para onde a conversão vai acontecer.

E esse lugar é na sua CTA.

Se ela está escondida, da mesma cor e tamanho do restante do texto, vai exigir um esforço que, na maioria das vezes, o seu potencial cliente não está disposto a fazer.

E aí você acaba perdendo aquela conversão. 

Para ver dicas de como destacar e posicionar sua call to action, confira o artigo 17 dicas de ouro para criar landing page como um profissional (sem pagar caro por isso).

Erro #2: CTA desalinhada com o objetivo da landing page

Antes mesmo de pensar em qual será o texto da sua chamada para ação, você deve definir qual é o objetivo da sua landing page, qual é a conversão que o visitante irá realizar.

E tanto a CTA dentro da página quanto a que leva para a página (por meio de anúncios, email marketing, posts nas redes sociais) devem estar alinhadas com o objetivo e linguagem da página.

Caso o contrário o visitante pode ficar confuso.

Pensa comigo, você vê um post nas redes sociais com uma chamada para baixar gratuitamente um “Guia sobre 5 erros que você comete ao lavar os cabelos e o que fazer para evitar”.

Quando chega na landing page, a oferta é de um ebook sobre como cuidar melhor dos seus cabelos.

Por mais que a recompensa seja exatamente o mesmo pdf, com erros e dicas de como cuidar do cabelo na hora de lavar, as promessas são diferentes.

E isso pode fazer com que o visitante se questione se ele está realmente no lugar certo e até desista da conversão.

Erro #3: CTA longa demais

Quanto mais rápido você chegar ao ponto e mais simples for de entender a sua call to action, melhor será para sua taxa de cliques e de conversão.

É por isso que várias das CTAs que eu te mostrei como exemplos são bem curtinhas, tipo “Inscreva-se”, “Download gratuito” e “Teste grátis”.

Erro #4: CTA não condiz com a etapa do funil de vendas

O objetivo de uma CTA não é só converter novos clientes, mas sim cultivar leads por meio do funil de vendas. Um passo de cada vez.

Para ter sucesso, é preciso identificar em qual etapa a lead está – topo, meio ou final de funil – e fazer chamadas que vão levá-la para o próximo estágio. 

Por isso, durante os exemplos, eu fui falando como cada call to action se encaixa dentro da estratégia.

Vamos supor, por exemplo, que alguém esteja navegando dentro da página de planos de um software.

Faz mais sentido chamar essa pessoa para uma ação mais orientada para a compra, como experimentar uma versão de avaliação gratuita ou receber um cupom de desconto.

Um ebook a essa altura do campeonato, provavelmente não vai ajudar a estimular a compra do software.

Erro #5: Não testar a CTA

A única forma de saber se você está usando a melhor chamada possível na sua página é testando.

Você precisa criar a call to action, publicar a página, receber visitantes, coletar os resultados e analisar.

Se estiver abaixo do esperado, faça alterações e repita todos os passos de publicar a página, receber visitantes, coletar resultados e analisar.

Só assim você vai saber o que de fato funciona ou não para o seu público.

Além disso, você pode usar uma ferramenta de teste a/b, para eliminar os achismos e resolver dúvidas sobre qual texto ou cor de CTA funciona melhor.

Se você usa o Klickpages para criar suas páginas, é só clicar na funcionalidade de Teste a/b, configurar as duas versões da página que você deseja testar, o período de duração e deixar que a ferramenta faça todo o resto por você.

Se você ainda não é cliente do Klickpages e deseja conhecer mais essa e outras funcionalidades, é só clicar no botão abaixo:

Clique aqui para saber mais sobre o Klickpages

Agora é com você…

Neste artigo você viu 18 exemplos de calls to action que são ímãs de cliques (o que é muito importante para que você consiga transformar visitantes em clientes).

E depois eu te alertei sobre 5 erros que são muito comuns e o que você deve fazer para evitá-los ao criar suas CTAs.

Agora chegou a hora de você colocar a mão na massa.

Não deixe de me contar aqui nos cometários o que você achou do artigo e qual é o seu exemplo de CTA favorito.

(Este artigo foi originalmente publicado em 15 de novembro de 2018 por Hugo Rocha e editado e atualizado em 19 de maio de 2020 por Angela de Oliveira para oferecer informações mais precisas e completas)

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Sou especialista em SEO, tráfego orgânico e informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.