E-mail marketing: 20 dicas para criar uma relação de confiança com a sua lista

Se você acha que o e-mail já morreu e não pode ajudar em nada no seu negócio é porque você ainda não aplicou as boas práticas de e-mail marketing para criar um relacionamento de confiança com a sua lista de contatos. 

Com tantos aplicativos de conversa, como Whatsapp e Telegram, a sensação é que as pessoas não usam e-mail.

Logo, alguns empreendedores e criadores de conteúdo preferem deixar de lado suas campanhas de e-mail marketing para apostar apenas em outras plataformas.

Um tiro no pé.

A real é que apesar de todas essas outras formas de comunicação, até o final de 2020 o número de usuários de e-mail em todo o mundo deve chegar a 3 bilhões

Com isso, quase metade da população estará usando e-mail até o final do próximo ano.

O e-mail não morreu.

Eu não sei se você acompanha o Erico Rocha (oi, chefe haha), mas no último lançamento dele o e-mail foi o responsável por grande parte das vendas.

Ele até fez esse post no Insta que gerou uma discussão acalorada:

Como ele mesmo diz: quem paga as contas aqui na empresa é o e-mail, o patinho feio do marketing.

Pode ser que para outras pessoas o Whatsapp, o Messenger ou o Telegram funcionem, mas aqui dentro, o que traz resultado de verdade é o e-mail.

O lance é que de uns tempos para cá, o e-mail deixou de ser um lugar para compartilhar bobagens como correntes, vídeos, piadas e apresentações de powerpoint (lembra disso?).

Agora, o e-mail é para receber mensagens realmente importantes, como confirmação de compra, ticket de passagem…

Ou seja, se a pessoa deu o contato dela para receber o seu conteúdo, é porque ela realmente quer algo de valor. 

Por isso é tão importante que você cuide da sua lista de contatos com atenção. Assim, suas estratégias de e-mail marketing podem converter muito mais.

Quer saber mais sobre isso? Segue aqui comigo que eu explico o que é e-mail marketing e ainda dou 20 dicas certeiras para que suas campanhas de e-mail tenham sucesso.

Vamos lá.

O que é e-mail marketing

De maneira bem simples: e-mail marketing é a forma de comunicação entre uma empresa e seus clientes ou potenciais clientes via e-mail

Você provavelmente já recebeu na sua caixa de entrada alguns e-mails com oferta de passagens, promoções de algumas lojas, confirmação de compra online ou de cadastro em algum site, newsletter etc…Tudo isso é e-mail marketing.

Quando o e-mail começou a ser usado como uma ferramenta de marketing, ele era visto como uma versão digital daquelas propagandas enviadas pelos Correios, conhecidas como 'mala direta'.

Então, lá no início o e-mail era visto como um canal de comunicação em massa e as mensagens enviadas não eram nada relevantes para quem recebia. 

Ou seja, não era nada segmentado, o conteúdo era mandado para toda base de emails de maneira aleatória.

As pessoas não curtiam isso e, por anos, o e-mail marketing era visto como uma comunicação invasiva e sem muito efeito. Muitos emails simplesmente caíam na caixa de spams.

Mas isso mudou e o e-mail marketing passou a ser uma importante forma de comunicação entre empresas e clientes.

Hoje, o e-mail é uma das maneiras mais pessoais de se comunicar com consumidores, através de uma troca direta de mensagens.

E graças às ferramentas de e-mail marketing disponíveis no mercado, os resultados são facilmente mensurados, o que permite ajustes e otimização para os disparos das próximas campanhas. 

Quer saber como utilizar o e-mail da melhor forma possível? Eu te mostro no próximo tópico…

20 dicas de boas práticas de e-mail marketing 

Para que sua comunicação por e-mail seja realmente eficiente e suas mensagens sejam recebidas de maneira positiva pelos destinatários, você precisa seguir algumas regrinhas básicas.

Fiz uma lista com 20 dicas certeiras de como otimizar suas mensagens de e-mail e, assim, estabelecer uma confiança com seus clientes e futuros clientes.

Segue aqui comigo.

1- Segmente seu público-alvo

A regra número um de uma boa prática de e-mail marketing é falar com a pessoa certa na hora certa.

E a melhor forma de fazer isso é segmentando os e-mails da sua lista de contatos em grupos. 

Segmentação de público significa dividir, separar a sua lista de contatos em categorias.

Com essa divisão, você consegue planejar e executar com mais qualidade uma campanha de e-mail marketing. 

Isso porque a melhor forma de atingir a sua audiência com campanhas de e-mail é saber o que falar, como falar e quando falar.

Para fazer isso você precisa entender qual tipo de email mandar para cada pessoa, em cada etapa do funil de vendas, para conseguir converter uma lead em um cliente fiel.

Você pode agrupar os contatos, por exemplo, por interesses, localização demográfica, comportamento, entre outros. Essa segmentação depende do seu negócio e das suas estratégias

Essa separação é importante porque seus contatos podem estar em diferentes estágios da jornada de compra, então é bom oferecer diferentes tipos de informação para cada um deles. 

Dentro da sua lista, podem ter, por exemplo, pessoas que já compraram o seu produto, assim como pessoas que conhecem o produto, mas ainda estão na dúvida se compram ou não.

Logo, não faz sentido enviar o mesmo conteúdo e oferta para essas pessoas. 

Para você ter uma noção do que eu estou falando, empresas que segmentam sua lista de email apresentam uma taxa de abertura de mensagens 39% maior do que aquelas que não segmentam.

Uma dica importantíssima: não compre listas de email. Isso é um verdadeiro tiro no pé para sua estratégia de marketing porque as pessoas dessa lista não estão interessadas no seu produto ou serviço. 

Crie sua própria lista de contatos, estabeleça uma relação de confiança, envie conteúdos importantes e só depois faça ofertas. 

2 –  Tenha um calendário editorial

Ter um calendário com os temas e as datas dos e-mails a serem enviados deixará seu trabalho mais organizado e eficiente.

Ao criar uma campanha nova, pense no tema de cada e-mail, que dia ele será enviado e, principalmente para quem será encaminhado. 

Para que suas estratégias funcionem é interessante estabelecer uma conexão real com suas leads. Por isso, planeje-se para enviar conteúdos valiosos com frequência, não apenas quando quiser vender algo.

A ideia é criar uma relação forte e duradoura com a sua base de contatos. Por isso, engaje a sua audiência enviando conteúdos gratuitos, fazendo pesquisas, perguntando a opinião das pessoas… Enfim, busque formas de conversar com elas.

Mostrando o seu trabalho e, principalmente, o impacto dele, fica mais fácil vender o seu produto ou serviço.

É aquela velha história: ninguém chega e pede alguém em casamento logo no primeiro encontro. Antes, é importante conhecer bem a pessoa, se envolver, namorar e só depois propor um casamento.

3 – Personalize seus e-mails

E-mails personalizados aumentam as taxas de clique em 14% e conversões em 10%

Mas aqui, essa personalização vai muito além do assunto do e-mail e saudação. Aqui envolve saber quais assuntos são mais relevantes para aquela pessoa que vai receber a mensagem.

Por isso eu falei ali em cima da importância da segmentação. 

Conhecendo bem seus clientes e potenciais clientes (leads), você pode definir os temas dos e-mails, as melhores ofertas e até data e horário para enviar as mensagens. 

4 – Pense bem no assunto do e-mail

Quem acha que esse tópico não é importante está muito enganado.

O assunto é que instiga o usuário. É o que faz ele decidir se abre o e-mail, joga na lixeira ou marca como spam.

O assunto do e-mail influencia diretamente na taxa de abertura. Para você ter uma ideia, 35% dos destinatários abrem um email levando em conta somente o assunto.

Por isso, pense com atenção e de maneira estratégica no assunto do e-mail. 

Outra dica legal é que esse “assunto do e-mail” seja curto. Assuntos longos, geralmente, são cortados quando visualizados pelo celular.

Tente não ultrapassar 40 caracteres na hora de escrever o assunto.

Mas se não conseguir, pelo menos coloque o que é mais importante primeiro para que seu assunto não seja cortado.

5 – Coloque chamadas para ação (CTAs)

Antes de começar uma campanha de e-mail marketing você precisa definir quais são os seus objetivos: inscrições em um curso, downloads de conteúdos, venda de um produto ou serviço, cadastro em uma página…

Isso porque todo e-mail enviado pela sua empresa precisa de uma CTA – chamada para ação (em inglês: call to action)

É uma oportunidade valiosa de conversar com o seu cliente e fazê-lo tomar uma ação, seja para comprar o seu produto ou serviço, participar de uma aula online ou simplesmente se inscrever na sua newsletter. 

Essas CTAs, geralmente, são “Baixe Aqui”, “Clique Aqui Para Saber Mais”, “Inscreva-se Agora”, “Comprar”. Com isso, todo o conteúdo do e-mail deve ser pensado para que a pessoa clique no botão da CTA.

Então, seja objetivo e claro no texto. Além disso, coloque o botão da CTA em destaque, com uma cor diferente, por exemplo. 

Invista também em um visual mais leve, sem muita informação, levando a pessoa a dar atenção para os botões de ação.

6 – Não existe e-mail longo, existe email chato

Aqui na empresa não temos medo de escrever e-mails longos. A ideia sempre é passar toda a informação necessária para quem está na nossa lista. 

Para a gente, o e-mail mais longo serve até como um processo de qualificação. Se a pessoa leu até o final, existe uma possibilidade maior dela comprar o que está sendo oferecido ou tomar a ação necessária. 

Isso porque as pessoas precisam de muita informação para tomar decisões complexas. 

Ou seja, não adianta escrever um e-mail mais curto e enxuto se falta conteúdo importante. Por outro lado, também não funciona escrever páginas e mais páginas só para enrolar. 

O pulo do gato não está em escrever e-mails longos ou curtos, mas sim em criar e-mails interessantes e com valor para quem está lendo.

Por isso, invista tempo e atenção na hora de escrever seus e-mails. 

7 – Coloque links para redes sociais

Os contatos na sua lista de emails possuem uma probabilidade 3x maior de compartilhar seus conteúdos nas redes sociais que visitantes de outras fontes.

Aproveite então o e-mail enviado para colocar botões e links para suas redes sociais. 

Seu cliente pode não saber quais são os seus perfis em redes como Instagram, Facebook, LinkedIn, YouTube

Convide as pessoas para curtir suas páginas, saber mais sobre a sua empresa e ficar por dentro de notícias, novidades e eventos em sua área de atuação.

8 – Pense nos celulares

Aproximadamente 53% dos e-mails são abertos em dispositivos móveis. Por isso, é essencial que o design dos seus e-mails seja responsivo para qualquer dispositivo móvel.

Um design responsivo identifica automaticamente qual é a largura de cada dispositivo que está sendo usado para ler aquela mensagem (pode ser celular, tablet, computador, smartwatch).

Assim, ele consegue determinar o quanto de espaço está disponível e como o e-mail será mostrado. 

O design responsivo ajusta as dimensões das imagens, das fontes e dos demais elementos de uma página para que eles não fiquem desproporcionais.

Dessa forma, você oferece a mesma experiência de leitura para os usuários que leem seus emails pelo computador e para os que acompanham pelo celular.

Para exemplificar, trouxe esse e-mail enviado pelo Erico. 

Primeiro, a versão aberta pelo computador.

Agora, a versão lida pelo celular:

Por ter o design responsivo, dá para ler o e-mail tanto pelo computador quanto pelo celular sem problemas. 

Ainda pensando em conteúdo para ser lido no celular, o tipo da fonte e o tamanho também devem ser vistos com cuidado. 

Prefira uma fonte que possa ser lida sem problemas em telas pequenas como a de celulares e tablets. 

Selecione também imagens que possam ser visualizadas em qualquer dispositivo e mantenha os CTAs em tamanhos apropriados para que possam ser facilmente clicados.

9 – Teste seus e-mails antes de enviá-los

Você termina de escrever um e-mail e já o envia direto para sua lista de contatos? Se a resposta for sim, você precisa mudar isso.

Antes enviar para toda a sua base de leads, faça um envio teste. É simples, rápido e previne alguns erros. 

Você pode testar manualmente, enviando o e-mail para diferentes provedores ou usar um serviço de e-mail para te ajudar. Neste caso, você pode enviar o email para você mesmo para conferir se está tudo certinho com a mensagem.

Se você usa alguma plataforma de e-mail marketing, é só usar a opção de “enviar e-mail de teste”. 

Com esse e-mail teste, dá para corrigir possíveis erros de digitação, imagem que ficou grande ou pequena demais, acrescentar um botão da CTA que foi esquecido, avaliar a formatação do texto…

Enfim, é uma possibilidade de revisar toda a estrutura do e-mail.

10 – Facilite a forma de cancelar a inscrição na sua lista

Colocar o link de unsubscribe (descadastro) para que a pessoa saia da lista de contatos é vista como uma boa prática de e-mail marketing e de respeito com o usuário.

A pessoa fica livre para decidir se quer continuar recebendo seus e-mails ou não. 

Lembre-se sempre de colocar o link de forma visível, acessível e fácil de clicar. 

Aqui na empresa, temos tanto a opção para cancelar a inscrição na nossa lista, quanto para atualizar o cadastro no nosso sistema.

Não tenha medo de colocar o link de unsubscribe por receio das pessoas saírem da sua lista. O seu objetivo é manter na sua base apenas pessoas que realmente queiram receber seus conteúdos e suas ofertas. 

Porque assim as chances de criar um relacionamento forte com a sua audiência são maiores e, consequentemente, suas chances de vender mais também.

Além disso, várias ferramentas de envio de e-mail oferecem pacotes de acordo com o tamanho da sua lista (5 mil, 10 mil, 20 mil leads). Logo, é melhor manter apenas os e-mails que interagem de alguma forma com o seu trabalho.

11 – Faça testes A/B

Se a sua taxa de conversão está baixa, ou seja, se os seus e-mails não estão gerando os resultados esperados, faça testes A/B para avaliar diferentes formatos para suas campanhas e entender qual funciona melhor para o seu negócio.

O teste A/B é uma forma para comparar o desempenho de duas ou mais versões de uma mesma página, com o objetivo de descobrir qual tem o melhor desempenho.

Então, experimente versões diferentes de CTAs, layouts, imagens e linhas de assunto. 

Com base nos dados você vai poder colocar na sua página o que já foi testado e aprovado pelo seu público alvo. Ou seja: o que dá resultado.

O fato é que testes A/B são uma ótima maneira de estudar e entender os gostos e preferências de seu público-alvo.

Quer saber mais sobre Teste A/B? Aqui no blog do KP tem um artigo completinho: Teste A/B: conheça os resultados antes de tomar decisões para o seu negócio

12 – Não envie spams

Spam é o termo usado para referir-se aos e-mails não solicitados, que geralmente são enviados para um grande número de pessoas.

Para ter certeza que o seu e-mail não será apenas mais um na caixa de spams, você precisa conhecer as regras de spam do país em que seu público-alvo está. 

Evite erros básicos como colocar muitos links no corpo do texto e o uso de palavras que soam como golpe: "Grátis", "Ótima Oportunidade", "Compre Agora" e “Dinheiro Fácil”. Não abuse de imagens, ícones e letras maiúsculas.

Separei aqui mais algumas dicas para que você se não torne um spammer:

  • Envie e-mails apenas para os clientes que escolheram entrar na sua lista de contatos. Esse cadastro pode ter sido por telefone, site, landing page, Whatsapp, contato presencial.

  • Não use listas de divulgação de terceiros. Não compre lista de e-mails prontas. Essas pessoas não deram autorização para receber o seu conteúdo. É muito grande a chance delas não interagirem com as suas mensagens e maior ainda de pedirem para sair da lista. 

  • Se a pessoa já comprou um produto ou serviço seu, cuidado na hora de oferecer algo totalmente diferente. Conheça bem sua lead antes de enviar uma oferta.

  • Respeite o pedido de se descadastrar da lista. Se a pessoa pediu para sair da lista, não tem por que ela receber novos e-mails seus. 

  • Não comece um contato por e-mail sem prévia autorização do usuário.

13 – Mantenha sua lista de contatos atualizada

Delete endereços de e-mail errados, inativos ou inválidos e garanta que sua taxa de rejeição não tenha efeito prejudicial na sua reputação. 

A taxa de rejeição pode ser dividida em duas: hard e soft.

A hard (dura) é aquela em que o endereço do destinatário é inválido, ou seja, um e-mail que não existe está cadastrado. 

Neste caso, não há o que fazer, apenas deletar o endereço cadastrado para que essa taxa possa diminuir nos resultados.

Já a soft é quando o endereço do destinatário é válido, mas a mensagem não foi entregue por algum motivo, por exemplo, porque a caixa de entrada dele estava cheia ou sua mensagem foi parar na caixa de spam.

O fato é que uma má reputação pode fazer você ser bloqueado pelos provedores de e-mail, como Gmail, Hotmail, Yahoo etc.

Existem várias razões para que os provedores decidam bloquear e-mails. Para o Gmail, por exemplo, é importante que as campanhas de e-mail marketing mesclem as imagens com texto.

Por outro lado, o Hotmail leva em consideração a quantidade de reclamações dos usuários. Aqui tem mais alguns exemplos.

Para não ser bloqueado, certifique-se que as pessoas da sua lista realmente querem receber seus e-mails. 

Se você recebeu o aviso de que a sua lista foi bloqueada, significa que ela apresenta muitos contatos com avaliação ruim.

Isso quer dizer que sua lista possui muitos endereços inválidos, inexistentes ou spam.

Os provedores de e-mails, como Gmail, Hotmail, Yahoo, criam blacklists. E quem cai nessas listas não consegue enviar e-mail nem para a caixa de spam.

Se você não sabe, blacklist (a tradução literal é “Lista Negra”) é uma lista que agrupa e-mails, endereços de IP ou domínios que foram denunciados como disseminadores de mensagens consideradas spam. 

14 – Reenvie emails que não foram abertos

Enviar novamente e-mails que não foram abertos é uma boa estratégia. O seu cliente pode não ter lido o e-mail por diversas razões, então é válido tentar de novo.

Mas não mande exatamente o mesmo e-mail: mude o assunto, coloque palavras como "última chance", "lembrete", "acho que você não viu isso". 

Atualize o conteúdo. Tem algum dado novo, alguma nova estatística que possa ser acrescentada? 

Cheque o horário de envio. Se você mandou o email pela manhã, que tal tentar enviar à noite desta vez?

Também tenha cuidado para não reenviar muitos e-mails. Analise bem se é necessário mandar novamente ou não.

15- Dê atenção à frequência de envio 

Para o sucesso da estratégia de marketing é importante analisar a frequência de envio dos e-mails. 

Mensagens demais pode ser muito chato e até irritante, mas poucos e-mails pode gerar falha na comunicação. 

Lembre-se sempre de manter um diálogo com a sua lista. Não adianta enviar uma oferta sem criar uma relação de confiança antes. 

Para melhorar essa comunicação, analise também suas taxas de abertura e veja qual o melhor horário para envio.

Descubra o que funciona melhor para a sua audiência. Um email por semana? Dois por dia? 

O fato é que não existe resposta pronta. A quantidade de emails certa é a quantidade que funciona para a sua audiência. 

16- Acompanhe e analise seus resultados

Você sabe qual a taxa de abertura dos seus e-mails? Quantos cliques nos botões de CTA? Qual a taxa de conversão?

Ou seja, você está acompanhando e analisando os seus resultados? 

É importante acompanhar essas métricas para saber se o que você está fazendo é certo ou errado.

Avalie os resultados para melhorar suas estratégias de e-mail marketing. Isso vai ficar mais simples se você trabalha com alguma ferramenta de disparo de e-mails. 

Essas ferramentas trazem as principais métricas, como taxa de abertura, cliques na CTA, inscrição na lista, cancelamentos etc.

17 – Atenção com as páginas de destino

Quando você coloca um botão ou link no seu e-mail, o usuário é encaminhado para uma página de destino, que pode ser um site ou uma landing page, por exemplo. 

Para que sua estratégia de marketing dê certo, as páginas de destino precisam funcionar bem. 

Por isso, teste todas as páginas e links antes de enviar o e-mail para sua lista de contatos.

Você também pode deixar suas landing pages mais atraentes para conversão, seja para fazer o cliente comprar algo, baixar um e-book ou se inscrever em uma aula on-line

Aqui no blog tem um artigo com as 15 landing pages mais criativas e matadoras da internet.

Outra dica é nunca encaminhar sua lead para a primeira página do seu site ou blog. Coloque link para páginas específicas. Não faça a pessoa procurar a informação, mostre o caminho mais fácil.

18 – Use storytelling para escrever seus textos

Storytelling vem do inglês. Story significa história e telling contar. Ou seja, é a arte de contar histórias.

E por que isso é bom? Porque histórias conectam, chamam a atenção, afloram sensações e sentimentos.

Além disso, histórias podem gerar mais ação por parte da pessoa que está lendo o seu e-mail. Isso porque, se bem contada, a história causa desejo, inspiração… Instiga a pessoa a partir para ação. 

Mas quando criar campanhas que envolvam histórias, pense em enredos que solucionem os problemas para os seus clientes.

Aqui nesse artigo você fica sabendo mais o que é storytelling, para que serve, onde é usado e exemplos.

19 – Evite anexar arquivos

Se você pretende enviar algum tipo de arquivo aos seus contatos, evite ao máximo anexos.

Os anexos tendem a ser mal vistos pelos provedores de emails. A razão é que eles podem entender que o conteúdo que você está enviando é malicioso ou é um vírus, e te colocar na caixa de spam por isso.

Além disso você não tem como acompanhar quem abriu ou não o arquivo. 

A melhor maneira é enviar o arquivo através de um link, hospedado de preferência dentro do seu próprio site.

Assim você pode acompanhar o sucesso do seu email e ter certeza de que as leads terão acesso ao conteúdo. Sem contar que assim é possível saber quantas pessoas acessaram o link enviado por você.

20- Use um serviço de email marketing

Usar um serviço de e-mail marketing gera inúmeros benefícios para o seu negócio: você pode acompanhar os seus resultados, segmentar suas listas, personalizar seus e-mails, enviar respostas automáticas e muito mais. 

Se você ainda não tem uma ferramenta que automatize suas estratégias de e-mail marketing, o Klicksend pode te ajudar. 

Ele é uma ferramenta de envio de emails totalmente focada na conversão de leads ou vendas.

Com o Klicksend, além de conseguir criar e enviar campanhas de e-mail marketing para a pessoa certa, você também terá acesso:

  • dashboard com as métricas importantes para a sua estratégia de marketing;

  • segmentação da lista de contatos por meio de marcação com Tag;

  • suporte em tempo real para tirar qualquer dúvida.

Com o Klicksend você não precisa de planilhas de excel ou outras formas manuais e trabalhosas para organizar as suas leads.

Além disso, ele é integrado com o Klickpages, a melhor ferramenta de criação de landing pages otimizadas para conversão.

Quer saber mais como essas duas ferramentas podem, juntas, agregar mais ao seu negócio? É só clicar aqui.

Conclusão

Neste artigo, você viu que o e-mail marketing não morreu. Muito pelo contrário, ele é um grande aliado nas estratégias de marketing digital.

Isso porque o e-mail é uma das maneiras mais pessoais de se comunicar com consumidores. É onde as pessoas recebem mensagens realmente importantes.

Com as ferramentas de email marketing, os resultados das suas campanhas são facilmente mensurados, o que permite ajustes e otimização para os disparos dos próximos e-mails.

Mas para criar e manter uma relação saudável com a sua lista de contatos, você precisa de seguir boas práticas de e-mail marketing.

Pensando nisso, trouxe 20 dicas certeiras de como otimizar suas mensagens de e-mail e, assim, estabelecer uma confiança com seus clientes e futuros clientes.

Entre essas dicas, mostrei que é interessante segmentar o seu público, criar um calendário editorial, colocar CTAs e personalizar seus e-mails.

Agora, me diz aqui nos comentários quais boas práticas de e-mail marketing você tem seguido.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Juliana Amorim

Jornalista de formação e redatora de coração. Apaixonada por livros, revistas e jornais, meu único caminho era escrever. Já trabalhei como repórter, editora e apresentadora (de rádio, gente, não de TV) e, agora, faço parte do time de conteúdo do Klickpages. Adoro aprender e escrever sobre o universo do Marketing Digital e do Empreendedorismo. Tenho dois gatos lindos, adoro projetos de “do it yourself” e sou daquelas que viram a noite maratonando séries. Não dispenso uma boa conversa e simplesmente consigo transformar qualquer acontecimento bobo do meu dia em uma grande história.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)