Black Hat: pegar esse atalho definitivamente não é o jeito mais fácil e rápido de fazer SEO

Black Hat SEO: o que é e como prejudica seu site

Existe uma forma comprovada de tornar tudo mais fácil e rápido: parar de procurar atalhos. E, definitivamente, o black hat SEO é um dos atalhos que você deveria evitar.

Não sei se você investe em otimização para ferramentas de busca para melhorar o seu posicionamento no Google e gerar mais tráfego.

Mas por experiência própria eu posso te dizer que dá trabalho, muito trabalho. Não é uma parada que acontece de uma hora para outra.

Você precisa investir tempo, esforço, energia, se possível ter uma equipe para produzir conteúdo.

Mas, no final das contas, é um trabalho que vale muito a pena, pois como eu contei no artigo sobre tráfego orgânico, essa foi a estratégia responsável por levar o blog do KP de zero a mais de 300 mil acessos mensais sem gastar nenhum centavo com anúncios.

O resultado com certeza pagou todo o investimento feito para produzir conteúdo.

A parada é que tem empreendedores que pensam só no curto prazo, querem evitar a parte do trabalho duro para chegar logo no resultado.

Essa galera geralmente procura alternativas e atalhos para chegar mais rápido no mesmo lugar, mas sem precisar fazer todo o esforço.

E é normal. Eu eu até entendo que pensem assim.

Só que não existe atalho nenhum que possa levar ao mesmo tipo de resultado que você alcança fazendo o trabalho necessário.

Porque se os atalhos comprovadamente fizessem isso, não seriam chamados de atalhos, seriam o jeito padrão de fazer algo acontecer.

Alternativas como o black hat SEO (que eu já vou te explicar em detalhes o que é) é um tiro que sai pela culatra.

Porque não só não gera o resultado que você gostaria, como também pode prejudicar tudo o que você já fez anteriormente.

No final das contas, acaba sendo uma armadilha que te faz andar para trás ao invés de te avançar em direção aos seus objetivos e metas.

O seu caminho se torna mais demorado e difícil, porque além de ter o trabalho de fazer o que precisa ser feito, você muito provavelmente ainda vai ter que corrigir os erros.

Por isso eu acredito que a forma mais fácil e rápida de fazer algo é não buscar atalhos e hoje eu vou te explicar por que o black hat SEO é um desses atalhos que você deve evitar.

Nas próximas linhas você vai ver:

  • o que é black hat SEO;

  • por que não fazer;

  • qual a diferença entre white, grey e black hat;

  • quais são as principais técnicas de black hat;

  • como testar se o seu site foi punido;

  • e alternativas ao black hat que você deve usar para alcançar resultados.

Bora lá?

O que é black hat SEO?

O que é black hat SEO?

Para que os seus conteúdos e páginas apareçam em posições competitivas no Google, você precisa investir nas técnicas de otimização para ferramentas de busca (em inglês, Search Engine Optimization – SEO).

Isso porque os buscadores usam algumas regras e critérios para definir o que é mais relevante e, portanto, deve aparecer primeiro para o usuário.

A parada é que algumas pessoas que querem cortar caminho encontram formas de manipular essas diretrizes para conseguir um posicionamento melhor.

Por exemplo, quando o principal critério do Google para ranquear era palavra-chave, alguns proprietários de sites enchiam as suas páginas com termos em excesso sem se preocupar com a qualidade do conteúdo.

A prática de usar técnicas que se aproveitam de forma negativa e agressiva das regras e critérios das ferramentas de busca ficou conhecida como black hat SEO

Esse nome foi inspirado nos filmes de faroeste americano, pois os bandidos, geralmente, usavam chapéus pretos (black hats), enquanto os mocinhos, chapéus brancos (white hats).

Como dá para perceber, apesar de algumas pessoas ainda aplicarem esses tipos de técnicas, elas não são nada recomendadas.

E agora eu vou te explicar por que você não deve fazer black hat SEO e quais são as consequências dessa prática para o seu negócio.

Por que não fazer black hat SEO?

Por que não fazer black hat SEO?

Se você está produzindo conteúdo, criando um site ou páginas, tem 99,9% de chances de que você quer atrair potenciais clientes para o seu negócio.

O lance é que, como a gente bate muito nessa tecla aqui no blog do KP, para vender você precisa construir um relacionamento com o seu público, as pessoas precisam confiar na sua marca e no seu produto ou serviço.

Porém, quem aplica técnicas de black hat SEO está de olho em apenas uma coisa: se posicionar melhor nas ferramentas de busca. 

Eles não estão preocupados em entregar conteúdo de qualidade, gerar valor, oferecer algo que realmente valha a pena o tempo que o potencial cliente vai gastar para consumir o material.

Ou seja, esse tipo de gente não está trabalhando para criar um relacionamento de confiança com os potenciais clientes.

E, para ser bem sincera, dificilmente alguém vai comprar de um site que parece spam ou é notável que está cheio de esqueminhas.

Mas, além disso, as ferramentas de busca levam muito a sério a qualidade do conteúdo e das páginas que elas colocam nas primeiras posições.

Por isso, os buscadores estão sempre de olho para identificar sites que estão aplicando técnicas de black hat SEO.

E, quando eles pegam algum site desse tipo, é possível que algumas penalizações sejam aplicadas, como a perda de posições e a desindexação (que é como se a ferramenta de busca excluísse as suas páginas da lista de possíveis resultados para uma pesquisa). 

Resumindo: aplicar black hat SEO, além de possivelmente prejudicar o seu relacionamento com potenciais clientes e diminuir as suas vendas, também pode deixar o seu site de fora do Google e dos principais buscadores.

Consequências que não valem a pena se você está planejando ter um negócio de sucesso por muitos anos.

Por isso, para você não cometer o erro de aplicar alguma técnica de black hat SEO sem saber, eu vou te explicar quais são as estratégias que você deve evitar.

Mas, primeiro, eu preciso esclarecer…

Qual a diferença entre white, grey e black hat SEO?

Qual a diferença entre white, grey e black hat SEO?

Além do black hat, existem outras duas categorias de técnicas de SEO: o white hat e o grey hat.

Essa nomenclatura tem a ver com o tipo de estratégia que cada uma delas usa se comparado ao black hat.

Nas próximas linhas eu vou te explicar melhor cada uma delas.

White hat SEO

São as técnicas de SEO que seguem e respeitam as diretrizes das ferramentas de buscas. 

Esse tipo de otimização está voltada para oferecer conteúdo de qualidade para os usuários da internet e aplica de forma íntegra recursos como palavras-chave e estratégias de link building.

Esse é o tipo de SEO no qual você deve investir para otimizar um site, blog ou páginas.

Grey hat SEO

Essas são práticas que estão numa zona cinzenta, que não podem ser consideradas nem 100% white hat nem 100% black hat.

É o caso, por exemplo, de páginas que fazem tudo direitinho, mas acabam aplicando uma ou outra técnica condenável para acelerar os resultados.

Não é recomendável fazer grey hat SEO, porque você pode correr o risco de receber uma penalidade dos buscadores e aí o trabalho que você fez corretamente pode ir por água abaixo. 

Quais são as principais técnicas de black hat SEO?

Quais são as principais técnicas de black hat SEO?

Agora que você já sabe o que é black hat SEO e por que não deve aplicá-lo, eu vou te contar quais são as principais técnicas.

Assim você pode ficar atento e evitar que você mesmo, seus colaboradores ou empresas contratadas para cuidar da parte de otimização para ferramentas de buscas executem estratégias que podem prejudicar o seu site, blog ou páginas no futuro.

Abaixo estão as 13 principais técnicas de black hat SEO.

#1 Keyword stuffing ou repetição em excesso de palavras-chave

É bem provável que alguma vez você já tenha acessado um site cujo o conteúdo era tipo esse:

“Carros novos em Brasília. Novos carros em Brasília. Se você quer comprar um carro novo em Brasília fale com um dos nossos vendedores especialistas em carros novos em Brasília. É só clicar no botão abaixo para saber mais sobre carros novos em Brasília e comprar um carro novo em Brasília.”

No começo, quando as ferramentas de busca tinham como principal critério o uso de palavras-chave, era comum esse tipo de página ranquear bem.

Só que os buscadores perceberam que esse tipo de conteúdo oferecia uma experiência de baixa qualidade e ainda não resolvia o problema ou dúvida dos usuários.

Então, esse tipo de prática conhecida como keyword stuffing começou a ser penalizada e, hoje em dia, se tornou uma prática de black hat SEO.

#2 Conteúdo oculto

Ainda na linha do keyword stuffing, para não causar uma experiência tão ruim para o usuário, algumas páginas ocultam a repetição excessiva de palavra-chave.

Ou, então, colocam termos não relacionadas com o conteúdo de um jeito invisível para que o site seja ranqueado para outros assuntos.

Os proprietários das páginas geralmente fazem isso utilizando uma fonte da mesma cor do fundo ou mudando o tamanho da fonte para zero.

Aí o usuário não consegue ler esse conteúdo oculto, mas as ferramentas de busca o enxergam.

Isso é claramente uma forma de manipular os buscadores para ranquear melhor um conteúdo e, quando identificada, costuma ser penalizada.

#3 Conteúdo duplicado

Produzir conteúdo de qualidade dá trabalho. Você precisa investir tempo e energia e, se possível, contar com uma equipe para te ajudar nessa missão.

Com a intenção de pegar atalhos e cortar caminhos, algumas empresas copiam conteúdo de outras páginas e publicam como se fossem seus.

O problema dessa prática é que não só ela é uma forma de plágio, como também faz o concorrente se destacar.

Como assim?

Quando o Google identifica um conteúdo duplicado, ele tende a ranquear apenas um e ignorar o outro. 

No final das contas, quem publicou o material originalmente tem mais chances de ranquear do que quem copiou.

Ou seja, o tempo que você gastaria fazendo plágio que depois não vai servir de nada seria melhor investido produzindo conteúdo de qualidade.

#4 Cloaking

Cloaking é uma estratégia de mostrar uma versão diferente da página para o usuário e a ferramenta de busca.

Ela tem o objetivo de enganar o buscador com um conteúdo ultra otimizado cheio de palavras-chave para obter um posicionamento melhor nas pesquisas.

#5 Doorway page e sneaky redirects

Doorway, em português, significa vão da porta. A ideia dessa técnica é justamente criar uma página que funciona como passagem.

Isso acontece da seguinte forma:

O usuário faz uma pesquisa sobre um determinado assunto e clica em um dos resultados. 

Antes que a página que ele decidiu acessar abra de fato, ela redireciona para uma outra sobre um tema diferente.

O problema aqui não é nem tanto o redirecionamento, mas a falta de relação entre os dois conteúdos.

É como se o usuário fosse enganado com a promessa de ir para churrasco e chegando lá na verdade fosse um culto religioso e não tivesse carnes e bebidas.

Os sneaky redirects (redirecionamentos sorrateiros) também seguem a mesma lógica da doorway page.

Eles partem de um conteúdo que está bem ranqueado para te levar para uma página que não tem muito a ver com o que você estava procurando.

Uma coisa que é importante reforçar é que não é errado fazer redirecionamentos, só que esse recurso não pode ser usado de forma manipuladora.

Por exemplo, se uma oferta sua expirou, está tudo bem você levar o usuário para uma página com “oferta esgotada” quando ele tentar acessar a página que antes estava disponível.

Pois nesse caso o objetivo do conteúdo não é só levar a pessoa para algo que não é do interesse dela ou que ela não acessaria, mas informá-la que a página que ela estava procurando não está mais disponível.

#6 Link farms e link wheels

Tanto o link farm quanto o link wheels são muito parecidos e têm o mesmo objetivo que é a criação de outros sites para gerar links para a página que você quer ranquear.

Se você não sabe, um dos critérios que mais contam para posicionar bem um conteúdo é a quantidade e qualidade de links que apontam para ele.

E aqui está o pulo do gato.

Não adianta ter um monte de links de páginas com baixa reputação e autoridade, pois eles provavelmente não vão aumentar o seu ranqueamento.

O tempo que você gasta criando outros sites para linkar para o seu pode ser melhor investido produzindo conteúdo de qualidade que outras pessoas vão querer compartilhar e divulgar espontaneamente.

#7 Private Blog Networks (PBN)

Private Blog Networks, em português, rede privada de blogs é um conjunto de páginas e sites que geram links para outros que querem melhorar o posicionamento nos resultados das buscas.

Geralmente, quem aplica essa tática adquire domínios antigos para aproveitar a autoridade que eles já têm e repassá-la por meio dos links para os blogs que querem rankear.

Os buscadores, principalmente o Google, investem pesado para melhorar os seus sistemas de detecção de PBNs e aplicam penalidades aos sites que são identificados fazendo esse tipo de prática.

#8 Spam em comentários

Spam em comentários

Não sei se você alguma vez já reparou isso em algum blog. Mas tem algumas pessoas que deixam comentários em artigos com um link para a página delas.

Na maioria das vezes, esse link parece até meio fora de contexto e não é relacionado com o assunto do artigo.

Quem faz isso está tentando ganhar autoridade para seus conteúdos por meio de uma prática de link building black hat que é muito fácil de ser identificada pelas ferramentas de busca.

#9 Unrelated keywords

Essa é uma técnica focada na manipulação das palavras-chave. 

O que acontece nesse tipo de prática é que o responsável pela página enche ela de keywords que não estão relacionadas com o conteúdo, com a intenção de que ela apareça nos resultados de outras buscas.

Por exemplo, uma página que é sobre futebol, mas o dono foi lá e colocou nomes de outros esportes para que, quando alguém pesquisasse por basquete ou vôlei, também ela aparecesse como resultado. 

#10 Links escondidos

Os links escondidos funcionam como as palavras-chave ocultas.

Neste caso, são os links da página que são configurados para ter a mesma aparência do resto do texto.

Assim, o dono da página pode enchê-la de links sem atrapalhar a experiência do usuário.

O problema disso é que ele está gerando conteúdos diferentes para a ferramenta de busca e o leitor, o que não é uma prática íntegra.

#11 Links pagos

Oferecer dinheiro, recompensas e brindes para ter seus conteúdos linkados por outros produtores é também uma prática de black hat SEO.

Apesar de ser algo mais difícil de ser identificado pelos buscadores, esse tipo de prática fica evidente quando repentinamente um site começa a receber diversos links de outros não relacionados.

Vale lembrar que conteúdo publieditorial (artigos publicitários) não é considerado link pago desde que se use a marcação nofollow.

Essa marcação indica para a ferramenta de busca que ela não deve repassar autoridade e, consequentemente, não melhorar o ranqueamento da página por causa daquele link específico.

#12 Rich snippet markup spam

Os rich snippets são os resultados que aparecem destacados nas buscas, não necessariamente correspondem a página que está na primeira posição, mas é algum conteúdo que o Google seleciona para responder a pesquisa do usuário.

Por exemplo, esse resultado que aparece no canto direito da página.

Rich snippet markup spam

Para aumentar suas chances de alcançar esse tipo de resultado, você pode utilizar o schema markup, que é um tipo de dado sobre a estrutura da sua página, uma parada que ajuda o Google a identificar possíveis conteúdos para rich snippets.

O problema é que algumas pessoas usam o schema markup para fazer spam. 

Elas colocam marcações onde não faz sentido com a tentativa de burlar os buscadores e receber uma posição destacada na página de resultados.

#13 SEO negativo

Por último, algumas empresas, sabendo que os sites que usam as práticas de black hat podem ser prejudicados, fazem o chamado SEO negativo.

O que é isso?

Ao invés de aplicar em seus próprios conteúdos técnicas de black hat, elas executam nos conteúdos de concorrentes.

Por exemplo, fazem spam nos comentários usando links para páginas de terceiros ou criam link farms para páginas de outras marcas.

Nem precisa dizer aqui o quanto isso soa e, de fato, é errado.

Agora que você já conhece as principais técnicas de black hat SEO, eu vou te mostrar…

Como testar se o seu site foi punido pelo Google por black hat SEO?

Como testar se o seu site foi punido pelo Google por black hat SEO?

Um dos primeiros sinais de que o seu site ou blog sofreu uma punição é uma queda considerável no tráfego orgânico e a perda de posições na página de resultados.

Mas só isso não é o suficiente para indicar uma penalidade.

Pois pode acontecer de concorrentes tomarem a sua posição com um conteúdo melhor e por isso o número de visitantes diminuir.

Para investigar mais a fundo tem 3 coisas que você deve fazer:

  1. Verificar no Google Search Console se as suas páginas estão indexadas corretamente e não tem nenhum erro que você precisa corrigir;

  2. Conferir no Search Console se não há nenhum aviso de ação manual, ou seja, se não tem nenhuma mensagem informando que o seu site está sofrendo alguma penalidade;

  3. Pesquisar por site:www.seusite.com.br, substituindo o endereço pela sua URL, no Google e conferir a quantidade de resultados. Se não tiver nenhum, é sinal de que a ferramenta não está mais considerando as suas páginas.

Como testar se o seu site foi punido pelo Google por black hat SEO?

Se alguma dessas opções indicar que você está sofrendo uma punição, a primeira coisa que você deve fazer é remover o que está causando o problema e deixar o seu site em ordem.

Além disso, você pode fazer um pedido de reconsideração ao Google para tentar reconquistar seu tráfego orgânico.

E já que eu falei muito do que você NÃO deve fazer, eu separei aqui embaixo técnicas que você pode aplicar sem peso na consciência para otimizar suas páginas.

Alternativas ao black hat SEO que você deve usar para alcançar resultados

Alternativas ao black hat SEO que você deve usar para alcançar resultados

No início deste artigo, você viu que o ideal é usar o white hat SEO se você quer alcançar resultados de forma íntegra.

Com essas técnicas você não corre o risco de ser punido, cresce de forma sustentável e ainda caminha na direção mais rápida e fácil para chegar até o sucesso.

Aqui embaixo estão 6 estratégias que você pode usar sem peso na consciência para otimizar seu site ou blog. Olha só:

1. Tenha páginas mobile friendly

No artigo sobre mobile first index, eu entro mais profundamente nesse assunto. 

Mas é o seguinte: atualmente os buscadores e, principalmente o Google, dão preferência para páginas que têm uma boa experiência em dispositivos móveis.

Ou seja, se o seu site ou blog ainda não foi otimizado para o mobile, eu recomendo que você priorize fazer isso o quanto antes.

2. Use palavras-chave relacionadas

Uma solução para evitar o keyword stuffing acidental e escrever um artigo relevante dentro de um tema é utilizar termos relacionados.

Ter em mãos uma lista de sinônimos da sua palavra-chave principal que você pode usar para substituir e evitar repetições excessivas é muito útil na hora que você está escrevendo.

3. Use URLs amigáveis

Se você não sabe, o link para a sua página pode influenciar no seu ranqueamento e na sua taxa de cliques (a porcentagem de pessoas que veem o seu conteúdo e decidem clicar para acessá-lo).

Existem algumas práticas recomendadas que definem o que é uma URL amigável, para conhecê-las é só clicar aqui para ler o artigo que o Hugo escreveu sobre esse assunto.

4. Faça link building

Um dos fatores que mais contam para ranqueamento é a quantidade de links de qualidade que levam para a sua página.

Existe uma série de estratégias íntegras que você pode usar para alcançar isso e elas estão explicadinhas no artigo Link building: por que não dá para jogar o jogo de ranqueamento do Google sem ele.

5. Otimize suas meta tags

Meta tags são dados sobre as informações da sua página. Elas ajudam as ferramentas de busca a entender melhor sobre o que é o seu conteúdo.

No artigo Meta description: 10 dicas para descrever sua página de maneira irresistível, eu explico quais são as três principais e como você pode otimizar a sua meta descrição.

6. Disavow links

Uma das estratégias de SEO negativo é gerar links de baixa qualidade para uma página com a intenção de prejudicar o ranqueamento dela.

Se você acredita que o seu site ou blog está sofrendo com esse problema, você pode usar a funcionalidade de Disavow do Search Console, que serve para rejeitar links que não estão sob o seu controle para que eles não impactem o seu posicionamento.

Um detalhe importante que não pode faltar na sua estratégia de SEO

Um detalhe importante que não pode faltar na sua estratégia de SEO

Antes de terminar este artigo, eu gostaria de te dar uma última dica.

Como você viu, existem muitas estratégias que você deve evitar, mas também muita coisa boa que você pode fazer para otimizar seu site, blog ou páginas para os buscadores.

E tão importante quanto saber certinho o que você deve ou não colocar em prática é ter uma ferramenta que te possibilita fazer isso com facilidade.

Se você ainda não conhece, o Klickpages é uma ferramenta de criação de páginas que conta com uma funcionalidade específica para te ajudar a fazer otimizações de SEO.

Um detalhe importante que não pode faltar na sua estratégia de SEO

Além disso, ele é simples e intuitivo de usar. Para ter a sua página no ar, você só precisa seguir esses 3 passos:

  1. Escolha o modelo: veja opções de alta conversão comprovada por testes.

  2. Customize a página: feita a escolha, edite os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: ao final, publique no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

Conclusão

Neste artigo, você viu que a maneira mais fácil e rápida de conquistar resultados no Google e nas outras ferramentas de busca é investir no white hat SEO.

Isso porque as práticas de black hat, por visarem apenas o ranqueamento e não se preocuparem em oferecer conteúdo de qualidade para os usuários, tendem a ser penalizadas.

E a punição pode vir em forma de perda de posições na página de resultados ou até mesmo exclusão do index, que é a lista de sites que podem aparecer numa busca.

Para que você não corra o risco de aplicar sem querer uma dessas técnicas condenadas, eu te expliquei neste artigo as 13 principais práticas de black hat SEO.

Entre elas estão keyword stuffing, conteúdo oculto e duplicado, doorway pages e private blog networks.

Depois disso, você viu como testar se o seu site recebeu uma penalidade do Google por black hat.

E, por último, eu te mostrei 6 técnicas de white hat SEO que você deve investir para conquistar resultados.

Então, você já aplicou alguma prática de black hat sem querer? Sofreu alguma punição? Me conta aqui nos comentários! 😉

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Angela de Oliveira

Meu nome é Angela, mas algumas pessoas me chamam de Angel. Faço parte do time de conteúdo do Klickpages e sou apaixonada por tecnologia e marketing. Uma das minhas coisas favoritas é falar sobre redes sociais e anúncios. Além disso, sou especialista em informações aleatórias (você sabia que o Alaska está mais perto da Rússia do que Brasília de Goiânia? Pois é...), fã de country americano e louca em esportes. Acompanho de tudo, mas meus favoritos são Fórmula 1 e futebol, inclusive assisto a jogos mesmo quando o meu time (Palmeiras <3) não está em campo. Ah, eu acredito que música de natal deveria tocar o ano inteiro e Christmas Peaceful Piano está entre as 3 playlists mais tocadas no meu Spotify.

Se você quiser ler outros conteúdos meus é só clicar aqui ;)