O que é Análise SWOT, para que serve, como fazer e exemplo

O que é Análise SWOT, para que serve, como fazer e exemplo

Poucos são os instrumentos tão eficazes para elevar a competitividade de uma empresa do que a Análise SWOT.

Se você não a conhece, ou já ouviu falar mas não sabe aplicar, está mais do que na hora de dominar esse tema.

Também chamada de Matriz SWOT, ela é muito menos complicada do que a “sopa de letrinhas” sugere.

E o melhor: ao ter a sua Análise SWOT pronta, você conta com uma ferramenta poderosa para avaliar suas estratégias e projetar um futuro de melhores resultados.

Se é disso que precisa, este artigo servirá como um guia para você.

Vamos explicar o que é Análise SWOT, como fazer de forma fácil, quais são suas vantagens e pontos de atenção.

E você não vai terminar a leitura sem antes acompanhar um exemplo prático, que é para conferir na prática tudo o que esse instrumento valioso por um empreendedor.

Vamos lá?

O que é Análise SWOT?

O que é Análise SWOT?

A Análise SWOT é uma ferramenta de gestão que avalia o grau de competitividade de uma empresa frente à concorrência. Em português, é conhecida como FOFA, um acrônimo para forças, oportunidades, fraquezas e ameaças. São justamente essas as características analisadas na matriz.

Por conta disso, ela se revela um instrumento perfeito para criar ou ajustar um planejamento estratégico empresarial.

Poucas são as ferramentas tão fáceis de aplicar e tão efetivas para garantir subsídios à tomada de decisões importantes na administração de um negócio.

Mas para melhores resultados, é imprescindível que o empreendedor tenha conhecimento sobre o mercado em que atua.

E isso inclui clientes, concorrentes, fornecedores e, principalmente, a própria empresa, o que ela oferece e como faz isso.

Para que serve?

Para que serve a Analise Swot

Sempre que você tem que tomar uma decisão importante para o futuro da empresa, é vital que tenha todos os elementos necessários para que ela seja o mais acertada possível, certo?

É para lhe fornecer essas informações tão valiosas que a Análise SWOT serve.

Mas como?

Ela faz uma análise dos pontos positivos e negativos do negócio e de como eles se relacionam com a concorrência.

Ou seja, coloca sob investigação como você estabelece uma vantagem e um diferencial com relação a ela e de que forma ela pode pôr em risco a sua posição no mercado.

Um aspecto interessante da Análise SWOT é que ela se aplica facilmente a praticamente todos os cenários que você possa imaginar no meio empresarial.

Vamos supor, por exemplo, que você queira lançar um novo produto e, para isso, planeje campanhas de marketing digital, com e-mail marketing, uma landing page bonita e tudo mais.

Quais são os pontos fortes a explorar nesse lançamento? Quais são as suas fraquezas que tornam a sua estratégia mais vulnerável?

De que forma esse lançamento se mostra uma oportunidade de ganhar espaço sobre a concorrência?

Qual o risco de ser surpreendido por ela, talvez com um produto ainda melhor e que conquiste a liderança do mercado?

Perceba pelo exemplo que a Análise SWOT é para pensar na empresa.

E quando o gestor se propõe a refletir sobre o negócio, ele está agindo como um verdadeiro empreendedor na busca por soluções.

Características da Análise SWOT

Características da Análise SWOT

Vamos entender agora o que compreende cada letra que dá origem ao nome da matriz SWOT, mas na sua versão em português – FOFA:

Forças (Strengths)

Forças (Strengths)

Para identificar suas forças, o empreendedor deve refletir sobre os pontos fortes do negócio. Ou seja, aquilo que se apresenta como uma vantagem competitiva.

Pode ser o preço, a qualidade de seus produtos ou serviços, a forma de atendimento, o valor que agrega aos clientes, entre outros aspectos.

Importante: essa não é uma análise em projeção. Isso quer dizer que é preciso avaliar o momento e não o futuro.

Fraquezas (Weakness)

Ao observar a sua realidade atual, é preciso identificar tudo aquilo que o coloca em desvantagem e que, como consequência, o leva a perder vendas e clientes, além de gerar maiores gastos.

Ao contrário do passo anterior, aqui a resposta deve indicar as suas desvantagens com relação aos concorrentes.

Considere aquilo no que você está atrás hoje.

Oportunidades (Opportunities)

Oportunidades (Opportunities)

Na hora de analisar as oportunidades, aí sim a sua visão precisa se voltar ao futuro.

Como todo bom gestor, é importante que tenha metas traçadas de forma bem detalhada.

Então, agora cabe responder: para onde elas o levarão? Que lacunas o mercado oferece e que você pode explorar, seja inovando ou oferecendo algo melhor do que o seu concorrente faz hoje?

Ameaças (Threats)

Ameaças (Threats)

Novamente olhando para a frente, é chegada a hora de avaliar, entre as suas vulnerabilidades, quais podem ser exploradas pela concorrência de modo a afetar seus resultados em termos de desempenho e de receitas.

Será que ela pode apresentar uma ideia melhor que a sua, ser mais inovadora, atender melhor ou superá-lo em qualidade?

Essa projeção é que permite se antecipar aos cenários de risco e se preparar melhor para conquistar o mercado.

Quem deve fazer uma Análise SWOT?

Quem deve fazer uma Análise SWOT?

Se você já entendeu por que fazer uma Análise SWOT, sabe agora que essa é uma metodologia que deve ser praticada por todo o tipo de empresa, nas mais variadas situações.

Mas será preciso investir em uma consultoria externa, um profissional de marketing ou uma empresa de pesquisa de mercado para a sua realização?

A possibilidade existe, mas nada impede que o próprio empreendedor conduza o processo de análise.

Afinal, como já destacamos, ela é bastante simples, intuitiva e fácil de aplicar.

Todas as opções são válidas, mas é fundamental que o gestor acompanha ou lidere o processo.

E para qualificar ainda mais, que tal ter o apoio de todos na sua equipe para que contribuam na identificação de seus pontos fortes e fracos, no presente e no futuro?

O ganho dessa ação será duplo.

Em primeiro lugar, o produto da abordagem tende a ser muito mais completo, fruto de diferentes visões sobre os processos internos e influências externas.

Em segundo, engajamento e motivação são ganhos ao ambiente de trabalho que não se pode desperdiçar.

Se é verdade que isso torna a equipe mais produtiva, por que não tentar?

Como analisar os fatores internos

Como analisar os fatores internos

Para que a Análise SWOT tenha maior chance de dar certo, com soluções efetivas para melhorar a empresa, é preciso enxergar para dentro com os olhos de alguém de fora.

Fácil não é, mas o esforço vale a pena.

Além disso, para ter uma real visão externa, mesmo que não terceirize a missão, você ainda pode contar com a opinião dos clientes.

Que tal fazer uma pesquisa com eles.

Um formulário online, super fácil de construir, pode matar a charada e trazer as resposta que você deseja.

Só não caia no erro de subestimar ou superestimar as suas forças e fraquezas.

Seja honesto consigo próprio.

Um bom modo de começar é estabelecer um parâmetro, ou seja, a própria concorrência e a média do mercado.

No que você se mostra melhor que os demais e no que ainda está abaixo?

Considerando os atributos mais importantes para a atividade da sua empresa, em quais se destaca positiva ou negativamente?

E nas suas projeções quanto ao futuro do negócio, no que precisa melhorar e quais aspectos pode explorar e reforçar a sua atuação?

Pergunta e mais perguntas.

A Análise SWOT pede quase que uma imersão dentro da própria empresa.

Como analisar os fatores externos

Como analisar os fatores externos

Quem é seu concorrente?

Essa é uma boa questão para começar a avaliar os fatores externos dentro de uma estratégia construída a partir da Análise SWOT.

A resposta parece simples, pois remete àqueles que disputam o mercado com você.

Mas que mercado? Quem é o seu público-alvo? Quais as suas necessidades? Seus interesses e desejos de consumo?

Ao delimitar com precisão a concorrência e observar suas práticas, você obtém uma visão ampliada sobre lacunas a explorar (as oportunidades), assim como aspectos capazes de reduzir seus clientes e elevar seus custos (as ameaças).

Seja o que for, por menor influência que a sua empresa tiver, entenda que não pode se abster dos resultados.

É verdade que algumas coisa fogem do controle, mas o seu compromisso é de no mínimo se preparar para elas.

Quer um exemplo? Uma aproximação do seu maior concorrente com seu principal fornecedor não é uma ameaça que o deixe paralisado.

Afinal, você vai esperar que ela se concretize ou vai reagir, encarar o problema de frente e evitar que eles assinem algum compromisso de exclusividade?

E se não for possível evitar, vai esperar acontecer ou cotar outros fornecedores para seleção?

Consegue perceber a diferença?

Anote o seguinte: não há fator externo que não exija a sua intervenção.

Exemplo de análise SWOT

Exemplo de análise SWOT

Vamos partir para a prática?

O problema é o seguinte: a sua participação de mercado é baixa.

Seu market share é de apenas 20% e você tem apenas dois fortes concorrentes.

A solução passa pelo aumento no número de clientes. Mas como fazer isso?

Forças

  • Você preza muito pela qualidade e persegue o erro zero, o que certamente interessa ao cliente como um valor.

  • Tem experiência e tempo de mercado.

  • Também a imagem da sua empresa é positiva.

  • Costuma se relacionar bem com seu público e interagir via redes sociais.

Fraquezas

  • A equipe não se mostra engajada e motivada.

  • Falta tempo para treinar a equipe para vender com foco no cliente.

  • A fidelidade não é o forte do seu cliente.

  • Seu preço não é atrativo.

Oportunidades

  • Planeja automatizar tarefas de modo a otimizar o tempo na empresa.

  • Criar um blog e, a partir dele, gerar leads.

  • Melhora do cenário econômico no país.

  • Os investimentos em marketing do concorrente vem caindo nos últimos meses.

Ameaças

  • Possibilidade de novos players adentrarem o mercado.

  • Suas ideias não são inovadoras e podem ser facilmente copiadas.

  • Consumidor cada vez mais preocupado com preço.

  • Alta rotatividade na equipe atrapalha projeto em longo prazo.

Agora que você concluiu a avaliação sobre os fatores internos e externos da empresa, cabe se perguntar: o que será feito a partir de então?

Essa é uma questão que vamos responder no próximo tópico.

Como transformar a matriz SWOT em ações e estratégias?

Como transformar a matriz SWOT em ações e estratégias?

No passo anterior, você se dedicou a pensar sobre a empresa.

Identificou um problema, definiu uma meta e colocou no papel tudo aquilo que hoje tem atrapalhado para alcançar resultados melhores.

Como veremos agora, você precisa criar uma relação entre os pontos que estabeleceu.

É preciso sair do campo da teoria e propor ações práticas, que efetivamente contribuam de forma positiva.

De maneira individual, você precisa avaliar cada item levantado.

Se é positivo, definir o que pode fazer para qualificá-lo a ponto de ser percebido como um valor, uma vantagem pelo cliente.

Se é negativo, como ser combatido e revertido, minimizado ou corrigido.

O segredo, basicamente, está em utilizar seus pontos fortes para garantir as oportunidades e conter as ameaças.

Por outro lado, não deixar que as fraquezas prejudiquem seu planejamento para crescer e evoluir.

E também garantir que elas não funcionem como um apoio para que ameaças se confirmem.

Vamos entender melhor dando sequência ao exemplo de antes.

Forças + Oportunidades

Forças + Oportunidades

Sua análise mostrou claramente que o crescimento passa muito pela sua estratégia digital.

Enquanto o concorrente reduz o investimento em marketing, você tem força nas redes sociais, planeja um blog e isso contribuiu para a visão positiva sobre a empresa.

Por outro lado, o apoio da tecnologia e a automatização de tarefas irão permitir que tenha mais tempo para executar um trabalho de excelência

Forças + Ameaças

Seus pontos fortes são capazes de enfrentar as ameaças.

Ainda que novos concorrentes surjam no mercado, a sua experiência e a imagem positiva da empresa são trunfos para preservar sua posição e ir além.

Da mesma forma, embora o consumidor tenha no preço um diferencial importante, você pode usar sua estratégia de marketing para conquistá-lo ao mostrar que receber um produto ou serviço de qualidade não precisa custar caro e agrega benefícios.

Fraquezas + Oportunidades

Você tem na oportunidade da automatização a chance perfeita de garantir um tempo precioso para treinar sua equipe e elevar seu nível de engajamento.

E tem ainda o ganho extra que isso gera na motivação e na maior produtividade dos colaboradores.

Outro ponto a considerar é que, embora hoje o preço não seja atrativo, uma melhora no cenário econômico poderia criar as condições ideais para mudar essa realidade.

Fraquezas + Ameaças

Quando fraquezas e ameaças se juntam, só há uma coisa a fazer: minimizar os possíveis impactos negativos para a concretização da sua meta.

Perceba, por exemplo, que o seu preço não é atrativo, mas que esse é um aspecto cada vez mais valorizado pelos consumidores.

Parece claro que esse é um ponto chave a atacar para o sucesso da sua estratégia, concorda?

Nesse caso, a Análise SWOT irá se concluir quando você estabelecer ações de redução de custos para que possa oferecer ao cliente valores mais atrativos.

E se isso acontecer, quem sabe o preço menor não seja o fator primordial para cumprir com outra etapa que falta: a de fidelizar seu cliente?

Outro aspecto que merece sua atenção diz respeito à equipe. Hoje, falta motivação para ela e tempo para você montar um treinamento de vendas.

A esse fato se soma a perspectiva de muita rotatividade entre os colaboradores, talvez vencidos pela desmotivação.

Será que esse não é um sinal claro de que você anda dando pouca atenção a eles?

Seu planejamento está quase completo. E há muito trabalho pela frente.

Mas que bom que seja assim. Imagine que, sem a Análise SWOT, você provavelmente não teria descoberto nada disso.

Conclusão

Conclusão Análise SWOT

A Análise SWOT é uma das mais completas ferramentas de gestão para análise de cenário e planejamento estratégico voltado à maior competitividade.

Mas nem por isso é um instrumento complicado, bem pelo contrário.

Como vimos ao longo do artigo, para que ela funciona de forma adequada, você é a peça-chave.

Reflita sobre a sua empresa, busque a essência daquilo que oferece e de como oferece.

Adotar uma postura questionadora é o que o conduzirá até as respostas que precisa.

E não importa qual seja a sua necessidade, a Análise SWOT é democrática e pode ajudá-lo.

Se você gostou do artigo, não deixe de ampliar seus conhecimentos, pesquisar mais sobre esse e outro instrumentos de apoio ao gestor.

Mas, sobretudo, leve a teoria para a prática, incentive sua equipe a contribuir e se aproxime ainda mais dos seus clientes.

Todo o tipo de feedback é válido para o seu aperfeiçoamento.

Não perca a oportunidade de evoluir.

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.