20 Termos de Marketing para você desempacar o seu negócio

20 termos de marketing para você desempacar o seu negócio

Se você ainda está perdido nos termos de marketing, é provável que esteja empacado com o seu negócio.

Vou te explicar o porquê.

Me diz se você já passou por essa situação…

Sabe quando você está com fome e sai vasculhando a casa atrás de comida?

Abre a geladeira, os armários, até algum aplicativo de delivery e simplesmente nada parece bom.

Você não sente vontade de comer nenhuma das opções que estão ali. Na verdade você não faz ideia do que quer comer.

Está com fome de algo específico, mas não sabe do quê.

Você sabe que tem alguma coisa faltando, alguma coisa que seria a ideal, mas não sabe o que é.

Só que cinco minutos depois, lá está você novamente abrindo todas as portas e armários possíveis para ver se o algo apetitoso magicamente surgiu.

É claro que nada mudou, são as mesmas opções.

O ciclo se repete infinitas vezes até que você decide comer qualquer coisa mesmo, ainda que não seja o que está com vontade, apenas para que seu estômago pare de roncar.

Mas mesmo depois de comer, você continua empacado naquele ciclo.

Porque o fato é que você comeu, mas não matou a vontade de comer. Você ainda está insatisfeito e talvez ainda abra a geladeira mais algumas vezes.  

A mesmíssima coisa acontece no seu negócio.

Chega um ponto que todo o conhecimento que você tem já foi aplicado. E você tem fome de mais, você quer dar o próximo passo.

Mas, se continuar abrindo a mesma geladeira que tem sempre as mesmas coisas, vai continuar faminto.

Ou seja, vai continuar usando as mesmas estratégias que já conhece, fazendo as mesmas coisas. E vai permanecer empacado. Você vai seguir sentindo falta de algo, mesmo que não saiba o que é.

O que vai realmente matar a sua fome de resultado é descobrir a peça que falta, qual é a estratégia que você precisa aplicar agora.

É por isso que eu fiz essa lista. Quanto mais você souber sobre termos de marketing, mais opções de ferramentas, estratégias e métricas terá para aplicar no seu negócio.

Leia esse artigo até o final para encontrar 20 opções para saciar sua fome. Você vai ter 20 chances de desempacar e sair desse ciclo que já deu o que tinha que dar.  

Bora?

#1 AIDA

AIDA

Essa sigla significa, na ordem:

  • Atenção

  • Interesse

  • Desejo

  • Ação

Cada letra é uma das etapas do processo de conquista de clientes.

É autoexplicativo: primeiro você conquista a atenção, para então despertar o interesse, depois o desejo e por fim a ação (ou seja, a venda).

É um funil de compras, o caminho que a pessoa percorre para sair de cliente em potencial para cliente de fato.

Esse modelo é baseado no comportamento humano, em como a gente toma decisões na hora de comprar.

Com o AIDA, você pode analisar o comportamento do cliente em potencial e direcionar suas ações de marketing para vender mais.

Eu fiz um artigo completinho sobre o Método AIDA aqui no blog, para ler é só clicar aqui.

#2 API

No original em inglês, essas três letras significam Application Programming Interface. Ou, em bom português: interface de programação de aplicativos.

Tecnicamente, elas são conjuntos de códigos que permitem que diferentes sistemas interajam.

Pode parecer um bicho de sete cabeças. Mas você não precisa ser nenhum mestre da programação para entender. Até porque API é algo do seu dia a dia. Quer ver?

Um exemplo clássico é quando você instala um aplicativo que necessita de cadastro e ele permite que você faça login pelo Facebook ou pelo Gmail.

Ou quando você vai pagar sua compra no seu site favorito, seja pelo cartão de crédito ou algum serviço de pagamento online.

Tudo isso é API: uma ponte que liga um sistema ao outro e permite que os dois se comuniquem.

#3 Automação

É possível que você tenha assistido aquele desenho dos Flintstones.

Lembra como eles dirigiam os carros, correndo com o pé no chão?

Imagina ir de São Paulo a Fortaleza desse jeito. Não faço nem ideia de quanto tempo demoraria.

Agora pensa em como os carros são agora, cada vez mais automatizados.

A direção, antes "pé duro" virou elétrica. O câmbio, que era manual, agora é automático.

O fato é que sair do ponto A para o ponto B é cada vez mais rápido.

É para isso que serve a automação de marketing: você usa ferramentas específicas para acelerar os processos da sua estratégia de marketing digital.

Como, por exemplo, o disparo automático de e-mails de boas-vindas ou de confirmação de cadastro para quem comprar o seu infoproduto. Outro exemplo é gerar e nutrir leads.

Já pensou vender seu curso para 5 mil pessoas e ter que, manualmente, encaminhar um e-mail para cada uma? É muito investimento de tempo para pouco resultado.

A automação não veio para substituir sua equipe, mas sim para otimizar os processos manuais e deixar seus colaboradores livres para se concentrarem em outras tarefas.

Eu publiquei um artigo sobre automação de marketing aqui no blog, para ler é só clicar aqui.

#4 Conversão

Conversão, para o marketing, é o que acontece quando alguém cumpre o objetivo de uma página, seja baixar um ebook, se inscrever em um curso, assinar a newsletter, preencher um formulário, enfim.

Para completar essas ações, a pessoa precisa te passar o contato dela, normalmente o e-mail. Quando ela faz isso, se torna sua lead, ou seja, cliente em potencial.

E quando sua lead compra, se torna seu cliente.

Conversão é quando você consegue persuadir a pessoa a sair de uma condição para a outra. Da condição de visitante da página para lead, e da condição de lead para cliente, por exemplo.

Você pode calcular a sua taxa de conversão para ver como sua estratégia de marketing está se saindo. Assim, você sabe se tem alguns parafusos soltos para ajustar.

Só para dar um exemplo, se a sua taxa for de 60%, significa que a cada 100 visitantes 60 viraram leads.

Você pode ver mais detalhes sobre a taxa de conversão nesse artigo aqui do blog.

#5 CAC – Custo de Aquisição de Cliente

CAC - Custo de Aquisição de Cliente

O CAC é uma das métricas mais vitais para um negócio, seja ele digital ou físico. Se você não souber o seu CAC, é como se estivesse dirigindo de olhos vendados em uma BR.

Pensa no estrago que pode acontecer.

Esse é cálculo que mostra quanto a empresa gastou para conseguir seus clientes. Ou seja, quanto a aquisição de cada cliente custou para o negócio.

Os gastos incluem investimentos em marketing e salários e comissões, por exemplo.

É simples calcular: basta separar um período de tempo, somar todo o valor investido e dividir pelo número de clientes conquistados.

O Custo de Aquisição de Cliente te ajuda a entender se sua estratégia está funcionando e se o seu dinheiro está sendo bem investido nas campanhas.

Assim, você pode conter gastos desnecessários e planejar ações futuras.

Não vou me estender nessa conversa aqui, porque tem um artigo inteiro só sobre CAC no blog. Clique para ler.

#6 CPC – Custo por Clique

Não sei se você gosta de balada, ou se já gostou um dia (para falar a verdade, eu nem sei se hoje as pessoas ainda falam balada).

De todo modo, é possível que saiba como o esquema funciona: você precisa pagar para entrar.

Mas você só paga se quiser entrar. Se preferir ficar do lado de fora ouvindo a música abafada que vem de dentro, não paga nada.

É mais ou menos do mesmo jeito com o CPC.

Essa é uma forma de pagar por seus anúncios.

Funciona assim: você só paga quando alguém clica no link do anúncio.  

Por exemplo, imagine que você fez um anúncio no Google para a palavra-chave "estudar espanhol".

Quando alguém pesquisar por esse termo, seu anúncio vai aparecer na tela, mas você só paga se a pessoa clicar.

Ele é indicado para quem está começando a se aventurar em anúncios.

#7 CRM – Customer Relationship Management

Em bom português, essa sigla significa gestão de relacionamento com o cliente.

Mas como é isso na prática?

O CRM é como se fosse um raio-x que te dá o diagnóstico de todos os gostos do seu clientes. Desde os produtos que ele tem mais interesse em comprar, até que dia do mês ele está com a carteira mais cheia.

Assim, por meio de informações coletadas em várias ferramentas você consegue surpreendê-lo com abordagens personalizadas.

Tipo quando a Netflix te recomenda um filme, ou o Spotify escancara um álbum novo que tem tudo a ver com você.

É no CRM que você consegue ver os clientes cadastrados na sua base, o histórico de compras, preferências, contato.

Neste artigo aqui do blog eu explico detalhes sobre essa abordagem.

#8 CTA – Chamada para Ação

Nada mais é que um comando que você faz para instigar a pessoa a dar o próximo passo, tomar uma ação.

Esse próximo passo pode ser qualquer coisa que você queira que ela faça.

Desde clicar em um botão, link ou banner na página, curtir, comentar ou compartilhar um conteúdo, se inscrever em uma newsletter ou simplesmente consumir um conteúdo até o final.

O objetivo é que, a cada novo passo, a pessoa fique mais perto de se converter em cliente.

Nessa hora, você precisa ser persuasivo (mas sempre mantendo a integridade) para fazer a pessoa agir conforme sua CTA.

Para mais detalhes, veja esse post aqui do blog.

#9 Inbound Marketing

Inbound Marketing

Se você quer ficar irresistível para sua audiência, esse é o caminho.

Também conhecido como marketing de atração, essa estratégia faz com que a audiência corra atrás de você e não o contrário.

Sabe por que ela vem correndo atrás de você?

Primeiro porque você não fica enchendo o saco dela, como acontece no mundo offline com as propagandas interruptivas na televisão ou o outdoor, por exemplo.

Aqui, você pede permissão para falar.

E segundo e mais importante, ela corre atrás de você porque ela quer. Porque o que você oferece é tão envolvente que ela dificilmente terá olhos para a concorrência.

No Inbound Marketing, o que você oferece é o seu conteúdo de qualidade, seja para blogs ou mídias sociais.

Você disponibiliza conteúdo, cria um relacionamento, desenvolve a confiança para só depois fazer a oferta.

Ele está intimamente ligado ao SEO, que eu vou falar melhor sobre daqui a pouco.

Mas se quiser entender os detalhes do Inbound Marketing, se liga nesse artigo aqui do blog.

#10 KPI – Key Performance Indicators

Em português, é o indicador-chave de desempenho, mas eu chamaria de bússola mesmo.

Porque é uma ferramenta de gestão utilizada para indicar se sua estratégia está dando resultado e sendo eficiente.

Além disso, por meio das KPIs, você consegue ter uma visão profunda do que está acontecendo no presente para ajustar suas ações futuras.

Você consegue ver o que tipo de situação pode surgir para sua equipe de marketing.

Por isso eu chamei de bússola, porque são as KPIs que te mostram se você está indo na direção certa para alcançar os objetivos do seu negócio.

Alguns exemplos de KPI são o Custo de Aquisição de Cliente (CAC) que já falei sobre, as fontes de tráfego e os números de visitantes da sua página.

#11 Landing Page

Também chamada de página de conversão, ela funciona assim: você oferece algo de valor para seu cliente em potencial e ele te dá o contato em troca, geralmente o e-mail.

Esse algo de valor pode ser um material rico, como ebook, ou a inscrição para uma aula ou curso, ou a compra do seu infoproduto, por exemplo.

O fato é que um dos maiores objetivos de uma landing page é a geração de leads.  

Porque, com o contato do seu público, você pode promover abordagens mais direcionadas, educá-lo e nutri-lo até que ele esteja pronto para se tornar um cliente de fato.

Na hora de criar landing pages, o Klickpages é o seu maior aliado.

Pois ele é uma ferramenta fácil e intuitiva de usar. Você só precisa seguir esses 3 passos:

  1. Escolha seu modelo: veja as opções de alta conversão comprovada por testes.

  2. Customize a página: feita a escolha, edite os textos, as cores e as imagens, além de ocultar elementos que pouco agregam.

  3. Publique: tudo pronto? Por fim, é só publicar no seu próprio domínio, sem custos adicionais de hospedagem.

#12 Lead

Você acabou de ver que um dos maiores objetivos de uma landing page é a geração de leads.

Portanto, uma pessoa se torna lead quando te passa os dados dela (e-mail, telefone), normalmente por meio de uma landing page.

É um cliente em potencial, alguém que te deu permissão para entrar em contato com ele.

Uma lead não é a pessoa que visita seu site ou que consome seus conteúdos nas redes sociais todos os dias. Para se tornar lead, ela precisa te passar o dados de contato.  

Ou seja, é alguém que ainda não comprou seu produto ou serviço, mas que demonstrou certo interesse por sua marca.

Por isso, é mais fácil e eficiente converter uma lead em cliente do que um visitante do seu site em cliente.

Mas ninguém se torna uma lead por nada. É uma troca: você oferece algo de valor para ela (um curso, um ebook, um infográfico, enfim) e por isso ela te passa o contato.

Uma vez que o visitante se tornou uma lead, você precisa educar e nutri-la para ela avançar nas etapas do funil de vendas e se converter em cliente.

Para saber mais sobre lead, veja esse post aqui do blog.

#13 Link building

Link building

Enquanto lê esse artigo, talvez você já tenha reparado que existem vários conteúdos linkados aqui.

Essa é uma forma de fazer link building, ou seja, é a prática de colocar links no seu artigo que levam para outros conteúdos que têm a ver com o tema.

Você pode (e deve) referenciar para outros conteúdos do seu próprio site.

Primeiro para manter o leitor mais tempo no seu site, já que ele será direcionado para outros conteúdos seus…

Segundo para construir sua autoridade aos olhos dos mecanismos de busca, como o Google.

Funciona assim: quanto mais um conteúdo seu é referenciado, mais o Google entende que ele é relevante e de qualidade.

Por isso, sempre produza conteúdos de qualidade e relevância para os mecanismos de busca os enxergarem com bons olhos.

Mas link building também acontece quando outros sites referenciam para o seu.

Quanto maior for a qualidade do site que referencia para o seu, melhor é para você também por causa do lance da autoridade que falei acima.

Use o link building quando fizer sentido: não encha seu artigo de links que não têm a ver com o tema sobre o qual você está falando.

Como você vai ver daqui a pouco, link building é importante em uma estratégia de SEO.

#14 LTV – Lifetime value

O LTV é o valor do tempo de vida de um cliente na sua empresa.  

Ou seja, o quanto ele vai gastar com seu produto ou serviço durante o tempo que vocês mantiverem um relacionamento.

Se você vende um curso, por exemplo, pode calcular o seu LTV com base no tempo médio que os clientes passam com você.

De forma simplificada, basta multiplicar o valor mensal que você recebe do seu cliente pelo número de meses que ele permanece com você.

O LTV funciona muito bem para compras recorrentes, como serviços por assinatura (a Netflix ou o Spotify, por exemplo).

É importante você analisar a relação do LTV com o CAC (custo de aquisição de clientes, lembra?). Assim, você sabe se o que espera ganhar bate com o tanto que está gastando para conseguir novos clientes.

Ou seja, se o valor do CAC for maior que do LTV, você está tomando prejuízo pois está investindo mais do que tendo retorno.

#15 Persona

Persona nada mais é do que a representação do seu cliente ideal.

É homem? É mulher? Qual a faixa etária? Mas, mais importante que isso, quais são os interesses e dores dessa pessoa?

Definir a sua persona é o primeiro passo antes de começar qualquer negócio.

Sem saber quem é seu cliente ideal, quais suas características, quais suas dores e medos, o que tira o sono dele a noite, fica difícil desenvolver a melhor solução possível para ele.

Não só em termos de saber qual é o produto ou serviço ideal, mas também qual é a melhor abordagem, qual linguagem usar.

Você pode ter mais de um tipo de persona, e a junção de todas é seu público-alvo.

Logo, ter sua persona bem definida é o guia para sua estratégia de marketing seguir pelo caminho certo. Não adianta vender carne de boi para vegetarianos, né?!

#16 ROI – Retorno sobre investimento

É um cálculo que você faz para saber se o seu investimento em marketing está retornando positivo para você. Ou seja, se você está tendo lucro ou prejuízo com sua estratégia de marketing.

Por exemplo, se você investiu 100 reais e apenas 40 reais retornaram para a empresa, então seu negócio está tomando prejuízo.

O ROI é importante para que você ajuste suas ações e invista apenas em algo que está trazendo retorno.

Por exemplo, se o seu investimentos em anúncios nos mecanismos de busca está dando retorno negativo, enquanto o investimento em anúncios no Facebook está no verde, fica fácil saber para qual você tem que dedicar mais recursos.

Neste artigo eu te mostro mais detalhes sobre ROI, como calcular o seu e saber se ele está alto ou baixo.

#17 SEM – Search Engine Marketing

SEM - Search Engine Marketing

Sabe aquela pessoa que é super legal mas não é lá muito bonita? E aquela pessoa que é linda de doer mas que não dá para sustentar um papo de 5 minutos?

Agora pensa naquela pessoa que é super legal e linda de doer. O melhor dos dois mundos, certo?

É exatamente isso que essa série de estratégias de marketing chamada SEM faz pelo seu negócio: é a junção de links patrocinados com SEO (vou falar melhor sobre o último já já).

É a união das estratégias de marketing orgânicas com as estratégias pagas, ou seja, do tráfego orgânico e tráfego pago.

O objetivo do SEM (ou marketing para ferramentas de busca, em português) é conseguir o máximo de resultado em menos tempo.

Isso significa que o SEM busca atingir e levar pessoas mais selecionadas e qualificadas para o seu site.

Para ver mais detalhes sobre SEM, é só clicar aqui. 😉

#18 SEO – Search Engine Optimization

SEO ou otimização para motores de busca nada mais é que um conjunto de técnicas para fazer com que seu conteúdo se torne o queridinho do Google.

Ou seja, para melhorar o ranqueamento do seu conteúdo ao ponto de colocá-lo na primeira página dos buscadores.

Estar na primeira página é importante porque 95% das pessoas não passam para a segunda.

Ser bem ranqueado te deixa visível para o público que está buscando uma determinada dúvida ou solução que você pode oferecer. Com isso, a tendência é que mais pessoas visitem sua página.

SEO é uma estratégia para atrair tráfego orgânico: você não impulsiona seus conteúdos como acontece nos links patrocinados. Você usa componentes como palavras-chave, link building e semântica.

Lembra o que acabamos de conversar sobre o SEM? Então, o SEO é uma das estratégias do SEM.

Para saber mais: aqui você pode ver o que é SEO em mais detalhes. Já nesse artigo você conhece as técnicas de redação para SEO para otimizar o seu conteúdo e nesse aqui estão as ferramentas de SEO mais importantes para usar na sua estratégia.

#19 Teste A/B

Isso acontece quando você faz duas versões de uma mesma página para testar diferentes abordagens e ver o que converte mais, se é o botão da CTA verde ou vermelho, por exemplo.

Como funciona? Metade das pessoas que acessam a página, normalmente uma landing page, veem o botão verde. A outra metade vê o botão vermelho.

Assim, você tira a prova para ver qual é mais eficiente na conversão. Aí você usa a opção vencedora como a versão definitiva da página.

Nesse post eu explico mais detalhes sobre os testes A/B.

#20 Tráfego

Uma coisa é certa: sem tráfego, você está invisível na internet, o seu público não sabe que você existe. Porque tráfego é o número de visitantes da sua página.

Quanto maior for esse número, significa que mais pessoas estão acessando sua página.

Não existe só um tipo de tráfego, e os dois tipos de tráfego mais conhecidos são:

  • Tráfego orgânico

Nesse tipo, você usa estratégias de SEO para ranquear o conteúdo nos mecanismos de busca e, assim, atrair visitantes para o site. É uma estratégia a longo prazo, já que não tem investimento direto envolvido.

Você investe dinheiro em anúncios e campanhas para levar as pessoas para a sua página. Esses anúncios podem aparecer nos mecanismos de busca, nas redes sociais ou em banners, por exemplo. Os resultados surgem quase que imediatamente.

Existem ainda outros 4 tipos de tráfego que eu explico neste artigo.

Conclusão

Termos de Marketing Conclusão

Nas últimas linhas, você viu 20 termos de marketing essenciais para uma estratégia de marketing de sucesso.

De um jeito ou de outro, todos esses termos estão interligados. Desde Inbound Marketing, até Lead, Conversão, Tráfego, CAC, SEO…

Todos estão aí para te ajudar na sua estratégia.

Se chegou até aqui, significa que você tem em mãos uma lista completa para visitar sempre que precisar.

Agora é com você. Não deixa de me contar nos comentários quais desses termos você já conhecia e quais são novidade. Abraço!

COMPARTILHE NAS REDES SOCIAIS!

Sobre o Autor

Hugo Rocha é co-fundador da Ignição Digital e do Klickpages. Já atuou diretamente nos bastidores dos maiores lançamentos digitais do Brasil. Atualmente está a frente da equipe de tráfego e crescimento da Ignição Digital e Klickpages liderando pessoalmente mais de R$ 4 milhões de reais em investimento em tráfego nos últimos 12 meses com ROI acima de 300%.